domingo, 25 de abril de 2021

Light Novel x Entame Shousetsu

A força da literatura na cultura pop japonesa.

The Melancholy of
Suzumiya Haruhi - Vol. 1

Light novel (ライト・ノベル) é um tipo de entretenimento japonês que, aos poucos, vai ficando mais conhecido para o público brasileiro. Também conhecido no Japão como "Ranobe", uma contração local para a pronúncia "Raito Noberu" (sempre com o "r" fechado, como em "arara"), os livros light novel são parte da cultura pop. São romances literários geralmente voltados ao público juvenil, geralmente com no máximo 200 páginas. O diferencial é que são livros com muitas ilustrações em estilo mangá, essenciais para se aproveitar plenamente a obra.

O formato consagrado de light novel evoluiu à partir de contos ilustrados, publicados em revistas voltadas a temas de ficção científica e fantasia. Publicados em capítulos e depois compilados em livros, as light novels se transformaram em um grande força na cultura popular japonesa. 

Toradora! Vol. 1

Muitas obras conhecidas no ocidente por suas versões em mangá e animê surgiram originalmente como light novels, como The Melancholy of Suzumiya Haruhi, Dirty Pair, Shakugan no Shana, All you need is kill, Toradora! e várias outras. Além disso, muitas obras de sucesso em mangá ou animê acabam ganhando títulos em romances e em formato light novel.

No Brasil, a editora que mais publica light novels é a NewPOP, que possui até um selo especializado, o NewPOP Novels, com alguns títulos de sucesso disponíveis, como Re: Zero, Morte, Toradora! e outros.

Naruto: A História
Secreta de Sakura -
Comtemplações de Amor
na Brisa de Primavera

Pela estreita relação com personagens da cultura pop, há muitos desavisados que chamam qualquer livro de literatura com personagens de mangá ou animê de light novel, o que é um erro. Há um termo específico para os romances literários tradicionais, sem o uso ostensivo de ilustrações como complemento. É o que geralmente é chamado de entame shousetsu (エンタメ 小説), ou "romance de entretenimento", que nada mais é que um romance literário com um apelo de aventura, fantasia, terror ou ficção científica. Lembrando que é "romance" no sentido de narrativa literária, não do tipo de história. 

Desde muito antes da ascensão das light novels, a literatura de ficção japonesa sempre flertou com a cultura pop, como um desdobramento natural do mercado editorial. 

Kamen Rider BLACK:
Mad Soldier

Na década de 1980, o sucesso da Patrulha Estelar (Yamato) levou à criação de diversos livros que adaptavam as aventuras da saga. Na área do tokusatsu, Kamen Rider BLACK (1987~88) teve uma aventura contada somente em livro, intitulado Mad Soldier. Jetman (1991), primeira série tokusatsu a atingir o público mais juvenil, ganhou três livros, com histórias mais adultas escritas pelo roteirista Toshiki Inoue, com capas ilustradas pelo diretor Keita Amemiya

O grande mercado de livros no Japão permite a criação inclusive de histórias canônicas (que valem para a cronologia oficial), como acontece na saga Naruto, publicada no Brasil pela editora Panini. Com o sucesso do mangá, a editora começou a lançar também alguns dos romances da franquia. 

Grandes marcas, como Ultraman e Pretty Cure (Precure), possuem diversos livros que adaptam episódios e filmes, trazem histórias originais, sequências ou oferecem a visão particular de autores variados sobre personagens consagrados.

Obra mais conhecida em mangá e animê, a franquia Another surgiu em 2006 na forma de uma história seriada, depois compilada em livro, do escritor Yukito Ayatsuji. Com grande apelo popular, se tornou uma das mais importantes obras da cultura pop a ter surgido primeiro como literatura para adultos. 

Como dito anteriormente, a relação entre light novels e entame shousetsu com o universo de personagens da cultura pop frequentemente leva a classificações errôneas. Aqui, não é o caso de se tentar popularizar o termo entame shousetsu, o que realmente é desnecessário, mas sim deixar claro quando uma obra é uma light novel ou simplesmente um romance literário. 

Light novels, como o próprio nome diz, são "romances leves" pontuados por muitas ilustrações. Para leitores de mangá que receiam embarcar em livros, pode ser uma ponte para formas mais complexas de literatura, mas é um erro pensar apenas dessa forma. 

Elaboradas para aproveitar recursos visuais, as light novels não devem ser vistas meramente como algo intermediário entre quadrinhos e literatura, pois esse tipo de entretenimento possui uma força e valor próprios. Pode funcionar, inclusive, como uma poderosa ferramenta de incentivo à leitura. 

 🍣🍣🍣🍣🍣

Resenhas:

Abaixo, algumas resenhas de romances literários com personagens da cultura pop, disponíveis no blog parceiro Casa do Boneco Mecânico:

ULTRAMAN SUIT ANOTHER UNIVERSE Episode: TIGA 

Futari wa Precure 

Ultraman Dual

Smile Precure

 🍣🍣🍣🍣🍣

Apoio coletivo ~ Sushi POP:

Curte minhas publicações? Acompanha meu trabalho faz tempo? Colabore com a continuidade de minha atividade como redator e divulgador cultural, com qualquer valor a partir de R$ 5,00. 

Pode ser contribuição única ou recorrentepública ou anônima. Agradeço de qualquer forma. 

ApoioColetivo 

6 comentários:

Riojin disse...

Particularmente nao sou um grande fã de light novels. Mas gostei da novrl de "Kimi no na wa", mais até que o proprio filme.

wendley vale disse...

Em um pais como o nosso em que a molecada lê cada vez menos, as light novels ao me ver seriam uma ótima opção de incentiva-los a consumir mais livros.

Alexandre Nagado disse...

Fala, Riojin.

Na verdade, meu interesse é só pelo lado de pesquisa mesmo, visto que não encontrei algum que me atraia especificamente. Como já vi pessoas e até sites chamando romances de light novel só porque têm relação com mangá ou animê, achei que valia à pena explicar aqui no blog.

Ainda não li a versão romance do Your Name, mas gosto muito do animê e o mangá é bem simpático. Comprei o romance de O Tempo Com Você. Está na fila para leitura.

Abraço!

Alexandre Nagado disse...

Fala, Wendley!

Concordo totalmente. Seria interessante professores de português descobrirem esse segmento, para trazerem à sala de aula. O professor Pierluiggi Piazzi dizia que a pessoa que não lê livros só não achou ainda um livro que lhe desperte o prazer da leitura.

Valeu! Abraço!

Rafael oliveira disse...

Free é um ótimo Anime, que é uma adaptação de uma Light Novel!

Alexandre Nagado disse...

Boa dica, Rafael, valeu! Acredito que o mercado de light novels no Brasil só está começando.