segunda-feira, 22 de março de 2021

O Regresso de Ultraman

 Os 50 anos da série que inaugurou oficialmente o Universo Ultra. 

Capa do livreto que acompanha a
coleção em blu-ray
da série, lançada nos EUA.

No ano de 1970, a Tsuburaya Productions estava envolvida com a nova versão de um grande sucesso do estúdio. A retomada de Ultraman, seriado campeão de audiência entre 1966 e 67, havia recebido sinal verde da emissora TBS para entrar em pré-produção. A ideia era trazer de volta o aclamado super-herói, mas com um novo hospedeiro humano. O título já estava pronto: Kaettekita Ultraman, ou "O Regresso de Ultraman". 

Aquele foi um ano complicado, pois o proprietário do estúdio, o lendário diretor de efeitos especiais e fundador, Eiji Tsuburaya, falecera em janeiro, aos 68 anos. Ele havia sofrido um ataque cardíaco, e com sua morte, o estúdio foi assumido por seu filho mais velho, Hajime Tsuburaya (1931~1973), que para isso teve que abandonar a função de diretor que exercia até então. 

A icônica cena de transformação.

Cheio de ideias, ele mudou os rumos da produção junto com a equipe de criação que reuniu. Enquanto Ultraman e Ultra Seven eram histórias com várias similaridades, mas independentes, a nova série iria criar um senso de continuidade, estabelecendo os Ultras como protetores do Universo. 

O título O Regresso de Ultraman não impediu que fosse criado um Ultra totalmente novo. Havia, claro, similaridade de aparência e poderes, mas isso era devido ao fato de pertencerem a uma mesma raça. Pela primeira vez, ficava claro que Ultraman e Ultra Seven pertenciam a uma mesma raça guerreira, e que de tempos em tempos viria um desses guerreiros para proteger a Terra.

Para o papel da identidade humana do novo Ultraman foi escolhido Jiro Dan, um jovem modelo já com experiência em comerciais de TV. Rumi Sakakibara, belíssima modelo em ascensão, foi escolhida para ser o par romântico do herói. Um elenco de peso foi montado pela TBS, que cuidava da dramaturgia, enquanto a Tsuburaya se concentrava no roteiro e nos efeitos especiais. 

Muitos relatos da época dão conta de que a TBS era quem organizava o trabalho dos diretores e atores, independente das cenas de ação com o herói e os monstros, que eram feitos dentro da Tsuburaya, sob a supervisão de diferentes diretores de efeitos especiais, com destaque para Koichi Takano, um dos mais destacados discípulos de Eiji Tsuburaya.

Para roteirista principal foi convocado Shozo Uehara (1937~2020), que abandonou o projeto Kamen Rider, no qual estava envolvido na Toei, movido pelo débito de honra que ele sentia para com a memória de Eiji Tsuburaya. Ele escreveria 22 dos 51 episódios, especialmente na primeira metade da produção. Escritor brilhante, ele formatou os personagens e desenvolveu dramas tocantes com críticas sociais, mensagens políticas e muito de sua filosofia de vida em histórias cheias de ação. 

Esse mesmo sentimento para com a memória de Eiji Tsuburaya trouxe o diretor Ishiro Honda (1911~1993), famoso pelos filmes de Godzilla, que dirigiria os episódios 1, 2, 7, 9 e 51 (final) de O Regresso de Ultraman, além dos dois primeiros de Mirror Man, série que a Tsuburaya lançou ainda no final de 1971, em meio ao final da produção de O Regresso de Ultraman e os preparativos da série sucessora. O estúdio estava em crescimento e sua qualidade técnica, naquele momento, era muito superior à da Toei com seu Kamen Rider e da P-Productions com seu Spectreman

Jiro Dan e Rumi Sakakibara:
Jovens modelos em ascensão na época
em que foram selecionados para a série.

Assim, em 2 de abril de 1971 estreava no Japão O Regresso de Ultraman, sendo que o herói era chamado apenas de Ultraman na série, o que deve ter confundido os desavisados. 

Em publicações da época, ele era chamado de Shin (no sentido de "novo") Ultraman, Shin Man, Kaettekita Ultraman, Segundo Ultraman ou até Kaeri Man. O nome Ultraman Jack, começou a ser usado somente em 1984, para diferenciar melhor ele do Ultraman original. 

Hideki Goh

UM HERÓI HUMANO

A trama apresentava a saga do jovem Hideki Goh, um valente e impulsivo aspirante a piloto de corridas de 23 anos. Após um ato de bravura para salvar uma criança e um cão durante um ataque de monstros gigantes, Goh foi ferido gravemente e levado a um hospital, onde foi declarado morto, para desespero de sua namorada Aki Sakata. Na mesma casa, moravam Aki, de 18 anos, e seus dois irmãos. O mais velho, Ken Sakata, tinha 28 anos e era um inventor portador de deficiência física (era manco de uma perna) que estava trabalhando em um carro de corrida para Goh. E o irmão caçula, Jiro, ainda era uma criança de 11 anos. Nunca se soube nada sobre os pais deles, mas Goh era praticamente mais um membro da família.

Aki, Jiro e Ken Sakata.

Tendo testemunhado o sacrifício de Goh, o Ultraman designado para defender a Terra contra monstros despertos e invasores espaciais funde sua vida à do humano. Depois ficaria estabelecido que alguns Ultras conseguem emular a forma humana, enquanto outros necessitam sempre de um hospedeiro para poderem viver ocultos na sociedade. 

Por sua coragem e excelente condicionamento físico, Goh é convidado a se unir ao MAT (Monster Attack Team), ou GAM - Grupo de Ataque aos Monstros, como ficou conhecido no Brasil. 

Assim, Goh e Ultraman passam a agir como um só para defender a humanidade contra monstros gigantes - os desastres naturais dessa realidade - e conquistadores espaciais. Seus amigos são os integrantes do GAM, todos valorosos soldados. Liderados pelo Capitão Kato, os oficiais Kishida, Ueno, Minami e Yukiko (Yuriko, no original) lutavam ao lado de Goh nas missões do esquadrão. Com o tempo, o capitão foi transferido e em seu lugar veio o Capitão Ibuki.

Em pé: Minami, Kishida, Goh e Ueno.
Sentados: Yuriko e Cap. Ibuki.

BATALHAS E PERDAS

Em relação a seus antecessores, o novo herói possuía mais habilidades acrobáticas e maior agilidade em combate. Para isso, era fundamental que Hideki Goh estivesse em forma, e ele era visto frequentemente se submetendo a intensos treinos, como quando enfrentou o dinossauro King Saurus III

Com 40 metros de altura, o alienígena Ultraman era capaz de disparar raios e lâminas de energia assim como o primeiro Ultraman a vir para a Terra e possuía habilidades únicas, como o poder de manipular energia para controlar e reverter até mesmo um tsunami devastador, causado pelos monstros Seamons e Seagorath.

Quando se depara com um monstro espacial de poder superior, o Bemstar, Ultraman recebe de Ultra Seven o artefato Ultra Bracelete, capaz de se transformar em diversos tipos de arma, como lança, escudo, lâmina de arremesso e cargas explosivas. Entre os Ultras, vários teriam braceletes como arma, mas nenhum tão versátil quanto o bracelete do segundo Ultraman. 

O momento mais terrível para Goh chega quando o grupo conhecido como Os Poderosos do Espaço inicia seu ataque. Tendo analisado Ultraman, concluem que o melhor jeito era atacar sua parte humana. Assim, eles matam com extrema violência tanto Aki quanto Sakata, deixando Goh transtornado. Quando o monstro Negrume ataca, Goh e Ultraman estão descontrolados pela ira. O líder dos Poderosos, o alien Knuckle, se une à batalha e Ultraman cai vencido. 

Os Poderosos do Espaço e
o mais covarde dos planos.

Enviado ao espaço para ser executado, é salvo da morte pela união do Ultraman original com Ultra Seven, em um dos momentos mais antológicos da franquia. Cheio de fúria, Ultraman consegue vencer os inimigos. Sozinho após a morte de seus irmãos, Jiro passa a ser criado pela jovem vizinha Rumiko Murano, que se penaliza com a situação. 

O herói vai acumulando vitórias até o derradeiro confronto com o alien Morcego, que traz para a Terra um segundo monstro Zetton, da mesma espécie que havia derrotado o primeiro Ultraman anos antes. A base do GAM é destruída e somente um caça permanece intacto, com combustível para poucos minutos no ar. Quem o pilotar, dificilmente irá sobreviver. Goh se oferece e se despede dos amigos de equipe. Quando seu caça é abatido, ele se transforma para enfrentar Zetton e o Morcego. 

Usando sua habilidade, Ultraman consegue vencer, mas fica sabendo que os seres do planeta do Morcego pretendiam atacar a Cidade da Luz no Planeta Ultra, e uma guerra estava a caminho. Assim, Goh se despede de Jiro e da amiga Rumiko, que nutria um forte sentimento por ele. Goh transmite a Jiro os Cinco Mandamentos de Ultra, um conjunto de ensinamentos para as crianaças crescerem fortes e valorosas. Ele parte para o espaço, em um dos finais mais emocionantes do tokusatsu.

Cartaz de cinema de
uma das compilações
da série.

ALÉM DA SÉRIE CLÁSSICA

No Japão, a série teve uma boa audiência, com média de 22%, o que garantiu uma longa temporada de Ultras na TV. Em seu período de exibição original, O Regresso de Ultraman também marcou presença nos cinemas japoneses. Em circuito limitado, alguns episódios foram exibidos em tela grande, especificamente o arco duplo dos episódios 5 e 6 (monstros Gudon e Twintail), os episódios 13 e 14 (Seamons e Seagorath) e mais o episódio  29 (monstro Yadokarin). 

Em mangá, teve diferentes versões, incluindo uma adaptação de alguns episódios pelo principal autor a trabalhar com a franquia Ultra, o célebre Mamoru Uchiyama (1949~2011)

Em mangá, no traço
de Mamoru Uchiyama.

Na semana seguinte ao final de Kaettekita Ultraman, Ultraman Ace deu continuidade à franquia, com boa repercussão. 

O ator Jiro Dan, após um excelente trabalho como o carismático Goh, seria um dos mais ligados à franquia. Ele apareceu em um episódio de Ace interpretando um falso Hideki Goh, que engana por um tempo Jiro e Rumiko. Depois, aparece em três episódios de Ultraman Taro (1973) e mais um de Ultraman Leo (1974). 

Após algumas pontas em produções variadas, como Ultraman Zearth 2 (1996), Jiro Dan voltou a ser Hideki Goh na franquia em 2006. Coestrelou com outros veteranos o filme Ultraman Mebius and Ultraman Brothers, e ainda apareceu em dois episódios de Ultraman Mebius

As versões de Aki e Goh de uma
dimensão paralela, casados e com uma filha.

Em 2008, foi a vez de aparecer no filme Ultra 8 Kyodai, um grande encontro de gerações. Mas era uma versão de um mundo paralelo, onde Aki estava viva e ela e Goh são casados e têm uma filha, Meg (vivida pela atriz Megumi Matsushita, filha de Rumi Sakakibara). 
Jiro Dan voltou a aparecer como Goh em Ultraman Saga (2012) e fez a voz de Jack em diversos filmes e minisséries da franquia. 

Ator versátil e com uma vasta carreira, Jiro Dan teve papeis regulares em Mach Baron (1974), Robot 8-chan (1981), Godzilla Island (1997), Hurricaneger (2002), Ryusoulger (2019) e acumulou participações em Machine Man (1984), Patrine (1990) e muitas outras obras ligadas ao tokusatsu. Fora do tokusatsu, sua carreira é enorme, com atuações em teatro, cinema e TV. Ele cantou o tema de abertura da série e teve uma carreira musical modesta, chegando a gravar o tema de encerramento de Dragon Quest - Dai no Daibouken (1991), conhecido no Brasil como As Aventuras de Fly

No Brasil, a série foi exibida na extinta TV Tupi na década de 1970. Depois, teve uma breve passagem pela TV Record em 79 e depois foi para o SBT, sendo reprisado até 1986. Infelizmente, por motivos que se perderam nas névoas do tempo, três episódios não foram exibidos no Brasil, os de número 6 (conclusão de uma trama em duas partes), 8 e 36. [Nota: Consta que o ep. 6 chegou a ser exibido nos anos 70, mas com problemas técnicos de áudio que causaram sua posterior retirada da programação.]

A dublagem foi entregue ao estúdio da Cinecastro - RJ e a marcante voz de Goh ficou a cargo de Ionei Silva (1942~2013), que faria também o Dr. Sam (Patrulha Estelar), Imperador Palpatine (Star Wars) e o Mestre dos Magos (Caverna do Dragão), entre outros papéis famosos na cultura pop.

No início de 2021, o seriado foi anunciado como sendo parte do pacote de atrações Canal Loading, que ainda não revelou quando a série será exibida. Será feita uma nova adaptação e dublagem, o que deve garantir a exibição da série de forma completa, pela primeira vez. 

Parte integrante da fase mais clássica do Universo Ultra e um dos Irmãos Ultra originais, Ultraman Jack ainda é bastante lembrado e sua série foi fundamental para o estabelecimento da franquia Ultra, com vários conceitos que foram sendo aperfeiçoados ao longo dos anos. O Regresso de Ultraman foi a retomada de um estilo marcante de super-herói que se tornaria um dos pilares do tokusatsu e da própria cultura pop japonesa.

::: MAIS CURIOSIDADES :::

- O arco do monstro alado Terrotilus (eps. 16 e 17) trouxe como ator convidado o cantor Shoji Ishibashi. No ano seguinte, ele estrelaria a série Iron King, inspirada em Ultraman, mas com um estilo todo próprio. 

- No capítulo 27, aparece o lutador Tadashi Sawamura em uma participação especial como ele mesmo. Grande celebridade na época, sua vida serviu de base para o animê Sawamu - O Demolidor.

- No episódio 34 (do monstro planta Leogon), toca a música "Hana, Taiyou, Amê", grande sucesso da época com o grupo PYG. [Confira aqui.]

- No episódio 43, o Capitão Ibuki aparece ouvindo e curtindo uma música que tocava no rádio do carro. Era uma canção de Peggy Hayama (1933~2017), esposa do próprio ator Jun Negami (1923~2005) na vida real. A cantora interpretou a forma humana da Mother of Ultra na série Ultraman Taro. 

- O suit actor que vestia o traje de Ultraman era Eichi Kikuchi, que fez uma ponta como um oficial de comunicações da base do GAM no capítulo 51. Ele aparece nos episódios 25 e 26 de Jaspion (1985) como um dos Irmãos Gasami. Ele também participa do episódio 45 de Ultraman Mebius, com a volta de Ultraman Jack em 2007. 

- Depois de um início de carreira promissor e tendo trabalhado em Kamen Rider V3 (1973), entre outras produções, o ator mirim Hideki Kawaguchi desapareceu do meio artístico após 1977. Nunca mais se soube dele, nem em reuniões comemorativas do elenco. Em 2006, no primeiro episódio de Ultraman Mebius, o personagem Ryu Aihara aparece dizendo os Cinco Mandamentos de Ultra, que teria aprendido com seu comandante Serizawa. Foi um jeito de mostrar que Jiro Sakata passou adiante o que aprendeu com Hideki Goh.

Saiba mais:

- Uchinanchu - Shozo Uehara e Ultraman

- Ultraman Jack: Action figure da linha Ultra Act, da Bandai

- Nota: Não deixe de acessar os links que aparecem ao longo da matéria, pois fornecem preciosas informações para os fãs. 

::: FICHA TÉCNICA :::

Título: O Regresso de Ultraman
tulo original: Kaettekita Ultraman ~ 帰ってきたウルトラマン

Estreia no Japão: 02/ 04/ 1971 
Emissora: TBS

Total: 51 episódios

EQUIPE DE PRODUÇÃO

Planejamento: Kazuho Mitsuta e Shigemitsu Taguchi
Roteiro: Shozo Uehara, 
Shigemitsu Taguchi, Tetsuo KinjôMasaru Igami, Shinichi Ichikawa, Toshiro Ishido, Akio Jissoji, Kitao Chizuka, Judge Akikawa, Shukei Nagasaka, Masao Saito e Mieko Koyamauchi

Trilha sonora: Toru Fuyuki 
Direção de efeitos especiais: Koichi Takano, Kazuo Sagawa, Atsushi Oki e Yoichi Manoda
Direção (história principal): Ishiro Honda, Masanori Kakei, Yoshiharu Tomita, Noboru Kaji, Eizo Yamagiwa, Sada Mafune, Jun Oki, Shohei Tojo, Takaharu Saeki e Shue Matsubayashi

Produtores: Hajime Tsuburaya (Tsuburaya Pro), Susumu Saito e Yoji Hashimoto (TBS)
Realização: Tsuburaya Producions e TBS

ELENCO

Hideki Goh - Jiro Dan
Capitão Katsuichiro Kato - Nobuo Tsukamoto
Capitão Ryu Ibuki - Jun Negami
Takeshi Minami - Shunsuke Ikeda
Fumio Kishida - Ken Nishida
Ippei Ueno - Tsune Mitsui
Yuriko Oka - Mika Katsuragi

Ken Sakata - Mori Kishida
Aki Sakata - Rumi Sakakibara
Jiro Sakata - Hideki Kawaguchi
Rumiko Murano - Kazuko Iwasaki

Ultraman (suit actor) - Eiichi Kikuchi 
Ultraman (voz) - Isao Yatsu e Ichirou Murakoshi 
Narrador - Akira Nagoya

::: E X T R A S :::

1) Vídeo promocional do lançamento da série em Blu-ray remasterizado no Japão, em 2015. Os atores Jiro Dan, Rumi Sakakibara e Ken Nishida aparecem. As imagens destacam a qualidade cinematográfica da série. 


2) Seleção de temas instrumentais criados pelo genial Toru Fuyuki

- Vá para 1m49s e confira o tema de ação do GAM, muito imitado e homenageado, mas nunca superado. Em 6m50s, o tema de batalha do Ultraman, que curiosamente lembra o tema de Indiana Jones, composto muito tempo depois por John Williams

🍣🍣🍣🍣🍣

Apoio Coletivo - Ale Nagado e Sushi POP:

Curte minhas publicações? Acompanha minhas publicações faz tempo? Colabore com a continuidade do meu trabalho como redator e divulgador cultural, com qualquer valor a partir de R$ 5,00. Pode ser contribuição única ou recorrentepública ou anônima. Agradeço de qualquer forma. 

Com várias pessoas ajudando um pouco, eu consigo investir mais em material de pesquisa, em mais leituras e trazer mais conteúdo. Enquanto puder, continuarei a escrever, aqui e em outros veículos. 

Apoio Coletivo 

10 comentários:

Venâncio Souza disse...

Fala Alê! Ótima matéria sobre esse incrível clássico! Falo com propriedade que o Regresso de Ultraman é não apenas uma das melhores séries da franquia Ultraman, como também do Tokusatsu de um modo geral. A série tem personagens carismáticos, histórias bem elaboradas, trilha sonora incrível e uma produção de primeira. Se for citar os episódios marcantes dessa série faltaria espaço, mas não posso deixar de destacar o episódio 33, do Alien Mates, que trata de um tema tão importante e atual. Não é atoa que O Regresso de Ultraman continua sendo uma das séries mais referenciadas e homenageadas pela Tsuburaya e espero que a produtora faça uma homenagem á altura neste ano em que a série completa 50 anos. Abraços!

Robinson X-JAPAN7 disse...

Mais uma matéria excelente do amigo Nagado. Por coincidência acabei de assisti a série completa neste mês e fiquei impressionado com a qualidade. Como fã dos Ultras o Jack só fica atrás do Leo e Seven.

Bruno Seidel disse...

Excelente post! Esse realmente não teria como ficar de fora, né?! Cinquenta anos de um clássico absoluto e que foi importantíssimo na consolidação dos Ultras como franquia. Uma série que inevitavelmente seria comparada aos anteriores Ultraman e Ultra Seven e que, mesmo com toda essa responsa, soube apresentar algo diferente ao público e com uma riqueza de personagens até superior. Acho que a densidade na emoção e a forma memorável como aconteceram as cenas mais emblemáticas da série são o grande diferencial de O Regresso de Ultraman. Quem assistiu e se emocionou, nem que seja uma única vez, certamente ficou impactado. E ainda devo dizer que a forma como você, Nagado, sempre se referiu ao Regresso de Ultraman certamente deu uma outra dimensão à série, que é sabidamente a sua preferida. Toda vez que vejo você falando sobre ela, descrevendo o enredo e os personagens, eu me sinto contagiado. Considere isso um grande elogio à sua forma de traduzir, com palavras, o sentimento que só uma obra antológica é capaz de fazer a gente sentir. Parabéns!

tuneldotempotv disse...

Excelente matéria sobre este que é meu Ultra predileto. As duas primeiras séries também são sensacionais, porém O Regresso de Ultraman trouxe roteiros ainda mais elaborados, uma trama que prende o público, além de cenas memoráveis como o aparecimento dos primeiros Ultras ao resgate de Jack.

Abraço, Nagado!

Ass: Bruno (Canal Túnel do Tempo TV)

Usys 222 disse...

Dossiê completo d'O Regresso de Ultraman. Não poderia esperar menos, já que sei que é sua série favorita. E bem observado. É a partir dela que se pode falar em Universo Ultra (mais tarde Multiverso).

Realmente essa série tem muitos méritos. E com certeza deixou sua marca, mesmo sendo uma continuação com um herói parecido com um anterior. Como o Venâncio mencionou, o episódio 33 é marcante e deixa uma mensagem muito forte. Acho que era aquilo que o Shozo Uehara quis dizer.

Uma curiosidade é uma cena de Robot 8-chan no qual Jiro Dan diz a Rumi Sakakibara "faz lembrar os velhos tempos" e ela faz uma cara de "Ah, é mesmo". Não sei se foi improviso do Jiro Dan, mas... Aqui a cena: https://youtu.be/1ui4jlaoNcQ?t=1316

Rumi Sakakibara continuou em Batten Robomaru e eu tenho certeza de que ela se divertia muito. Nesse episódio em especial dá para ver que ela está rindo em algumas partes (https://youtu.be/5VMfdK4pKuA). Jiro Dan também aparece no último episódio irreconhecível, mas de forma marcante. E fez participação em um anterior.

Alexandre Nagado disse...

Fala, Venâncio! Aguardo sua matéria sobre a série, me avise que eu divulgo no Telegram!

Pois é Robinson, Seven, Leo e Jack injetaram drama e seriedade no Universo Ultra e no tokusatsu de um modo geral, virando referência para sempre.

Obrigado, Bruno. Escrevendo é como eu me expresso melhor e é por isso que sempre resisti à ideia de ter canal ou podcast.

E aí, Bruno do Tunel do Tempo! Espero que uma nova geração descubra a série, se der tudo certo na Loading. Vamos aguardar.

Usys, que cena adorável essa deles dançando. Parece que foi um improviso que ficou. Rumi Sakakibara é realmente muito graciosa! E eu não sabia dessa participação do Jiro Dan em Robomaru, outro registro importante que trouxe aqui. Valeu!

Abraços a todos!

RyuseiOh disse...

Alô Nagado, aqui é o Fernando da Rádio Toku Hero Club. Ainda não assisti por completo O Regresso de Ultraman, mas gostaria de parabenizá-lo pelo excelente artigo sobre este icônico personagem. Vou aproveitar para deixar um pedido de artigo aqui: qualquer dia fala sobre o Ultraman Zero, que é o meu Ultra favorito. Forte abraço!

Alexandre Nagado disse...

Opa, tudo bem, RyuseiOh?

O Zero já apareceu bastante aqui no Sushi POP. Destaco o post sobre o filme Megabatalha na Galáxia Ultra (a estreia do Zero):

https://nagado.blogspot.com/2010/08/lenda-da-galaxia-ultra-o-filme-resenha.html

E tem essa aqui, comentando a participação dele na série do Ultraman Geed:

https://nagado.blogspot.com/2019/08/ultraman-zero-salaryman.html

Valeu! Apareça mais vezes!

Abraço!

Livre do Sistema fanático disse...

Olá Nagado,Tudo bem ? Sou fã das séries Ultras clássicas e gostei muito da matéria dessa série que até hoje me emociona , sou também colecionador e tenho até hoje gravações dos Ultras da TVS ! Acho que vale citar que no início da abertura da série os caracteres estavam em espanhol " El Regreso de Ultraman " lembra ? E também se baseando na narração do episódio 48 o narrador no início da abertura diz " Versão Brasileira Televox " que nada mais é o nome que a Cine Castro começou a usar , e no mesmo episódio o Hideki Go não foi dublado pelo Ionei Silva e sim por outro dublador , já o episódio 6 ele passou aqui sim ! Porém apenas na década de 70 e o episódio tinha falhas no áudio como distorções provavelmente por isso não foi exibido mais .Um grande abraço.

Alexandre Nagado disse...

Opa, Livre, tudo bem?

Obrigado por essas informações adicionais que trouxe. O episódio 48 é o do monstro Desistorans (Yametarans, em japonês), que por si só já era estranho, puxando para o cômico. As vozes diferentes só aumentavam essa sensação. A música do GAM tocando propositalmente fora de rotação pra aumentar o efeito de humor, esse episódio foi bizarro em tudo, até na dublagem, ah ah.

Finalmente, eu já havia ouvido que o 6 passou ao menos uma vez no Brasil, mas sempre relutei em passar adiante. Agora, com esse testemunho seu sobre o problema de áudio, tudo fez sentido. Inclusive, incluí uma nota no corpo da matéria fazendo essa ressalva. Obrigado, tenho sorte de que aqui no Sushi POP tenho leitores que contribuem com mais informações.

Valeu. Grande abraço!