segunda-feira, 4 de junho de 2018

Shonen Comics - Nova empreitada do mangá nacional!

Kiba, o mascote do projeto que reúne vários autores
brasileiros que trabalham com o estilo mangá.
Arte: Valdo Alves
A data de hoje, 4 de junho de 2018, marca o início de mais uma empreitada dos quadrinhos nacionais, mais especificamente do mangá brasileiro. É o coletivo Shonen Comics, uma plataforma digital de exibição de quadrinhos autorais que vem sendo anunciada já há algum tempo nas redes sociais. 

Mas, não apenas uma vitrine de bons artistas, o Shonen Comics se pretende uma forma viável de obter financiamento para que autores possam tirar lucro de seu trabalho. Isso vai contra o pensamento médio de quem está acostumado a pegar ou ver tudo de graça na internet. Só que, em uma sociedade de livre mercado, não existe almoço grátis e quem produz tem o direito de receber valores justos. 

Magic Star Taking Chances, marcando a volta
de Ulisses Perez, grande profissional
dos quadrinhos brasileiros e veterano do estilo mangá.
Dark Rose, de Valdo Alves.
O objetivo é contribuir com um mercado profissional, permitindo que, com retorno financeiro adequado, os artistas possam se dedicar cada vez mais ao que produzem. Para isso, o Shonen Comics está filiado à plataforma de financiamento coletivo Catarse, onde os leitores podem fazer sua parte para ajudar os trabalhos, com diferentes faixas de contribuição e recompensas. 

Two Hiros, de Gustavo Reis, o mesmo
autor de Miyako-chan no Karê.

O coletivo tem no nome o termo japonês "shonen" ("garoto") indicando a faixa demográfica pretendida, mas há estilos variados, capazes de atingir faixas maiores de público, tanto masculino quanto feminino. A inspiração na consagrada revista Shonen Jump é grande, inclusive na utilização, como lema, das palavras-chave da publicação japonesa: a combinação de "Esforço", "Amizade" e "Vitória"

Então, sem mais, vamos à lista de autores iniciais da estreia de Shonen Comics, organizados em ordem alfabética:
Digude, de Vinícius de Souza.
Autores e suas séries na Shonen Comics:

- Clayton Barros vem com BATTLE FIGHTERS.

- Edson Masakiro, autor de Tropicária, vem com MOTENSAGO.

- Gustavo Reis, autor de Miyako-chan no Kare e vencedor do prêmio "SMAC Escolha do Editor" no concurso Silent Mangá Audition 8, chega com TWO HIROS.

Luis Roberto vem com A SOMBRA DE YMIR.

- Rafa Santos, vencedor do concurso Henshin Mangá 2, da editora JBC e integrante do projeto Don Brothers, apresenta VOVÔ PANCADA.

- Rai Souza vem com JACK DO LIMBO.

- Ulisses Perez, ilustrador e quadrinista profissional, volta ao mercado com MAGIC STAR TAKING CHANCES.

- Valdo Alves, ilustrador de Fazendo meu Filme 1, 2 e 3, adaptação em quadrinhos do best-seller da autora Paula Pimenta (pela Ghost Jack Entertainment), comparece com DARK ROSE.

- Vinícius de Souza, integrante do coletivo ZIne Expo e menção honrosa no concurso Henshin Mangá 2, da editora JBC, vem com DIGUDE.

- Wagner Elias, vencedor do concurso Henshin Mangá 2 e integrante do projeto Don Brothers, nos apresenta METAL ELEMENTS.




::: www.shonencomics.com :::


Nota de bastidores: 

Quando escrevi o post anterior, sobre mangá digital e o futuro do mercado, mencionei a iniciativa Shonen Comics, baseado apenas na indicação de que estrearia "em breve". No mesmo dia, fiquei sabendo, via Twitter, que o site iria estrear oficialmente apenas três dias depois. 

Eu não estava sabendo de nada previamente e achei uma incrível coincidência. Semelhante caso ocorreu com um artigo no blog Mais de Oito Mil, que saiu no mesmo dia e também fez uma nota citando o Shonen Comics. Achei o caso realmente incrível e essa confluência de fatores tem um nome: sincronicidade. Um bom sinal, sem dúvida. 

Boa sorte pra essa galera! 

16 comentários:

Mike Wevanne disse...

Projeto massa, já estou indo conferir! Só senti falta de artistas femininas, espero que apareçam no projeto!

Alexandre Nagado disse...

Olá, Mike! Já conferi algumas histórias e gostei do que vi. Acredito que aos poucos teremos autoras no Shonen Comics. Inclusive, seria legal ver um projeto similar para o público feminino, tipo um "Shojo Comics".

Valeu! Abraço!

Gustavo Reis disse...

Mais uma ótima matéria! Mas dessa vez sou suspeito pra falar hehehe. Sobre artistas femininas, como estouedesdedo inicio do projeto, posso falara,infelizmente nao rolou pra estreia, mas Hiwi Tsuki ja foi anunciada, no mesmo dia do anúncio da data de estreia. É uma autora que já vinha publicando mangás na linha de yaoi BL, mas vem somar ao time da shonen comics com um mangá shonen, que ja está em elaboração. E é tudo o que dá pra adiantar por hora sobre isso. No mais, agradecer mais uma vez o apoio do Alexandre Nagado ao quadrinho é mangá nacional, mas já sabe que sou teu fã!

Detonation Uchiha disse...

Espero que o projeto dê certo, tem muito potencial e quem sabe pode se tornar um bom impulso não só para o mangá nacional mas também para os quadrinhos brasileiros em geral.

Alexandre Nagado disse...

E aí, Gustavo!

Tomara que apareçam mesmo mais autoras, e com a mesma sintonia da equipe.

A propósito, li a Two Hiros e achei tudo bem divertido.

Parabéns!!
Desejo muito sucesso ao projeto.

Grande abraço!

Alexandre Nagado disse...

Olá, Uchiha!

Estamos na torcida. Vamos indicar para os amigos e também nas redes sociais.

Falou! Grande abraço!

Priscila - Gustavo disse...

Brigado pessoal. E vou fazer um momento luxação de saco. Nas minhas pesquisas pro mangá (é faço pesquisa antes de começar qualquer mangá),fui ver se era viável um mangá com tema de tokusatsu. E uma das coisas que me ajudou a definir foram os trabalhos do nagado. Não deu pra ler pq não se acha o material por aí facilmente e o tempo tb é curto, mas os quadrinhos de super heróis japoneses dos anos 90 e blues fighter, me provaram que dava e segui em frente com o projeto.

Alexandre Nagado disse...

Fala, Gustavo!!

Bom, o Blue Fighter até que teve alguma sobrevida. Uma minissérie dentro da revista Master Comics (Ed. Escala, 1995), uma minissérie em revista solo pela Ed. Trama (1998) e uma última minissérie na revista Mangá X (Escala, 2000). No entanto, devo dizer que nunca deu certo, nunca fez sucesso e foi bastante malhado pela internet. Até hoje, encontro gente que adora tirar um sarro da minha cara por ter feito esse personagem. Em parte, isso foi puxado por um velho desafeto, já falecido. Além disso, na época, havia um preconceito enorme do fandom de anime/mangá contra tokusatsu. (Ainda existe, como podemos ver no blog Mais de Oito Mil, sempre a tratar tokusatsu como assunto bobo.)

Certamente encontrei na vida pessoas que gostavam bastante, mas o saldo final é bastante negativo, por isso nem menciono mais ao falar de minha carreira nos quadrinhos. Não atribuo só ao preconceito, pois acho que fiz algo despretensioso demais, fraquinho. Ficou pobre e excessivamente calcado em coisas já existentes. Como sua série "Two Hiros" tem humor e brinca com a linguagem e os clichês, é uma abordagem com muito mais potencial de sucesso. Seu trabalho está em outro patamar, acima do que fiz no passado, mas agradeço a referência.

Sucesso! Abração!

Shonen Comics disse...

Poxa, muito obrigado pelo espaço aqui em seu blog, Nagado!

Agradecemos demais pelas palavras e esperamos sim ser o não somente o que os leitores querem ou esperam, mas o que os leitores precisam.
E quanto aos autores, espero que o site ajude a todos, sem exceção, a atingir os objetivos e metas que todos tem.

Forte abraço!

wagner elias disse...

Excelente iniciativa do Adriano Gon e equipe. Fico contente de participar desta coletânea, e aguardem que em breve estaremos dando as caras por lá (eu e meu parça Rafa Santos).
E valeu pela matéria Alexandre Nagado, sempre apoiando o mangá nacional desde os anos 90!

Alexandre Nagado disse...

Salve, Adriano!

Fico contente em poder ajudar. Estou na torcida e já divulguei no LinkedIn e no Amino Cultura Japonesa.

Sucesso pra vocês! Abraço!

Alexandre Nagado disse...

Olá, Wagner!

Que vocês tenham êxito com sua série. Estarei na torcida!

Sucesso! E apareça mais vezes por aqui pra trocar umas ideias.

Abraço!!

Adelmo Veloso disse...

Que iniciativa show de bola!

Lembro que há alguns anos havia um site parecido, sem caráter profissional, que publicava vários mangás diferentes. Era o UpMangá, com muitas obras amadoras e algumas do nível Shonen Jump (um Spin-off de Saint Seiya e aquele Tools Challenge). Cheguei a postar vários desenhos meus por lá, na forma de lições bíblicas. Os responsáveis pelo site até que tiveram uma ideia de levantar uma grana para torná-lo uma ferramenta mais organizada e tal, mas não foi pra frente e acabou sendo extinto.

Desses desenhistas, tive a honra de conhecer esse trabalho do Vinicius de Souza, num evento em Sulacap, no Rio de Janeiro, no ano de 2010. Tenho 3 volumes de DiGude guardados até hoje. Os demais, lembro do vencedor do Silent Mangá Audition 8 e já ouvi falar do Ulisses Perez. Gostei da ideia do Two Hiros - e reforço aqui que me amarrei na história do Blue Fighter, pois carregava toda a essência dos Tokusatsu que acompanhei na infância, em especial o Kamen Rider Black. Tem crítico pra tudo o que é lado, mas são poucos os que elogiam e realmente valorizam algo que fazemos com tanto esmero.

Espero que essa empreitada da Shonen Comics dê certo. Pude participar de um congresso online de animação e concept art promovido pela Iconic, que foi muito produtivo. O fator em comum é que todos os artistas palestrantes, sem exceção, tiveram muito trabalho para ter suas obras reconhecidas. Acredito que ainda tenho chances de embarcar nessa onda, mas desejo o sucesso para essa turma de agora!

Alexandre Nagado disse...

Fala, Adelmo!

Depois de um tempo com as pessoas achando que a internet só servia pra divulgação de quadrinhos, iniciativas para tornar o negócio on-line algo rentável estão surgindo a todo momento. Espero que dê resultado e também torço para que você consiga viabilizar algum projeto nesse sentido.

Você tem potencial e humildade para aprender e se aprimorar. E a época atual é propícia para fazer tentativas, mesmo em meio à crise, que não vai durar pra sempre.

Vá em frente!
Grande abraço!

Caliel Alves dos Santos disse...

Olá, eu já li todos os títulos e recomendo há quem quiser ler um bom Shonen acesse a plataforma.

Alexandre Nagado disse...

Olá, Caliel!

Ainda não li tudo, mas o que já vi, gostei. Iniciativas assim precisam ser mais conhecidas e apoiadas.

Valeu! Apareça mais vezes!
Abraço!