quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Your Name. ~ O Mangá

Um dos animês de maior sucesso cinematográfico tem sua versão em mangá publicada no Brasil.
Capa do volume um da edição
nacional. Arte: Ranmaru Kotone
A colegial Mitsuha Miyamizu vive em uma pequena cidade do interior do Japão. Tem família e amigos, e mora em uma região com belas paisagens montanhosas. Mas, para ela, essa vida simples do lugar é vista como castrante, quase uma prisão. Filha do prefeito, que é candidato à reeleição, e obrigada a dar continuidade a tradições que não entende, Mitsuha sonha em como seria bom ter outra vida. 

Para ela, a vida ideal e plena de liberdade somente existiria caso ela fosse homem e vivesse na cidade grande, a idealizada Tóquio. Um dia, ela vê um cometa e faz um desejo com toda a intensidade. Ela nem imagina o que a espera. 
Uma das páginas da primeira edição.
Taki Tachibana é um colegial que mora com seu pai e tem uma vida bastante corrida, pois além de estudar, trabalha pra ajudar na casa. Um belo dia, acorda em um lugar estranho, e descobre que se tornou uma garota, em uma cidade pequena, da qual nunca ouviu falar. E enquanto tenta entender o que houve, deduzindo ser tudo um sonho, começa a encontrar pessoas desconhecidas cobrando coisas que sequer faz ideia.

Acreditando estar sonhando, um dia Mitsuha acorda se sentindo estranha, em um quarto e casa que nunca viu. E, mais bizarro que tudo, tornou-se um rapaz. Pouco a pouco, ela vai explorando esse mundo novo e acaba descobrindo que seu desejo se tornou realidade, mas por um tempo. Sem qualquer explicação, acorda no outro dia, alheia ao que aconteceu com seu corpo enquanto viveu em Tóquio como se fosse um rapaz. O fenômeno se repete mais algumas vezes. 
Capa do volume dois da edição japonesa. 
Taki e Mitsuha trocaram de lugar, ou melhor, acordaram com suas mentes em corpos trocados. Ao descobrirem que não estavam sonhando, mas vivenciando uma experiência sobrenatural, ambos começam a tentar se comunicar, deixando mensagens que o outro pudesse ver ao despertar em seu corpo original. 

A experiência de viver uma vida totalmente diferente torna-se emocionalmente intensa e enriquecedora para ambos. Mas, tão inesperadamente quanto foi seu início, o fenômeno cessa, deixando muitas dúvidas no ar. Desorientados, sentem que ficou um profundo carinho um pelo outro e o desejo de se conhecerem pessoalmente. 


Aos poucos, algumas lembranças vão se esvaindo, mas Taki deseja encontrar Mitsuha de qualquer jeito. Porém, apesar de saber o nome da garota, desconhece o nome de sua cidade. Taki descobre que suas vidas na verdade estão separadas não apenas por uma distância física, mas por um tempo de cerca de três anos. E nesse tempo, ele descobre, aconteceu um evento que mudaria tudo. Encontrar Mitsuha passa a ser o grande objetivo de Taki, mas o rapaz descobre que eles têm pouco tempo para se encontrar. 

Eis é a trama básica do animê Your Name ( 君の名は。ou "Kimi no na wa"), cuja versão em mangá está sendo publicada no Brasil pela Editora JBC desde o final de agosto. A adaptação da obra ficou a cargo do autor Ranmaru Kotone, que teve a desafiadora tarefa de verter para os quadrinhos um dos trabalhos mais representativos da História da animação japonesa.
O volume final, versão japonesa.
Com roteiro e direção do premiado Makoto Shinkai e produção da CoMix Wave Films, o longa Your Name se tornou uma das maiores bilheterias do cinema japonês, em todos os tempos, arrecadando cerca de 190 milhões de dólares. Foi o primeiro animê não dirigido por Hayao Miyazaki a passar dos 100 milhões de dólares em território japonês. 

Sua estreia mundial foi em julho de 2016, nos EUA, tendo estreado no Japão em agosto daquele ano. De lá para cá, tem acumulado prêmios e uma grande maioria de críticas elogiosas. A renda combinada da bilheteria mundial já contabiliza a impressionante marca de 355 milhões de dólares. E além do deslumbramento visual, boa parte dos elogios foi para seu roteiro original. 

A história, que fora planejada dois anos antes, saiu primeiro como romance pela editora Kadokawa Bunko, em junho de 2016, quando o filme estava perto de estrear. Literariamente, se encaixa no gênero chamado de realismo fantástico, com fatos extraordinários acontecendo de modo integrado à realidade em que se passa o enredo. O livro propriamente dito se tornou um sucesso, com mais de um milhão de exemplares vendidos. Simultaneamente, teve uma versão para crianças, com leitura facilitada e ilustrações de Chiho, lançada pela Kadokawa Tsubasa Bunko.
Na literatura: À esquerda, o romance original de Makoto Shinkai.
À direita, "Kimi no na wa - Another side: Earthbound", com
quatro contos mostrando diferentes visões sobre os eventos do original.

Em agosto de 2016, também saiu o livro Your Name - Another Side: Earthbound, que consiste em quatro histórias curtas com os acontecimentos da história sob o ponto de vista de quatro personagens. O trabalho foi assinado pelo autor Arata KANOH, com publicação pela Kadokawa Sneaker Bunko. Esse livro de contos virou um mangá digital gratuito pela Cygames, assinado por Junya Yamashita(Confira aqui. - Em japonês, sem tradução.)

O mangá que a JBC está publicando também saiu em 2016, tendo sido publicado em capítulos na revista mensal Comic Alive (Editora Alive Comics). Curta e muito bem realizada, gerou três volumes, sendo que o último saiu no Japão em abril deste ano. Esse mangá utiliza elementos do livro original e do animê, além de algumas partes exclusivas. A tarefa de Ranmaru Kotone não foi fácil e a pressão deve ter sido grande.

As animações de Makoto Shinkai possuem um ritmo cinematográfico envolvente, uso excepcional de cores e trilhas sonoras marcantes. Sem esses recursos e sendo uma adaptação em quadrinhos em preto-e-branco, a versão em mangá poderia ser desinteressante se não fosse muito bem conduzida. E nesse aspecto, o autor Ranmaru se deu bem. Seu traço elegante e expressivo conseguiu captar a intenção da obra original, sem parecer uma caricatura pálida. O domínio narrativo é competente e o resultado é uma boa adaptação, capaz de se sustentar por si só como uma obra consistente.
Cena de Your Name. Uma direção aclamada,
com imagens de grande beleza e total
domínio da narrativa cinematográfica.
Já o aguardado filme será exibido em cinemas no Brasil em outubro, em circuito limitado na rede Cinemark. Assim que as datas e locais forem confirmados, os leitores deste blog ficarão sabendo pela conta no Twitter

Para ajudar a promover o lançamento do mangá, a banda Danger 3 lançou a canção "Lembranças ~ Your Name", escrita pelo grupo e inspirada no mangá. 

Todo esse barulho e repercussão não são por acaso. Your Name é realmente uma bela e surpreendente história, contada com maestria e sensibilidade, sendo capaz de tocar o coração de vários tipos de público, em diferentes mídias. 

your name.

Roteiro e arte: Ranmaru Kotone 
História original: Makoto Shinkai 
Editora: JBC
Formato: 13,5 x 20,5 cm, com 176 páginas
Total: 3 volumes

Periodicidade: Bimestral
Lançamento no Brasil: Agosto de 2017
Preço: R$ 15,90
Classificação indicativa: Livre


ATUALIZAÇÃO (16/10/2017): 

Confira aqui a programação de Your Name na rede Cinemark


::: E X T R A S :::


1) Trailer de Your Name, que será exibido no Brasil em outubro pela rede Cinemark:


2) "Lembranças ~ Your name" - Danger 3
Letra, música e arranjo: Danger 3 (Larissa Tassi, Rodrigo Rossi e Ricardo Cruz)
Produção: Renato Tribuzy



3) Gosta de Makoto Shinkai? Confira seu belo curta-metragem "O Olhar de Alguém".
"Dareka no manazashi": Um curta feito para
uma campanha publicitária.
:::::::::::::::::::::::::::::::::::


Campanha Sushi POP no Apoia.se

Você gosta do conteúdo deste blog? Pois você pode apoiar a produção e continuidade do Sushi POP colaborando com a campanha do Apoia.se. 

A partir de R$ 5,00 mensais você contribui com a pesquisa e difusão da cultura pop japonesa e ainda ganha um desenho exclusivo. 

- Saiba como funciona: apoia.se/sushipop

5 comentários:

Usys 222 disse...

Uma resenha muito bem feita, resumindo a história sem revelar muita coisa e que pelo contrário, consegue instigar ainda mais a curiosidade. Ao ler a sinopse, pensei que ia ser algo trivial, uma história de amor simples, mas esse elemento do lapso de três anos muda tudo.

Sendo assim, vou querer ver o filme antes de ler o mangá. Então vou ter que esperar um pouco, pois já que vai ser no cinema, o melhor é não desperdiçar essa oportunidade de aproveitar a obra em toda a sua magnitude.

O título original me fez lembrar uma série clássica de filmes dos anos 1950, que minha mãe adorava e sempre falava dela. Até cheguei a ver um pouco deles e do remake feito pela NHK com Tetsuo Kurata no papel principal. Por isso a princípio pensei que fosse uma versão desses filmes, mas não era. Então fico no aguardo e torço para que as exibições no cinema sejam tranquilas.

Alexandre Nagado disse...

Fala, Usys!

Eu fiquei em dúvida se mencionava o lapso de três anos, pois isso não é contado no volume um. No entanto, não teria peso dramático algum se eu não soltasse alguma informação extra, ia parecer algo muito simples. Mas ainda assim, há algumas cenas que despertam dúvida sobre o destino da garota.

Não tenho muita esperança de ver na cidade onde moro, mas ficarei atento ao lançamento do DVD oficial ou exibição no Netflix, que tem alguns trabalhos do Makoto Shinkai em seu acervo.

E eu nem sabia desses filmes clássicos da NHK. O universo do entretenimento japonês é vasto demais, estou sempre descobrindo coisas antigas interessantes.

Valeu! Abração!!

César Filho disse...

Recebi o mangá essa semana e aproveitei para ler hoje cedo. Gostei do que li e a narrativa foi acima do que eu esperava. Já esperava uma trama envolvente e não contava com essa diferença de três anos entre o tempo de Taki e Matsuha. Logo nas primeiras páginas dá pra reparar essas diferenças de data, dias da semana do mesmo mês e coisa do tipo. Não vou mencionar pra não soltar algum spoiler. Antes do segundo volume chegar eu vou ler mais uma vez o primeiro pra revisar esses detalhes e anotá-los. No mais eu torço pra que Taki e Matsuha se encontrem, embora o estilo do Makoto Shinkai nem sempre garante um final feliz.

Ano passado eu assisti os filmes do Makoto Shinkai na Netflix e pretendo rever esses dias. Cheguei até a escrever resenhas no meu blog na época dos lançamentos e tenho o Voices of a Distant Star como favorito. Infelizmente aqui onde eu moro não tem Cinemark. Se tivesse certamente eu iria ver Your Name no cinema. Vou esperar chegar em outra mídia.

Alexandre Nagado disse...

Fala, César!

Sabe que eu não tinha reparado que havia essa diferença de dia e mês? Isso passou batido, achava que só seria revelado no volume dois. Eu sou muito reticente com spoiler, mas tem coisas que são essenciais para despertar o interesse na história. E eu preciso tirar um tempo pra ver mais coisas do Shinkai. Ele é um diretor muito diferenciado e ainda tem uma longa carreira pela frente.

Valeu pela participação! Grande abraço!

Alexandre Nagado disse...

Alguém aqui conseguiu ver no cinema? Não veio pra minha cidade, então vou ter que esperar entrar na programação da NETFLIX.

Gostaria de saber o que acharam do animê.