RECADO AOS VISITANTES:

Olá! O blog está de férias, mas já estou trabalhando em novas postagens. O Sushi POP voltará a ser atualizado no dia 1 de agosto (terça), no período da tarde.

O que vem por aí:
- Ultraman Geed, Novo Lobo Solitário, resultado da convocação para trabalhos acadêmicos e mais!

Esteja aqui para conferir. Até breve!

quarta-feira, 3 de maio de 2017

WANTED! O autor de One Piece, antes da fama

Sai no Brasil uma coletânea de histórias curtas do badalado autor de One Piece. E o pirata Luffy está em uma delas!
Edição reúne histórias do autor de
One Piece feitas antes do sucesso. 
One Piece é uma das séries de mangá e animê mais importantes de todos os tempos. Escrita e desenhada por Eiichiro Oda desde 1997, One Piece conta as aventuras do jovem e heróico pirata Monkey D. Luffy e seus amigos. Está no Guiness Book, o Livro dos Recordes Mundiais, pela marca de 320 milhões de exemplares vendidos das compilações da série, um dos carros-chefe da popular revista semanal Shonen Jump

Essa conquista veio em 2015, quando eram 77 os volumes tankobon publicados. Hoje, com 85 volumes, o montante de vendas já superou a marca de 416 milhões de impressos. Vai ser difícil algum título superar essa marca algum dia. No Brasil, é publicado pela Panini/Planet Manga, que assumiu o título desde o número 1 depois que a Conrad cancelou sua publicação. 

Monsters: Adrenalina
em altas doses!
A versão em animê, que começou em 1999, já ultrapassou a marca dos 780 episódios - além de vários especiais. Chegou a passar por um tempo no SBT e no Cartoon Network, mas os fãs já se acostumaram a ver pela internet, sendo que a exibição oficial e legendada é no portal Crunchyroll. O título é um sucesso em vários países, com sua fórmula de ação, fantasia, batalhas e humor.

Mas muito antes de ser um sucesso consagrado, Eiichiro Oda já era um talento promissor. Nascido em 1 de janeiro de 1975, já no colegial começou a produzir histórias e venceu um concurso para novos talentos aos 17 anos. Esse material foi incluído na coletânea Wanted!, lançada há pouco tempo, reúne algumas histórias produzidas pelo genial autor em diferentes momentos, enquanto ainda era um autor amador. São cinco histórias curtas, tendo entre 30 e 45 páginas cada.

Na primeira, cujo título da nome ao volume, um pistoleiro com a cabeça a prêmio entra em uma enrascada quando um espírito vingativo resolve aproveitar a presença de um temido caçador de recompensas. Foi feita em 1992, quando Oda tinha 17 anos. 

Em "Um inevitável presente de Deus" (1993) um atrapalhado Todo-Poderoso resolve castigar um ladrão, mas pode ter criado o cenário para uma tragédia. E um assustado malandro tem a chance de se tornar um verdadeiro herói. Uma história blasfema e irresponsavelmente moleque. Que é a cara do autor, que já havia decretado, muito antes da Internet, que a zoeira não tem limites. Deve estar perdoado...

"A noite do demônio" (1993) é uma aventura com um monge tentando sobreviver a uma tarefa medonha: enfrentar um monstro devorador de gente. Gritaria, correria e muita ação, bem ao gosto do autor. 

Em "Monsters" (1994), um ronin (samurai sem mestre) e um espadachim famoso se encontram em uma cidade prestes a ser exterminada  por um dragão pavoroso. E uma moradora muito especial não quer que outro lar seja destruído. Uma trama cheia de reviravoltas e drama, com cenas de grande impacto. Em certos aspectos, a melhor e mais intensa história da coletânea. 
Página de abertura de Romance Down.
A edição brasileira deixou
a página em preto-e-branco.
Finalmente, a história "Romance Down" (versão 2, de 1996) é a cereja do bolo. Trata-se de um  conto experimental com Monkey D. Luffy, anterior a One Piece. Nela, Luffy ajuda a garota Ann e seu pássaro milagroso, que estavam cativos de um pirata feiticeiro inescrupuloso. Ann é o protótipo de Nami, personagem das mais importantes de One Piece, enquanto Luffy já aparece com algumas características marcantes.

O autor Eiichiro Oda.
Em todas as histórias, está presente o humor alucinado de Oda, com seus personagens histéricos e cenas de ação mirabolantes. Ao final de cada segmento, há uma página onde o autor faz comentários de bastidores, tão divertidos quanto as próprias histórias. 

Seu enorme talento narrativo despontava de modo profissional já quando ele cursava o ensino médio, época em que produziu uma das narrativas da edição. Uma outra ainda foi feita enquanto ele era assistente de Nobuhiro Watsuki, de Rurouni Kenshin - Samurai X

Essa compilação foi lançada no Japão em 1998, quando One Piece estava apenas no começo, e teve a edição brasileira lançada em março passado. Impresso em papel pisa brite (jornal), merecia uma publicação com material melhor. Não só pela surpreendente qualidade, mas acima de tudo, pelo valor histórico. Em Wanted!, podemos apreciar o trabalho de um dos grandes autores de mangá da atualidade, quando este ainda era um diamante em estado bruto. 

Wanted!
Criação, roteiro e arte: Eiichiro Oda
Editora: Panini Comics / Planet Manga 


Formato: 13,7 x 20 cm, com 214 páginas
Edição única 
Lançamento no Brasil: Março de 2017
Preço: R$ 13,90
Classificação indicativa: 12 anos

9 comentários:

Evandr0 disse...

Eu já havia lido Wanted! a algum tempo e acho muito boa a ideai de te-lo no Brasil. Isso mostra o quanto o mercado de mangás e relacionados tem crescido.

Sobre a história em si eu até que gostei, mas é muito estranho ter um personagem que eu conheço tão bem em uma personalidade e universo diferente do que eu conheci. De qualquer forma é bem legal ver as tentativas anteriores do autor antes de conseguir "achar" esse grande pote de ouro que é One Piece ^^

Alexandre Nagado disse...

Olá, Evandr0!

Achei incrível a qualidade do trabalho quando Eiichiro Oda era tão jovem. Realmente, um gênio e um talento incontestável.

Essa coletânea é meio antiga mesmo. Eu diria que quando saiu no Japão foi para aproveitar um começo de popularidade de One Piece, que na época tinha apenas um ano de publicação. Esse lançamento agora pega um outro momento do autor, já um profissional consagrado, com uma série gigantesca tanto em mangá quanto em animê.

Obrigado pela participação. Apareça mais vezes!

Abraço!

Adelmo Veloso disse...

Mestre Nagado!

Deve ser muito bacana ter em mãos uma obra dessa importância! Não sou a melhor pessoa para falar de One Piece, pois nunca me aventurei a passar dos 3 primeiros episódios (por medo dos mais de 700), mas entendo um pouco a emoção de poder possuir na coleção uma relíquia dessas! Digo isso por ter, antigamente, a versão Mashima En, do Hiro Mashima, criador de Fairy Tail. Eram histórias que já demonstravam a identidade do autor, desde o humor, ação e até os traços que ele adotaria. A parte dos bastidores é muito show, também! Quando estava acompanhando Naruto e Fairy Tail eu me amarrava nesses extras!

Quem sabe um dia eu não comece a maratonar One Piece? Abração e até a próxima!

Alexandre Nagado disse...

Olá, Adelmo Veloso!

Eu não acompanho One Piece e nunca curti muito o character design de Eiichiro Oda. Mas como eu me interesso muito por assuntos criativos, essa coletânea me fisgou completamente. As histórias de bastidores que acompanham cada uma são hilárias e mostram um autor cuja imaginação fervilha na mente.

A energia que ele coloca em cada página salta aos olhos. Isso me fez lembrar uma coletânea de histórias de início de carreira de Masakazu Katsura, um dos meus autores favoritos. Mesmo quando a arte não era lá muito boa, a narrativa era ótima. Talvez essa seja a grande marca dos autores de mangá: um cuidado excepcional com o storytelling. O desenho é importante e o roteiro idem, mas a capacidade de narrar bem qualquer tipo de situação é realmente o diferencial dos grandes mestres.

Valeu pela participação. Apareça mais vezes!
Abraço!

Evandr0 disse...

Olha, eu sei que parece coisa de fã alucinado falar isso, mas One Piece é uma obra impar a tudo que eu já vi... Se não assistiram ou leram, eu entendo que é algo surreal olhar para mais de 700 episódios ou quase 900 capítulos (com 85 volumes e aumentando XD) e não se assustar. O caso é que vale a pena. Os estilo de arte no inicio pode parecer estranho, mas depois de um tempo (e com as grandes melhorias na técnica do Oda no decorrer de sua carreira) você não só se acostuma como entende o sentido de tal estilo. Tudo em One Piece é feito para ser exagerado e nisso ele não peca em nada.

Além disso o Oda é um monstro quando se trata de nós narrativos. Qualquer detalhe que é mostrado desde o primeiro episódio (e não estou exagerando) pode ser algo de grande importância no enredo da série. Um exemplo que eu dou é do primeiro personagem que apareceu na série Coby que no inicio parece que é só um personagem que serve de gancho para apresentar o principal, mas depois ele volta como alguém de total importância para o contexto de onde eles estão e tudo remete àquele primeiro episódio.

One Piece é o que é não por ser divertido ou ter personagens carismáticos (o que tem), mas por ser uma das obras mais bem construídas que eu já ouvi falar ^^

Alexandre Nagado disse...

Olá, Evandr0!!

Eu estava esperando alguma manifestação de quem acompanha e curte One Piece. Se eu, que não acompanho, gostei muito, queria saber a opinião dos fãs.

Ter um mangá tão extenso, e que ainda tem chão pela frente, exige não apenas criatividade, mas muito fôlego. Nobuhiro Watsuki esticou Rurouni Kenshin além do que gostaria, por pressão do editor. E quando acabou, o fez meio às pressas, já não aguentando mais. Outros autores já mostraram irregularidade ao longo de produções muito longas. Mas, a julgar pelas vendas e recordes quebrados, parece que Eiichiro Oda é diferenciado até entre os mais famosos e bem-sucedidos. Isso que você mencionou sobre elementos serem retomados em algum momento revela cuidado no planejamento. Ou seja, ele parece estar sempre se divertindo, mas há muito trabalho duro e planejamento por trás disso.

E é bacana ver esse talento sendo reconhecido.

Valeu pela participação, Evandr0!
Abraço!

Evandr0 disse...

Esse é um ótimo ponto para se notar, pois a maioria (senão todos) os mangás que são prolongados por pressão ficam bem ruins, Dragon Ball é um grande exemplo disso. E em entrevista é notável o quanto gosta de One Piece, mais ainda da interação do público e suas teorias ^^

Bruno Seidel disse...

Nossa! Que bacana isso!! Eu confesso que não cheguei a acomoanhar nenhum trabalho que o Eichiiro Oda tenha feito além de One Piece e, talvez por isso, nunca tenha estudado sobre o autor, especificamente. Seu nome normalmente aparece em constantes comparações que os fãs fazem entre ele e o Akira Toriyama, de Dragon Ball. Comparações essas que eu acho uma tremenda perda de tempo.
One Piece, por si só, merece um lugar de destaque em qualquer análise abrangente sobre cultura pop japonesa. Goste ou não. É um fenômeno inquestionável e cujos números impessionam até quem não é muito ligado em quadrinhos ou produções japonesas.
Agora os fãs vão ter a oportunidade de conhecer outras facetas desse gênio. E a julgar pelas breves resenhas descritas acima, parecem ser histórias interessantíssimas e muito divertidas. Compra garantida!!

Alexandre Nagado disse...

Olá Bruno!

Até onde sei, é a primeira e única série do Eiichiro Oda. E nesse caso, parece ser a obra da vida dele. Como o Character design nunca fez minha cabeça e nem o tema pirata me interessa, nunca havia lido nada dele.

Com essa coletânea, descobri que ele é um gênio raro. Compre sim, que é uma leitura muito divertida.

Abraço!