RECADO AOS VISITANTES:

Olá! O blog está de férias, mas já estou trabalhando em novas postagens. O Sushi POP voltará a ser atualizado no dia 1 de agosto (terça), no período da tarde.

O que vem por aí:
- Ultraman Geed, Novo Lobo Solitário, resultado da convocação para trabalhos acadêmicos e mais!

Esteja aqui para conferir. Até breve!

segunda-feira, 20 de maio de 2013

Boletim 47 - Exposição reúne obras de Osamu Tezuka e Shotaro Ishinomori

Tezuka (à esq.) e
Ishinomori: Mestres
O Museu de Arte de Tokyo vai inaugurar em breve a exposição Osamu Tezuka x Shotaro Ishinomori - O Poder do Mangá

Esses dois autores são, simplesmente, os mais importantes artistas da história dos quadrinhos no Japão. Tezuka codificou e formou a base do moderno mangá, com um senso de dinamismo narrativo e gráfico que se reflete até hoje. Também foi o pioneiro dos animês no formato seriado de TV, com seu Astro Boy em 1963. 

Ishonomori, que foi assistente de Tezuka no começo de carreira, trilhou seu próprio caminho com uma diversidade sem paralelos. Mestre do humor, drama e de obras de grande densidade, acabou sendo mais conhecido no mundo todo por ter criado Kamen Rider (com derivados sendo produzidos até hoje) e Goranger, que viria a ser o primeiro da longa franquia Super Sentai, além de muitos outros super-heróis de tokusatsu. 

Ambos faleceram com a mesma idade: 60 anos. Tezuka partiu deste mundo em 1988 e Ishinomori, em 1998. Ambos tiveram produções versáteis, de grande apelo popular e se permitiram também criações ousadas, arrojadas e com muita liberdade criativa. Reunir seus trabalhos em uma exposição conjunta é algo que faz justiça mais a Ishinomori, pois Tezuka é reverenciado no mundo todo como o "Deus do Mangá" e muito mais reconhecido. Mas seu discípulo e amigo não fez por menos e o brilho de sua obra rivaliza com o dele. Não é uma relação mestre e aluno, são dois astros de primeira grandeza. 

A exposição acontecerá de 29 de junho a 8 de setembro, e irá incluir ilustrações inéditas de encontros entre personagens, um trabalho desenvolvido por artistas da Mushi Pro e da Ishimori Pro. 

Confira a galeria de imagens da exposição.


Cyborg 009 e Astro Boy
Leia também: 

Osamu Tezuka e a animação experimental 

O primeiro personagem de Tezuka adaptado no ocidente 

TEZUKA DAY

- Homenagem aos super-heróis de Shotaro Ishinomori

KAMEN RIDER - 40 anos

- Shotaro Ishinomori - Além do humano (blog Maximum Cosmo) 

Agradecimentos a Felipe Onodera, que postou a notícia no Twitter.

2 comentários:

Bruno Seidel disse...

Que legal! Realmente, são os dois maiores nomes do mangá de todos os tempos. Pelo menos na minha opinião. Infelizmente, não conheço tantas obras do Tezuka como gostaria (apenas os clássicos). Diferente do Ishinomori, que acabou se tornando bem mais influente na minha vida. Por isso, vou replicar abaixo um comentário que deixei no blog do Maximum Cosmo, que fala sobre o Ishinomori:

Quem já leu ou analisou a vida e a obra de Ishinomori sabe que o autor costumava fazer de suas obras importante críticas ao sistema e apologias à sua crença de que o mundo acabaria no ano 2000 (na verdade ele morreu ainda antes). Ishinomori acreditava que o planeta seria destruído pelos próprios seres humanos e isso ele deixou bem claro no final de outro mangá seu de grande sucesso: Kamen Rider.
Admiro muito Ishinomori por essa capacidade de inserir uma importante crítica social em obras tão bacanas. Obras que, para as crianças, pode parecer mero entretenimento, mas que têm muita coisa a nos ensinar. Eu, por exemplo, só fui compreender o quanto “cabeça” era Cyborg 009 conforme fui amadurecendo. E se tem algo que hoje eu acho fundamental pra toda obra é essa crítica social que o autor deve passar ao seu público. Se não houver nenhum posicionamento ou lição pra vida, a obra torna-se vazia. Copiar uma fórmula de sucesso é fácil, difícil é ter conhecimento e saber o que dizer (e como dizer). Não há como negar que Ishinomori foi brilhante em sua tentativa de alertar as pessoas através da sua obra.

Ale Nagado disse...

Realmente, falta conhecermos mais a fundo a obra de Ishinomori. O legal dos artigos do Felipe Onodera espalhados pela web é que toca bastante nesse assunto: a de que o trabalho dele com tokusatsu foi uma parte de sua obra, não a maior ou a mais importante.

É em seus mangás que ele realmente tinha controle sobre tudo e dava sua visão de mundo. Espero que ainda lancem algo dele no Brasil.