RECADO AOS VISITANTES:

Olá! O blog está de férias, mas já estou trabalhando em novas postagens. O Sushi POP voltará a ser atualizado no dia 1 de agosto (terça), no período da tarde.

O que vem por aí:
- Ultraman Geed, Novo Lobo Solitário, resultado da convocação para trabalhos acadêmicos e mais!

Esteja aqui para conferir. Até breve!

quarta-feira, 17 de abril de 2013

Dicas da blogosfera - 3


1) Game comemora os 45 anos da Shonen Jump - Fundada em 1968 pela editora Shueisha, a revista semanal Shonen Jump é a revista de quadrinhos mais vendida do mundo, com picos de venda na faixa dos milhões de exemplares. A revista foi - e é - a casa de alguns dos personagens mais populares de todos os tempos, como os guerreiros de Dragon Ball e os piratas de One Piece. Em meio às comemorações do aniversário, foi anunciado um jogo pela NAMCO Bandai Games. Esse é o tema da postagem do blog Troca Equivalente, do coletivo Genkidama

Leia: J-Stars Victory Vs. – O presente de aniversário da Shonen Jump 



2) Shotaro Ishinomori, o Rei do Mangá - Vou indicar agora um texto meio antigo, mas que é referência obrigatória para quem se interessa ou estuda cultura pop japonesa. Fala sobre o versátil autor de mangás Shotaro Ishinomori, falecido em 1998 aos 60 anos. Frequentemente lembrado por ter sido o criador de Kamen Rider e dos dois primeiros grupos da franquia Super Sentai, Ishinomori também bolou os heróis Machine Man, Bicrossers e Patrine, só pra citar alguns. No entanto, criar super-heróis (como seu icônico Cyborg 009) corresponde apenas a uma parte da obra de Ishinomori. Em um artigo de 2012 para o blog Maximum Cosmo, o fã Felipe Onodera (um codinome que homenageia o sobrenome verdadeiro de Ishinomori) escreveu sobre a versatilidade do mestre. Recomendo a leitura inclusive dos comentários da postagem, pois há muitas informações interessantes por lá. 

Leia: Shotaro Ishinomori: além do humano



3) Entrevistas com atores e ex-atores de seriados - Informações sobre bastidores de seriados tokusatsu nem sempre são fáceis de se encontrar e entrevistas traduzidas para o português são mais raras ainda. Por isso, indico o blog Universo Otaku, do velho amigo Michel Matsuda, que chegou a traduzir e postar entrevistas publicadas no Japão com diversos atores de várias épocas. É um registro precioso, que vale a pena ser indicado. 

- Tetsuo Kurata, o Black Kamen Rider/ RX (parte 1)

- Tetsuo Kurata, o Black Kamen Rider/ RX (parte 2)

- Shohei Kusaka, o Policial de Aço Jiban

- Masaro Yamashita, o Fire, de Winspector

- Tamao Sato, a Ohpink, de Ohranger

Todas as entrevistas (marcador)

5 comentários:

Anônimo disse...

outro texto do Felipe Onodera no Genkidama
http://genkidama.com.br/xil/redescobrindo-ishinomori/

Ale Nagado disse...

Obrigado pela dica, caro Anônimo.
Acho legal divulgar mais o trabalho de um autor tão importante quanto Ishinomori.

Abraço!

Natália Maria disse...

Olá!!

Por incrível já visitei o primeiro e o terceiro blogs indicados por você!1 E fiquei curiosa quanto ao segundo. Irei visitá-lo e lê-lo como deve ser lido!!

Ótimas dicas do que fazer na internet Ale!!

Até mais

Ale Nagado disse...

Espero que ache interessante o que ainda não conhecia. Sempre que possível vou indicar coisas bem variadas.

abs!

Bruno Seidel disse...

Nossa! É tanta dica bacana que fica até complicado de conseguir se debruçar sobre cada uma delas e dar a devida atenção que cada uma merece. Destaco a matéria completíssima e impecável sobre o Ishinomori. Parece que quanto mais eu leio sobre a vida e a obra dele, mais eu o admiro. Quanto mais velho e "culto" eu vou ficando, mais percebo que suas histórias tinham algo ainda mais profundo pra comunicar. Quando eu era pirralho, gostava de ver o Kamen Rider Black, por exemplo, descendo a porrada nos monstros e as cenas de ação. Hoje eu percebo que aquela série, como praticamente todas outras que tinham a assinatura do Ishinomori, possuem um vasto embasamento cultural e a visão social do autor, que provou ser um formador de opinião astuto e com fortíssima crítica social. Acho que ele é a prova mais concreta de que um bom autor deve, acima de tudo, ter conhecimento, informação e OPINIÃO bem argumentada pra levar uma obra adiante. É isso que diferencia um trabalho bem embasado dum trabalho vazio e meramente comercial.