RECADO AOS VISITANTES:

Olá! O blog está de férias, mas já estou trabalhando em novas postagens. O Sushi POP voltará a ser atualizado no dia 1 de agosto (terça), no período da tarde.

O que vem por aí:
- Ultraman Geed, Novo Lobo Solitário, resultado da convocação para trabalhos acadêmicos e mais!

Esteja aqui para conferir. Até breve!

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

PROBLEMAS DE QUEM ESTÁ COMEÇANDO NO DESENHO

Com certa frequência, pessoas escrevem pra mim pedindo algum tipo de ajuda. Alguns me procuram pedindo dicas para começar e as dúvidas são normalmente as mesmas. Abaixo, reproduzo uma mensagem que chegou recentemente:

Oi, Nagado!

Encontrei-o acidentalmente fuçando no Google - procurando referências de ilustradores!

Estou querendo algumas boas dicas para quem acabou de se formar na área do desenho - e, infelizmente, está sem muitas boas propostas no mercado!
No seu blog eu pude acompanhar vastas dicas de valorização do seu trabalho, e devo dizer que é um tanto quanto desafiador recusar propostas onde é notável uma desvalorização de sua obra porém você está PRECISANDO DE UM EMPREGO, não?

Cito inclusive que a concorrência do mercado leva as pessoas a ficarem extremamente hostis e egoístas (isso em qualquer área, certamente), de forma que muitos conselhos que você pede a ilustradores que já estão com um rumo "mais certo" que o seu na área do desenho sejam vistos de forma COMPETITIVA e acaba ficando restrito e guardado a sete chaves. Se há um segredo para ingressar nesse mercado, certamente quem já está inserido nele não pretende divulgar pois teme a concorrência.

Enfim, será que há a possibilidade de me dar um toque via e-mail?
Agradeço desde já e parabéns pelo seu trabalho.

Andressa       

A minha resposta, devidamente ampliada para publicação no blog:


Olá, Andressa.

Realmente, começar é complicado e não há uma fórmula exata de êxito. Eu sou bastante realista com quem está começando. Não é fácil. Já peguei trabalhos que não ficaria jamais divulgando valores, por terem sido baixos e que só aceitei porque estava precisando. Cada um sabe onde aperta o sapato. Demora até conseguir impor preços melhores.

Quando se está começando, é normal pegar serviços por preços baixos. Aliás, mesmo quem está na batalha há tempos pode acabar aceitando em algum momento valores abaixo do que gostaria, para não ficar parado numa época de pouco serviço e muitas despesas. Quem tem filhos pra sustentar acaba batalhando como pode, por exemplo. Mas os preços não podem ser baixos demais, senão a pessoa nunca consegue melhorar na vida. 


Uma vez, numa roda de amigos, um colega criticou outro, que estava ausente, porque este andou pegando trabalhos de preços baixos, o que poderia ferrar o mercado. Aquilo me incomodou, porque esse colega tem filhos pra sustentar e vivia um período difícil. O que é muito diferente de alguém passar a rasteira num colega cobrando preço menor. Também já vi muito disso.

A ACB tem uma tabela de preços que pode ajudar quem está começando. Confira aqui. Muitas vezes não funciona como deveria e há pontos que discordo, mas pra quem não tem a menor noção, serve como ponto de partida.

Tenho visto em blogs de ilustradores discursos altamente válidos pela valorização profissional, uma bandeira que também defendo. Porém, há profissionais que arrotam uma postura difícil de ser seguida por todos, cobrando tudo como se cada cliente fosse uma multinacional. Já vi ilustrador dizer que não pegava no lápis pra fazer um esboço por menos de mil reais. Bom, se ele pode se dar a esse luxo, parabéns pra ele. Mas que não espere que todo mundo faça isso, porque não tem serviço de alto nível pra todo mundo e nem todo mundo tem capacidade pra pegar material assim. Se eu só fizesse material pras maiores agências do país, poderia me dar a esse luxo, mas fiz pouca coisa pra publicidade, geralmente agências pequenas e médias. Sei como é o mercado. 

Tem muito ego entre ilustradores (entre artistas em geral), mas esse povo mais elitista da publicidade esquece que um dia esteve começando, batalhando por uma oportunidade. Ou veio de família rica que bancou ele até conseguir cobrar bem de grandes clientes. Mas mesmo grandes clientes, para pegarem confiança em alguém, precisam ver o que ele já fez profissionalmente. Dá pra imaginar um iniciante mandando um cliente de pequeno porte tomar naquele lugar porque ofereceu 300 reais ao invés de 5 mil pra ilustrar um folder promocional? Tem ilustrador que age assim e diz que todos os colegas deviam agir assim também. Mas esses mesmos, normalmente tem a postura citada de temer o surgimento de concorrentes, escondendo segredos e contatos.


Aliás, o maior trunfo é fazer contatos. Não só por e-mail, mas tentar ir em palestras, oficinas, conhecer gente, mostrar portfolio. Montar um portfolio físico ou virtual (tipo DeviantArt ou arriscar um domínio próprio) é importante. E é importante também conhecer o próprio trabalho e saber onde dá pra tentar pegar serviço. Não adianta mostrar mangá em editora de livro didático ou em jornal. Também não adianta mostrar super-heróis no estúdio Mauricio de Sousa ou mostrar só ilustrações de layout publicitário num estúdio que faz agenciamento de desenhistas para a Marvel Comics. Tem que conhecer o cliente aonde se vai bater na porta. É importante um foco, assim como é importante estar disposto a diversificar o trabalho para não perder oportunidades de ganhar dinheiro.  

Evite, entretanto, pegar trabalho só pra divulgar. Isso raramente vale à pena. 

Finalmente, desenhe muito, desenhe de tudo, procure melhorar sempre, veja o que profissionais fazem, acompanhe as novas tecnologias, vá a eventos e nunca deixe de batalhar pelo que quer. É isso. 


LEIA TAMBÉM:

ARTISTAS E CLIENTES

4 comentários:

Onçana Khymato disse...

Excelente texto informativo!Fiz questão de repassar o link em meu twitter. Admiro muito o modo transparente e honesto como vc trata a nossa profissão de desenhista,sempre abrindo os nossos olhos para a realidade dos fatos,alertando sobre as dificuldades mas também orientando sobre como agir. Bem diferente de muita gente que se diz do ramo mas é sempre 'trankeira' e só sabe desmotivar os novatos.
Obrigada por indicar a lista e preços,eu mesma ficava totalmente perdida na hora de cobrar,muitas pessoas se aproveitam da falta de informação dos desenhistas pra explorá-los!
Continue fazendo sempre seu ótimo trabalho! Muito sucesso em 2010!!

Alexandre Nagado disse...

Oi. Valeu a força.

Eu tive a sorte de ter conhecido pessoas muito generosas em minha vida que deram dicas preciosas sobre a carreira. Apenas tento repassar isso adiante, sem medo de que esteja alimentando concorrentes.

Abraços!

Thiago disse...

Ótimo texto !

O que eu mais gostei foi a forma direta e honesta que você tratou de temas que a maioria dos blogs que eu vejo, trata de forma lúdica, como se estivéssemos no EUA ou na Europa.
Nós vivemos no Brasil, e sabemos como é dificílimo a profissão do ilustrador aqui. E quando alguns profissionais falam de valorização, esquecem que muitos precisam por a comida na mesa. Sei que não é nada bom essa desvalorização, mas como você mesmo disse, cada um sabe onde o calo aperta.

Continue com o ótimo trabalho.

Alexandre Nagado disse...

Muitas categorias profissionais experimentam quedas no mercado. Nisso, o pessoal de produção sofre mais que os gerentes, que sofrem mais que os diretores. Em arte acontece isso também. O cachê de um artista conhecido quase sempre será maior que o de um iniciante, até pelo valor que um nome conhecido agrega.

Muitos ilustradores só estão defendendo o deles, pois fazendo a cabeça de um iniciante para cobrar caro em tudo logo de cara, estão é eliminando a concorrência, pois esse iniciante dificilmente vai conseguir atender, no prazo, à expectativa de qualidade de um veterano. E aí não vai conseguir se firmar no mercado, que é o objetivo de muita gente.

Posso vir a ser execrado por outros profissionais por ter tido a coragem de escrever o que escrevi. Mas aprendi com meu professor, Ismael dos Santos, a ser muito transparente, sincero e direto. Assim fico com a consciência tranquila.

Abraços!!