terça-feira, 28 de janeiro de 2020

RikeKoi: Um animê sobre cientistas apaixonados

Quando o amor se torna um tema para atrapalhadas pesquisas científicas. 
Uma turma de pesquisadores
disposta a calcular as estatísticas
que provam a existência do amor.
Uma das novas séries da temporada 2020 de animações no Japão atente pelo nome de RikeKoi, abreviação de Rikei Ga Koi ni Ochita no de Shoumei Shite Mitá; cujo título internacional é Science Fell in Love, So I Tried to Prove it.

Na história, os pesquisadores Ayame Himuro e Shinya Yukimura se declaram apaixonados um pelo outro. Bom, quase isso, pois eles precisam provar um ao outro seu amor. Sendo dois cientistas cursando doutorado em estatística na Universidade de Saitama; e também nerds em último grau, eles decidem analisar cientificamente o que estão sentindo. 
Yukimura e Himuro: Desvendando a ciência do amor.
Tendo essa premissa básica, o que acontece a seguir é uma sucessão hilária de experimentos onde, com a maior falta de jeito do mundo, os dois inexperientes apaixonados precisam ter certeza de seus sentimentos. E para isso, envolvem todo o seu departamento, a saber: A veterana preguiçosa e maliciosa Ena Ibarada, o impulsivo otaku Kosuke Inukai e a voluntariosa Kotonoha Kanede (a única que tenta ser normal e enxerga o quanto seus colegas são estranhos), além do severo, porém paternal, Professor Ikeda.
Da esquerda p/ a direita:
Shinya Yukimura, Ayame Himuro, Kotonoha,
Ibarada e Kosuke. Elaborar estatísticas
nunca foi tão divertido.
Encontros e pequenos contatos físicos são analisados em pormenores, com tempo cronometrado, bem como batimentos cardíacos e temperatura sendo considerados itens fundamentais para fins de cálculo estatístico. Em algumas passagens, surge na tela o ursinho Rikekuma, que explica conceitos científicos com a mania de inserir trocadilhos infames com a palavra "urso" o tempo todo (o que deve ser um desafio e tanto para a tradução). 

Apesar de direcionada ao público adulto jovem, é uma obra bastante ingênua, com personagens engraçados e caricatos. O realismo passa meio longe de algumas situações, como quando o prof. Ikeda se enfurece e fica com jeito de Hulk. Ou quando vemos Ayame, cujo rabo-de-cavalo fica balançando se ela está emocionada ou simplesmente feliz. Nesses momentos, o mulherão que ela é fica com jeito de adolescente apaixonada e as cenas do rabo-de-cavalo se agitando são de uma fofura desconcertante.



Para muitos, pode soar bizarro demais o comportamento dos protagonistas - e é mesmo, daí a graça - mas o que é certo é que no Japão os relacionamentos amorosos são bem mais discretos e as manifestações públicas de afeto são mais incomuns. Além disso, o contato físico entre as pessoas é muito menor do que no ocidente, e é preciso ter em mente essas diferenças para apreciar melhor a história. 

Outro ponto a se destacar é que o roteiro faz muita referência à cultura pop local, tornando a obra bem mais palatável para quem é familiarizado. O galante de fachada Kosuke é um otaku do tipo que se diz "em relacionamento amoroso" por que vê como sua namorada virtual uma personagem de games. Também são feitas piadas com BL, sigla de "Boys Love", um gênero de mangá que explora romances gays (geralmente platônicos), mas com público majoritariamente feminino e heterossexual. E há também pelo menos uma referência ao grupo pop AKB48, entre várias outras citações de cultura pop japonesa, que sem dúvida já são familiares para uma boa parcela do público brasileiro de animês. 
Imagem promocional da versão
live-action, estrelada por
Nana Asakawa (Ayame)
e Shun Nishime (Yukimura)
A série RikeKoi surgiu a partir de uma webcomic publicada desde 2016 no site COMIC Meteor, da Flex Comix. A série já foi compilada em sete edições impressas, com um oitavo volume previsto para lançamento em março de 2020.

Em 2018, a obra foi adaptada em uma minissérie em quatro episódios para TV, que preparou o terreno para um longa para cinema, que estreou no Japão em fevereiro de 2019. Para o público japonês, a versão em animê é licenciada pela Amazon Prime, enquanto que no ocidente, faz parte do catálogo Crunchroll

Com sua premissa ingênua, situações hilárias e momentos tocantes, RikeKoi é uma boa opção para quem busca uma série ligeira e divertida. 

Assista oficialmente no Crunchyroll 

Capa do single "PARADOX", cantado
por Sora Amamiya, a voz de Ayame Himuro.
::: FICHA TÉCNICA :::

Título original: Rikei Ga Koi ni Ochita no Deshou Meishitemitá [理系が恋に落ちたので証明してみた]
Título internacional: Science Fell In Love, So I Tried To Prove It
Estreia no Japão: 11/01/2020 (Tokyo MX - emissora principal)
Total: 12 episódios

Créditos


Criação: Alifred Yamamoto (mangá)
Composição da série: Rintaro Ikeda 
Roteiro: Rintaro Ikeda e Michiko Yokote
Design e animação de personagens: Yusuke Ichiuchi

Story-boards: Toru Kitahata, Yoshihiro Takamoto e outros 
Trilha sonora: hisakuni, Shoichiro Hirata, Iku Otsuka,
Shuhei Takahashi, Takuma Sogi e Yuko Takahashi
Direção musical: Yuuichi Imaizumi
Direção de arte: Hirofumi Sakagami
Direção de animação: Toshihiko Itojima e outros

Produtores: Ryo Aizawa, Takayuki Takagi, Enki Motoki, Hiroaki Tsunoda, Manabu Yokoyama, Mitsuru Date e outros
Direção geral: Toru Kitahata
Produção de animação: Zero-G
Realização: Comitê de Produção de Animação RikeKoi



Elenco
Shinya Yukimura: Yuma Uchida
Ayame Himuro: Sora Amamiya
Kotonoha Kanede: Natsuko Hara
Ena Ibarada: Nichika Oomori
Kosuke Inukai: Jun Fukushima
Prof. Ikeda: Ryotarô Okiayu
Rikekuma (urso): Momo Asakura 

::: VÍDEOS :::


1) "PARADOX" - O tema de abertura, por Sora Amamiya
Letra: Yuki Fujiwara
Melodia e arranjo: Kazuki Tomita
Arranjo de metais: Ken Matsubara



2) Trailer oficial do animê (2020):


3) Trailer do filme em live-action (2019):



____________________________________________

Playasia - Buy Games & Codes for PS4, PS3, Xbox 360, Xbox One, Wii U and PC / Mac.

4 comentários:

Jonhsx disse...

Parece ser interessante... Vou dar uma olhada!

Alexandre Nagado disse...

Olha, se você curte comédia romântica no estilo japonês (com aquela falta de jeito toda que protagonistas costumam ter), RikeKoi é um prato cheio. Já vi todos os episódios disponíveis e aguardo pelos inéditos.

Abraço!

Leonardo Feitoza disse...

Obrigado pela dica! Gostei bastante de Wotakoi e esse RikeKoi parece ir na mesma pegada.

Alexandre Nagado disse...

Fala, Leonardo!

Hum, bem lembrado, ainda preciso conferir Wotakoi.