sexta-feira, 8 de novembro de 2019

Pokémon Vs Conservadores: A falsa batalha

Analisando politicamente uma das maiores franquias da cultura pop mundial.
Pikachu enfrentou o monstro do Conservadorismo?
Recentemente, o portal UOL publicou uma reportagem baseada no MOV ShowMeteoro Brasil, onde é dada uma visão política a um grande sucesso japonês, a franquia Pokémon

A chamada anuncia que "Pokémon venceu onda conservadora para prosperar". É difícil não apontar os erros da matéria, a começar pelo título. "Onda conservadora" é como tem se chamado, na imprensa, o crescente sentimento popular ocidental que deu a vitória a Donald Trump nos EUA, e a Jair Bolsonaro, no Brasil. É algo relativamente recente, tendo eclodido na América do Sul em meados da década de 2010. Pokémon surgiu nos games em 1996, virou animê em 1997 e só com a exportação da série é que começou sua febre mundial, depois de ter conquistado o Japão. Logo, qualquer resistência à franquia não pode ter relação com o fenômeno chamado de onda conservadora. Mas esse título equivocado foi apenas a indicação do que viria a seguir.

A matéria aponta uma reportagem da revista Time de 1999 onde a publicação apontou os perigos de Pokémon para a mente infantil, como apresentar um herói sem uma figura paterna e que viaja pelo mundo só acompanhado de outros menores. O vício (no caso, pelo game) também fora apontado pela publicação, que o UOL e o Meteoro Brasil atribuíram à "patrulha conservadora". 
Jogando luz sobre um tema espinhoso.
Uma coisa que deve ficar clara é que há um sentimento de puritanismo em boa parte da mídia e da sociedade americana, que é majoritariamente protestante ou evangélica. E essas visões não são exclusividade do conservadorismo americano. Basta lembrar que o ex-presidente Barack Obama, ícone do Partido Democrata (a esquerda liberal nos EUA) já disse em uma famosa declaração que famílias desestruturadas e ausência de figura paterna estavam entre os grandes responsáveis pela delinquência juvenil. E cá entre nós, ele não estava mentindo. Também é apontado que a rede de TV NBC convocou especialistas para criticar a mensagem de violência que a série traria. A violência na mídia é tema antigo e possui críticos em todos os espectros políticos, não sendo bandeira nem da esquerda e nem da direita. 

Recordando agora sobre as polêmicas da época em que o mundo descobriu Pokémon, uma das críticas era de que as batalhas dos monstrinhos eram similares à rinha de galo, uma prática condenada por ativistas animais por levar animais a sofrimento apenas para diversão dos humanos. As bandeiras ligadas ao direito dos animais, algo válido desde que em limites racionais e científicos, não são prioridade para os conservadores, sendo que os defensores mais ardorosos estão todos no campo da esquerda ambientalista.


Em meio a tudo isso, a parte interessante da matéria em vídeo é mostrar o passado do criador da franquia, o japonês Satoshi Tajiri. Mas, infelizmente, o gancho foi apenas mais uma daquelas tentativas de "lacrar", de fazer militância política e se atacar o conservadorismo. O próprio vídeo, que pode ser conferido na matéria, nem menciona o termo, que foi usado pela página MOV.doc do UOL para fazer panfletagem política. Pokémon sequer pode ser considerado algo politizado e qualquer intenção inserida ou percebida depende muito da intenção do observador.
Todos contra a manipulação!
Pokémon é entretenimento, não panfleto político.
Atualmente, estamos vivendo uma verdadeira guerra cultural no ocidente, com os chamados SJW - Social Justice Warriors - tentando pressionar por todo lado para que as produções de entretenimento se foquem em pautas progressistas, como racismo, feminismo, ambientalismo, bandeiras LGBTQ e críticas ao conservadorismo. E, quando não há esse posicionamento, sempre tem algum jornalista disposto a distorcer a realidade para forçar sua narrativa. No caso da citada matéria sobre Pokémon no UOL, foi mais uma daquelas tentativas de se atribuir rótulos caricatos e grosseiros aos conservadores. 


Geralmente apontados como ignorantes, fascistas, violentos, intolerantes, burros e malignos, os conservadores travam uma luta para existir enquanto posição política válida, sendo que no Brasil isso é algo bem recente. No entanto, a maioria esmagadora dos agentes da mídia e formadores de opinião desconhece o que é conservadorismo, algo ligado à proteção de liberdades individuais e zelo por valores que têm norteado o desenvolvimento das sociedades. 


Playasia - Buy Games & Codes for PS4, PS3, Xbox 360, Xbox One, Wii U and PC / Mac.

Conservadorismo não é algo contra o progresso ou apegado ao passado de forma doentia, sendo que o Japão é um exemplo de país conservador onde tradições e modernidade convivem de forma exemplar em vários aspectos. O conservadorismo sequer é uma ideologia, sendo na verdade marcado por uma visão cética de mundo, contra as ideologias revolucionárias. Para quem deseja saber e entender melhor, há muitos canais no YouTube, podcasts e livros relacionados ao assunto. 

Apesar de evitar abordar política no Sushi POP, este que vos escreve deixa claro que é um conservador e defende a liberdade de cada um possuir sua própria visão de mundo, buscando uma convivência pacífica. Convivência essa que começa quando usamos a linguagem de forma precisa, sem desvios e manipulações. 


* * * * * * * * * * * * *

Mais Pokémon no Sushi POP:

Pokémon - 20 anos

9 comentários:

Riojin disse...

Triste ver manipulacao de informacao. Como se isso nao fosse recorrente na sociedade americana. Desde a censura aos quadrinhos ha decadas atras, passando pela lendaria sabatina do Dee Snyder do Twisted Sister no congresso, sob alegacao de ma influencia aos jovens, censura a jogos como carmaggedon...isso é tipico dos americanos ha decadas e fazem parecer que é algo atual em resposta ao "conservadorismo" dos nossos dias.

Detonation Uchiha disse...

Infelizmente, de uns tempos pra cá começaram a brotar um pessoal que veio com esse papo de "Tudo é política", sendo que é só uma desculpa esfarrapada para tentar validar as próprias opiniões ou simplesmente paranóia.

Adelmo Veloso disse...

Está cada dia mais insuportável toda essa militância dos infernos. De uns tempos pra cá, acabei diminuindo meu tempo nas redes sociais, principalmente no Twitter, pois estava sendo algo bastante desgastante pra mim.

Não podemos parar de lutar e essa lacração miserável que estar em todos os lugares. Pokemon vencendo conservadorismo? Pokemon quer vender, e tem feito isso com sucesso.

O mundo está ficando cada vez mais chato. O trabalho de formiguinha ainda continua, de forma pontual,na minha casa e com alguns amigos.

anderson disse...

Como curiosidade,originalmente Pokemon foi planejado como um anime curto que
terminaria com a revelação de que os Pokemons não gostavam de batalhar e se
rebelariam contra os humanos liderados por Pikachu.Esse esboço sombrio logo
foi abandonado e se tornou a série que todos conhecem com
as batalhas fazendo parte da natureza das criaturas.Ainda assim o desenho
sempre foi alvo dos SJWs,seja pela "violência",por estimular o consumismo ou
pelas personagens femininas serem "femininas demais",o que faz essa matéria
desse portal comunista superar a equipe Plasma em hipocrisia.

anderson disse...

Issi não é imcomum.Por exemplo ,feministas americanas adoram fazer resenhas de Sailor Moon
fazendo parecer que a série está totalmente de acordo com suas ideologias(até Brie Larson
fez isso tentando inutilmente parecer simpática e o Jbox pateticamente deu destaque a
isso).Mas se um desenho americano hoje apresentasse uma heroína como Serena,burra ,que não
consegue lutar sem ajuda mística,apaixonada por um homem que vive salvando-a,em forma perfeita
mas ainda querendo emagrecer,sempre de saia curta e dando palmadas em uma criança as mesmas
feminazis se tornariam monstros insanos!

anderson disse...

E deve-se lembrar que recentemente Pokemon teve um episódio banido no ocidente ,e os culpados
foram exatamente esses "progressistas "que enxergam racismo em Ash se disfarçar de um
Pokemon parcialmente preto,preconceito em piadas sobre Batman e Robin e até machismo em
Chat Noir ser mais alto do que Ladybug(juro que vi essa situação bizarra em um shopping
local.

Bruno Seidel disse...

Olha... se não fosse por esse post aqui, eu jamais teria visto essa matéria no UOL. E, se a tivesse visto sem esse filtro, talvez nem identificaria a mensagem lacradora que aqui foi acusada. E olha que eu tenho desenvolvido um olhar cada vez mais atento para mensagens lacradoras e oportunismo SJW, algo nada raro em produções de entretenimento. Agora, falando em Pokemon, é realmente um esforço surreal identificar nesse simpático e bem-sucedido anime uma mensagem anti-conservadora e fazer desse "pelo no ovo" uma pauta de reportagem. Um exemplo incrível de distorção dos fatos para proporcionar uma narrativa conveniente. A mídia sabe ser mesmo muito podre!
E ainda devo dizer que senti falta de uma outra referência no histórico do Satoshi Tajiri, que foi o Ultra Seven. Quem conhece a história de Pokemon sabe que a ideia de encapsular monstrinhos em uma bola portátil e invocá-los em momentos de batalha vem dos monstros que Dan Moroboshi utilizava para auxiliá-los antes de transformar-se.

Alexandre Nagado disse...

Oi, pessoal. Não tenho interagido muito aqui, mas tenho visto as manifestações. Obrigado por deixarem suas impressões sobre o tema. Realmente, estão forçando muito a barra. Concordando ou discordando de opiniões políticas, deve prevalecer a honestidade intelectual. A matéria do Meteoro/UOL foi tudo, menos honesta.

Andei diminuindo bastante o ritmo de postagens, mas devo ainda escrever algumas coisas antes das férias.

Abraços a todos!

anderson disse...

Falando de comunistas caviar emoricanos tentando destruir franquias japonesas ,surgiram boatos
de que a Disney estaria planejando um filme de -Deus nos livre-Dragon Ball.Dá para imaginar
o que pode acontecer com a empresa atualmente parecendo a versão real da Red Ribbon.Não seria
surpresa se o Jbox apoiar esse possível desastre.