sexta-feira, 26 de julho de 2019

Astros da Música Japonesa e as Anime Songs

O que acontece quando os maiores astros da música japonesa cantam temas de personagens da cultura pop.
Namie Amuro, uma das maiores estrelas da História
do J-pop, acompanhada por um certo Shinigami (Deus da Morte).
Dentro do mercado fonográfico japonês, que é o maior do mundo e onde ainda se depende da venda de CDs, os temas de animê ou anime songs possuem um lugar de destaque. São as músicas japonesas mais conhecidas no ocidente e representam a porta de entrada para um universo musical mais amplo. Há artistas especializados em anisongs, ou, mais especificamente, temas de animê e tokusatsu, sendo que este último possui até um subgênero específico, o das tokusongs.

O tema de Evangelion, como alguns outros casos, foi meio que exceção dentro do histórico de anime songs indústria musical do Japão, competindo entre canções pop e conseguindo boa performance. Também existem os artistas que transitam facilmente de anisongs para material voltado ao grande público, como Asian Kung-Fu Generation, iRis, THE ALFEEWagakki Band e outros. Sem serem focados em trilhas, fazem material relacionado com alguma regularidade. 
Yoko Takahashi
Porém, entre os nomes do primeiro escalão do mainstream, os que venderam muitos milhões de gravações, chega a ser bastante raro que o artista se envolva com anime songs.

Há casos também em que a produtora e a gravadora fazem de tudo para trazer algum nome realmente grande para a trilha sonora, mas a coisa é feita com tanto distanciamento pelo astro, que vira perda de tempo. 


Em 2004, a Tsuburaya Pro apostou em uma versão mais adulta e realista de seu maior herói com o filme ULTRAMAN (não confundir com o recente animê da Netflix), cujo herói é a forma inicial de Ultraman Nexus, que teve sua própria série de TV. O tema foi gravado pelo TMG - Tak Matsumoto Group, liderado pelo guitarrista da dupla B´z. É simplesmente o nome que mais vendeu CDs no Japão, em todos os tempos, com mais de 82 milhões de gravações vendidas. 

Fizeram muito alarde com a participação de um integrante do B´z, mas o filme não fez sucesso, a música "NEVER GOOD BYE" toca só nos créditos finais, que nesse caso apenas mostrava os créditos passando em um fundo preto, e não um clipe de imagens, como geralmente é feito no Japão. Sequer foi feito vídeo clipe ou vídeo promocional e é impossível encontrar no YouTube, mas qualquer vídeo ou gravação ligada ao B´z é muito vigiada na internet. 

A música foi incluída em TMG 1, o álbum de estreia do projeto, que ficou em primeiro lugar no ranking de vendas da Oricon Entertainment (o equivalente japonês da Billboard), mas essa música específica nunca é lembrada entre as canções dos Ultras. A impressão é que ficaram com certa vergonha de participar e a música passou batido, sendo logo esquecida até pelo fandom da franquia.
Tak Matsumoto (B´z), o maior nome da música japonesa
em termos de vendas de CDs. Seu envolvimento com a
franquia Ultraman não deixou marcas ou saudade.
Entre compositores, muitos nomes transitam facilmente do mainstream da música pop para encomendas voltadas a alguma produção. No longa Macross (1984), baseado em famosa série famosa de robôs gigantes da Tatsunoko Pro, o compositor Kazuhiko Kato, ícone dos anos 1970, escreveu com a igualmente renomada Kazumi Yasui (letra) o icônico tema "Ai oboeteimasu ka?" ("Você se lembra do amor?"), entoado pela personagem Lynn Minmay, que teve a voz da cantora Mari Iijima. Ficou em sétimo lugar de vendas semanais da Oricon, tornando-se um clássico de seu tempo. 

Em outro exemplo, o tema de Kamen Rider BLACK (1987), cantado pelo ator Tetsuo Kurata, foi escrito por Youko Aki (letra) e Ryudo Uzaki (melodia), casal de compositores responsável por muitos sucessos de Momoe Yamaguchi, uma das melhores e mais respeitadas cantoras de todos os tempos na música japonesa. 

Na série Street Fighter II-V (1995), a dupla CHAGE and ASKA (mais de 30 milhões de CDs vendidos) fez a supervisão musical da série, com ASKA escrevendo a abertura e encerramento originais, cantados por Yuki Kuroda. Depois, ASKA ainda incluiria o encerramento, "Cry", em seu repertório de shows solo. Cantando para a franquia, a dupla só iria gravar mesmo "Something There", tema do filme Street Fighter - A Batalha Final (1994), com Van Damme, Ming-Na Wen e Raul Julia


Na parte de composição, muitos grandes nomes, com canções que venderam milhões, já escreveram para temas de animê e tokusatsu. O que é raro é ver cantores do primeiro escalão cantando esses temas. Porém, há aqueles artistas do mainstream que, quando pisaram no terreno das anime songs, o fizeram com força e deixaram suas marcas, a exemplo da banda Anzen Chitai, que se envolveu bastante com o animê Maison Ikkoku. Ou como o astro Gackt, que cantou os temas da série Kamen Rider Decade (2009) e do filme Kamen Rider Decade: All Rider vs Dai Shocker (2009). Nesse longa, ainda interpretou uma versão alternativa do herói clássico Riderman

Muitas gravadoras e produtoras fazem parcerias para usar anime songs como uma forma de apresentar novos artistas ao público. Quando é um nome consagrado que se envolve com a trilha sonora, é motivo de comemoração, onde todos saem ganhando. 


***************************
::: Seleção Especial :::

- Na seleção abaixo, confira algumas canções de séries interpretadas por grandes nomes do cenário musical japonês. Assista antes que os vídeos sejam bloqueados. 

Crystal King
Ai wo torimodosê!! ~ Série: Hokuto no Ken
Letra: Kimiharu Nakamura
Melodia: Michiru Yamashita (Crystal King)
Intérprete: Crystal King


Surgido em 1976, o grupo Crystal King explodiu nas paradas de sucesso do Japão com o single "Dai Tokai" (1978). Liderado pelos vocalistas Mush Yamazaki e Masayuki Tanaka, logo alcançou grande prestígio com seu som influenciado por rock progressivo com toques de ópera. Em 1984, foram convidados para gravar o tema do animê Hokuto no Ken, baseado em um mangá muito popular da revista Shonen Jump

O vocalista Masayuki Tanaka era contra esse envolvimento e ficou muito irritado ao ter que gravar um tema de animê, mas foi voto vencido e a música foi lançada. "Ai wo torimodosê!!" ("Recupere o amor!!") chegou apenas na posição 53 do ranking, mas se tornou um sucesso perene entre os fãs do animê, sendo uma canção muito querida até hoje. A banda se envolveu com algumas outras gravações para Hokuto no Ken, incluindo regravações posteriores do tema de abertura.
Hokuto no Ken: Uma violenta saga pós-apocalíptica
baseada em mangá que está sendo publicado no
Brasil pela Editora JBC.
Masayuki Tanaka deixou a banda para investir em sua carreira solo em 1986 mas, pouco tempo depois, sofreu um acidente que quase destruiu suas cordas vocais. Atingido por uma bola de beisebol no pescoço enquanto assistia uma partida, nunca mais conseguiu atingir as notas altíssimas que conseguia antes do acidente. Mais humilde, seguiu com sua carreira e, sem o preconceito de antes, gravou com Kazuya Daimon (Project DMM) o tema de Ultraman Gaia (1998) e, sozinho, o tema de Kamen Rider Kuuga (2000). Atualmente, o Crystal King segue apenas como nome artístico de Mush Yamazaki, único remanescente da formação original. 


*****************
V6
Take me Higher ~ Série: Ultraman Tiga
Letra em japonês: Kazumi Suzuki
Letra original e melodia: Giancarlo Pasquini, Jennifer Batten, Alberto Contini
Intérprete: V6

V6 surgiu como uma boy band em 1995 e está em atividade até hoje, com seus integrantes na faixa dos 40 anos de idade. Em 1996, um de seus membros, Hiroshi Nagano, interpretou o herói principal, Daigo, na série Ultraman Tiga. O tema, "Take me higher", que é versão de uma canção italiana, ficou em primeiro lugar na Oricon e foi incorporada ao repertório do grupo. A música menciona o nome do herói, algo que é meio raro quando nomes de fora das anime songs interpretam algum tema de série. 
Ultraman Tiga, série que renovou a
franquia Ultraman na década de 1990.
O V6 voltaria a ser associado ao Universo Ultra com a canção "Light in Your Heart", tema do longa Chou Ultra 8 Kyodai ~ Superior Ultraman - 8 Brothers, de 2008 e que foi estrelado por Hiroshi Nagano. Essa canção também chegou ao primeiro lugar, sedimentando a ligação do grupo com a marca Ultraman. 
O V6 no traço de
Rumiko Takahashi.
Já o único tema do V6 para um animê foi "Change The World", primeira abertura de Inu-Yasha (2000) e que ficou em terceiro lugar na Oricon. Na ocasião, foram até desenhados em estilo mangá por No total, o V6 já vendeu mais de 12 milhões de gravações.

*****************
Kiyoshi Hikawa
Genkai Toppa x Survivor ~ Série: Dragon Ball Super
Letra: Yukinojo Mori
Melodia: Takafumi Iwasaki
Intérprete: Kiyoshi Hikawa


Famoso como intérprete da tradicional canção japonesa enka, Kiyoshi Hikawa estreou em 2000 e conseguiu atrair jovens para um estilo musical que estava cada vez mais associado ao público idoso. Nascido em 6 de setembro de 1977, é um dos grandes nomes do enka, tendo se apresentado, desde que estreou, em todas as edições do festival anual Koohaku Utagasen, competição de fim de ano que reúne os artistas que mais venderam gravações no período. 

Apresentando-se com a mesma desenvoltura vestindo elegantes quimonos ou explorando um lado mais descontraído e andrógino, ele tem uma voz poderosa e é um intérprete bastante versátil. 
Dragon Ball Super: Continuação de Dragon Ball Z, o
maior sucesso criado por Akira Toriyama.
Para canções pop, ele assinava apenas como KIYOSHI, sendo assim a forma como se apresentou ao gravar a música "Mirai", tema do filme Ultraman Mebius and Ultraman Brothers (2006). Na ocasião, gravou vídeo promocional e até fez ponta no filme, mas a canção acabou não fazendo muito sucesso, apesar de muito bonita. 
Kiyoshi Hikawa como um personagem coadjuvante
em Dragon Ball Super, quando foi dublado pelo próprio cantor.
Para a série de TV Dragon Ball Super, gravou em 2017 a segunda abertura, intitulada "Genkai Toppa x Survivor" ("Limit Break x Survivor"). A canção, que tocou do capítulo 77 ao 130, chegou ao terceiro lugar do ranking semanal de vendas de singles no Japão. Ele ainda fez uma pequena participação no animê, com um personagem usando seu próprio nome e voz.
*****************

Namie Amuro
Fighter ~ Série: Death Note: New Generation
Letra e melodia: Matthew Tishler, Felicia Barton, Aaron Benward, TIGER, REASON´, Emyli
Intérprete: Namie Amuro



Namie Amuro é uma das celebridades mais famosas do Japão, sendo cantora e modelo de sucesso milionário. Nascida em Okinawa em 20 de setembro de 1977, estreou como integrante do grupo Super Monkey´s. A gravadora percebeu seu potencial e como ela chamava a atenção e o grupo logo mudou para Namie Amuro with Super Monkey´s. Em 1995, ela saiu em carreira solo e seu antigo grupo mudou de nome para MAX

Como cantora e também como modelo em carreira paralela desde o começo, ela mudou padrôes de beleza não apenas no showbiz nipônico, mas em todo o continente asiático. Em 1999, Namie Amuro lançou "toi et moi", tema de encerramento de Pokémon: The Movie 2000. A canção foi composta por MARC e Tetsuya Komuro, do grupo globe, chegando ao terceiro lugar da Oricon. Em 2011, cantou "Fight Together", a 14ª  abertura de One Piece (ep. 493 a 516). A música ficou em segundo lugar na Oricon, sendo parte de um single triplo: NAKED/ Fight Together/ Tempest
Death Note: New Generation - Uma das
aventuras derivadas do famoso mangá,
feita diretamente para a web.
Em 2016, cantou Fighter, tema de encerramento de Death Note: New Generation, uma  minissérie live-action em 3 episódios feita para a web, baseada no famoso mangá. A canção fez dobradinha com "Dear Diary" e o single duplo ficou em terceiro lugar no ranking da Oricon. A canção era totalmente ao estilo de eletrônico dançante de Namie Amuro e atraiu mais atenção para a produção. 

Em 2018, Namie Amuro encerrou a carreira musical, seguindo atualmente como modelo, atividade que sempre a acompanhou com igual sucesso. Como cantora, vendeu mais de 31 milhões de gravações. 


::: Apoie o Sushi POP! :::

::: Dicas Sushi POP ~ Amazon :::

   

   

6 comentários:

Riojin disse...

Super legal a matéria!!! Sabia que anisongs não eram mainstream, mas não imaginava que era tão de nicho assim e alguns cantores não gostam de ser associados a elas. Lembro de ver um vídeo do Akira kushida cantando a opening de Gavan em algum programa comum japones e, mesmo sem entender nada do idioma, vi que alguns convidados faziam uma cara de quem é esse vovô cantando. Só uns caras mais velhos que demonstraram empolgação, mas como se fosse algo de infância, nostalgia. E notava que nesse especial de fim de ano da nhk, nunca via cantores de anisongs.
Falando de anisongs, uma curiosidade é que se não me engano, o grupo de heavy metal EPICA, muito importante no meio do metal, numa linha mais sinfônica, gravou um álbum dedicado (ou com as músicas, não recordo agora) de Shingeki no kyojin.

Alexandre Nagado disse...

Fala, Riojin!

Não conheço essa banda, mas aí eu lembrei do X Japan, que gravou "Forever Love" para o X/1999 do CLAMP. Alguns exemplos importantes acabaram ficando de fora, senão ia ficar um post muito grande e eu queria algo mais leve. Mas é bem por aí, é algo de nicho. É um nicho importante, mas raramente chega no mainstream. Quando chega e dá certo, é porque o astro em questão simpatiza com o material.

E tema de tokusatsu é nicho do nicho, não toca em rádios normais e raramente vão em programas de TV. Quando Gackt, V6, THE ALFEE ou outro grande nome se envolve, a coisa muda muito de figura.

Valeu! Abraço!

Detonation Uchiha disse...

Que matéria bacana! Apesar de eu costumar ouvir músicas de animê, nunca parei para pesquisar sobre o assunto e fico surpreso em saber que existe relutância de grandes artistas japoneses em participar desse tipo de trabalho. Muito do meu gosto musical foi formado graças as músicas de animês que eu assistia, isso sem contar aquelas produções cujas músicas são tão marcantes e presentes que sem elas perderiam parte da graça, como Initial D e Cowboy Bebop. E que baita seleção você no final do texto (só não consegui ver Fighter - Death Note: New Generation, o vídeo foi removido), eu nunca tinha me dado conta de que os cantores da abertura de Ultraman Tiga eram os mesmos do InuYasha, só agora que eu me toquei.

Alexandre Nagado disse...

Fala, Uchiha!

Não é que o vídeo da Namie Amuro foi retirado, esse é oficial. Se você clicar no link da tela, vai direto para o YouTube. É uma restrição que alguns colocam em seus vídeos, para não perder likes, já que essa função não aparece quando o vídeo é incorporado em outro site.

Valeu, até mais! Abraço!

Tatianna Raquel disse...

Oi, Alê! Adorei a música do Kiyoshi Hikawa "Limit break x survivor" de Dragon Ball Super! O cantor japonês Kiyoshi Hikawa tá esplêndido, cantando ela ao vivo do Kiyoshi Kono Yoru Volume 18 e essa se tornou a favorita dos brasileiros graças a divulgação fora da comunidade nikkei, prova disso é o Rodrigo Rossi. Além disso, "Limit break" é minha favorita também! O Kiyoshi cantou ela toda no concerto dos 20 anos de carreira no Nippon Budokan e vai cantar no concerto de seu 42o aniversário no dia 6 de setembro em Osaka. Meus parabéns pelo artigo! Brasil ama Hikawa! Valeu! Abraço!

Alexandre Nagado disse...

Olá, Tatianna!

O Kiyoshi realmente entrou firme e levou todo seu entusiasmo à franquia Dragon Ball, e está certíssimo. Conforme relatei na matéria, quando um astro vai sem vontade, dificilmente dá certo. E ele saiu da zona de conforto, que é seu público de música enka, e encarou mais uma anime song, dessa vez para um clássico shonen.

Valeu! Abração!