terça-feira, 25 de setembro de 2018

Chamas Azuis - Novo mangá nacional

É hora de conhecer o mais recente projeto de mangá nacional a virar realidade. E é impresso!
Capa aberta do mais novo mangá nacional,
escrito e ilustrado por Mel-chan.
A imensa crise que afeta o mercado editorial brasileiro é apenas mais um desdobramento da longa crise econômica e política de nosso país. E na área de quadrinhos, normalmente mais complicada para autores brasileiros, muito mais portas se fecharam nos últimos tempos. O financiamento coletivo e empreitadas na internet têm oferecido uma vitrine e uma oportunidade para novos autores tentarem um lugar ao Sol. E a mais nova produção brasileira, feita com muito esforço e determinação, acaba de ser lançada para o público. É o título Chamas Azuis, um mangá de aventura para todas as idades. 

Com roteiro e arte de Mel-chan, apelido da jovem paulista da região do ABC Melissa Mascarenhas, Chamas Azuis conta a história de um mundo cheio de magia e criaturas fantásticas. Nele, existe o lendário Leão das Chamas Azuis, uma criatura de grande poder. Nessa primeira aventura, o leitor irá conhecer Kazuki, o flautista amigo do Leão, e seus companheiros Mai, Eiji, Ruki e Rumi, que juntos chegam a uma nova cidade. Lá, ficam sabendo sobre misteriosos roubos e resolvem investigar. 

É uma aventura ágil, que pode se desdobrar em uma grande saga, conforme a aceitação desta edição de estreia, publicada de forma independente pela autora. A edição tem 34 páginas em preto-e-branco, com capa colorida. 
Desenho simples e elegante, com
um bom design de personagens.
O trabalho pode ser adquirido somente com a autora através de seu perfil no Twitter (@Melcchan). O valor é de R$ 11,00, mais frete para todo o Brasil por R$ 9,00. 

Formada em artes plásticas, ilustradora freelancer e estudante de psicologia, Mel encontrou muitas portas fechadas ao trabalho nacional de quadrinhos, mas não se deixou abater. Foi à luta e conseguiu se auto-publicar, seguindo o caminho de muitos empreendedores da área. Agora, precisa divulgar e vender para o máximo de pessoas, tanto para cobrir suas despesas com Chamas Azuis quanto para viabilizar a impressão de uma nova aventura. Merece todo o apoio. 

Finalizando, segue um depoimento da autora, exclusivamente para o Sushi POP:
"Sempre fui apaixonada pela cultura Pop japonesa como um todo. Na infância gostava de assistir animes e ler mangás, algo que me motivou a ingressar no mundo da arte. Procurei investir em estudos e técnicas de aperfeiçoamento para me desenvolver no campo da arte, não apenas fazendo desenhos de origem oriental, mas artes no geral.  
Em meio a tudo isso, pensei na possibilidade de mostrar um pouco das minhas criações ao Brasil, portanto resolvi fazer uma publicação independente. Apesar de ser uma história breve (one-shot), espero que Chamas Azuis possa diverti-los! Agradeço a todas as mensagens de incentivo e apoio que tenho recebido de meus amigos e amantes de desenhos. Muito Obrigada!!"
- Mel-chan
Uma narrativa visual na tradição
dos melhores mangás
Publicidade:

4 comentários:

Gustavo Reis disse...

Não li o mangá. Mas olhando os desenhos e a qualidade do material divulgado, para mim foi uma grata surpresa quando conheci. Mangá para fãs de cultura pop japonesa, feito de uma forma que agrada otaku. Desejo toda sorte! Não é um caminho fácil, mas é gratificante demais quando começamos a atingir nossos objetivos! Parabéns à ela pelo trabalho!

Alexandre Nagado disse...

Fala, Gustavo!

Estou aguardando ainda meu exemplar chegar pelo correio, mas fiz questão de divulgar desde já. Sei bem das dificuldades de se tentar fazer quadrinhos no Brasil. Por isso, gosto de divulgar trabalhos de qualidade feitos com esforço e dedicação.

Torço para que o trabalho dela repercuta bem a ponto de ter continuidade.

Valeu! Grande abraço!

Usys 222 disse...

Conhecia o trabalho dela e ao ver algumas de suas fanarts pelo Twitter, fiquei impressionado com a evolução de seu traço.

Mel-chan é bem esforçada e gosta do que faz. A prova é que ela disponibilizou esse material impresso, com fundos próprios, como fazem os desenhistas japoneses, ao invés de mídia digital. Com isso a gente vê o quanto ela investiu em seu sonho. E ainda por cima, uma obra extensa, com 34 páginas!

Espero que a Mel-chan tenha sucesso nessa empreitada e torço muito por ela. Também pedi um exemplar e estou ansioso para ler!

Alexandre Nagado disse...

Fala Usys.

Tive contato com o trabalho dela através de um RT seu no Twitter. É um trabalho promissor e fico contente em ajudar um pouco na divulgação.

Falou! Abraço!