segunda-feira, 9 de julho de 2018

Ultraman R/B - A saga dos irmãos Rosso e Blu

Começou a nova série do Universo Ultra! Mas, desta vez, o público brasileiro não irá acompanhar uma versão oficial em português pelo Crunchyroll.
No último dia 7 de julho, estreou no Japão a série Ultraman R/B (leia "Ruubu", com o "r" de "urubu"), uma produção que apresenta uma situação inédita na franquia. 

Os heróis são dois irmãos, Katsumi e Isami Minato, que vivem com seu pai, Ushio, e sua irmã caçula, Asahi, na cidade de Ayaka. A esposa de Ushio, Mio, era uma pesquisadora que desapareceu misteriosamente, sem deixar vestígios. Apesar de estar sempre aguardando seu retorno, sua família decidiu seguir em frente com a vida. Os rapazes ajudam o pai como pode com a loja, enquanto Asahi cuida dos afazeres domésticos. Isami e Asahi ainda são estudantes e Katsumi, já adulto, se sente responsável tanto pra ajudar o pai com a loja quanto em proteger os irmãos. 


Isami (Blu) e Katsumi (Rosso), prontos para a
transformação utilizando os Ruby Gyro.
A história começa mostrando o cotidiano da família, ajudando o pai a cuidar da loja da família, a butique Quattro M (ou "Quatro M" em italiano). Otimista e zeloso com sua família, Ushio também sonha em estabelecer sua própria grife de roupas. 

Um homem bastante conhecido na cidade onde vivem é Makoto Aizen, o alegre e otimista proprietário da organização de tecnologia avançada Aizen Tech, empenhada em descobrir novas fontes de energia e explorar o espaço. Mas, seu estilo elegante, aspecto bondoso e sorriso quase infantil podem esconder algo sombrio e misterioso. 

Quando monstros gigantes surgem para ameaçar a humanidade, Katsumi e Isami recebem de uma entidade misteriosa a missão de reunir os R/B Crystals, que trazem poderes de guerreiros Ultra e são a chave para derrotar os monstros. No início, cada um deles recebe o artefato R/B Gyro (leia "
Ruube Jairo"), que permite que eles se transformem em gigantes Ultra. Focados em salvar as pessoas e destruir as ameaças conforme aparecem, eles estão alheios ao fato de que há uma inteligência por trás de tudo. 


Da esquerda p/ direita: Asahi Minato,
Ushio Minato e Makoto Aizen.
Katsumi transforma-se em um gigante com dois grandes chifres laterais na cabeça, cuja forma básica é chamada Ultraman Rosso Flame, criada a partir de um cristal que contém o poder de Ultraman Taro. Já Isami se torna o gigante com uma grande barbatana no centro da cabeça (lembrando mais um Ultra tradicional), cuja forma básica, Ultraman Blu Aqua, vem do cristal de Ultraman Ginga

Em caso de necessidade, os irmãos podem trocar de cristais, tornando-se assim Ultraman Rosso Aqua e Ultraman Blu Flame, invertendo o esquema de cores. Apesar de se darem muito bem, não é fácil para eles aprender a lutar em conjunto.

O tom geral da série é de humor, com personagens e atitudes mais forçadas e caricatas, e isso foi uma opção desde o início. A primeira batalha dos irmãos, inclusive, é marcada por golpes desastrados, onde eles ferem um ao outro acidentalmente e agem como dois gigantescos trapalhões. 
Os dois irmãos ainda têm um duro caminho a percorrer até
conseguirem formar uma unidade de combate invencível.
A primeira aparição oficial de Katsumi e Isami foi no último episódio da série Ultraman Orb The Chronicle. A série, exibida somente no Japão, consistia em reciclagem de cenas das diversas aventuras de Ultraman Orb e alguns fatos relevantes sobre os Ultras anteriores, tudo narrado por Gai Kurenai, a identidade humana do herói. No final, exibido em 30 de junho, os despreocupados Katsumi e Isami passam por Gai, que silenciosamente lhes deseja boa sorte antes de partir da Terra. Isso pode ou não ser um indicativo de que R/B se passa no mesmo universo de Orb, lembrando que a cronologia dos Ultras se desenrola em um multiverso, com várias Terras em dimensões paralelas. Quem é familiarizado com quadrinhos - especialmente da DC Comics - já está acostumado com o conceito. 

Um dos grandes mistérios que vem sendo guardados sobre a série é a anunciada presença de um vilão chamado Ultraman Orb Dark. Não se sabe ainda se seria uma versão maligna de outra dimensão ou se é uma versão corrompida do original. A identidade humana desse Orb Dark também não foi revelada ainda. O segredo tem sido bem guardado, o que só aumenta a expectativa. 
Ultraman Orb Dark: O vilão da série, cuja origem e motivações
estão sendo guardadas a sete chaves pelo estúdio.
Outro mistério é quem está por trás das aparições de monstros. Aparecem duas mãos manuseando um item de transformação (seria Makoto Aizen?) semelhante ao R/B Gyro para invocar monstros, que revertem à forma de cristais esféricos iguais aos usados pelos heróis. Esse recurso do vilão com um aparato quase igual ao do herói para invocar monstros é um recurso já usado à exaustão em Ultraman Orb e Ultraman Geed. Já devia estar cansando essa repetição de ideias, mas parece que não. 

O elenco possui caras novas para o público de tokusatsu, mas são artistas já conhecidos na mídia japonesa. Yuuya Hirata (Katsumi/Rosso) tem 25 anos e já atuou em muitos filmes e dramas, sendo que seu trabalho em R/B é sua estreia em tokusatsu. É o mesmo caso de Ryosuke Koike (Isami/ Blu), de 23 anos. Ambos também já fizeram trabalhos como modelos publicitários e têm um grande desafio ao protagonizarem uma série Ultra, franquia que tem tido uma sequência de grandes obras protagonizadas por ótimos atores.
Arisa Sonohara:
Ainda uma menina,
mas já uma artista
experiente.

Arisa Sonohara, de apenas 16 anos, é Asahi Minato, a nova musa das séries Ultra. Também modelo, dançarina e cantora (uma típica idol), ela integrou o grupo Otome Shinto e já participou de vários programas de TV. O patriarca da família Minato é interpretado por Ginnojou Yamazaki, um ator veterano que, além de muitos filmes e dramas, já participou de Kamen Rider Wizard (2 episódios) e Kyuranger (4 episódios). 

A música de abertura da série é cantada por Masayoshi Ooishi, vocalista, guitarrista e compositor da banda Sound Schedule. Já famoso nas áreas de J-pop e anisong, ele cantou os temas dos animês Gekkan Shojo Nozaki-kun, Overlord, Hand Shakers e outros. Já o tema de encerramento é cantado pela famosa dubladora Suzuko Mimori, que participou de Ultraman Geed como a voz e a forma humana do computador REM. Suzuko é célebre por sua participação no grande sucesso no animê musical Love Live! School Idol Project, entre muitas outras obras. 

A série estreou no dia 7 de julho, sendo exibida sempre aos sábados, às 9 da manhã na TV Tokyo do Japão. E depois de três anos exibindo séries Ultra para o Brasil quase que simultaneamente com o Japão, o portal Crunchyroll deixou muitos fãs na mão ao não incluir Ultraman R/B em sua grade de programação. Aliás, nem responderam as muitas mensagens públicas postadas no Twitter, sendo que muita gente assinou o canal especificamente para continuar acompanhando os Ultras com legendas oficiais. Como nas séries anteriores o Crunchyroll manteve mistério até o último momento, muita gente já esperava poder assistir R/B de forma simultânea, o que foi frustrado. Mas, nem tudo está perdido.

Vídeo especial de apresentação.

O canal oficial da Tsuburaya Pro no YouTube exibe a série, sem legendas e sem limitação de região, com cada episódio ficando disponível durante uma semana, até o lançamento do episódio seguinte. Pra quem não se vira com japonês, resta buscar formas alternativas para encontrar o material legendado por fãs. 

Em comparação com as séries mais recentes, Orb e Geed, R/B apresenta um elenco notadamente mais fraco, mas há muito a se desenvolver em termos de história e os personagens ainda podem crescer muito. A ênfase narrativa é no humor, mas há muitos mistérios a serem esclarecidos. 

Apostando em inovações e sempre valorizando sua História, a franquia Ultra prossegue, com a saga dos irmãos Rosso e Blu marcando as comemorações dos 55 anos do estúdio Tsuburaya Pro

ULTRAMAN R/B [ ウルトラマンルーブ ]
Ficha técnica


Estreia no Japão: 07/ 07/ 2018 (TV Tokyo)
Total: 25 episódios

Planejamento (composição) da série: Takao Nakano, Junki Takegami Satoshi Ito
Roteiro: Takao Nakano, Junki Takegami, Satoshi Ito, Hirotaka Adachi (Otsuichi), Yuji Kobayashi e outros.
Trilha sonora: Yasuharu Takahashi
Direção: Masayoshi Takesue, Kiyotaka Taguchi e outros
Produção: Tsuburaya Pro, TV Tokyo, DentsuComitê de Produção Ultraman R/B 

Elenco: 

Katsumi Minato/ Ultraman Rosso (voz): Yuuya Hirata
Isami Minato/ Ultraman Blu (voz): Ryosuke Koike
Asahi Minato: Arisa Sonohara
Ushio Minato: Ginnojou Yamazaki
Makoto Aizen: Motoki Fukami 


::: C A N Ç Õ E S :::

1) Tema de abertura: 
"Hands" (Versão ao vivo)
Letra: Kentaro SonodaMelodia e arranjo: Kentaro Sonoda e Tsubasa Ito
Vocal: Masayoshi Ooishi



2) Tema de encerramento:
"Yume Hikôu" (ou "Voo dos sonhos") ~ 夢飛行 (Versão curta)
Letra: Shihori/ Melodia: Hajime Mitsumasu/ Arranjo: EFFY
Vocal: Suzuko Mimori 



::: E X T R A :::

O pianista japonês Tetsuya Shima não perdeu tempo e já postou em seu canal no YouTube sua interpretação instrumental de "Hands" o tema de Ultraman R/B. Confira:



10 comentários:

Usys 222 disse...

Esperei até o final para ver se o Crunchyroll disponibilizava a série, mas infelizmente nada feito. Ainda tenho esperança. Quem sabe saia com uma semana de atraso? Ou talvez a Tsuburaya esteja interessada em plataformas com um público maior.

Desta vez optaram pela comédia, o que acho que é uma opção válida. A luta foi bem engraçada e aquela cena dos dois discutindo e o monstro aparecer de fininho por trás vai ficar para a história. Também gostei daquela com a câmera se movendo, seguindo a estrada, enquanto a luta se desenrola.

Quando soube que ia ser o Yasuharu Takanashi na trilha sonora já botei fé. Ele instituiu o "Cure Metal" e agora espero pelo "Ultra Metal". Eu o contatei pelo Twitter e sugeri esse nome e pelo visto ele gostou da ideia. Mas não sei se isso vai para a frente.

Apareceu uma teoria ainda mais louca sobre o Orb Dark. De que seria a Asahi. Teve gente que achou estranho ela não aparecer no flashback e o fato do Katsumi ter hesitado por um momento antes de falar o nome dela, olhando como se estivesse tentando reconhecê-la. Se bem que as mãos segurando o Gyro pareciam ser de homem.

E ter o mesmo item que os heróis é saudável para a carteira dos pais, que não precisam comprar itens diferentes para os filhos que queiram representar os vilões. Os fãs de Kamen Rider Build já estão sem dinheiro, uma vez que desta vez lançaram três tipos de cintos.

Alexandre Nagado disse...

Fala, Usys!

Dá pra especular muita coisa. O pai dos garotos seria também uma opção dramática interessante, mas ainda é cedo pra qualquer palpite.

Eu achei a luta divertida, bem diferente mesmo e dei muita risada na cena no monstro chegando de fininho. Imaginei o Zero pegando os dois pelas orelhas e levando pra treinar. Com o Leo. Seria divertido ver o velho Gen perdendo a paciência e dizendo que eles não sabiam o que era ter um treinador carrasco quando eles reclamassem, ah ah.

Eu espero ouvir aquelas notas musicais da orbnica sendo tocados em algum episódio, anunciando a chegada de um certo andarilho das galáxias...

Falou! Abraço!

César Filho disse...

Também esperei com muita expectativa a estreia de Ultraman R/B na Crunchyroll. Ainda acredito que cedo ou tarde deve acontecer. Teve uma recente edição do programa Senpai TV, da Rede Brasil, onde o Anderson (um dos apresentadores), disse que uma "raposa felpuda" havia dito em off sobre a possibilidade de passar a serie no canal de streaming. Porém não é 100% de garantia. Pode ser que entre depois, como foi o caso do animê Garo: Vanishing Line, que estrou em outubro e foi lançado por lá em meados de novembro e com todos os episódios exibidos até então. Desde então eu tenho fé na tal "raposa" (acho que sei quem é, mas não digo, não. rsrsrs).


Gostei do episodio de estreia. O ar é mais cômico e espero que a Tsuburaya mantenha a qualidade, sem cair no humor pastelão ou algo do tipo (como já aconteceu em algumas séries Super Sentai em anos anteriores). Um palpite que eu tenho é que Makoto Aizen deve ter algum tipo de ligação com o tal Ultraman Orb Dark. Ou mesmo que ele seja hospedeiro ou algo do tipo. Parece óbvio, mas ainda é cedo. Talvez a Tsuburaya esteja preparando uma grande surpresa quanto ao vilão. O jeito é esperar pra ver.

Alexandre Nagado disse...

Fala, César!

Sim, uma parte de mim tem esperança de que R/B ainda seja incorporado à grade de programação do Crunchyroll, mas não gostei de ver como eles se portaram no Twitter, ignorando todo mundo que perguntava sobre a série. Enfim, tomara que corrijam isso ainda.

Eu acho que o humor funciona melhor se for equilibrado com partes mais sérias, como foi em Orb. Mas, só vendo mais alguns episódios pra saber se vai dar vontade de continuar acompanhando.

Valeu! Abraços!

Venancio Souza disse...

Ultraman R/B começou muito bem! Vi muitos fãs reclamarem do ''humor exagerado'' na série, mas eu sinceramente gostei desse tom mais leve e mais família que a Tsuburaya está apostando nessa série. Sinto que ainda há muitos mistérios a serem desenvolvidos e isso nos deixa com uma grande expectativa. Sobre o licenciamento da série aqui no Brasil, não sei se a Crunchyroll ainda vai adquirir a série, mas a Tsuburaya já afirmou acordo para exibição na Netflix Japan, Amazon Prime Vídeo e no canal francês J-One. Parece que dessa vez ficamos para trás, mas espero estar errado. Saindo dessas plataformas, a Tsuburaya adicionou legendas em inglês para o primeiro episódio em seu canal oficial no Youtube. O bom é que sabemos que ela continua visando expandir a franquia. Vamos aguardar pelos próximos episódios dos irmãos Ultraman!

Alexandre Nagado disse...

Olá, Venancio!

Sim, também gostei do humor das cenas de luta, mas o elenco ainda precisa me convencer, pois não gostei muito de nenhum dos personagens. A equipe SSP de Orb era mais engraçada e espontânea. Bem, não devemos comparar tanto, pois R/B ainda pode evoluir muito.

E que informações legais você trouxe, obrigado! Este blog tem a honra de ter leitores que não só trazem opiniões embasadas, mas também acrescentam mais conteúdo ao post. Com legendas em inglês, muita gente mais vai poder entender melhor.

Valeu! Apareça mais por aqui!
Abraço!

Aniki disse...

Não vou negar que a primeira impressão que tive é que R/B seria a versão Ultra de Bicrossers. Pelo menos no quesito irmãos e família, mas o irmão mais novo que é o universitário.

Ainda há muito a ser apresentado e as partes cômicas na luta me fizeram lembrar de outras situações envolvendo Ultras. Talvez isso não se mantenha, conforme a compreensão de ambos sobre a luta a vir pela frente e o amadurecimento mútuo dos heróis.

E já que estamos falando de Ultras, o show Ultraman realizado no Anime Friends no último final de semana foi excelente. Uma apresentação teatral simples, mas eficiente. E dava pra notar alguns trintões, quarentões e cinquentões com lágrimas nos olhos. A exposição de alguns itens originais das filmagens também valeu a pena.

Grande abraço.

Bruno Seidel disse...

Eu confesso que esse ano estou mais "devagar" para acompanhar séries de Tokusatsu, o que faz muito tempo que não acontece. Parei com Build e Lupinranger Vs. Patranger antes do décimo episódio já faz mais de mês e não retomei desde então. E o B/B eu sequer cheguei a ver ainda. Talvez seja culpa do excesso de compromissos que estou assumindo ultimamente.

Mas, mesmo não tendo assistido à série, devo dizer que compactuo com a impressão do Aniki: uma versão "Ultra" de Bicrossers. huehuehuehueheue! Aliás, lendo o post aqui fica ainda mais clara essa sensação, principalmente pelo fato da história ter um tom mais "leve" e girar em torno de dois irmãos (das cores vermelha e azul).

Sobre a música de abertura, devo dizer que não me "fisgou" de primeira. Mas ouvindo mais vezes e acompanhando o clima da série essa sensação talvez mude. Uma pena não terem chamado a Voyager ou mesmo a Katokutai nessa.

Grande abraço! o/

Alexandre Nagado disse...

Fala, Aniki. Queria ter visto a exposição e o show dos Ultras. O canal Web Repórter News fez uma gravação bem legal do Anime Friends. Confira:
https://youtu.be/5z8W-Mrxjig

Falou! Abraços!

Alexandre Nagado disse...

Olá, Bruno!

Ainda não fiquei empolgado com R/B, mas estou bem curioso pra ver Orb Dark. Acho que aí é que a série pode decolar.

E a abertura é simpática, alto astral, mas também não empolgou.

Vamos ver se melhora.
Abraço!