terça-feira, 13 de março de 2018

GIRLFRIEND - Princesas do Rock

Conheça uma banda de meninas que faz um rock vigoroso e empolgante e até já tocou na trilha sonora de um cultuado animê.
Da esquerda p/ a direita: Mina, Mirei, Sakika e Nagisa.
No segundo maior mercado fonográfico do mundo, a qualidade é decorrente da grande quantidade de artistas em atividade. As gravadoras fazem audições para montar inúmeras bandas e artistas pré-fabricados, com ênfase no apelo visual. Mas também há muito espaço para as gravadoras garimparem talentos no circuito alternativo. Uma dessas bandas, que está construindo uma sólida carreira no chamado mainstream, é a GIRLFRIEND.

Formada em  pelas estudantes Sakika (voz e guitarra), Mina (baixo e voz), Nagisa (guitarra e voz) e Mirei (bateria e voz), a banda faz um rock alegre, com personalidade própria e melodias vibrantes. 
Divulgação do álbum de estreia e do encerramento da atual turnê.
A mais velha do grupo é Mirei, com 18 anos, enquanto a mais jovem é Nagisa, com apenas 16 anos. Todas são compositoras e instrumentistas talentosas, formadas pela Caless Vocal and Dance School, a mesma escola da região de Osaka que lançou a hoje famosa banda SCANDAL, que tem o mesmo tipo de formação da GIRLFRIEND. 

As meninas estrearam em dezembro de 2015, com o single independente 360. O mini-álbum Hello veio em 2016, pela plataforma digital AWA

No final do mesmo ano, conseguiram lançar o primeiro single profissional, pela LINE MUSIC/ Apple Music/ AWA. Era um single com as canções "15" e "Hide and Seek", ambas usadas como temas de encerramento do animê Sousei no Onmyouji, também conhecido como Twin Star Exorcists, que está disponível no acervo do Crunchyroll

O prestígio da banda foi crescendo rapidamente e mais dois singles seriam lançados em 2017. 
Com duas músicas na série Twin Star Exorcists, a GIRLFRIEND
começou a ser notada pelo grande público.
Já o primeiro álbum cheio saiu há pouco tempo, em 21 de fevereiro de 2018, intitulado CHOCOLATE. Atualmente elas estão em turnê promocional do CD, eletrizando plateias pelo Japão. E com presença forte no Spotify, a banda ainda tem a chance de ganhar reconhecimento internacional. 

Começando a ganhar a atenção da mídia, a banda parece seguir o caminho da SCANDAL, que foi bastante reformatada em estilo e visual desde a estreia, o que as fez perder muito de sua espontaneidade e pegada de banda de garagem. 

A GIRLFRIEND pode até seguir o mesmo caminho em sua profissionalização, mas só o material que já produziram é suficiente para dar-lhes um lugar ao Sol no disputado cenário da música japonesa. Um rock simples, divertido e espontâneo. 

Site oficial: www.girlfriend.band 

CHOCOLATE: O primeiro álbum completo
::: VÍDEOS SELECIONADOS :::

1) "Hide and Seek(nov./ 2017) - Versão curta de uma das canções do primeiro single profissional, tema de encerramento do animê Sousei no Onmyouji ~ 双星の陰陽師.


2) "Kiseki Rush" (キセキラッシュ ou "Science Rush"), o terceiro single profissional, lançado em jul./2017.


3) "Amai Yuuwake" (甘い誘惑 ou "Sweet Temptation"), de nov./2016 - Somente áudio.


4) "Silent Majority" (dez./ 2017), lançada originalmente pela banda Nogizaka 46. Agora, todas cantam um pouco, e não apenas Sakika, como era originalmente. 

4 comentários:

Usys 222 disse...

Mais um bom achado!

Hide and Seek tem um tom oriental, tanto na melodia quanto na letra, o que é condizente com o tema do desenho animado.

Mesmo com tão pouca idade elas já compõem e cantam! Eis aqui um potencial que merece ser incentivado. Só que existe esse risco de padronização ou de tentativas de se "melhorar o que já era bom", sacrificando a identidade da banda. E muitas vezes é isso o que faz com que o artista entre em declínio.

Alexandre Nagado disse...

Fala, Usys!

A GIRLFRIEND eu descobri no Spotify e algumas melodias grudaram na minha cabeça, ah ah.

A comparação que eu fiz com a SCANDAL foi feita com uma pequena preocupação. As gravadoras japonesas têm a mão muito pesada. Com a SCANDAL, além de fazer elas se portarem quase como idols, passaram a gravar composições de nomes consagrados, deixando o material mais autoral de lado. O som ficou mais limpo, passaram a fazer coreografias, deixando instrumentos de lado em alguns casos. Isso, mais o fato de que é impossível incorporar um vídeo delas sem que o mesmo seja tirado do ar rapidamente me fizeram deixar a banda de lado. Perderam o encanto que já tiveram.

A reformatação de bandas para gerar mais lucros é algo tão antigo quanto a indústria da música pop. Os Beatles se vestiam com jaquetas de couro e tinham postura de bad boy. O empresário Brian Epstein os convenceu a usar terninhos e a cortar o cabelo de modo bem alinhado, mas não mexeu na música. Isso ajudou eles a entrar no mercado americano, mais conservador que o inglês e o resultado foi o surgimento da Beatlemania que varreu o planeta.

No Japão, além de empresários controlarem a vida pessoal dos artistas, é comum que iniciantes tenham pouco espaço para compor quando chegam em grandes gravadoras. Por causa de tanta pressão, a talentosa YUI abandonou o mainstream e voltou ao circuito alternativo, montando a banda Flower Flower.

Por tudo isso, espero que os empresários tenham a sensibilidade de não querer transformar a GIRLFRIEND em funcionárias de gravadora. O potencial delas, como já pudemos constatar, é enorme.

Valeu! Abraço!

Lukan Peixe disse...

Depois do DOLL$BOXX ficou difícil para as Bandas Femininas de J-Rock me surpreender xD Mas as linhas de baixo dos clips vinculados aqui são bem interessantes e a parte da idade surpreendeu bastante, pra mim elas aparentam ter 18 à 22 anos haha

Alexandre Nagado disse...

E aí, Lukan!

Também gostei das linhas de baixo, são excelentes, bem como os riffs. A pegada da banda me conquistou.

E elas são meninas ainda. Imagine que, quando começaram, a Nagisa tinha 13 anos. Enquanto outras menininhas sonham em ser idol e ficam praticando caras e bocas na frente do espelho, elas estavam calejando os dedos na prática instrumental. O resultado está aí.

Valeu!
Abraço!