sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

Chihiro Yamamoto - Graciosa e mortífera!

Vamos conhecer a carreira da jovem e promissora estrela das artes marciais que brilhou em Ultraman Geed.
Chihiro Yamamoto e sua espada jian.
Na recente série Ultraman Geed (2017), havia uma personagem que constantemente tomava a frente das ações, ofuscando até o carismático protagonista. Era a lutadora Raiha Toba, interpretada pela atriz e atleta profissional Chihiro Yamamoto (山本 千尋)

Com apenas 1,55m de altura e 43,5 kg, ela realiza cenas de ação de impacto, com direito a chutes e giros acrobáticos no estilo dos filmes chineses de artes marciais. Nascida em 29 de agosto de 1996, em Hyogo, no Japão, ela tem pavimentado uma carreira respeitável. 

Apesar de muitas atrizes capazes de protagonizar cenas de ação difíceis terem aparecido nos últimos anos, Chihiro Yamamoto tem se destacado bem acima da média. No mundo do tokusatsu, pode ser a maior atriz de ação que já apareceu, superando até a musa Naomi Morinaga, que brilhou na década de 1980 nas séries Shaider e Spielvan

Dona de uma beleza oriental clássica, Chihiro Yamamoto
poderia ser só mais um rosto bonito,
mas está se consagrando como atriz de ação.
Chihiro não explora (ou não deixa explorarem) muito sua sensualidade, como acontecia com Naomi numa época em que diretores adoravam fazer as atrizes lutarem de minissaia pra mostrar seus atributos físicos. Mas ela é igualmente muito bonita, e com um diferencial importante no quesito ação. 

Enquanto Naomi Morinaga e outras de sua geração foram treinadas como dublês, Chihiro tem treino específico em artes marciais, mais precisamente o tai chi chuan, que é conhecido no Japão como taikyoku-ken. Ela treina desde os três anos de idade e já participou de competições e festivais de artes marciais antes de se tornar atriz, conseguindo grande destaque. 
Dos torneios de artes marciais para os filmes de ação.
Ela conquistou suas primeiras medalhas de ouro e prata em 2008, quando tinha apenas 12 anos, no Segundo Campeonato Mundial de Artes Marciais - Categoria Junior. Sua especialidade é a espada flexível chinesa jian.

Dona de uma beleza oriental tradicional, ela estreou discretamente em 2013, na série Jikuu Keisatsu Wecker 1983. Em 2014, já brilhou como atriz principal no filme Uzumasa Limelight. Em 2015, foram mais dois filmes, Shinsengumi of The Dead e Chanbara - The Art of Japanese Sword.

De lá para cá, além de participações em comerciais, atuou em várias produções de tokusatsu, como participações em dois episódios (29 e 30) da série Ninninger (2016) e no filme Kamen Rider Generations: Dr. Pacman Vs. Ex-Aid and Ghost with Legend Rider (2016). 
Chihiro Yamamoto e Mayu Hasegawa, a agente Moa Aizaki, sua
colega de elenco em Ultraman Geed. Com duas musas disputando
sua atenção, Riku Asakura é o Ultra mais sortudo de todos os tempos!
Em Brave Storm (2017) foi uma das protagonistas do filme que trouxe novas versões dos heróis Red Baron e Silver Kamen, heróis da antiga produtora Senkosha. O filme deve ter continuação em breve, trazendo de volta outro clássico, o Iron King

No mesmo ano, veio a grande chance para consolidar sua carreira, participando do elenco fixo de uma série de TV semanal, que seria o mais recente sucesso do estúdio Tsuburaya Pro. 

Em Ultraman Geed, sua personagem Raiha Toba era uma jovem em busca de uma vingança que, quando a consegue, demonstra grande compaixão. Em Geed, suas habilidades renderam poucas, porém boas cenas de ação, mas foi nessa série que ela demonstrou muito talento e sensibilidade, evoluindo mais ainda como atriz dramática. Ela também está no filme para cinema de Geed, a ser lançado em março no Japão. 

Ainda muito jovem, ela tem tudo para se equiparar aos grandes nomes do tokusatsu e filmes de ação japoneses, como Kenji Ohba, Hiroshi Watari ou Junichi Haruta. Basta que deem espaço para ela. 

Ao que parece, nada detém Chihiro Yamamoto. E ela está só começando. 


::: VÍDEOS SELECIONADOS :::

1) Aqui, Chihiro Yamamoto participando do festival 2012 World Junior Wushu Champ. Na ocasião, ela conquistou uma medalha de ouro e duas de prata.



2) Um divertido comercial da Yahoo feito em 2015, com um pobre estudante suando para entregar sua declaração de amor para uma garota que não quer saber dele. O coitado devia ter enviado um e-mail...



3) Chihiro Yamamoto interpretando a sensual vilã Ageha Takeda, no filme Kamen Rider Generations: Dr. Pacman vs. Ex-Aid and Ghost with Legend Rider (2016).




4) Seu principal papel até hoje, como a implacável Raiha Toba, em Ultraman Geed.





::: E X T R A :::

Zatoichi vs ?

Aqui, um curta independente que foi lançado em dezembro de 2017. Chihiro Yamamoto é um dos destaques do vídeo, no papel de uma mensageira que precisa cumprir uma missão e é perseguida por ninjas superpoderosos. O honrado e hábil espadachim cego Zatoichi surge em seu caminho e se confronta com um misterioso samurai que não é exatamente humano. 



Zatoichi é um personagem ficcional famoso no Japão. Criado em 1962, teve uma série de 26 filmes para cinema até 1989 e uma série de TV entre 1974 e 79, com 100 episódios. Ficou eternizado no imaginário japonês, juntamente com seu ator, Shintaro Katsu

Em 1989, foi adaptado no filme Fúria Cega (Blind Fury), estrelado por Rutger Hauer. No Japão, Zatoichi foi refilmado em 2003 por Takeshi Kitano, que também interpretou o papel principal. Em 2010, novo filme trouxe Shingo Katori como o espadachim cego. 

O personagem é mais do que consagrado no Japão, por isso a aparição dele e o confronto com o samurai misterioso foram empolgantes. 

O curta foi concebido e dirigido com espírito de fanfilm por Junya Okabe, que já trabalhou com Chihiro Yamamoto no filme Brave Storm. Foi só uma forma do diretor homenagear o criador de Zatoichi, o escritor Kan Shimozawa, na ocasião dos 50 anos de seu falecimento e também relembrar os 20 anos de falecimento do ator que se consagrou com o personagem, Shintaro Katsu. O terceiro homenageado do vídeo é um personagem famoso da cultura pop americana. 

Não vou contar mais nada para não estragar a surpresa. Assista até o fim, que é MUITO legal! 

12 comentários:

andre disse...

Caramba! Ela é impressionante! Espero q ela protagonize mais filmes e séries ! Mas fico pensando : Será q não seria melhor ela tentar a sorte em Hong Kong tal qual a Yukari Oshima fez ? Até pq ela possui um perfil adequado p/ isso,até mais q a Rina Takeda na minha opinião... Mas já q ela é japonesa ,vamos torcer p/ q a tratem c/ a grandeza q ela merece!

Alexandre Nagado disse...

Olá, Andre!

Sim, ela é excelente e teria em Hong Kong um espaço muito maior, visto que a produção de filmes lá é mais intensa que no Japão. Mas não sei se ela tem esse objetivo, ou se ela pensa em investir mais na carreira de atriz dramática em seu país mesmo.

Mas, tomara que ainda vejamos ela em mais produções tokusatsu. O interessante é que ela já atuou nas principais franquias: Ultraman, Kamen Rider e Super Sentai. O que será que vem por aí, depois do Geed e, talvez, da continuação de Brave Storm?

Valeu! Abraço!

Usys 222 disse...

Chihiro Yamamoto é atriz de talento! Como dá para ver quando ela muda de heroína em Ultraman Geed para vilã em Kamen Rider Generations. A expressão é totalmente diferente. Em Geed é mais suave e em Rider Generations é bem fria.

E realmente ela é dotada de uma beleza tipicamente oriental. Que funciona tanto em filmes ambientados no Japão quanto na China e ouso dizer até mesmo na Tailândia. Como deu para ver nesse filme do Zatoichi e em outro que é adaptação do mangá Kingdom, que se passa na China. (demonstração: https://www.youtube.com/watch?v=uh29DWi21Bg ; quem souber ler japonês, nem veja os comentários. São enojantes, feitos por quem não sabe o que são artes marciais)

Se depender do Koichi Sakamoto, ela provavelmente vai ganhar muito mais papéis, que noto que dá bastante força para quem trabalhou com ele. E Chihiro Yamamoto é muito mais que merecedora! Se bem que ela consegue mesmo sozinha.

Esse filme do Zatoichi tem que ver sem saber muita coisa para ter graça. Excelente trabalho do Junya Okabe! E vi que o Zatoichi é interpretado pelo Shun Sugata, o Kamen Rider ZX! Essa foi outra surpresa! Ah, e antes que alguém diga alguma coisa, o nome do diretor é Junya (ou Jun'ya, como queira) mesmo. Nagado está correto. Não é "Nobuya", como aparece no Google.

Ricardo disse...

Matéria muito boa, Nagado. Até agora só vi a participação da Chihiro em sua participação em Ninninger. Ela não teve muita chance de mostrar seu talento na série, mas chamou a minha atenção pela beleza e carisma.

Já tinha lido comentários – alguns seus mesmo - sobre a presença dela em Geed, e estou curioso para vê-la em um papel regular em uma seriado. Com certeza o Sakamoto deve ter explorado bastante as habilidades marciais da jovem. Pretendo correr atrás das outras produções citadas por você.

A abertura do seu texto mencionando a Naomi Morinaga me fez pensar um pouco sobre o uso de artes marciais no tokusatsu. Acredito que o período em que os atores e atrizes do gênero foram menos exigidos nesse tipo de cena foi mais ou menos entre 1995 e 2005. Foram poucas as ocasiões nessa época em que vimos cenas de ação mais elaboradas com os atores (menção honrosa para Gransazer, que investiu mais nesse filão). Não que isso seja um demérito – em séries como Kuuga ou Agito seria até estranho se os protagonistas fossem mostrados como grandes lutadores.

De lá para cá começamos a ver paulatinamente mais sequências em que vemos os atores se batendo com soldados e monstros inimigos – claro que bem longe do que víamos nas séries das décadas de 70 e 80, mas ainda assim um avanço. Em uma análise rápida acho que a estreia de Garo,uma obra que se apóia bastante em cenas de combate dos personagens e a volta do Sakamoto ao Japão podem ter influenciado outros diretores nessa direção.

Nessa “retomada” dá para destacar três nomes. Primeiro a Nao Nagasawa, certamente a mais prolífica atriz de tokusatsu do século. Quando interpretou a Nanami/Hurricane Blue em 2002 ela se portou como as outras atrizes da época, sem maior destaque nesse sentido. Mas em aparições posteriores ela mostrou uma maior intimidade com cenas de ação, como em Hurricaneger 10 Years After, os filmes Travelers (dirigido pelo Sakamoto) e Kamen Rider I.

Outra é a Mayu Kawamoto, que deu vida à Tammy em Uchuu Keiji Shaider Next Generation e Space Squad Episode 0: Girls in Trouble, personagem que é uma claríssima homenagem à Annie da Naomi Morinaga. Ela também é versada em artes marciais, e foi um espetáculo à parte em suas aparições. Torço para que ela ainda retorne.

Mas a principal – ao menos até a chegada da Chihiro – é a Minami Tsukui. Formada pelo JAC, teve uma pequena participação em Kamen Rider W, mas chamou mesmo a atenção em Kamen Rider Gaim, quando interpretou Yoko Minato/Kamen Rider Marika, com ótimas cenas de combate (destaque para uma sequência no especial Kamen Rider Knuckle, em que ela invade um apartamento fazendo rapel – impossível não lembrar de nomes como Kenji Ohba nesse momento). Ela foi “adotada” pelo Sakamoto e trabalhou nos episódios 12 a 14 de Ultraman X como a vilã Gina, e em Girls in Trouble como Maki – onde teve uma grande cena de combate com a Kawamoto.

Espero que essa tendência continue, e que possamos ver mais vezes a combinação de beleza, graça e força dessas atrizes.

Alexandre Nagado disse...

Fala Usys!

O ator do Kamen Rider ZX é o Zatoichi do curta? Essa passou batido. E ele fez um grande trabalho de construção do personagem!

A Chihiro Yamamoto é uma atriz que realmente incorpora o personagem. A forma como o olhar e a postura mudam é digna de uma grande artista. E a movimentação dela impressiona pela leveza. Realmente, já é um dos grandes nomes em matéria de filmes de ação no Japão. E obrigado por confirmar o nome do diretor. Esse é outro nome a se prestar atenção futuramente.

Valeu! Abraço!!

Alexandre Nagado disse...

Fala, Sr. Ricardo!

Excelente resumo dos principais nomes femininos japoneses em matéria de cenas de ação e artes marciais em tempos mais recentes.

Girls in Trouble foi um dos melhores trabalhos do Sakamoto em termos de cenas de ação com intensidade. Parece que atualmente o tokusatsu tem voltado a valorizar atores que sabem fazer cenas de ação. Isso dá uma outra dinâmica às histórias.

Falou! Grande abraço!

Bruno Seidel disse...

Aparentemente, a Chihiro se tornou uma das queridinhas do Koichi Sakamoto, principalmente pelo seu papel de destaque no filme Kamen Rider Generations: Dr. Pacman vs. Ex-Aid and Ghost with Legend Rider e, mais recentemente, com Laiha Toba em Ultraman Geed. Quem já assistiu a essas duas produções certamente ficou impressionado com a versatilidade e o talento dela como atriz, além da impressionante habilidade como artista marcial.

Eu não sabia desse seu passado como atleta profissional e fiquei ainda mais encantado com o seu talento. Esse tipo de trabalho de pesquisa a fundo e além do óbvio é o tipo de coisa que torna o Sushi Pop um blog diferenciado.

E achei incrível também esse comparativo traçado pelo Ricardo, mencionando as principais atrizes de Tokusatsu da última década. No que temos atualmente, eu adicionaria a Mikie Hara a essa lista pelo seu recente papel como Benikina em Space Squad e Girls in Trouble, além de Cutie Honey e Hurricane Polimar. Outra que merece créditos na atualidade é a Yukari Taki, que atualmente faz a Sawa Takigawa em Kamen Rider Build, mas tbm teve papel de destaque em Ultraman Ginga S, no filme do Gavan (2012) e no movie do Kamen Rider Accel.

Tomara que a Chihiro continue dano as caras em mais filmes/séries de Tokusatsu e se torne uma figua carimbada assim como a Nao Nagasawa. Eu particularmente acho que ela já conquistou seu espaço e superou a própria Naomi Morinaga em termos de talento. E olha que ainda tem muuuuito chão pela frente.

Anônimo disse...

De: Marcos
Para: Alexandre Nagado

É bem interessante saber que franquias como Ultraman e Kamen Rider estão servindo de "trampolim" para diversas atrizes. Muitas estão saindo do tokusatsu e ganhando destaque em outros gêneros de cinema.
Alguns exemplos:

Fumika Shimizu: seu papel mais importante em tokusatsu foi a atrapalhada Yuki Jojima de Kamen Rider Fourze, em que ela praticamente não lutava. Em 2017, participou de seu primeiro grande blockbuster, Tokyo Ghoul, no qual viveu a personagem Touka. Nesse filme, Fumika apresenta muita desenvoltura em artes marciais e uma personalidade completamente diferente da Yuki de Fourze. Bem legal ver esse crescimento da atriz.

Hikari Mitsushima: sou suspeito para falar dela (rs). Bem, ela é a prova viva de que idols são capazes de atuar (e muito bem) se focarem nessa carreira. Começou em tokusatsu aos 11 anos, no filme Rebirth of Mothra II, seguindo para Ultraman Max, aos 19, em que interpretou a androide Elly (podemos dizer que foi um papel bem apagado), um personagem fixo na série. Daí, partiu para os blockbusters japoneses de Death Note em 2006. Em 2009, aos 23 anos, ganhou reconhecimento por ter interpretado a personagem Yoko no controverso Love Exposure, de 4h de duração, do controverso diretor Sion Sono (o único filme em que Hikari apresenta habilidades de luta). A moça ganhou prêmios de atuação, nacional e internacional, por causa desse filme. Atualmente, além de ser uma atriz premiada, é muito respeitada no meio artístico, tendo recebido a honraria de Musa do Cinema Japonês (assim como outras três leoas: Sakura Ando, Yu Aoi e Aoi Miyazaki) no 30° Festival Internacional de Cinema de Tóquio em 2017. Ah! Ela também canta (já havia mencionado em outro post), e tem uma voz bem doce.
Na minha opinião, a Hikari atua tão bem quanto os equivalentes hollywoodianos (às vezes, até melhor).

Se Chihiro Yamamoto deseja ser "musa" do tokusatsu dessa era, ou vai querer uma carreira similar à de Hikari Mitsushima, só o tempo dirá. Por parte de certos diretores, noto que há uma vontade de dar "asas" a ela.

Quanto ao "Zatoichi vs ?", também houve o filme Ichi, de 2008, em que o personagem era uma mulher. A belíssima e versátil Haruka Ayase (outra atriz que sou suspeito para falar) dá vida a Ichi, uma espadachim cega e letal, tal qual o personagem de Rutger Hauer em Blind Fury. Esses dois foram os únicos filmes que assisti com base no Zatoichi.
No vídeo, noto que Zatoichi não é a única influência. Também há muita coisa das séries de filmes do Lobo Solitário, bem como Samurai X (tanto a trilogia live-action quanto o anime), além de outras coisas bem óbvias.

Alexandre Nagado disse...

Fala, Bruno!

A safra atual de atrizes de ação está muito boa, a melhor de todos os tempos. A grande contribuição da Chihiro Yamamoto acaba sendo na parte da estética e da beleza de movimentos das artes marciais. O primeiro vídeo da seleção do post é praticamente ginástica olímpica com armas. Isso tem muita similaridade com a escola chinesa de filmes de ação.

Não duvido que daqui pra frente os diretores dêem ênfase nesses aspectos também. Logo saberemos.

É isso. Obrigado pela força de sempre! Abraço!

Alexandre Nagado disse...

Fala Marcos!

Cara, fico muito contente por ter leitores que enriquecem as postagens com tanta informação nos comentários.

Por treinar desde os três anos e ser medalhista em várias competições, acho que a Chihiro ainda vai investir muito em filmes , ação. Acho inclusive que ela tem potencial para fazer filmes na China ou nos EUA, pois é uma combinação muito forte de beleza, talento para a interpretação e habilidades de luta impressionantes.

E sobre o curta do Zatoichi, aqueles ninjas me lembraram a Juppon Gatana, da série do Kenshin. Achei tudo muito empolgante.

Obrigado pela participação e até a próxima.

Abraço!

Thiago Paulini disse...

Nossa!

Além de linda ela é muito talentosa!
Se eu fosse praticar o que ela faz com a espada eu cometeria um haraquiri involuntário!

AS cenas de ação dela são magníficas!

Alexandre Nagado disse...

Olá, Thiago!

Realmente, ela tem um diferencial enorme, por ter sido atleta de competições. Hoje há várias atrizes capazes de boas cenas de ação, mas Chihiro está um degrau acima, pela beleza plástica de sua movimentação. E, é claro, por um dos rostos mais bonitos da mídia japonesa.

Falou! Abraço!