terça-feira, 30 de janeiro de 2018

The Legend of Zelda: Ocarina of Time ~ Perfect edition

Capa da edição nacional,
apresentando o herói Link.
Em uma pacata vila do reino mágico de Hyrule, vive um garoto chamado Link, membro do povo Kokiri. Ele é o único dos kokiri que não é acompanhado de uma fada, pelo fato de não ser natural do lugar. Fugindo de uma perseguição, pouco antes de morrer, sua mãe o deixou aos pés da grande árvore falante Deku, considerada protetora e sábia conselheira dos Kokiri. Mas o reino de Hyrule e todo o mundo correm um grande perigo. 

O poderoso e traiçoeiro Ganondorf, conhecido como o Rei Negro do Povo do Deserto, almeja conquistar toda a civilização. Para cumprir seu objetivo, ele busca o poder absoluto que poderá conseguir se reunir o lendário artefato Triforce, formado por três Jóias Espirituais. 

O inimigo está infiltrado no castelo onde vive a bondosa Princesa Zelda, que possui a Ocarina do Tempo. Uma ocarina é um tipo de flauta e Link também possui uma, presente da amiga Saria. A Ocarina do Tempo de Zelda deverá ser tocada em frente a um antigo templo por quem reunir as três Jóias Espirituais. Somente assim o ritual de invocação do poder estará completo. Se caírem em mãos erradas, a Triforce e a Ocarina do Tempo podem significar o fim da paz em Hyrule e em todo o mundo conhecido. 
Capa de edição japonesa com a fase
em que Link aparece como criança. 
Inicialmente sem saber de quem se tratava, Link conhece a bela Princesa Zelda e logo eles ficam muito próximos. O garoto se decide a reunir as cobiçadas jóias para proteger o reino. Para a missão, é acompanhado pela cintilante - e geniosa - fada Navi, que é vista apenas como uma esfera de luz com pequenas asas. 

Quando Ganondorf inicia o grande ataque contra o reino de Hyrule, Zelda é levada em segurança pela sua protetora, a guerreira Impa. O paradeiro delas é desconhecido e Link parte para tentar encontrar a princesa, impedir que Ganordor consiga as jóias e salvar o reino. 

Em suas andanças, Link conhece muitas pessoas das diferentes raças do reino e encontra seres mágicos, tentando sempre ajudar quem cruza seu caminho. Alguns encontros, porém, se tornam marcas dolorosas em sua jornada de amadurecimento e da busca pela Princesa Zelda. 

Link precisa conseguir armas especiais e deverá se tornar um jovem adulto para cumprir seu destino como o Herói do Tempo. Com a transição de idade de Link, a trama se divide em duas fases distintas, com o protagonista como criança e depois como adulto. Assim é, basicamente a trama desse bom mangá de edição única lançado no Brasil pelo selo Planet Manga, da editora Panini.
Link pronto para o combate, empunhando
a poderosa lâmina Master Sword.
A arte do trabalho é boa e expressiva, sendo que a narrativa no geral é boa, mas tem alguns pulos, com certos acontecimentos sendo jogados muito rápido na trama, com poucas explicações. Em parte, isso se dá pelo fato de ser preciso acomodar muitas situações em um espaço limitado. Também se percebe que o trabalho privilegiou a arte antes da clareza narrativa. Mas, justiça seja feita, os desenhos são muito bem executados, com dinamismo e expressividade. 

Além dos dois arcos de história, há também histórias fechadas ambientadas nas duas fases distintas do personagem Link. Completando o projeto editorial, há alguns esboços e estudos de personagem que são mostrados, dando um sabor especial à edição. Assim, o mangá cumpriu bem a tarefa de adaptar um dos games mais famosos da empresa Nintendo. 

The Legend of Zelda: Ocarina of Time (ルダの伝説 時のオカリナ ~ Zeruda no densetsu: Toki no okarinaé um dos vários títulos da série de games The Legend of Zelda, iniciada em 1986 pela Nintendo. Grande sucesso mundial, os jogos de Zelda fizeram do destemido e inocente Link um dos heróis mais queridos dos games. Em 1992, teve seu jogo Zelda: A Link to The Past adaptado em mangá pelo grande mestre Shotaro Ishinomori
A bela Princesa Zelda, do reino
 de Hyrule (fase adulta).
O jogo Ocarina of Time foi lançado originalmente em 1998 para a plataforma Nintendo 64, sendo que teve uma versão 3D lançada em 2011 para o Nintendo 3DS. A presente adaptação em mangá, que tem suas diferenças em relação ao jogo, foi iniciada em 1999 e ficou a cargo de Akira Himekawa, que na verdade é o pseudônimo de uma dupla, não de uma pessoa só. 

Conhecidas no meio editorial apenas como Honda A e Nagano S, possuem um trabalho de alto nível técnico. Além de outras histórias da franquia Zelda, elas já produziram uma versão do clássico Astro Boy e até da série americana My Little Pony. 

O trabalho em Ocarina of Time foi compilado originalmente em duas partes (fase da infância e fase adulta) e depois foi reunida em uma edição única de luxo, que serviu de base para a versão brasileira, um pouco mais simples que a original. 
O jogo teve uma versão em 3D, para o Nintendo 3DS, em 2011.
Com mais de 380 páginas, a edição lançada pela Planet Manga / Panini tem 18 páginas coloridas, sendo 14 delas com o início da história. O material é graficamente de encher os olhos, com uma boa impressão. A capa em papel cartão tem orelhas e o título vem em letras douradas. É uma edição muito bonita, sem que seja excessivamente luxuosa, o que iria encarecer o produto. Pelo contrário, o preço está bem convidativo se levar em conta o volume de conteúdo e o fato de ser edição única. 

Mesmo com as limitações já comentadas, é um trabalho de grande qualidade técnica e editorial, desses que dá gosto colocar na estante de livros. Pra quem curte os games de Zelda, é item essencial de colecionador. O mesmo pode ser dito para quem aprecia uma boa e despretensiosa aventura cheia de ação, humor e drama. 
Link no traço elegante de Akira Himekawa. 
The Legend of Zelda: Ocarina of Time ~ Perfect edition

Roteiro e desenhos: Akira Himekawa (site oficial)
- Baseado em jogos e personagens da Nintendo Co. Ltd.

Formato: 15 x 21 cm, com 384 páginas
Total: Volume único
Lançamento no Brasil: Dezembro de 2017
Editora: Planet Manga / Panini Comics 
Preço: R$ 29,90
Classificação indicativa (sugerida): Livre


5 comentários:

Usys 222 disse...

Interessante publicarem esse mangá por aqui, mesmo sem ser em conjunto com o lançamento de algum jogo da série.

Creio que seja compreensível a narrativa ser um pouco truncada, pois o público-alvo principal são aqueles que já jogaram e conhecem a história. Com isso eles podem fazer as complementações de lacunas. Ainda mais vendo que a história é fiel ao jogo, diferente da versão mangá de Pokémon, que teve algumas mudanças em relação ao original. Mas pelo que posso ver na resenha, quem nunca jogou também pode ler sem muitos problemas. E quem sabe procurar pelo jogo?

Legend of Zelda é um clássico e creio que fãs ficarão deslumbrados, ainda mais com esse requinte no material. O preço também é razoável. E me esqueci de mencionar, mas foi uma surpresa saber que Shotaro Ishinomori também havia feito uma quadrinização.

Alexandre Nagado disse...

Fala, Mr. Usys!

Pois é, funciona sim para quem não joga videogame. Que é o meu caso, eu não jogo nada. A única coisa que eu percebo é que realmente parece que o Link vai "passando fases" pra reunir as jóias, evolui para enfrentar o Ganondorf e por aí vai. Imagino que, para quem jogue Zelda, seja uma experiência até mais divertida. E pode ser que desperte a curiosidade em muitas pessoas para jogar os games da série.

Achei um bom produto, uma obra comercial executada de modo vibrante. Precisamos de mais títulos assim.

Falou! Abração!

Alexandre Nagado disse...

Oi, pessoal.

Queria deixar um registro, que cabe mais aqui nos comentários do que no post. Entreguei Zelda para que minha filha de 10 anos lesse. Ela simplesmente adorou, leu tudo em poucos dias e ficou empolgada com os personagens. É uma opção de leitura para pessoas de qualquer idade.

Stefano Barbosa disse...

Soube que Ishinomori também em mangá Zelda.

Alexandre Nagado disse...

É verdade, Stefano.

Foi uma adaptação do game "The Legend of Zelda: A Link to The Past", em 1992. Tenho curiosidade de ver esse material.

Abraço!