segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Anime Songs e J-Pop na Luta Contra a AIDS

Grandes astros das anime songs e do J-Pop vão participar de shows em prol de uma ONG dedicada a combater o avanço da AIDS no Japão.
No Japão, os grupos JAM Project, FLOW e fhána irão participar de shows em prol da organização AAA - Act Against AIDS. Trata-se uma ONG japonesa surgida em 1993 que engaja artistas e pessoas da indústria do entretenimento em campanhas de conscientização e oferece apoio aos doentes e infectados. 

É uma tarefa complicada em um país com indústrias de pornografia e sexo gigantescas e inúmeros tabus para se falar do assunto. Isso fora a erotização cada vez mais precoce, desenfreada e sem orientação alguma promovida pela mídia. 

Capa do single
de 1996, em
favor do AAA.
De acordo com a própria AAA, o Japão é o único dos chamados países desenvolvidos onde os casos de contaminação por HIV têm aumentado a cada ano, com milhares de japoneses já convivendo com a doença. Eles também promovem ações voltadas para crianças doentes nos países de Romênia (Europa) e Laos (Ásia). 

A entidade oferece apoio a famílias com crianças portadoras do vírus HIV, promovendo ações de apoio e valorização da vida e tem um trabalho voluntário importante, que é cada vez mais valorizado. 

Apesar de pouco conhecida no ocidente, a organização faz grandes eventos no Japão, sempre trazendo artistas populares de variados estilos, atraindo com isso vários tipos de público para apoiar a causa. Este ano, o foco maior está nos temas de animê, as anime songs ou anison. E esta não é a primeira vez em que artistas de trilhas sonoras se envolvem com o projeto. 

Em 1996, a canção Brave Love, Tiga, do coletivo Chikyu Boueidan (ou "Força de Proteção da Terra"), foi um dos primeiros temas de série usados para reverter fundos à causa do AAA. A música foi o tema de encerramento da série Ultraman Tiga (1996~97) e é bastante lembrada até hoje pelos fãs. Foi a primeira vez que uma série tokusatsu emprestou sua popularidade para uma campanha desse tipo. 

A entidade promove diferentes tipos de evento com artistas famosos e queridos pelo público, mas a principal ação é sempre envolvendo música. 


JAM Project
O mais importante dos participantes, o JAM Project, foi formado em 2000 por cantores especializados em temas de animê e tokusatsu. Sua filosofia é manter a tradição das anime songs que têm ligação com a série, indo na contramão de produções que usam música pop sem relação alguma com o enredo. Tudo isso com muito rock´n roll e vocais poderosos. 

Depois de várias mudanças de formação, o JAM conta atualmente com dois membros fundadores, Hironobu Kageyama e Masaaki Endo, além de Masami Okui, Hiroshi Kitadani e Yoshiki Fukuyama. Todos têm carreira solo e como JAM Project já gravaram dezenas de temas para animê, tokusatsu e games, incluindo Soultaker, Tomica Hero: Rescue Fire, Bakuman, One-Punch Man, Super Robot Taisen e outros. 
FLOW
Outro grupo famoso, o FLOW, é bastante conhecido pelo público japonês graças a "Go!!!" e "Re:member", respectivamente a quarta e a oitava abertura do animê Naruto. Mas eles têm vários outros temas de game e animê no currículo, como as canções para Eureka Seven, Persona: Trinity Soul, Naruto Shippuden e outros. 

Formado em 1998, o FLOW tem os talentos de Keigo Hayashi (vocais), Kôshi Asakawa (vocais e guitarra), Takeshi Asakawa (guitarra), Yasutarô Gotô (baixo) e Hiroshi Iwasaki (bateria). Com muito rock e hip-hop, eles são respeitados no cenário do J-Pop em geral, não apenas trilhas sonoras, e arrastam uma legião de fãs por onde passam. Para o evento, foram cedidos pela gravadora Ki/oon Records.
fhána
O menos conhecido dos grupos participantes atende pelo nome fhána (assim mesmo, com minúsculas) e é egresso do cenário alternativo. Foi formado em 2012 e desde 2013 é contratado pela gravadora Lantis, a mesma do JAM Project. 

O fhána é formado por Towana (vocais), Junichi Satô (teclados e vocais), Yuxuki Waga (guitarra) e Kevin Mitsunaga (sampler e tekkin, um tipo de xilofone de metal). O fhána estreou em 2012 e tem vários temas de animê no currículo, incluindo Wonder Stella, calling, Kobayashi-san Chi no Maid Dragon e Haruchika, entre outros. 

Em 26 de novembro, acontece a etapa da cidade de Sendai, com os grupos FLOW e fhána. Depois, em 1 de dezembro - Dia Mundial de Luta Contra a AIDS, acontece o evento principal, com o JAM Project, na cidade de Tokyo. É o Anison AAA vol. 6 - Act Against AIDS 2017.

A iniciativa é louvável, ao utilizar não apenas artistas populares, mas em engajar a indústria de entretenimento em uma ação tão importante. Mais trabalhos assim precisam ser feitos, no mundo todo. É muito bom ver artistas engajados em causas nobres e usando sua arte para ajudar uma entidade que tem uma difícil tarefa a cumprir. 

Site oficial: actagainstaids.com/en/ (em inglês)


::: Vídeos dos participantes do AAA 2017 :::

"THE HERO!!" - JAM Project
- Tema do animê One-Punch Man, um dos grandes sucessos recentes da banda. 




"Go!!!" - FLOW
- Quarta abertura de Naruto, é um dos grandes hits da banda. Distanciando-se do animê, o clipe oficial é uma sátira ao clássico filme O Exterminador do Futuro 2



"Aozora no rhapsody" - fhána
- Abertura de um animê pouco conhecido, o Kobayashi-san chi no Maid Dragon.



::: E X T R A :::

- "Brave Love, Tiga" - Acústico ao vivo (2000)
Da esquerda para a direita na tela: Hironobu Kageyama, Mitsuko Horie, Takayuki Miyauchi, Akira Kushida e Ichirou Mizuki. Uma grande reunião de astros para o show Super Hero Spirits, de 2000. A gravação original, do Chikyu Boueidan (1996), foi uma das primeiras ações do AAA ligada a temas de séries. 



Super Hero Spirits 2000 - ALL CAST - Brave LOVE... por RoselleAmos 

4 comentários:

Bruno Seidel disse...

Essa versão de "Brave Love Tiga" gravada durante o Super Hero Spirits 2000 é mesmo de arrepiar. Eu tenho o DVD desse show e sempre me empolgo quando assisto a esse timaço de feras cantando essa música no formato acústico. Sensacional!!

Com relação ao tema (Aids), realmente um grande tabu. Não sabia dessas estatísticas envolvendo o Japão, o que me deixou bastante assustado!

Eu cresci na década de 1980, época em que o assunto "Aids" ganhou um destaque feroz nos meios de comunicação. Já conheci pessoas que se foram por causa da doença e confesso que até hoje tenho medo de ser contaminado por causa de algum "descuido" (houve uma época em que diziam que até beber no mesmo copo que um soropositivo poderia propagar a doença, o que é uma grnade bobagem). Felizmente, hoje existem meios de comunicação confiáveis e perfeitamente acessíveis que se encarregam de informar as pessoas.

Alexandre Nagado disse...

Fala, Bruno!

Essa informação da AAA sobre o Japão ser o único país desenvolvido onde a AIDS só cresce é alarmante mesmo. Eles não divulgaram números (talvez para não criar pânico), mas eu acho que certas informações devem ser divulgadas pra assustar mesmo e assim gerar ação.

Veja, no Japão é tabu até beijar em público, mas por baixo dos panos, a coisa é diferente. Lá, o aborto é permitido a qualquer tempo da gravidez, o que é uma abominação e criou uma cultura de que não precisa nem evitar gravidez. "Qualquer coisa é só abortar", pensam muitos, esquecendo-se que a mesma relação que pode causar uma gravidez indesejada também pode contaminar com HIV. O resultado de tanta "liberdade" é esse quadro que a AAA tenta reverter. E eu acho fabuloso que muitas ações envolvam astros de anime songs. O evento desse ano é o sexto com anime songs. Mas espero que os artistas falem sobre o tema HIV durante os shows. Senão, o povo vai só pelo show e nunca para pra pensar.

E a "Brave Love, Tiga" é uma música muito legal mesmo. A original, essa do Super Hero Spirits, uma outra só com Ichirou Mizuki e Takayuki Miyauchi e a mais recente, da Katokutai. Gosto de todas elas. U

Valeu pela participação! Abraço!

Usys 222 disse...

Ouvi falar da AAA pela primeira vez em Brave Love Tiga mesmo. E não me lembro direito, mas acho que vi outras atividades deles diversas vezes.

São surpreendentes esses números tão grandes sobre a AIDS no Japão. Principalmente tendo em mente uma imagem do país em que as coisas parecem ser tão rígidas. Mas pensando bem, os japoneses contam com várias opções de entretenimento sexual (falando rápido, prostituição) bastante acessíveis, ora informais como o Enjo Kousai e o Kami Machi, ora como estabelecimentos comerciais de fachada, como os Pink Salons e até mesmo atendimento a domicílio, como os Delivery Health. Sendo assim não é tão estranho que isso aconteça.

No Japão, a prostituição é algo mal visto, mas não tanto como aqui. Isso remonta desde a época dos samurais, com a figura das Oiran, cortesãs que tinham até treinamentos e códigos de conduta bem rígidos. E atualmente existe certa tolerância, ainda que nos bastidores, pois ajudaria a aliviar o estresse dos trabalhadores, que enfrentam longas e exaustivas jornadas. Tem também as esposas, que usam serviços semelhantes, uma vez que o marido não fica muito tempo em casa. É só que menores de idade acabam sendo envolvidos no oferecimento desses serviços, ora por circunstâncias ora por vontade própria mesmo, o que é bem grave.

Os esforços da AAA são louváveis e espero que a participação desses grupos musicais ajude a fazer a mensagem chegar aos jovens. Desenhos animados e séries de Tokusatsu são parte da infância de muitos japoneses e por isso cantores de temas dessas obras podem ter um impacto maior ao falar ao coração deles, por ser algo que esteve presente em suas vidas desde o início. Mas é preciso reforçar também a educação moral para que eles não caiam nesse tipo de vida.

Alexandre Nagado disse...

Usys, eu também penso assim. Não basta ficar exaltando o poder dos preservativos que, sabe-se bem, nunca são 100% seguros.

Muita coisa tem que ser repensada na conduta moral.

Deve ter muito pai de família que contraiu a doença indo em prostibulo pago pela empresa e muita adolescente que fez programa e acabou contaminada também. Os números atuais não são divulgados talvez pra não arranhar a imagem do país no mundo e não criar pânico perto da Olimpíada. Mas o recado da AAA é claro e contundente.

Que possam ajudar a reverter esse quadro.

Valeu! Abraço!