quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Ultraman The Rocks - O Grande Álbum da Katokutai!

Ultraman The Rocks - O grande passo
da banda Katokutai!
Vinda do efervescente cenário alternativo japonês, a banda Kagaku-Tokusoutai, ou Katokutai, está dando um grande passo na carreira, com o lançamento do álbum Ultraman The Rocks, ocorrido no início de julho.

Formado por Hyouri Takahashi (voz, guitarra e violão), Moroboshi Deen (baixo e coro), Hideki Ryo (guitarra, teclados e coro), Emi Sonne (teclados, voz e baixo) e Hayata Mori (bateria), a banda pegou emprestado o nome da equipe que investigava monstros na série do primeiro Ultraman (de 1966), que ficou conhecida no Brasil como Patrulha Científica. Ainda, eles se apresentam também como SSSP, ou Science Sound Special Players, outra sigla que define a Patrulha Científica (mas na série, a sigla significava Special Science Search Party)Enquanto eles não se decidem por um nome único, vamos continuar chamando aqui de Katokutai, pra facilitar.

Fãs de tokusatsu em nível hardcore, eles começaram a chamar a atenção do público com suas covers cheias de energia de temas de super-heróis. Essa empolgação é facilmente percebida em seu álbum Ultraman The Rocks, com 13 músicas das trilhas sonoras de diversas produções da franquia Ultraman. 


A capa do álbum Ultraman The Rocks, com
um visual retrô destacando o cinquentão Ultra Seven.
Para marcar o lançamento, foi gravado um clipe oficial da nova versão do tema de Ultra Seven, com a participação do próprio herói. A direção e roteiro foram do vocalista Hyouri Takahashi, com supervisão do renomado diretor de cinema e TV, Kiyotaka Taguchi.

A primeira faixa do CD é o tema de abertura do Ultraman original, que já havia rendido um clipe belíssimo mostrado no Sushi POP no ano passado. Em seguida, entra o tema do Seven, seguido de versões inspiradas de várias produções, com ênfase nos clássicos dos anos 1960 e 70. É difícil apontar um destaque para o álbum, pois todas as faixas trazem uma grande empolgação e são igualmente bem tocadas e cantadas. 

Ultraseven no Utá - A Katokutai em ação!


A maioria das músicas é bem conhecida dos fãs, com exceção de "Cosmos Adventure", extraída de uma série de TV em animê infantil e bem fofinho dos Ultras de 1992, intitulado Ultraman Kids (Nota: Dê uma espiada no primeiro episódio aqui.). Resgatada pela Katokutai, a canção ganhou uma deliciosa versão J-pop cantada pela tecladista Emi Sonne. A banda tem, acima de tudo, qualidade e bom gosto musical em seus arranjos, mantendo ainda uma empolgação genuína e contagiante. 

O grupo tem divulgado com muito orgulho que este é seu primeiro lançamento por uma grande gravadora, do circuito profissional. Mas nem todos são tão estreantes assim. A Emi (cujo trabalho solo já foi indicado aqui) já foi baixista de uma banda chamada The Love Ningen (THEラブ人間). Eles lançaram um álbum em 2011 pela Victor Entertainment e continuam na ativa até hoje, mas sem Emi, que ficou firme na Katokutai (pra sorte dos fãs de tokusatsu).


A maior parte das canções de Ultraman The Rocks já havia sido lançada, de forma independente, em dois mini-álbuns distribuídos pela Tower Records, os títulos Ultra Grateful Hits volumes um e dois. E para esse lançamento pela gravadora Tokuma Japan Communications, cinco novas faixas foram gravadas. E com elas vieram convidados muito especiais. 
Da esq. p/ dir.: Megumi Han, Yasuhiro Fukuda e Hiroshi Kido.

A dubladora Megumi Han, fã de Ultras, canta em Ultraman Ace. Ela já havia dublado Seiji Hokuto e Yuko Minami (entre outros personagens) na versão motion comic do mangá ULTRAMAN. Atualmente, faz a voz do garoto alienígena Pega, em Ultraman Geed. A versão em tempo acelerado do tema de Ace pode causar alguma estranheza no começo, mas o dueto de Megumi e Takahashi é sem dúvida um dos pontos altos entre as versões de temas clássicos. 

Hiroshi Kido, experiente baterista que já tocou até para a milionária dupla B´z, foi convidado pela gravadora para assumir as baquetas em quatro das novas gravações. Mas o batera Hayata Mori não perdeu seu lugar, continuando firme na banda. Finalmente, o tecladista e arranjador Yasuhiro Fukuda, que tocou na versão original de "Brave Love, Tiga" em 1996, veio para participar também da versão matadora da Katokutai. 


Da esq. p/ dir.: Hayata Mori, Moroboshi Deen,
Hyouri Takahashi, um cara de vermelho,
Ryou Nakamura e Emi Sonne. 

Outra canção que teve alteração no tempo foi a canção-tema da produção nipo-americana Ultraman Powered. Em versão mais lenta, como balada mesmo, ficou muito mais bonita e emocionante. E o tema do recente Ultraman X ficou ainda melhor que o original do Voyager, com um teclado marcante e os vocais cheios de energia de Hyouri e Emi. Os arranjos puxam para o mais puro rock´n roll de guitarras, dando espaço também para sons eletrônicos e sutis efeitos de estúdio. 

Com um lançamento de alto nível, a Katokutai se habilita para saltos maiores. Quem sabe, ainda não veremos algum filme ou série Ultra com um tema original. Todos teriam a ganhar, pois o som da banda trouxe um frescor incrível a canções compostas décadas atrás, valorizando ainda mais suas melodias. 

Que eles conquistem ainda mais, pois já provaram seu valor e potencial.


ULTRAMAN THE ROCKS (Tracklist)

1) Ultraman no Utá

2) Ultra Seven no Utá
3) Kaettekita Ultraman
4) Ultraman Ace 
5) Ultraman Taro
6) Ultraman Leo
7) Ultraman 80
8) Cosmos Adventure (Ultraman Kids)
9) Ultraman Great 
10) Ultraman Powered 
11) Brave Love, Tiga (Ultraman Tiga)
12) Ultraman X
13) Ultra Q no Theme 


Compre na Play-Asia: Ultraman The Rocks (Katokutai) 

- Agradecimentos ao amigo Usys222, da Casa do Boneco Mecânico.


******************
Campanha Sushi POP no Apoia.se

Você gosta do conteúdo deste blog? Você pode apoiar a produção e continuidade do Sushi POP colaborando com a campanha do Apoia.se. A partir de R$ 5,00 mensais você contribui com a pesquisa e difusão da cultura pop japonesa e ainda ganha um desenho exclusivo. 


- Confira: apoia.se/sushipop

4 comentários:

Usys 222 disse...

Esse disco ficou muito bom, com arranjos excelentes das músicas! Fico contente em ver que gostou.

Interessante que mesmo as músicas que já eram rock ou pop originalmente ganharam uma roupagem nova nas mãos da Katokutai. O tema do Powered é um bom exemplo, como foi apontado. O do 80 tem efeitos de voz sintetizada, que simboliza bem a época do herói. E de fato a do Ultraman Kids ficou bem simpática.

Pelo visto a Katokutai veio para ficar! Também torço pelo sucesso deles e que venham mais trabalhos! Quem sabe uma participação especial no Geed, na série de TV ou no cinema. Também quero vê-los cantando o tema do Mebius e a Ultra no Kiseki.

Alexandre Nagado disse...

Fala, Mr. Usys!!

O álbum é sensacional! Faz tempo que não curto tanto um CD de ponta a ponta. E bem observado, o arranjo da música do 80 tem aquele efeito eletrônico na voz que ficou popular nos anos 1980.

E agora que mencionou, tem várias músicas que eu gostaria de ouvir em "versão Katokutai", como "Eiyuu" (Nexus), "Orb no Inori" (Orb), "Unmei no shizuku" (Zero The Movie), "Eiyuu no Uta" (Ginga S) e várias outras. Dá pra encher um volume 2, já pensou? Apesar que eu acho que eles devem investir em repertório próprio e deixar as covers um pouco de lado. Mas de qualquer forma, torço por eles e fico feliz por ter apresentando essa banda a várias pessoas através do Twitter e deste blog.

Valeu! Abraços!

Bruno Seidel disse...

Caaaaaaara!!! Eu gostei tanto, mas TANTO desse álbum da Katokutai que chego a escutá-lo do começo ao fim TODOS-OS-DIAS, seja com fones de ouvido no trabalho ou até mesmo no carro (onde eu guardo o CD). Não tem um único dia que eu não escute pelo menos uma música desse álbum.

E como faltam adjetivos, me sinto obrigado a comentar cada uma das 13 músicas desse disco:

1) Ultraman no Uta: já conhecia essa versão graças ao clipe postado aqui no blog. É realmente emocionante e comovente, principalmente pela participação do Satoshi Furuya. E toda vez que escuto a música me lembro desse clipe.

2) Ultra Seven no Uta: a versão da Katokutai já é fascinante por si só, mas esse clipe aí é de arrepiar a alma! E o detalhe: a cena em que aparece as silhuetas contra luz dos membros da banda lembra, na hora, o clássico momento em que Dan Moroboshi revela sua identidade secreta à Anne no episódio final da série (um dos maiores momentos do Tokusatsu).

3) Kaettekita Ultraman: sempre achei essa música meio "parecida demais" com a do primeiro Ultraman, mas a(s) versão(ões) da Katokutai serviram para mostrar que cada uma tem sua essência própria.

4) Ultraman Ace: Sensacional a participação da Megumi Han, que é uma pessoa totalmente identificada com o universo Ultra. E casou perfeitamente com o tema de uma série que tem também uma mulher como uma das protagonistas.

5) Ultraman Taro: Essa talvez tenha sido a que eu menos apreciei. Possivelmente por ser também um dos meus temas preferidos da franquia. Ser comparado ao tema original do Kageyama é covardia. hehehehehe!

6) Ultraman Leo: Outra que eu já tinha visto o clipe oficial aqui no blog. É uma das melhores e mais empolgantes faixas do álbum!

7) Ultraman 80: O Usys falou tudo! A nova versão da Katokutai conseguiu reproduzir bem o "clima da época", com aquele teclado "oitentista" e voz "metalizada" ao fundo.

8) Cosmos Adventure (Ultraman Kids): Essa é o "algodão doce do CD"! Só tinha ouvido uma única vez quando dei aquela espiadinha de curioso no "Ultraman Kids" 9já faz um bom tempo). Me surpreendi ao descobrir que tinha ganhado uma versão cover. E adorei!!! A Emi Sonne cantando é a personificação do termo "kawaii" (hehehehee!) Grudou no meu ouvido!

9) Ultraman Great: uma versão bem mais agitada e empolgante do que a original. A parte do "barulhinho" que lembra um jogo da NBA ficou sensacional.

10) Ultraman Powered: O início dessa música é uma das partes mais bonitas do álbum. Consigo imaginar um filme terminando com esse tema ao fundo enquanto sobem os créditos. Daquelas músicas que enchem o coração de esperança!

11) Brave Love, Tiga (Ultraman Tiga): Pena que essa foi a única versão cover dos Ultras Heisei. Também achei que ficou em desvantagem na comparação com a original.

12) Ultraman X: A banda conseguiu uma façanha com essa música! Reproduziram toda a essência e o "sentimento" da série com essa versão. Eu confesso que, ao ouvá-la pela primeira vez, me lembrei de todo o enredo da trama e da relação do Daichi com seus pais (uma mistura de tristeza com esperança). Emocionante!

13) Ultra Q no Theme: a "cereja do bolo" foi justamente a "precursora" do universo Ultra. A versão original parece tema de filme de terror, mas esse cover da Katokutai surpreendeu e deixou a música com uma pegada de "balada".

Enfim... deu pra perceber que eu gostei demais do álbum, né? A Katokutai já é uma das minhas bandas preferidas e eu já sou mais um dos fãs torcendo para que eles continuem decolando exponencialmente! Sucesso pra eles!!!

Alexandre Nagado disse...

Fala, Mr. Bruno!

Apesar de gostar muito da versão original da Chikyu Boedan, gostei bastante da versão da "Brave Love, Tiga". A versão do X rivaliza com o original e o teclado, simples e eficiente, criou uma marca registrada na versão da Katokutai.

O tema do Ace, no começo, estranhei, depois ouvi muito. Megumi Han fez um grande trabalho. Só que a versão original do Taro não é do Kageyama, e sim do Taro Takemura, que depois assinou como Ryuichi Fukuzawa. O Kageyama deve ter feito uma das muitas versões posteriores (mas não me lembro se fez mesmo), já que ele era muito novo em 1973 (ele tinha doze anos na época).

E continuarei acompanhando o trabalho da Katokutai. Eles sempre terão espaço aqui no Sushi POP.

Valeu, Bruno! Abração!