sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Ultraman - Livro de YouTuber conta tudo sobre a série clássica

Livro detalha a trajetória do maior super-herói do Japão e suas exibições no Brasil. 
Novo volume da Coleção TV Estronho
apresenta um dos mais queridos heróis da TV.
O super-herói Ultraman, desnecessário dizer aqui, é um dos personagens japoneses mais famosos no mundo e um verdadeiro ícone pop. Deu origem a uma linhagem extensa que perdura até hoje e sua trajetória é esmiuçada em um livro que leva seu nome. 

O herói espacial é o tema do volume 4 da Coleção TV Estronho (Ed. Estronho), escrito pelo YouTuber Danilo Sancinetti Modolo, do canal TokuDoc. Com popularidade crescente na web, é especializado em produções tokusatsu, os famosos filmes e seriados japoneses de monstros e super-heróis em live-action

Recheado de informações preciosas, o livro detalha bastidores da criação, dando nome a todos os "pais" de Ultraman. Foi um verdadeiro batalhão de artistas criativos coordenado pelo visionário diretor de efeitos especiais, Eiji Tsuburaya, que realmente deu vida ao personagem. Talentos da época, como os escritores Tetsuo Kinjô, Shozo Uehara e Shinichi Ichikawa têm sua participação mostrada, contando quem escreveu qual episódio. Os atores têm suas carreiras apresentadas, especialmente os trabalhos em tokusatsu e na franquia Ultra. Muitas trajetórias de vida são contadas no livro, que também aborda vários aspectos da franquia. 
O orgulhoso autor e seu primeiro livro. Um trabalho para ter na estante.
Focando no caso brasileiro, o livro resgata com exclusividade a data da primeira exibição de Ultraman no Brasil. Também foi feita uma necessária distinção entre a primeira e a segunda dublagem que a série recebeu em nosso país, incluindo depoimentos de dubladores, como Affonso Amajones (Hayata) e Eleonora Prado (Akiko Fuji). Esses e outros depoimentos estão na parte de entrevistas do livro, que também traz as palavras do empresário Nelson Sato e do jornalista Marcelo Del Greco, que contaram sobre suas experiências com o licenciamento da marca Ultraman. 

O guia com os 39 episódios da série original (1966~67) leva em conta a segunda dublagem e apresenta a resenha, títulos originais e data de exibição no Japão de cada aventura, além de indicar os respectivos roteiristas, diretores e atores convidados. O 

A pesquisa foi extensa e abrangente, com pouquíssima coisa a se observar. Uma ressalva é que, na página 41, é dito que o músico Kunio Miyauchi foi o autor da letra e música do tema do primeiro Ultraman. Na verdade, ele compôs a melodia, mas a letra foi assinada por Kyouichi Azuma, pseudônimo do diretor Hajime Tsuburaya, filho de Eiji. Mas, são errinhos microscópicos, comuns até em publicações oficiais japonesas. 

Com uma obra tão extensa como a franquia Ultra, não é raro encontrar inconsistências até em guias oficiais japoneses, como vários pesquisadores já descobriram. E os pontos positivos são infinitamente maiores, principalmente ao explicar a chegada dos heróis Ultra no Brasil, com a data de estreia de todas as 12 séries licenciadas oficialmente, entre TV e portais de streaming. São dados preciosos para os colecionadores e que nunca foram organizados de forma tão completa. 
Ultraman - Mais de 50 anos de história. Um clássico!
Ao falar dos monstros - os verdadeiros astros das produções, cada criatura, cada alienígena é mencionado, inclusive com as inspirações para seus nomes. Bemular, Baltan, Jirass, Zetton, Red King, Dada, Mephilas... Todos os que infernizaram a vida de Ultraman e da Patrulha Científica estão lá, eternizados na memória dos fãs. Detalhes curiosos são revelados, alguns pela primeira vez em uma publicação brasileira. Alguns nomes têm origens engraçadas e quase inacreditáveis, como o alien Zarab, um anagrama à moda japonesa para a pronúncia local de "brother", que é "burazaa". 

É tanta informação curiosa, divertida e concentrada, que o livro pode render muitas conversas por anos a fio. E sua leitura é fluida, rápida e, por isso mesmo, saborosa.

O prefácio foi assinado por este que vos escreve, enquanto a capa foi assinada pelo ilustrador Eduardo Monteiro. A bela pintura remete à imagem de antigos livros infantis japoneses que publicavam ilustrações dos heróis, numa época em que havia poucas fotos oficiais dos personagens. 

A obra é a primeira no Brasil dedicada unicamente a um seriado tokusatsu e seu sucesso pode mostrar a força do público desse tipo de produção. 

Os volumes anteriores da coleção abordaram as séries Perdidos no Espaço, Shazan, Xerife e Cia. e Kung Fu. E entre os próximos títulos já prometidos estão O Incrível Hulk, O Vigilante Rodoviário, O Elo Perdido, Jornada nas Estrelas e vários outros. A coleção é um precioso registro de séries que deliciaram gerações inteiras de fãs. 

A publicação do livro sobre o Ultraman é um verdadeiro registro histórico da memória de nossa programação televisiva e um presente e tanto aos fãs do maior super-herói do Japão. Se você concorda ou se tem alguma dúvida sobre essa definição, é sua chance de uma divertida e esclarecedora leitura.

ULTRAMAN
Coleção TV Estronho - Vol. 4
Autor: Danilo S. Modolo
Editora: Estronho
Formato: 13 x 19 cm, com 192 páginas
Lançamento: Agosto de 2017
Preço: R$ 39,90 (oferta por tempo limitado)

- Compre aqui.

Serviço:
Lançamento e tarde de autógrafos do livro ULTRAMAN
Data: 19/ 08/ 2017 (sábado)
Horário: 12h00
Local: MIS - Museu da Imagem e do Som
Endereço: Av. Europa, 158, Jd. Europa (São Paulo/ SP)
- Entrada franca.
- Veja a programação completa aqui.

::: E X T R A :::

Ultraman - 50 anos de um gigante da cultura pop japonesa
(Depoimento pessoal e um superguia de
matérias sobre o Universo Ultra.)


***************************
::: Campanha Sushi POP no Apoia.se :::

Você gosta do conteúdo deste blog? Pois você pode apoiar a produção e continuidade do Sushi POP colaborando com a campanha do Apoia.se. E ainda ganha um desenho exclusivo de um personagem à sua escolha. 

- Saiba como funciona: apoia.se/sushipop

10 comentários:

Rogério disse...

Bom dia Nagado,

De volta depois de longa ausência.

Nunca havia ouvido falar desta série de livros. Parace muito interessante. Grato pela dica. Temos uma falta de títulos sobre a História da Cultura POP no Brasil.

Alexandre Nagado disse...

Fala, Mr. Rogério "Sumido"!

Eu também não conhecia essa coleção, sendo que só tomei conhecimento quando o Danilo comentou sobre o trabalho em andamento. Achei muito bacana a ideia da editora, e torço para que o nosso mercado em crise comporte não só o livro sobre Ultraman, mas cada volume dessa coleção. De cara, já me interessei pelo Hulk do Bill Bixby e Lou Ferrigno, que é o próximo volume.

Sinta-se mais do que convidado e comentar postagens anteriores. Bem-vindo de volta!

Abraço!

Bruno Seidel disse...

Acabei de confirmar minha compra! Agora fico ansioso e no aguardo pela chegada do livro! :D

Prece um material de altíssima qualidade mesmo, com uma capa muito bonita e bons elogios aqui no post.

Acompanho o canal do Danilo, o TokuDoc, já faz algum tempo. É uma das coisas que eu mais gosto de ver no Youtube e um dos pouquíssimos vlogueiros que chamam minha atenção. Gosto da forma como ele analisa as produções de Tokuatsu, com uma visão bem respeitosa e observações pertinentes. É um cara muito atencioso e que responde as perguntas dos seus espectadores com uma educação e elegância exemplar (nesse meio, é comum ver gente se "provalecendo" intelectualmente e, ao invés de esclarecer dúvidas de pessoas menos informadas, aproveita pra pisar em cima e mostrar pra todo mundo que "entende mais").

Um livro exclusivamente dedicado ao Ultraman original, de 1966, é certamente algo que merece uma atenção especial dos fãs, afinal de contas, estamos falando do mais icônico super-herói do Japão e um dos símbolos da cultura pop nipônica, mas que ao mesmo tempo foi "ofuscado" no Brasil pela avalanche de séries oitentistas da geração Manchete.

Tomara que venda bem, que faça muito sucesso e que abra a porteira para mais produções do gênero. Seria muito legal ter uma espécie de "coletânea" de obras assim (um livro exclusivo para o Jaspion, Jiraiya, Changeman, Black Kamen Rider, Spectreman...). Já pensou?

A minha parte eu já fiz! Que mais fãs abram a carteira e embarquem nessa! :)

Alexandre Nagado disse...

Fala Bruno!

Confesso que os primeiros vídeos do TokuDoc que assisti não causaram a melhor das impressões. No entanto, minha resistência foi caindo conforme ia percebendo a clara evolução do trabalho. E o Danilo é muito gente fina, tanto é que ficamos amigos.

Estou na torcida para que essa coleção da Estronho venda bem e que futuramente incluam mais títulos japoneses. Acho que valeria um com Spectreman e, quem sabe, um outro reunindo Jaspion e Changeman. Assunto é o que não falta.

Valeu pela sempre sincera e vibrante participação.

Abraço!

Usys 222 disse...

Então finalmente saiu o livro! E com bastante divulgação em eventos.

Trata-se de um assunto que atualmente é relegado a um nicho, então seria uma aposta arriscada investir nisso. O bom de editoras pequenas é que elas se permitem essas ousadias e quem sabe com isso seja ocupada uma lacuna, como aconteceu com a Herói há muitos anos atrás.

Escrever sobre Ultraman também foi bem arriscado, uma vez que atualmente tem sido feitas várias revelações de pessoal da época, algumas inéditas e outras que até contradizem informações anteriores. Toshihiro Iijima lançou um livro recentemente, assim como Yuriko Hishimi, ambos falando sobre os bastidores. E também saiu um com depoimentos de atores, diretores, roteiristas e modeladores sobre as séries Ultra desde Ultra Q até Regresso.

No mais, tomara que a coleção continue. E que haja procura, com isso fazendo emergir um novo público interessado.

Alexandre Nagado disse...

Fala Usys!

Essas informações de bastidores são preciosas e gosto muito de ler sobre isso. No Japão há muito espaço para obras assim, mas no Brasil isso é muito escasso.

Tenho dois livros de memórias do William Shatner contando os bastidores de Jornada nas Estrelas. São incríveis e eu gostaria muito que algum desses livros japoneses que citou fosse ao menos traduzido para o inglês.

Quanto a esse nosso complicado mercado editorial brasileiro, espero que a iniciativa consiga atingir um bom público. É uma boa aposta, feita com capricho. Estou na torcida.

Abraço!

César Filho disse...

Alô, Nagado-san! Voltando também após umas semanas de sumiço (férias!).

Conheço o Danilo há alguns anos. Foi até uma surpresa, pois fiquei sabendo que ele era leitor do meu blog há mais tempo. Até então eu já acompanhava o TokuDoc praticamente desde o começo. Recebi o livro na quarta-feira à tarde, aproveitei a noite para ler, continuei e terminei na manhã do dia seguinte. Assim que finalizei, fiz questão de parabenizá-lo via inbox pelo grande trabalho. Gostei das entrevistas, da abordagem das curiosidades e por saber quando realmente Ultraman passou pela primeira vez no Brasil. Logo logo teremos mais um "Ultra 50" para celebrar.

Infelizmente o Danilo não veio pra Fortaleza e não pude ir para Salvador, onde ele se apresentou neste domingo (20). Quem sabe numa próxima acontece um encontro a la Uchuu Keiji ou Space Sqaud, né? (rsrs) Torço pra que faça sucesso e que venham mais edições dedicadas aos clássicos do tokusatsu. Numa sequencia, o Ultraseven seria um prato cheio pois tem muitas curiosidades a serem contadas.

O Usys também citou algo bem realista sobre os Ultras no Brasil e eu provei de perto isso. Ano passado eu apresentei uma palestra sobre os 50 anos do Ultraman num grande evento daqui da capital alencarina. Foi um trabalho árduo que dividi com um estimado amigo que também curte e pesquisa sobre tokusatsu. Mesmo sabendo dos riscos e da repercussão do gênero por aqui - que teima em se resumir à extinta Manchete e à Toei Company, fui na contramão e apostei no Ultraman, pois é importante esse tipo de divulgação. Infelizmente o resultado de público foi abaixo do esperado (ou eu já esperava que seria assim mesmo) e me desmotivou a lançar mais projetos do tipo dedicados à outros clássicos que antecederam Jaspion e cia. Falando por experiência própria: é muito difícil divulgar Ultraman nos eventos de Fortaleza. Por aqui Ultra se resume ao nicho do nicho, infelizmente. Talvez se o Danilo participasse em algum evento aqui, o gigante prateado teria maior visibilidade, já que o TokuDoc tem um bom público local.

Alexandre Nagado disse...

Fala, César "Daileon"!

Outro que volta do além, ah ah. Bem-vindo de volta!

Olha, eu conheci vários fãs de Ultraman que não são fãs de tokusatsu. Os fãs mais hardcore de Ultraman estão numa categoria meio à parte, assim como fãs de Star Trek no meio FC e fãs de Beatles nos meios musicais. Eles não curtem as áreas de modo mais abrangente, sendo mais restritos em sua paixão e objeto de interesse.

Por isso, vendo apenas o grande fandom de tokusatsu, tem-se a impressão de que "Ultraman já era", "Ultraman ficou pra trás", "ninguém mais liga pra Ultraman". Se fosse assim não haveriam tantos DVDs disponíveis em português e nem tantas séries em streaming, tudo oficial, tudo licenciado. O que acontece é que esse pessoal não vai em evento de anime, não fica em fóruns, etc. Eles vão diretamente ao que interessa a eles, que é assistir e consumir seu hobby.

Essa é a percepção que eu tenho sobre fãs de Ultraman no Brasil e acredito que esse povo compre o livro do Danilo. Que eu espero que seja um sucesso, com direito a 2a, 3a edição.

Ah, e você é de Fortaleza, não é? Estive na sua cidade em 2009, como um dos convidados do SANA. Foram eu, Erica Awano, Petra Leão, Juarez Ricardo, Kageyama, Masaaki Endo e o Hiroshi Kitadani, entre outros. Foi bem legal, adorei a cidade.

Obrigado pela participação, sempre trazendo bastante conteúdo aqui.

Abraço!!

Robinson Oliveira disse...

Fala meu amigo Nagado!
Quanto tempo!
Continuo aqui vivo no interior da Bahia e curtindo tokusatsu. Fiquei super feliz ao receber o livro Ultraman do Danilo Modolo e encontro um prefácio de uma pessoa que tenho o maior respeito, Alexandre Nagado.
Seu prefácio está impecável, parabéns amigo.
Agora diga aqui, será que existi alguma possibilidade de sair um Livro do ULTRASEVEN ou é sonhar muito?
Abraço amigo.

Alexandre Nagado disse...

Robinson, há quanto tempo!

Então, você já recebeu o livro. Acho que vai gostar, pois ficou bacana mesmo. E certamente o Ultra Seven merece um livro só pra ele, que renderia até mais assunto, já que ele foi o Ultra que mais apareceu em outras produções e teve as aventuras especiais entre 1994 e 2002.

Mas, só a editora pode responder tal questão. Quem sabe, com boas vendas do Ultraman, eles não se animam a encomendar outro título?

Valeu pela participação e apareça sempre!
Abraço!

PS: Depois me escreva, vamos colocar o papo em dia.