7_Visual_Kei CDJapan

quarta-feira, 5 de abril de 2017

GRANBLUE FANTASY The Animation

Da esquerda p/ direita: Katalina, Gran, Lyria e Vyrn
Ao fundo, o lendário monstro Bahanut
Em um mundo fantástico, onde elementos medievais e sobrenaturais coexistem com uma estranha tecnologia, vive o jovem Gran. Forte e habilidoso com a espada, Gran sonha em ser reencontrar com seu pai, que partiu anos antes para um lugar fantástico e misterioso, conhecido como Estalucia, a Ilha das Estrelas.

Esse mundo, com pacatos vilarejos como o lar de Gran e fantásticas ilhas flutuantes, está sob a constante ameaça do Império Erste, que almeja a dominação mundial. Uma de suas armas secretas é uma garota com poderes místicos conhecida como Lyria.

A história começa a partir da fuga de Lyria, que é salva por Katalina, uma oficial traidora do Império. Durante a perseguição, elas se encontram com Gran, que estava acompanhado do lagarto alado (que odeia ser chamado assim) Vyrn.

Trailer oficial (legendado em inglês):


O confronto com os perseguidores do Império é violento e eles atacam usando um monstro gigante. Após um ato desesperado para salvar seu novo amigo, Lyria resolve invocar uma criatura lendária para lutar a seu lado, o implacável Bahamut

Gran passa a ter sua vida misticamente atrelada à de Lyria, e se vê obrigado a fugir com elas. Mas, longe de ver isso como um fardo, o rapaz vislumbra a possibilidade de encontrar seu pai. Partindo em uma rudimentar nave voadora, os jovens se atiram à aventura de suas vidas. Logo, irão encontrar mais guerreiros que se juntarão a eles para proteger Lyria e enfrentar o Império. 

Assim começa a saga de aventura GRANBLUE FANTASY The Animation, que surgiu primeiro como game estilo RPG individual para smartphone lançado  pela empresa Cygames no início de 2014. Rapidamente, foi criando uma base sólida de fãs a ponto da produtora se aventurar por outras mídias. Quando foi lançado, muitos apontaram similaridades com a consagrada franquia Final Fantasy. E há uma ligação entre os títulos, ao menos nos bastidores. O diretor de arte Hideo Minaba e o músico Nobuo Uematsu, antes de Granblue, trabalharam juntos em Final Fantasy VI, Final Fantasy IX e Last Odyssey

Uma saga grandiosa, surgida em um jogo para smartphone,
Granblue Fantasy tem um elenco de heróis carismáticos.
Ainda em 2014, começou uma série de adaptações literárias no formato light novel. Com quatro volumes já lançados, tanto em forma impressa quanto digital, cada volume trazia códigos do jogo.

Recentemente, em 21 de janeiro de 2017, foi exibido nas redes de TV Tokyo MX, AT-X e BS11, uma animação com cerca de uma hora de duração, reunindo os primeiros dois episódios da anunciada série. Já como série de TV propriamente dita, estreou no último dia 2 de abril, com transmissão simultânea pelo portal Crunchyroll. Tendo já sido vistos na TV japonesa, o site parceiro Crunchyroll soltou de uma vez as duas primeiras aventuras em sua programação. A partir deste mês de abril, a cada sábado um episódio inédito será liberado para assinantes. 
A guerreira
Katalina.

Programada para 14 capítulos em sua primeira temporada (não se sabe se haverá outras), a história foi simplificada e muitos personagens ficarão de lado, ao menos por enquanto. A animação é eficiente e a boa narrativa cria um mundo crível, apesar de totalmente fantasioso. Além do visual fiel ao jogo, foi preservada a inspirada trilha sonora original, assinada por Nobuo Uematsu e Tsutomu Narita. 

Tendo já sido adaptado em animê e light novel, uma versão em mangá também foi anunciada, mas até o momento não foram divulgadas maiores informações. 

GRANBLUE FANTASY é uma aventura leve e despretensiosa, com um excelente visual, ação, mistérios a serem desvendados e um grande universo a ser desenvolvido. Uma boa opção de entretenimento, com um começo promissor.


Site oficial: http://granbluefantasy.jp/en
- Em inglês e japonês, o site inclui o jogo para download em versões para Android e iOS



Ficha técnica

GRANBLUE FANTASY The Animation
Estreia: 02/04/2017
Total: 14 episódios


Criação, planejamento e roteiro:  Cygames 
Desenho dos personagens (character design): Toshifumi Akai
Desenho mecânico (mecha design): Naohiro Washio
Desenho das criaturas (creature design): Shiro Izumo e Yu Aoki
Trilha sonora: Nobuo Uematsu, Tsutomu Narita
Direção: Yuatsushi Ito
Produção: Kenta Suzuki e Ryushi Moriya
Realização: A-1 Pictures 

- Classificação indicativa: 14 anos (sugestão)

Elenco
Gran: Yuuki Ono
Lyria: Nao Toyama
Katalina: Miyuki Sawashiro
Vyrn: Rie Kugimiya
Rackam: Hiroaki Hirata
Rosetta: Rie Tanaka
Io Euclase: Yukari Tamura

::: E X T R A S :::


1) Tema de abertura: [GO], com o grupo Bump of Chicken



2) Apresentação da Granblue Fantasy Live Ochestra no evento Tokyo Game Show de 2015. 
Música: Chevalier Magna


5 comentários:

Usys 222 disse...

Terminei de ver e senti uma tremenda sensação de nostalgia. Ele segue exatamente o manual de como se faziam jogos de fantasia medieval dos anos 1990, dentro do gênero JRPG: o jovem herói que deseja sair de sua vila para viajar pelo mundo, a heroína misteriosa que guarda um enorme poder e o mascote que também pode ser uma das chaves para a solução final. Também tem a figura da personagem mais madura, que serve de apoio no começo. É só que mais tarde, esse tipo de personagem costuma... E claro que Bahamut, o Dragão Supremo não poderia ficar de fora.

A animação é bem fluida, assim como a colocação das músicas, conforme foi observado. Só o contorno que me pareceu um pouco estranho, com serrilhas. E mesmo com Alta Definição. Cria mesmo uma atmosfera convincente. Embora tenha a sensação de "eu já vi isso antes", vejo que foi uma boa adaptação do jogo para o desenho animado.

Ver isso me faz pensar no quanto eu ficaria empolgado se na minha época tivessem feito uma adaptação assim para jogos que eu gostava e que tinham boas histórias, como Lunar, Langrisser, Grandia ou Phantasy Star - The End of the Millenium. Provavelmente eu teria adorado.

Se bem que teve uma série de jogos que teve uma adaptação assim na época. Foi Ys, que também teve uma boa trilha sonora que foi transposta para o desenho animado. Pena que só pude ver um capítulo.

Alexandre Nagado disse...

Fala, Usys!

GRANBLUE Fantasy parece seguir mesmo uma "cartilha" de fantasia medieval, mas eu não costumo ver esse tipo de material. Então, não senti tanto "deja vu". Gostei das personagens e o elenco que será acrescentado no animê também parece bem interessante.

Eu dificilmente veria GRANBLUE, mas estava querendo ver algo diferente e acabei dando uma chance. Gostei a ponto de transformar num post do blog. Mas sinto que o fandom brasileiro ainda não simpatizou muito com a obra. Esse tinha ótimas chances de passar na TV, se fosse outra época.

E falando nisso, já deve ter o terceiro episódio liberado pra assinantes. Depois vou lá conferir.

Obrigado por mais essa participação! Abraço!

Franco Ikari disse...

A Cygames anda investindo pesado no mercado de animes,ela também resolveu bancar a produção da adaptação de Shingeki no Bahamuth/Rage of Bahamuth com a segunda temporada também nessa temporada de abril.
Quanto ao anime de GB eu acompanho pra conhecer a obra e por gostar de Bahamuth talvez saia algo bom o que é difícil se tratando de obras baseadas em games ainda mais RPGs gigantescos.
Não encheu meus olhos mas dá uma certa nostalgia dos RPGs dos anos 90. Enquanto isso aguardo o jogo feito pela renomada Platinum que deve contar melhor essa historia

Alexandre Nagado disse...

Olá, Franco!

Como eu não jogo games e nem RPG, não sou tão crítico com relação a GB Fantasy.

Por outro lado, é uma adaptação e, como tal, sujeita às mesmas críticas que acompanham todo filme derivado de um livro ou de quadrinhos. Sempre será considerado pobre, incompleto e superficial por grande parte da crítica. Eu tomo cuidado com esse tipo de julgamento, pois são mídias diferentes. Analisando como uma série de ação e fantasia, sem conhecer previamente nada sobre o título, acho que é uma boa peça de entretenimento. Por ser alguém de fora da área de RPG e games, talvez eu possa apreciar com menos critérios de avaliação. Mas os personagens são simpáticos e a trama é bem conduzida.

Aliás, acabei de ver o capítulo 5 e continuo achando bem divertido. Não é uma obra-prima ou algo intelectualmente desafiador, mas cumpre sua função de entretenimento. Pelo menos pra mim.

Obrigado pela participação. Apareça mais por aqui.

Abraços!

Alexandre Nagado disse...

Só pra constar: Já vi até o capítulo 7 da série e continua muito legal. Os personagens são adoráveis. Roteiro cheio de clichés, mas muito bem executado.