7_Visual_Kei CDJapan

sexta-feira, 10 de março de 2017

Fuuka: Amores, música e... Twitter!

Fuuka Akitsuki (à esquerda) e Koyuki Hinashi:
Proximidade pela música e pela rivalidade no amor.
Yuu Haruna é um adolescente um tanto retraído, que vive com suas três irmãs em Tokyo depois que seus pais foram para o exterior a trabalho. Duas das irmãs são mais velhas, já adultas e trabalham, e a outra é a caçula da família, ainda uma pré-adolescente. 

Bastante tímido e inseguro, Yuu sente-se um pouco desconfortável por ser o único homem da casa e fica constrangido com a falta de pudor das irmãs - somente Maya, a mais velha, se comporta de modo mais recatado. 

Sendo um aluno transferido, a timidez de Yuu só atrapalha pra fazer amizade e ele se refugia no celular, especificamente no Twitter, que é a rede social mais popular no Japão, ao invés do quase onipresente Facebook. Principalmente no início da série, Yuu vive digitando com seus contatos, tendo uma vida virtual mais agitada que a real. Até que ele conhece uma certa pessoa que irá mudar sua vida. 

Trailer da série:


Acidentalmente, Yuu conhece a esquentadinha Fuuka Akitsuki, uma garota muito bonita e rebelde. Ela é filha de um famoso ginasta e, a despeito da insistência do colega Kazuya Nachi, do clube de atletismo da escola, ela não pretende seguir os passos do pai. 

Ela sente-se sem rumo, sem saber o que quer da vida e tem seu refúgio na música. Seu melhor amigo é Makoto Mikasa, bastante maduro para a idade e gay assumido. E apesar do primeiro contato meio atrapalhado, Yuu e Fuuka acabam desenvolvendo uma intensa amizade. 

Uma das coisas que Yuu e Fuuka tem em comum é a paixão pela música. Coincidentemente, ambos são fãs de uma famosa banda chamada Hedgehogs (em hiato de atividades) e da cantora e compositora Koyuki Hinashi (uma estrela em ascensão). 

Yuu Haruna: Sem muito traquejo social, vive no Twitter,
onde tem amigos que não conhece pessoalmente. Ou quase.

O que bem pouca gente sabe é que Yuu e Koyuki foram amigos de infância. Como ela se tornou uma grande estrela do J-pop, Yuu acha que ela nem se lembra mais dele. Ledo engano, ela não apenas lembra como ainda nutre uma forte paixão por ele desde os tempos da infância e sonha reencontrá-lo. 

Do outro lado, Fuuka descobre sua vocação: bastante afinada e de voz potente, ela resolve entrar para a música e arrasta (quase literalmente) com ela seus amigos Yuu e Makoto em busca de recursos para essa avenutra. Makoto já tocava piano, mas Yuu tem que aprender a tocar baixo do zero, coisa que irá testar sua admirável força de vontade. Mas antes de tudo isso começar a ganhar forma, um reencontro com a bela Koyuki bagunça toda sua vida. 

Abertura:

[AmakoKara] Fuuka - Opening HD por amako-kara

Para complicar, Koyuki tem muitos fãs obcecados com ela. Sobre isso, é preciso ter em mente que, no Japão, há uma relação meio doentia entre muitos fãs e seus ídolos, especialmente as jovens artistas multimídia chamadas de idolsNo Japão, muitos fãs desenvolvem um amor platônico pelas artistas e, quando descobrem (ou desconfiam) que sua musa tem um relacionamento no mundo real, a reação pode ser violenta. 

Muitas artistas japonesas já tiveram a carreira destruída ou sofreram sérios danos à sua imagem e trabalho apenas porque foram vistas em um encontro com alguém do sexo oposto. E a série mostra esse lado particularmente doentio da sociedade japonesa. (Nota: Saiba mais esse assunto aqui.)

Em meio a tudo isso, Yuu e Fuuka vão ficando cada vez mais próximos e torna-se bastante evidente que ela é apaixonada pelo rapaz. Os acontecimentos vão se sucedendo rapidamente e o tímido e sem jeito com garotas Yuu se vê em uma situação delicada, entre duas garotas que ele não quer ver magoadas, iludidas ou enganadas de forma alguma. 

E a banda vai ganhando forma, com o reticente Kazuya na bateria e a excêntrica Sara na guitarra. Surge a banda de rock The Fallen Moon (depois, Blue Wells), destinada a ter uma estreia conturbada.

Da esquerda para a direita: Kazuya Nachi, Yuu Haruna, Koyuki Hinashi,
Fuuka Akitsuki, Makoto Mikasa e Sara Iwami.
Enquanto amadurecem para a vida, esses jovens precisam encarar os desafios do mundo da música profissional. Koyuki, para se manter na área, e Fuuka e sua banda, para conseguir aparecer e fincar sua marca perante o público. Mas o destino move suas engrenagens e o que parecia ser apenas o começo para os cinco amigos ganha rumos inesperados. 


Fuuka surgiu como mangá em 2014 na revista semanal Shonen Magazine, da editora Kodansha. O autor é Kouji Seo, nascido em Hiroshima em 26 de julho de 1974. Ele tem criado reputação como autor que sabe dosar o apelo comercial de seu trabalho com tramas de qualidade. Já foram lançados 14 volumes e a história ainda está em publicação. 

Na versão animê, ele escreveu as letras de Climber´s High e Watashi no sekai ("Meu Mundo"), temas de abertura e encerramento, respectivamente. 


Capa do volume 1 do mangá original.
Fuuka é uma obra derivada da série Suzuka, publicada por ele entre 2004 e 2007, com 18 volumes. Em Suzuka, o tema central é esporte e é contada a história de Suzuka e Yamato, os pais de Fuuka. Suzuka teve um animê em 2005, com 26 episódios. Mas não é necessário conhecer a série de Suzuka, isso apenas irá acrescentar mais nuances às histórias e desenvolvimento dos personagens.

Fuuka não chega a ser um grande fenômeno de vendas, mas é um produto bastante simpático e com boa repercussão no Japão. Voltado ao público shonen, tem seus momentos "fan service" de malícia e sensualidade, mas não é agressivo ou obsessivo como acontece em muitos títulos (apesar de imagens promocionais bem apelativas lançadas antes da série estrear). O contexto é suave, capaz de agradar também ao público feminino e sua forte ligação com música acabou incentivando a criação da versão em animê. Tendo estreado em janeiro passado com planejamento para 12 episódios, já no fim de março já começará a ser lançado em DVD/ Blu-ray (só no Japão, infelizmente). 

A produção é boa, mas há alguns momentos irregulares na animação e construção das figuras. A direção, no entanto, tem muita sensibilidade e tanto o cotidiano mais banal quanto as situações de humor e drama são bem equilibradas, criando um bom ritmo narrativo. 

Apesar das muitas situações típicas de uma comédia juvenil e de seus momentos "fan service" meio forçados (qual não é?), há um componente de realismo que permeia a obra. Por mais doce e idealizada que seja uma situação, o enredo de Fuuka mostra que reviravoltas e mudanças podem acontecer, estejam ou não as pessoas preparadas para seguir em frente. 

A série está em sua reta final e não se sabe ainda se haverá um final conclusivo ou com gancho para uma segunda temporada. O animê tem diferenças marcantes em relação ao mangá, não apenas pela simplificação de elementos da história. A partir de certo ponto, tornam-se universos bastante diferentes, sem que possamos aqui julgar qual é melhor. 

Com transmissão oficial quase simultânea em relação ao Japão, o público brasileiro pode acompanhar a série Fuuka pelo portal Crunchyroll. De curta duração e totalmente voltado ao público jovem, esse é um título que jamais seria comprado para exibição em TV aberta e dificilmente chegaria à TV paga. Mas nestes novos tempos de streaming e simulcast (exibição simultânea ao país de origem), é um privilégio assistir a essa obra, que irá deixar um sabor agridoce na alma de quem embarcar na história. 
O DVD/Blu-ray de Fuuka, que terá encarte especial.
Lançamento no Japão: 29/03/2017

Fuuka (風夏)
Ficha técnica
Estreia mundial: 06/01/2017 
Total: 12 episódios

Criação: Kouji Seo
Roteiro: Aoi Akashiro
Character design: Yoshino Honda
Trilha sonora: Takuro Iga e WEST GROUND
Direção: Keizô Kusakawa
Realização: Diomedéa
Classificação indicativa: 14 anos (sugerida)

Site oficial: fuuka.tv


Elenco (dubladores):
Yusuke Kobayashi: Yuu Haruna
Lynn: Fuuka Akitsuki
Saori Hayami: Koyuki Hinashi
Kazuyuki Okitsu: Kazuya Nachi
Soma Saitou: Makoto Mikasa
Mikaku Komatsu: Sara Iwami
Mikako Takahashi: Maya Haruna
Saori Oonishi: Hibiki Haruna
Kaede Hondo: Chitose Haruna
Kanako Mitsuhashi: Suzuka Akitsuki

Daisuke Nakamura: Yamato Akitsuki
Manami Numakura: Tama (Hedgehogs)

- Assista Fuuka no Crunchyroll, em transmissão oficial e com legendas.


::: E X T R A :::

- Versão ao vivo do tema de abertura, "Climber's High!", cantado por Manami Numakura
Letra: Kouji Seo / Melodia: WEST GROUND / Arranjo: SHO from MY FIRST STORY

2 comentários:

Usys 222 disse...

Dei uma olhada no primeiro episódio. Pelo que vejo, as tecnologias podem avançar, mas certas coisas não mudam. Foi um típico "Boy meets Girl", condensando todos os clichês imagináveis em um só capítulo.

Mas pelo visto tem mais coisas ainda e esse foi só o prólogo. Fazer a banda emplacar será o grande desafio. Nesse ponto me lembra um pouco Melancholy of Haruhi Suzumiya, com a heroína excêntrica arrastando o protagonista masculino para suas empreitadas.

Gostei bastante da matéria, com um panorama da trama do desenho resumindo-o bem, mas sem dar muitos detalhes. E boa a ligação com matérias para contextualizar a situação e o que pode ocorrer com Yuu e Koyuki ou até mesmo com Fuuka caso o romance venha a tona. E ainda ter que escolher entre uma das duas... Realmente uma boa história agridoce de juventude.

Alexandre Nagado disse...

Fala, Usys!

Realmente, o começo da série é um amontoado de clichês, mas lá pela metade vai ganhando uma cara própria. A resenha estava praticamente pronta dias antes de postar, mas eu tive que esperar o capítulo 10 ser transmitido. Esse episódio foi o grande ponto de virada e a grande diferença em relação ao mangá. Agora estou ansioso pra ver como as coisas se resolverão.

O problema de condensar uma história em quadrinhos extensa em poucos capítulos de TV é que as coisas acontecem rápido demais e muita coisa é cortada. Não li o mangá original, mas dá pra sentir algumas coisas se resolvendo muito rápido. Ainda assim, é um animê que eu recomendo, pois tem personagens bem legais. E a Koyuki é adorável.

Valeu pela participação. Abraço!