domingo, 30 de outubro de 2016

Clássicos do pop japonês: "Ue o muite arukou ~ Sukiyaki"

De Susan Boyle a Daniela Mercury, inúmeros artistas já regravaram uma famosa canção japonesa. Conheça a história e as muitas versões de um verdadeiro sucesso mundial.
Uma das muitas capas alternativas do compacto
da canção, já para o mercado internacional.
A música pop japonesa, chamada desde os anos 1990 de J-pop, possui fãs em todo o planeta e tem uma longa história em seu país. Esse segmento musical vem ganhando fãs graças à internet, mas ainda é algo para iniciados. Entretanto, na distante década de 1960, uma canção pop japonesa virou mania mundial e se tornou um clássico que atravessa os tempos e já ganhou versões em vários idiomas, incluindo inglês, francês, espanhol e português.

"Ue wo muite arukou" - Com o título internacional "Sukiyaki", se tornou a mais famosa canção pop japonesa de todos os tempos. 


Na década de 1960, a música folk americana era muito popular e inspirava vários artistas japoneses. Uma, particularmente, entraria para a História. A canção Ue o muite arukou (上を向いて歩こう ou "Caminhando olhando para o céu") ganhou o mundo com o inusitado título Sukiyaki

De melodia facilmente assobiável e com uma interpretação segura de Kyu Sakamoto, de apenas 20 anos, a canção foi escrita por Rokusuke Ei (letra) e Hachidai Nakamura (melodia). O letrista teve a inspiração quando voltava de uma manifestação frustrada que criticava a presença militar americana no Japão do pós-guerra. Em certa parte, o cantor diz que olha para cima para que as lágrimas não escorram. A letra fala de solidão e pode ser associada a um amor perdido, uma saudade ou a uma frustração sentida. Chamando a olhar sempre para o céu, a música é um hino de resignação, otimismo e encorajamento. Com sua mensagem, fez grande sucesso no Japão de 1961 e consolidou o nome do jovem cantor. 

Nascido em 10 de dezembro de 1941 em Kanagawa, no Japão, Sakamoto também foi ator e compositor. Sua voz e interpretação ajudaram a composição a conquistar o coração dos japoneses, mas a música ainda renderia um sucesso sem precedentes ao ser mostrada para o ocidente. 

Com uma busca por sonoridades diferentes para apresentar ao público, a gravadora Capitol/Emi lançou Sukiyaki nos EUA em 1963. O título internacional foi escolhido aleatoriamente, apenas pela sonoridade e por ser fácil de lembrar, já que a música nada tem a ver com o famoso prato da culinária japonesa que leva o mesmo nome. De lá para o resto do mundo, alcançou o topo das paradas de sucesso em vários países, com vendas globais estimadas em 13 milhões de cópias do single/compacto. 

Em 1966, saiu a primeira versão em inglês, intitulada "Sukiyaki ~ My First Lonely Night", por Jewel Akens. A letra não foi traduzida, mas sim uma nova foi criada, transformando a música em uma canção totalmente romântica. Mas antes dessa versão americana, uma belíssima versão em português foi registrada no Brasil. 
Trio Esperança: Uma versão que se tornaria famosa
foi registrada em um dos primeiros trabalhos do grupo.
Em 1963, o grupo vocal Trio Esperança lançou "Olhando para o céu", com letra de Romeo Nunes, que aproveitou trechos traduzidos, mas deu seu toque pessoal à versão.

Outra versão em inglês célebre foi feita em 1981, pelo grupo A Taste of Honey, que fez sua própria letra romântica, mas mantendo o título Sukiyaki. Essa versão seria regravada em 1994 pelo grupo 4P.M. e foi um dos grandes hits do ano seguinte. 

Em 1985, o mundo perdeu o primeiro e maior intérprete de Ue o muite arukouKyu Sakamoto morreu em 12 de agosto de 1985 em uma tragédia que causou comoção mundial. Ele foi uma das vítimas do acidente com o voo 123 da Japan Airlines, até hoje lembrado como o pior acidente envolvendo uma única aeronave em toda a história da aviação, tendo matado mais de 500 pessoas. Sakamoto deixou esposa, a atriz Yukiko Kashiwagi, e duas filhas, sendo que uma delas, Hanako Oshima, também seguiu carreira musical. Com a morte do cantor, a canção foi muito lembrada em vários países, mas independente desse fato, nunca deixou de ser um clássico daqueles que atravessam gerações. 

Seja com seu título original ou internacional, é uma das maiores referências até hoje quando se fala em música japonesa. A canção quebrou barreiras culturais décadas atrás e virou um clássico pop. E depois do grande terremoto com tsunami e acidente nuclear de 2011 no Japão, a música foi novamente lembrada e ganhou novas versões, servindo para encorajar as pessoas a recomeçarem suas vidas. 

Com seu ritmo alegre e letra sentimental evocando resiliência para superar a tristeza, é uma música que conseguiu traduzir um sentimento universal, tornando-se eterna. 


- Confira aqui a tradução da música.

E X T R A S :


Suki Yaki ~ Instrumental - The Eagles (1963)
- Com o enorme e inesperado sucesso, uma das primeiras versões no ocidente foi instrumental e surgiu no Reino Unido. Essa banda inglesa é homônima e anterior à outra, que é americana e ficou muito mais famosa com o hit "Hotel California".



Olhando Para o Céu - Trio Esperança (1963)
- Formado pelos irmãos de outro grupo famoso da época, os Golden Boys, o Trio Esperança teve em "Olhando para o céu" um de seus primeiros sucessos.




Sukiyaki (My First Lonely Night) - Jewel Akens (1966)
- Com sua versão pessoal lançada quando a original ainda estava na lembrança do público, Jewel Akens ajudou a consolidar Sukiyaki como um clássico popular nos EUA.



Sukiyaki - Daniela Mercury (1996) 
- A musa da axé music também cantaria "Sukiyaki", mas em japonês bem ensaiado e numa versão meio reggae. Foi incluída na edição internacional de seu famoso álbum Feijão com Arroz. 



Sukiyaki ~ French version - Clémentine (2011)
- Com toques de bossa-nova, a francesa Clémentine registrou uma delicada e agradável versão em língua francesa, mas preservando algumas frases em japonês. 



The First Star ~ Ue o muite arukou - Susan Boyle (2011)
- Grande revelação musical de 2009, a escocesa Susan Boyle registrou essa outra versão em inglês. A canção foi uma faixa-bônus de seu álbum Someone To Watch Over Me, especialmente gravada para o público japonês. 



ONE LOVE / Ue o muite arukou - Playing for Change (2011)
- Gravada meses após o grande desastre de 2011, esta versão foi produzida pela ONG Playing For Change. A entidade une músicos profissionais, amadores e pessoas comuns com talento musical de várias partes do mundo em prol da construção de escolas de música em comunidades carentes. Especialmente para o vídeo, a introdução e o final trazem um trecho de "One Love", de Bob Marley

Deixada para o final propositalmente, é a cereja do bolo desta matéria. Confira e se emocione.

7 comentários:

Usys 222 disse...

Ah, essa é o clássico dos clássicos! Ouço desde pequeno e acho que ainda tenho o LP, feito no Brasil. A capa é uma foto com Kyu Sakamoto fumando, sentado em cima de uma caixa em que está escrito "pólvora" em japonês. Uma amostra do senso de humor do cantor que, segundo o encarte era "pura dinamite".

No disco tem um monte de outras músicas do cantor, como essa da foto da primeira capa, a "Ano-ko no namae-wa nantenkana" (algo como "Qual será o nome dela?") em que ele vê uma mulher bonita parada, tenta chamá-la por vários nomes para ver se ela responde, mas não há nenhuma reação. Ele chega perto e descobre que "ela" era apenas um manequim.

Só não sabia que tinha uma versão brasileira e em português, que por sinal é muito bonita. Já ouvi de relance a versão em inglês, mas nunca consegui me familiarizar. A matéria foi muito boa para conhecer essas outras versões e saber mais sobre a música.

Ale Nagado disse...

Fala, Usys!

Já cantei muito essa canção em karaokê, é muito agradável de ouvir e é daquelas que é boa até pra ficar assobiando. Sabendo de sua história, é ainda mais bonita de se ouvir. Kyu Sakamoto parecia alguém com um carisma enorme, do tipo que sabia cativar a plateia. Pena que teve um fim tão triste e repentino.

A versão em português o meu pai sempre lembra até hoje, pois marcou muito a juventude dele. E já contei ao menos três versões diferentes em inglês. A da Susan Boyle achei muito boa. Em francês também ficou legal, pois é um idioma muito melódico, em minha opinião.

Valeu pela participação!
Abraço!!

Bruno Seidel disse...

CLÁSSICO!!!

Lembro de ter assistido a esse clipe do Kyu Sakamoto em um programa de tv matinal dos domingos dedicado à cultura japonesa. Não lembro o nome do programa e nem a emissora que o exibia.

Que coisa horrível essa informação sobre a morte do Kyu Sakamoto. Não sabia que ele tinha sido vítima desse terrível e lamentável acidente aéreo.

Legal você ter lembrado desse sucesso. Fazia tempo que eu não a ouvia. É um presente para os ouvidos!

Aniki disse...

Foi uma surpresa pra mim essa versão em português interpretada pelo Trio Esperança, muito bonita por sinal. Me fez lembrar de um caso inverso: a versão em japonês de Namoradinha de Um Amigo Meu, da Rosa Miyake.

Não imaginava que Ue o muite arukou tinha tantas versões. Mas realmente o nome Sukiyaki é totalmente nada a ver com a letra da música.

Abraços.

Ale Nagado disse...

Fala, Bruno!

Você deve ter visto ou o programa "Imagens do Japão", que passou na Record, ou o "Japan Pop Show", da Bandeirantes. O primeiro é mais antigo e era apresentado pela Rosa Miyake. Foi até o fim dos anos 1980, pelo que eu me lembro. O outro era pelo Nelson Matsuda e foi até o começo dos anos 1990. Ambos eram muito divertidos e a única opção de música japonesa. O legal é que passavam em canal aberto. Nos anos 70, Imagens do Japão passava de domingo, na hora do almoço, um horário bem nobre.

Essa música é eterna. Sempre vai ter alguém regravando, pois é muito bonita e foi sucesso em vários países.

Abraço!

Ale Nagado disse...

E aí, Aniki!

Imagino que os japoneses achem engraçado toda vez que veem a referência ao nome "Sukiyaki" associado a essa canção. Podia ser "sashimi", "arigatô", "saionará" ou qualquer coisa aleatória. :-P

Falando na Rosa Miyake, ela teve um papel importante para a divulgação da cultura japonesa no Brasil. Nos anos 60, até estrelou novela, tendo sido atriz e cantora. E o jingle da Varig que ela cantou (aquele do "Urashima Tarô") até hoje me emociona quando ouço.

Falou, abraço!!

Tatianna Raquel disse...

Há também a versão do cantor Kiyoshi Hikawa para "Ue o muite arukō", que até canta recentemente com a Kaori Mizumori, Toshimi Tagawa e Yutaka Yamakawa no Enka Matsuri 2017 - e adorei a performance dele e a turma dele!