segunda-feira, 4 de julho de 2016

Redman e a Era dos Gigantes Matadores de Monstros

Redman: Símbolo de uma época onde o que
importava era ter um herói lutando contra um monstro.
A década de 1970 foi um período de grande efervescência dos seriados tokusatsu (efeitos especiais). Monstros gigantes já estavam estabelecidos como um gênero de cinema, o kaiju eiga, desde o surgimento do primeiro Godzilla, em 1954. Na segunda metade da década seguinte, Ultraman (1966) e Ultraseven (67) iniciaram a era dos super-heróis gigantescos - ou "Kyodai Hero" - que lutavam contra monstros na TV. E apesar do sucesso de Vingadores do Espaço (1966) e Robô Gigante (67), que eram heróis robóticos, a ideia do herói gigante que lutava de igual para igual com monstros pegou mais forte o público. 


Em 1971, ano importante para o tokusatsu, O Regresso de Ultraman e Spectreman deram prosseguimento à mania por super-heróis, que ganhou a companhia do primeiro Kamen Rider, um herói de tamanho humano como os da geração National Kid (1960). Seu visual agressivo, coreografia de transformação e o fato dele lutar contra monstros de tamanho humano, cativaram a audiência. Foi o início do “Henshin Boom”, a explosão dos heróis que se transformam com posições especiais. Mas se a Toei Company apostava em seus Kamen Riders e em outras criações da dupla Shotaro Ishinomori (autor de mangás) e Toru Hirayama (produtor), a Tsuburaya se mantinha firme com seus heróis gigantes. 


O tema de abertura, cantado pelo astro Masato Shimon.

A popularidade era tanta que o estúdio se desdobrou para atender à demanda e produziu outras séries simultaneamente à saga dos Ultras. Era o auge do gênero Kyodai Hero, que gerou "crias" em outros estúdios. Spectreman, feito pela P-Productions (a mesma de Vingadores do Espaço e Lion Man), foi um dos mais célebres concorrentes, mas também houve espaço para personagens como Thunder Mask (Hiromi Pro., 1972), Iron King (Senkosha, 1973) e outros. Mas o grande centro de produção de Kyodai Heroes era mesmo a Tsuburaya Productions.  

Em 1972, a empresa estava concluindo O Regresso de Ultraman e seu outro herói, o Mirror Man (que estreara no final de 1971), ia de vento em popa. No embalo, já preparavam pra entrar na sequência Ultraman Ace, Triple Fighter (que não era gigante) e um certo herói vermelho e cinza que marcaria época, não exatamente por suas qualidades.

Surgia Redman, cujo nome foi um dos que foram descartados para batizar o Ultraman original e também o Ultraseven. Redman é um caso bastante pitoresco, fruto daquela mania por monstros e heróis que havia nos anos 70.

Dizia a sinopse que o personagem tinha 42 metros de altura (na mesma escala dos Ultras), mas não parecia. Tanto os monstros quanto o herói eram filmados em cenários naturais (descampados, florestas, pedreiras...) sem preocupação nenhuma em simular que eram gigantes. A filmagem quase não usava ângulos de baixo para cima (truque comum para simular tamanho gigante), mostrando tudo no nível dos olhos. A câmera em movimento jogava o telespectador no meio da ação. A impressão é que eram todos de tamanho humano mesmo, o que era um bom negócio, pois o personagem do momento era o Kamen Rider, um herói de tamanho humano. Também era contado em livros infantis que Redman vinha do planeta Red e era bondoso e pacífico. O que não era nem um pouco, uma conclusão óbvia para quem via a série. 
A cruz em uma das extremidades da Red Arrow indica
mais uma vítima do caçador impiedoso. 
Não havia roteiro, apenas aparecia um monstro zanzando por algum campo, depois aparecia o herói, que gritava “Red Fight!” e a luta começava. Posteriormente, já começava o episódio com o Redman e o(s) monstro(s) do dia lutando ferozmente. Era visível que os dublês não eram os melhores e algumas lutas eram bem grosseiras, quase briga de rua.

Havia as fantasias de monstros reciclados (em alguns casos, remendados), efeitos sonoros exagerados para o que se via na tela e uma explosão bem discreta aqui e ali. Como armas finalizadoras, o herói geralmente materializava na mão o punhal Red Knife ou a lança Red Arrow, esta última sendo igual à uma lança com cruz que Ultraman Jack criava a partir do Ultra Bracelete na série O Regresso de Ultraman. Mas pouco a pouco, soluções criativas foram aparecendo e os envolvidos na produção foram experimentando e aprendendo muito sobre os processos de filmagem. Na equipe de produção, havia um jovem promissor chamado Shinichi Ooka, que atualmente é presidente da Tsuburaya Pro

Cada “episódio” durava cerca de 2m40s o que, somado à abertura e uma inserção de comerciais, dava 5 minutos para o personagem no programa Ohayo! Kodomo Show, ou “Bom dia! Show das crianças”. Era um programa de variedades surgido em 1965 e que durou até 1980, pela NTV -  Nippon Television Network. Sem dúvida, sua fase mais bizarra foi a da invasão de heróis vazios de sentido ou nexo. 

Godman e Greenman, da Toho Films.
Esse programa exibiu outros heróis similares em aventuras de alguns minutos somente, como Godman, da Toho Films (1972), que era um pouco menos constrangedor. Em um episódio de puro humor involuntário, Godman enfrenta Gorozaurus, monstro clássico da Toho. A criatura aparece do nada (como já era comum), ameaçando destruir algumas casas, mas era visível que o dublê fantasiado caminhava com cuidado para não danificar as maquetes, que ainda deveriam ser aproveitadas em outro programa. Então o herói chegava, matava o monstro e ia embora. Com cinco minutos de duração (incluindo comerciais), era mais ou menos como Redman, mas com uma produção mais profissional.

Outra criação dos estúdios TohoGreenman (1973), tinha um pouco mais de duração – 10 minutos – e isso permitiu que houvesse um desenvolvimento mínimo de história, com diálogos e um vilão fixo. Mas era clichê em cima de clichê, apenas para justificar o merchandising. Mas voltemos a Redman, que pode ser considerado o mais emblemático daquela febre por monstros.


Um típico episódio de Redman.

Em Redman, os monstros não apareciam atacando cidade alguma ou ameaçando qualquer coisa que fosse, apenas eram mostrados andando numa planície, num terreno descampado, praia ou até em um lixão. E do nada eram atacados por Redman, que os trucidava sem piedade e depois saía andando satisfeito. Até monstros originalmente bons entraram na dança, sendo executados com requintes de crueldade em alguns casos. 

O "Homem Vermelho" estava mais pra psicopata serial killer de monstros do que herói e estava muito longe de ser exemplo de alguma coisa boa para crianças. Foram 138 episódios de matança gratuita, que obviamente divertiram muito a molecada da época, que curtia uma briguinha básica de "herói x monstro", sem culpa ou necessidade de pensar. 
Ultraseven enfrenta Telesdon, inimigo
do primeiro Ultraman, no caça-níqueis Ultra Fight.
A ideia de uma série de micro-episódios de 5 minutos fora criada pela Tsuburaya bem antes, em 1970. Era o programa Ultra Fight, que mostrava lutas desengonçadas entre monstros, narradas como se fossem um espetáculo de luta-livre. Ultraseven participou desse (hoje) constrangedor show, que manteve o interesse dos Ultras na época e lançou as sementes para Redman. 

O bonequinho original, lançado
pela empresa Bullmark.
Curiosamente, mostrava o
rosto humano do herói, que
nunca foi revelado na série.
A música-tema do matador vermelho foi cantada por Masato Shimon, cantor consagrado que mal deve se lembrar que contribuiu com essa obra. Alguns brinquedos foram lançados na época, mas logo o herói caiu no esquecimento, sendo só um figurante em livros de referência. Mas em 2016, a Tsuburaya resolveu apresentar o personagem para uma nova geração em seu canal oficial, disponibilizando, um a um, toda a série. 

O sucesso tem sido surpreendente, pois o público atual vê aquilo como humor negro, humor involuntário ou uma extravagante bizarrice. O sucesso rendeu o relançamento de um bonequinho comercializado na época pela empresa Bullmark e uma camiseta oficial. E tem mais: o tema clássico foi regravado pela banda eletrizante banda Kagaku-Tokusoutai (também conhecida como Katokutai) e estará no segundo álbum deles, o Ultra Grateful Hits 2, a ser lançado no Japão no próximo dia 20 de julho. 

Com toda a repercussão que vem tendo e sendo um trabalho pelo qual o presidente da Tsuburaya tem grande carinho, não seria de se estranhar se Redman ganhasse um remake ou nova versão. Porém, nestes novos tempos de politicamente correto, o papel que caberia bem a ele seria o de vilão ou anti-herói. Inclusive, Ultraman Cosmos e Ultraman X, os Ultras mais pacíficos e amigos de monstros, poderiam dar uma lição no maníaco. Ou, diversão suprema, poderiam colocar Redman atacando os famosos monstros-cápsula de Ultraseven. Aí esse pseudo-herói iria descobrir como é servir de saco de pancada. :-P

EXTRA: Confira, no blog parceiro Casa do Boneco Mecânico - Anexo, uma postagem repleta de curiosidades e informações sobre Redman. É a mais completa fonte de referência em português sobre o personagem. 

レッドマン - Redman


EXTRA 2 - ATUALIZAÇÃO (19/08/2016)
Parem com tudo! A Katokutai lançou o vídeo oficial de sua versão do tema de Redman. O clipe é uma paródia de um típico episódio da série. E como fazer paródia do mais tosco dos super-heróis da Tsuburaya? Fazendo "cospobre" (cosplay de pobre) do personagem, ora essa. E não é que ficou muito divertido de se ver? Ao fundo, o som cheio de energia da Katokutai, que mostra mais uma vez que veio para deixar sua marca no mundo do tokusatsu. 



14 comentários:

Aniki disse...

O que posso dizer? É diversão garantida assistir qualquer episódio de Redman. Eu já tinha lido o artigo do Usys e passei a acompanhar cada episódio desde então. Não me causou tanta estranheza pois já tinha assistido o Ultra Fight, talvez apenas a ausência do narrador(fico imaginando se tivesse um narrando igual a Gigantes do Ringue ou jogo de futebol pelo rádio). E nota-se que a produção é bastante descompromissada, hoje ela é vista como esculacho proposital mas talvez a Tsuburaya utilizasse a série como experimentação de técnicas de filmagem e outros detalhes.

Seria possível a Tsuburaya pensar em um lançamento em Blu-Ray da série, uma vez que tem obtido certa repercussão? Quem viver verá.

Grande abraço.

Ale Nagado disse...

Fala, Aniki!

Redman serviu para treino e experimentação por parte da equipe e é evidente que melhora tecnicamente ao longo dos episódios. Porém, a tosquice das situações não muda e isso é parte da diversão. Hoje em dia, então, o mínimo que havia de seriedade já foi para o espaço.

Não vi tudo, mas confesso que assisti um monte de pancadarias insanas do Redman e suas "vítimas". O garoto de 10 anos que ainda vive dentro de mim acha tudo aquilo um grande barato. :-P

Agora, fiquei empolgado mesmo quando soube que a banda Kagaku-Tokusoutai regravou o tema de abertura para seu segundo álbum. Não vejo a hora de ouvir.

Abração!

César Filho disse...

Já tinha ouvido falar sobre o Redman, mas foi justamente lendo o blog do Usys há alguns meses atrás que me despertou interesse em assistir. Desde então eu acompanho diariamente os episódios (com direito a um repeteco em seguida). É tão engraçado de um jeito que até eu esqueço que ele é um gigante. Por isso os efeitos tentando fazer parecer que aquilo se trata de gigantes. (rsrs)

O que não dá pra entender é como a produção chamava ele de bonzinho e pacífico, já que ele matava os monstros sem dó nem piedade. Enfim, eu curto esse tipo de coisa no tokusatsu. Redman é simplesmente uma das melhores coisas que a Tsuburaya já fez e uma das mais divertidas.

PS: Pena que os episódios só ficam disponíveis no canal da Tsuburaya por uma semana.

Usys 222 disse...

Que bom que resolveu publicar a matéria! E tem um monte de informações novas.

Redman é aquela coisa que é tão ruim que chega a ser engraçada (não necessariamente "boa"). E é a prova de que não dá para saber o que vai ser sucesso na internet. Mesmo assim tenho visto todos os dias antes de ir para o trabalho e me divertido bastante.

Vi um pouco do Greenman também e percebi que com história ou não e mesmo com outra produtora, a coisa continuou tosca. E por alguma razão perde um pouco a graça em relação a Redman, que pelo menos permitia que o espectador usasse um pouco a imaginação.

Fiquei surpreso em saber que a Katokutai vai cantar o tema do Redman! Essa eu quero ver! Acho que vou dar um jeito de comprar o CD, pois essa é uma banda que merece apoio!

Zoro Lee disse...

Assisti um episódio de Redman a alguns meses atrás no youtube, mas confesso que pensei duas coisas: primeiro, que o episódio não estava completo, que ainda faltava as cenas com os atores, desenrolar da história e tal, pensava que ali tinham colocado apenas a cena de luta final. E segundo, nunca teria imaginado que o Redman e os monstros estavam representando seres com mais de 40m de altura, se eu não tivesse lido essa postagem. Se bem que fui ver um episódio hoje e na descrição do vídeo no youtube tem as características do Redman, altura e peso. E também reparei no som quando eles caem no chão.

É um pouco difícil visualizar que eles eram gigantes, mas agora quando for ver outro episódio vou imaginar que eles estão em um planeta onde tudo é gigante.

Bruno Seidel disse...

Confesso que me diverti lendo esse post. HUAhUAhUAhUAhUAhUA!
Conheço o Redman há mais de uma década e desde então me divirto com a "tosquice" da série. De verdade!

O legal desses episódios serem tão curtos e praticamente sem história é que qualquer pessoa pode acmpanhá-los pelo canal da Tsuburaya no Youtube. Não precisa nem de legenda, veja só!

No já citado post que o Usys publicou no blog dele, em maio desse ano, tem muita informação interessante e inédita para os fãs brasileiros. E o legal também é que o post proporcionou uma série de comentários pertinentes e uma curiosa discussão sobre "politicamente correto", algo que tem tudo a ver com a imagem do Redman nos dias de hoje.

Achei sensacional essa sua ideia de "reaproveitar" o herói, trazendo-o de volta em conflito com os Ultras mais "bonzinhos". Acho até que seria mais divertido ainda se a Tsuburaya chutasse o balde e assumisse de vez a tosquice e falta de noção que esse personagem representa. Ele é realmente um serial killer maníaco que ataca monstros sem nenhum motivo aparente. É o "Jason Vorhees" do Tokusatsu. HUAhuHAUHUHAUAUAA!

PS.: procurei o tal do tema de abertura tocado pela Kagaku Tokusoutai mas, infelizmente, não encontrei nem uma palhinha.

Ah! E só pra não perder o embalo: sou a favor de Redman na Rede Globo, logo após a transmissão do Jornal Nacional. =P

Ale Nagado disse...

Fala, Usys!

Sua matéria é bastante completa, por isso só faria sentido publicar minha postagem se fosse para colocar Redman no contexto da época. Acho que assim elas são complementares.

E eu vi por acaso no Twitter da Katokutai que vai sair um novo álbum neste mês. E quando vi no tracklist que vai ter o Redman, pensei que seria um bom gancho para postar o texto.

Abraço!

Ale Nagado disse...

Prezado Zoro Lee:

Que bela sacada! No planeta em que Redman luta, tudo é gigante! Ah ah, assim faz sentido o episódio em que a luta é perto de um lixão cheio de pneus velhos. Redman é uma abobrinha pra lá de bizarra. E divertida.

Abração!

Ale Nagado disse...

Bruno, também estou esperando pra ver a versão da Katokutai para o tema do Redman. Eu não sei o que a Tsuburaya está esperando pra "adotar" a Katokutai e levar eles para seus eventos.

Quando sair o vídeo, postarei no Twitter, certamente!

Abraços!

Aniki disse...

Nagado, o canal oficial da Tsuburaya liberou todos os episódios de Redman já exibidos. São 76 episódios até o momento.

Ale Nagado disse...

Boa dica, Aniki, valeu. E tenho um palpite de que nosso psicopata favorito ainda vai ganhar versão atualizada.

Abraço!

Eduardo disse...

Eu começei a assistir o Redman agora e tô rindo pra caramba da série. É o típico humor involuntário. Eu gosto de assistir por ser tão "trash" e tosca. Se eu não tivesse lido informações sobre a série nem saberia que os monstros e o "herói" (Sim, está entre aspas porque um protagonista que mata os monstros com requintes de crueldade não pode ser considerado herói, no máximo um anti-herói) estavam em tamanho gigante. Justamente nisso está a tosquice da série porque como eu vi em fotos do blog do Ulys, dá pra ver pneus velhos em algumas cenas.
É uma série ótima pra se divertir e passar o tempo. O legal é que eu li no blog do César Filho que a Tsuburaya vai exibir em seu canal do youtube Fireman e Mirrorman. Espero que tenham legendas porque vai ser uma ótima chance de ver essas séries que nenhum fansub brasileiro legendou até agora (já que Redman tem legendas, mesmo que desnecessárias, já que não há fala nos episódios).

Bruno Seidel disse...

Post atualizado, comentário novo!

Esse clipe da Katokutai é um dos vídeos mais hilários (e ao mesmo tempo empolgante) que eu vi nos últimos tempos. Acho que até quem não é fã de Tokusatsu tem boas chances de gargalhar com o nível astronômico da "trashisse". E pra quem curte é mais divertido ainda, pois a tosquice do Redman já atingiu um status cult, que a banda soube aproveitar muito bem. A riqueza nos detalhes é impressionante (a cena da lança, por exemplo) e só comprova que o quinteto respira mesmo Tokusatsu.

Dei gargalhadas em voz alta aqui quando vi o cospobre do Redman jogando o monstro na vala nas cenas finais. HUAHAUHAUHAUHAUHAUHAUA!!!
Sério! Isso é genial!

E quem diria que essa bela canção, cantada originalmente pelo lendário Masato Shimon, iria cair tão bem numa versão "Rock 'n' Roll"?? Só mesmo a Katokutai, a banda mais foda que eu conheci esse ano!

Ale Nagado disse...

Fala, Bruno! Também achei o clipe sensacional. O interessante é que até o título eles deixaram com jeito de imagem velha. O formato é o de um típico episódio do Redman, com todo aquele senso de absurdo. Eles homenageiam sem cair na seriedade, fazem tudo dentro do espírito da obra original.

Eu costumo indicar artistas de tempos em tempos no blog, mas a Katokutai foi uma das que eu mais gostei nos últimos tempos e fico feliz por tê-los apresentado a gente que curte as mesmas coisas que eles.

Agora estou de olho em possíveis novos clipes. No vol. 2, tem também a releitura deles do tema do Ultraman Great, do Masaki Kyomoto. Fiquemos de olho, que os caras não dão ponto sem nó.

Abraço!