sexta-feira, 27 de maio de 2016

Pandora Hearts

Oz Vessalius: Enviado para uma prisão
sobrenatural sem saber o motivo.
Oz Vessalius é um jovem prestes a completar 15 anos. É alegre e otimista, parecendo um adolescente comum, exceto por um detalhe. Membro de uma família nobre em um mundo cheio de misticismo, ele deverá participar do tradicional ritual da Cerimônia da Maturidade

Órfão de mãe e desprezado pelo pai, ele é o herdeiro e futuro líder dos Vessalius, poderoso clã que forma um dos quatro grandes ducados existentes. Assim, ele vai para o castelo onde será realizada a cerimônia, acompanhado da irmã pequena Ada e o leal criado pessoal, Gilbert. Tudo parece perfeito para a ocasião, mas as coisas mudam rapidamente.


Oz é envolvido em uma série de acontecimentos sobrenaturais e, sem saber o motivo, é enviado para uma outra dimensão conhecida como Abyss ("abismo", em inglês). Lá vivem perigosos demônios conhecidos como Chains, que causam mortes e desgraças quando conseguem passar para o mundo dos humanos. 
O jovem Oz se vê em um mundo
sinistro e perigoso conhecido como Abyss.
Para tentar salvar Oz (ou se aproveitar dele), surge a misteriosa garota conhecida como Alice, ou B-Rabbit, o Coelho Sangrento, que possui uma forma antropomórfica com cabeça de coelho. Ela também é prisioneira em Abyss sem saber o motivo e precisa firmar um pacto com um humano para conseguir romper a barreira entre as dimensões. Sem memórias sobre sua vida antes do aprisionamento, ela está ansiosa por descobrir quem é e não medirá esforços para atingir seu objetivo.

Em Abyss, o tempo passa de forma diferente e Oz terá que lidar com muitos desafios ao voltar ao seu mundo. Encontrado pelos agentes da Organização Pandora, ele irá ajudar na luta contra os malignos Chains, um dos quais sendo a misteriosa Alice, por quem ele acaba nutrindo sentimentos conflituosos. As coisas nem sempre são o que aparentam na difícil jornada de sobrevivência e autoconhecimento de Oz.


Capa da revista GFantasy de outubro
de 2009, destacando Pandora Hearts.
O traço da autora Jun Mochizuki se encaixa nos estilos do mangá shojo (para garotas), com muito enfoque na atmosfera psicológica. A roupagem dos personagens é elaborada, entre o clássico e o gótico, com muito requinte e detalhamento. 

As cenas de ação são explosivas e movimentadas, ainda que a clareza do que acontece perca-se em alguns momentos. Também não é na primeira olhada que se percebe que Alice alterna sua fisionomia humana para a de animal com frequência. Mas a arte em si é bastante caprichada e de acabamento impecável. 

A história tem momentos densos e pesados, aliviados aqui e ali por pitadas de humor, que não desvirtuam o andamento da história. Além disso, a narrativa apresenta muitos simbolismos e citações às obras Alice no País das Maravilhas e Alice Através do Espelho, de Lewis Carroll. O elenco de personagens vai ficando numeroso e a entrada dos implacáveis agentes da Pandora injeta ainda mais aventura e mistério, ainda no volume 1. 


A série foi publicada originalmente na revista Gekkan (de "Mensal") GFantasy, da editora Square Enix entre 2006 e 2015, gerando 24 volumes encadernados. 


Uma versão em animê foi produzida pelo estúdio XEBEC em 2009, com 25 episódios para TV, mais outros 9 feitos especialmente para vídeo. Também teve uma dramatização para rádio via internet e gerou dois CDs drama, com encenações da história somente com vozes e trilha sonora. 

Sucesso em diferentes mídias em seu país, o mangá original de Pandora Hearts chega ao Brasil já com vários fãs que descobriram a série na internet. Para quem gosta de um bom mangá com muita aventura e umas pitadas de horror, romance e humor, é uma boa dica de leitura. 

Pandora Hearts
Roteiro e arte: Jun Mochizuki
Editora: Panini Comics/ Planet Manga
Formato: 13,7 x 20 cm, com 186 páginas
Total de volumes: 24
Lançamento no Brasil: Abril de 2016
Preço: R$ 12,90
Distribuição: Bimestral
- Classificação indicativa (sugerida): 14 anos

O penúltimo volume, com
a complexa Alice na capa.
EXTRAS:
- Curta a abertura da série de TV, ao som de "Parallel Hearts", do FictionJunction, projeto pessoal da compositora e tecladista Yuki Kajiura, no qual ela toca com diferentes vocalistas:


- Confira agora uma versão ao vivo com o FictionJunction, ainda mais eletrizante:


Dicas Play-Asia:


2 comentários:

Bruno Seidel disse...

Bem interessante a referência ao clássico "Alice no País das Maravilhas". Também curti bastante a performance do Fiction Junction no show ao vivo.

A sinopse do mangá parece bem interessante, mas fico me perguntando se o mercado de publicações impressas está reagindo bem a esse cenário de "crise" no país.

Ale Nagado disse...

Fala, Bruno!

FictionJunction é bem legal mesmo, fui procurar mais material e o estilo é bem interessante, fugindo de canções heróicas ou de pop açucarado de grupos idol.

O Pandora Hearts é daqueles títulos muito celebrados pelo fandom, mas estou curioso para saber sobre vendas, pois muitos fãs apoiam o lançamento nas redes sociais, mas não compram porque já viram tudo por vias não-oficiais.

A distribuição bimestral é um sinal de cautela das editoras, cientes de que a situação econômica do país não vai bem.

Por outro lado, tenho visto as editoras anunciando sempre novos lançamentos e republicações. Quero acreditar que há um público segmentado que tem se mantido fiel. Antigamente, um gibi precisava de 20 mil cópias no mínimo para ser distribuído em bancas. Hoje, com a distribuição setorizada (que privilegia as maiores cidades e distribui o que sobra nas demais), as editoras trabalham com tiragens de até 5 mil exemplares, conforme o caso.

Editora alguma entrega quanto exatamente vende, mas acredito que, com margens menores de lucro - e menos prejuízo - tanto JBC quanto Panini estejam trilhando um bom caminho para se manter no mercado. E que as demais saibam também ir de encontro aos interesses do público.

Abraço!