terça-feira, 5 de abril de 2016

Blood Blockade Battlefront

Klaus, o poderoso líder da
Sociedade Secreta Libra, os defensores
de um mundo violento e perigoso.
Em uma realidade alternativa, uma grande catástrofe sobrenatural mudou a vida de milhões de pessoas para sempre. No lugar onde existia Nova York, um portal de outra dimensão foi aberto e monstros horrendos invadiram a cidade, que se transformou em um território sem lei. 

Rebatizada de Hellsalem´s Lot, humanos e monstros convivem nessa cidade caótica e violenta. Isolada e temida pelo resto do mundo, a sociedade local se reorganizou e desenvolveu suas próprias regras. 

É para esse mundo que vai trabalhar, por vontade própria, o jovem Leo, que deseja ajudar sua família, especialmente sua irmã cadeirante, que vivem no mundo normal. Leo consegue se adaptar bem com a vida em Hellsalem´s Lot e é bastante corajoso, mas carrega uma grande culpa no coração. Devido a um mal-entendido do qual se beneficia, Leo consegue ser levado à base da Libra, uma organização secreta de humanos superpoderosos. Dotados de grandes poderes, sua missão é manter o equilíbrio na perigosa cidade. 

Dotado de visão aguçada em nível super-humano, Leo acaba ingressando na Sociedade Secreta Libra. Sua primeira missão é localizar e destruir o ser que serve de portal para invocar um demônio partido ao meio que aterroriza a cidade. A cada aparição-relâmpago da entidade, sua lâmina provoca destruição e matança monumentais. Os agentes devem correr contra o tempo, em uma missão que é o batismo de fogo para Leo e um desafio potencialmente mortal para todos os membros da Libra. E isso é apenas o início de uma saga dentro de um mundo cheio de mistérios a revelar.

A Sociedade Secreta Libras: Tentando
manter a ordem e salvar vidas em um mundo
perigoso e violento.
Blood Blockade Battlefront é a tradução e título internacional de Kekkai Sensen (血界戦線), mangá criado por Yasuhiro Nightow para a revista Jump SQ 19 (Jump Square Nineteen), da Ed. Shueisha, em 2009. Era uma revista trimestral, lançada no dia 19 dos meses de fevereiro, maio, agosto e novembro. Em 2012 a revista mudou para bimestral e foi encerrada em fevereiro de 2015. Com isso, Blood Blockade Battlefront foi movida para a revista trimestral Jump SQ Crown e ali fixou moradia. 

A arte de Yasuhiro Nightow (na verdade, Yasuhiro Naitô) é elegante e expressiva, com um bom design de figuras, tanto dos humanos quanto dos monstros. Nascido em 8 de abril de 1967, seu mangá anterior foi Trigun, publicado no Brasil pela Panini Comics/Planet Manga. A narrativa do autor é bastante dinâmica e a ação é de alto impacto. Mas é nessa busca por impacto que reside um ponto fraco do autor, pois algumas sequências e situações ficam um pouco confusas, com a narrativa meio truncada. A explicação do poder de Leo também não tem muto nexo e há passagens que exigem que se perca um tempo tentando entender o que aconteceu.  

Capa do vol. 9, com Leo e um
certo macaquinho encrenqueiro.
Como a tendência é aperfeiçoar tanto a arte quanto a narrativa ao longo das histórias, não há com o que se preocupar, pois o volume 1 é bastante promissor e os personagens são bem interessantes. 

Além de Leo, vale destacar cada membro da Libra, com personalidades fortes, como o enigmático lider Klaus, e os inimigos declarados, a bela e orgulhosa Chain Sumeragi e o cafajeste, apesar de corajoso, Zapp. E causando confusão por onde passa tem um macaco que, mais que um alívio cômico, é um personagem a se prestar atenção, pois é peça fundamental na primeira missão de Leo com a Libra.

A série ainda está produção no Japão, mas um primeiro grande arco de histórias foi concluído no volume 10, que é o que a JBC garantiu publicar. 

Blood Blockade teve uma série de TV em animê com 12 episódios em 2015 e, para junho próximo, está prometida uma aventura feita direto para DVD/Blu-ray, com 25 minutos de duração. A produção de todas as animações é do Studio Bones, fundado em 2000 e que já produziu obras como Wolf´s Rain, Soul Eater, Gosick, Fullmetal Alchemist: Brotherhood, My Hero Academia e vários outros títulos.  

Bom exemplo de mangá shonen (voltado para garotos) repleto de batalhas e com personagens carismáticos, Blood Blockade Battlefront é carregado de adrenalina e poderá ser um sucesso também no Brasil, a exemplo do que já acontece no Japão. Vale a aposta. 

Blood Blockade Battlefront

Roteiro e arte: Yasuhiro Nightow
Editora: JBC
Formato: 13,5 x 20,5 cm, com cerca de 200 páginas por edição
Total de volumes: 

Lançamento no Brasil: Março de 2016
Preço: R$ 13,90
Distribuição: Nacional, com periodicidade bimestral

- Classificação indicativa: Para maiores de 14 anos.

2 comentários:

Usys 222 disse...

Então esse é Kekkai Sensen? Demorei um pouco para associar o título em inglês com o japonês.

Já ouvi falar muito desse e até vi umas figuras articuladas do Klaus e do Zapp, que parece gostar de consoles portáteis de jogos. Mas nunca parei para ler o mangá ou ver o desenho (de novo). Pior que com a quantidade de coisas que estão trazendo para cá, fica difícil ver todos. Mas isso é positivo.

Estou vendo que colocar esses mascotes é marca do Nightow. Em Trigun também existia um gatinho preto de aparência bem engraçada, o Kuro. Ia adorar ter uma figura desse trequinho, mas a única que conheço vem com uma maior do personagem principal, o Vash. E ele é bem caro...

Ale Nagado disse...

Fala Mr. Usys. Zapp e o macaquinho são os melhores personagens do vol. 1. Mas eu gostei de todos eles. Nightow é um excelente criador de personagens e cria uma boa dinâmica entre eles.

E realmente tem muita coisa saindo. O mercado de mangá está bem diversificado até. Só espero que o povo tenha grana pra bancar tantos lançamentos.

Abraço!