RECADO AOS VISITANTES:

Olá! O blog ainda está de férias, mas já estou trabalhando em novas postagens. O Sushi POP voltará a ser atualizado no dia 1 de agosto (terça), no período da tarde.

O que vem por aí:
- Ultraman Geed, Novo Lobo Solitário, Katokutai, Pinóquio de Osamu Tezuka, Danger 3, resultado da convocação para trabalhos acadêmicos e mais!

Esteja aqui para conferir. Até breve!

sábado, 12 de março de 2016

Lovely★Complex

Tamanho não é documento
quando o assunto é o coração.
Será mesmo?
Risa Koizumi é uma colegial com um pequeno problema. Ela é complexada por ser bem mais alta que suas amigas e mesmo vários dos rapazes. Ela é representante de classe ao lado de Atsushi Otani, um garoto baixinho com quem vive discutindo. Tendo 1,70m e 1,56m respectivamente, Koizumi e Otani formam uma dupla que é uma piada pronta para a escola. Frequentemente associados a um duo de comediantes famosos no Japão por terem grande diferença de altura, a garota e o rapaz possuem complexo devido à suas estaturas fora da média. 

A molecona Koizumi cai de paixão por Suzuki, um rapaz mais alto que ela, enquanto Otani demonstra interesse pela pequena e delicada Chiharu. Como Suzuki é muito tímido e Chiharu chega a ter fobia de homens, Otani e Koizumi resolvem se ajudar para cada um poder chegar junto da pessoa amada. Mas os planos de aproximação não saem como esperado e as partes envolvids irão descobrir que o amor pode ser estranho, confuso e desafiar toda lógica. 

Koizumi e Otani até podem viver brigando, mas se preocupam mutuamente um com o outro e têm mais em comum do que gostam de admitir. O destino parece aproximá-los, mas isso mexe com seus complexos e expectativas sobre um relacionamento amoroso ideal. 

Assim tem início LovelyComplex, um mangá shojo (para meninas adolescentes) da autora Aya Nakahara. O traço suave segue os parâmetros clássicos do mangá feminino juvenil: linhas finas e precisas, rostos delicados mesmo para os homens, cenários simplificados para destacar as figuras e efeitos gráficos usados para realçar estados emocionais e para fins decorativos. O resultado é bonito e eficiente, fiel à estética dos melhores mangás voltados a esse segmento. Mas a história é universal e é um pecado restringir sua leitura a um nicho específico. É diversão para qualquer pessoa, independente de gênero. 

Otani e Koizumi: Uma dupla muito
divertida, mas dará certo
como um casal apaixonado?
Publicada entre 2001 e 2006 na revista mensal Bessatsu Margaret da Ed. Shueisha, LoveCom (ラブ★コン, como também é conhecida a série) rendeu 17 volumes compilando toda a história. Durante o período de publicação, foi premiado na categoria shojo no 49º Prêmio de Mangá da Editora Shogakukan

Seu êxito editorial rendeu um filme live-action em 2006 e, no mesmo ano, um animê para TV com 24 episódios. Fora isso, também teve game para PlayStation 2 e dois CD Drama, com a voz dos dubladores do animê. 

Finalmente, ganhou uma continuação, chamada LoveCom D, publicada na revista Deluxe Margaret entre 2009 e 2012, compilada depois em um volume único. Tanto sucesso não foi à toa. A história e os personagens são adoráveis e agora o público brasileiro pode conferir desde o início um dos mangás shojo mais populares - e divertidos - dos últimos tempos. 

LovelyComplex
Roteiro e arte: Aya Nakahara
Editora: Panini Comics / Planet Mangá
Formato: 13,5 x 20 cm, com 186 páginas em média
Total: 17 volumes
Lançamento: fevereiro de 2016
Periodicidade: bimestral
Preço: R$ 12,90
- Classificação indicativa: Não especificada
(Sugestão: 14 anos)

Extras:
1) Trailer do filme live-action, lançado em 2006.



2) Primeira abertura do animê, produzido pela Toei Animation. A canção é a "Kimi + boku = Love?" (ou "Eu + você = Amor?"), pela dupla Tegomass

4 comentários:

Usys 222 disse...

A trama parece ser bem clichê e o desfecho bem previsível... à primeira vista.
Mas mesmo assim, a série conseguiu se manter por tantos anos, ainda por cima com versões em várias mídias e isso é um grande feito! Aqui está a prova de que a habilidade do(a) autor(a) é que é o grande fator para o sucesso de uma obra. Descartar só porque "eu já vi isso antes" é precipitado. Só se pode falar de algo ao experimentar de fato.

Ale Nagado disse...

Fala, Usys!!

Sim, um clichê bem conduzido, bem narrado e bem produzido pode render uma agradável experiência de leitura. É aquilo que já debatemos em outras ocasiões. A trama pode ser previsível, mas essa série é adorável e tem momentos extremamente divertidos. Quando comecei a ler, não dei muito crédito, mas em certo momento me peguei imerso na história. Dei uma chance a esse shojo e não me arrependi. Recomendo.

Abraço!

Henry disse...

Cara eu gostei muito de todas as versões, muito agradavel, e com uma levada muito empolgante e divertida, eu sinceramente nao dava nada pela historia mas me surpreendi e recomendo a serie.

Ale Nagado disse...

Olá, Henry! Eu não sou muito ligado em shojo mangá e não botei muita fé no material, apenas achei o desenho bonitinho, bem típico desse segmento. No entanto, conforme fui lendo, fui sendo fisgado pelo roteiro, que é bem amarrado, cheio de boas sacadas. Fiquei curioso pra ver o filme, apesar de pegada mais caricata.

Obrigado pela participação aqui. Espero que encontre mais leituras do seu interesse no Sushi POP.

Abraço!