RECADO AOS VISITANTES:

Olá! O blog ainda está de férias, mas já estou trabalhando em novas postagens. O Sushi POP voltará a ser atualizado no dia 1 de agosto (terça), no período da tarde.

O que vem por aí:
- Ultraman Geed, Novo Lobo Solitário, Katokutai, Pinóquio de Osamu Tezuka, Danger 3, resultado da convocação para trabalhos acadêmicos e mais!

Esteja aqui para conferir. Até breve!

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Clássicos do pop japonês - The Galaxy Express 999

Um dos grandes clássicos das anime songs e
do pop japonês de todos os tempos. 
Ginga Tetsudou 999 ou The Galaxy Express 999 é o nome da canção-tema do primeiro longa-metragem da extensa saga criada por Leiji Matsumoto. Célebre coautor da Patrulha Estelar e criador do Pirata Espacial Capitão Harlock, Matsumoto é famoso por grandes sagas espaciais que usam de fantasia - e não ficção-científica - para contar intensos dramas. Em todos eles, as adaptações em animê ganharam músicas altamente sentimentais e icônicas. Compor e interpretar músicas para animês de Leiji Matsumoto é para poucos. 


Em Ginga Tetsudou 999 (leia como "guinga tetsudô three-nine"), Matsumoto conta a história de Tetsuro Hoshino, um garoto que viaja por vários planetas a bordo do Ginga Tetsudou 999 (ou "Galaxy Express 999"), uma nave espacial com a forma de uma antiga locomotiva. Assim como o Yamato era um navio de guerra convertido em espaçonave, o Galaxy Express faz todo o sentido dentro do conjunto da obra do autor. 

Na trama, em uma era onde as pessoas robotizam seus corpos em busca de imortalidade, Tetsuro busca conseguir um corpo mecânico para poder vingar sua mãe, morta em uma cruel caçada humana. Em suas andanças, conhece e se apaixona pela misteriosa Maetel e também se encontra em algumas situações com o Capitão Harlock, numa extensa saga com uma cronologia tênue, que não deve ser levada muito a ferro e fogo. 


- A canção aumentou ainda mais o senso de drama e emoção que embalou o aclamado longa-metragem.

A saga nasceu em mangá em 1977 e gerou duas séries de TV, além de diversas produções para cinema e vídeo. O primeiro animê pra cinema da série é de 1979 e foi exibido nos anos 1990 em São Paulo no MIS -  Museu da Imagem e do Som, durante um festival de produções japonesas. O filme é grandioso e emocionante, com direção do renomado Rin Taro e produção da Toei Animation. A canção-tema homônima alcançou grande sucesso quando foi lançada no Japão, a ponto de ser apreciada isoladamente, sendo um grande clássico tanto do pop japonês quanto das anime songs (ou anisongs). 


A canção "Ginga Tetsudou 999 - The Galaxy Express 999" é vibrante e começa a tocar no final do filme, após uma emocionante cena de despedida, enquanto o trem espacial decola. A tristeza da cena ganha novo significado com a pulsante energia da canção, que diz em seu refrão "The (Galaxy) Express Three-Nine will take you on a journey/ A never ending journey/ A journey to the stars!" Arrepiante. 

Composta e interpretada pelo grupo Godiego (leia "Godaigo") alcançou enorme sucesso. A letra foi de Yoko Narahashi e Keisuke Yamakawa, com melodia de Yukihide Takekawa e arranjo de Mickie Yoshino, estes dois últimos sendo os criadores principais da banda. 

O Godiego, que tem o nome de um antigo imperador japonês que viveu entre 1288 1399, foi formado em 1975 e sua formação mais conhecida inclui Yukihide Takekawa (voz solo, vocais e teclados), Mickie Yoshino (piano, teclados e vocais), Takami Asano (guitarra e vocais), Steve Fox (baixo e vocais) e Tommy Snyder (bateria e vocais). Dos dois integrantes com nomes ocidentais, Steve Fox na verdade é um mestiço nascido no Japão e Snyder é americano. Takekawa é um compositor bastante reconhecido e contribuiu com várias trilhas sonoras de séries de TV, incluindo as melodias dos temas de abertura e encerramento de Flashman (1986). O Godiego ainda está em atividade fazendo show pelo Japão e tem uma extensa lista de hits, como "Gandhara", "Monkey Magic", "Namastê", "Progress and harmony", "Beautiful name" e outros. 

O single ficou em segundo lugar na Oricon e se tornou um clássico, sendo regravado por artistas como Animetal, Masaaki Endoh, Rica Matsumoto e outros. 

Em 2008, ganhou versão pelo grupo Exile e voltou às paradas. Perante um novo público e sem ser associado ao animê, virou toque de celular e foi baixado mais de 500 mil vezes. 


- A versão do Exile.

Em 2013, virou o tema principal do festival Animelo Summer Festival, o mais importante festival japonês de anime songs. Na ocasião, foi regravado pelos artistas daquele ano, o que incluiu talentos como Nana Mizuki, ALI PROJECT, Psychic Lover, GRANRODEO, Akira Kushida, nano.RIPE e vários outros. O clipe ofical, estranhamente, não mostra nenhum deles, limitando-se a mostrar a excelente banda de apoio tocando seus instrumentos. 

Até hoje, é uma das anime songs mais famosas e queridas do público japonês. 


- A versão Animelo, cantada por grandes nomes das anime songs.

Godiego - Site oficial: godiego.co.jp

Extras:

1) The Galaxy Express 999 ganhou até versão jazz, como parte do projeto Platina Jazz

2) Confira aqui uma apresentação ao vivo do Godiego em 1979

10 comentários:

Usys 222 disse...

A música parece festiva, mas a letra é bem sentimental, falando de "partida", de despedida, de uma nova viagem em direção ao futuro. Muito bonita mesmo.

Tem umas coisas bem interessantes nos créditos. Entre os animadores pude notar o nome de Hiroyuki Kouno, que atualmente é diretor de animação nas séries Precure. Não imaginava que a carreira dele fosse tão longa! Também notei que Tetsuro Hoshino é interpretado por Masako Nozawa, que interpretou Son Goku nas séries Dragon Ball (assim como todos os homens da dinastia do herói).

A música que eu mais me lembro de Godiego é Gandhara, encerramento da versão live-action de Saiyuki, que também é muito bonita, gostosa de ouvir e difícil de esquecer. Essa música e a abertura, Monkey Magic, viraram sucessos internacionais. E elas também ganharam vários arranjos.

Esta matéria foi muito boa para relembrar de algumas coisas e descobrir outras. Gostei muito!

Rogério disse...

Boa noite Alexandre,

Lendo mais esta ótima postagem é curioso perceber como a Space Opera de Leiji Matsumoto forjou meu gosto pelo gênero tanto quanto Star Wars.
Principalmente Yamato e Capitão Harlock (que mereceu um belo, mas insatisfatório, filme em CGI recentemente).

Não consigo lembrar de nenhum anime recente, fora a ótima nova versão de Yamato, que aborde o gênero.

Alguma sugestão?

Gabriel Silva disse...

Fala, Nagado.

Apesar de já conhecer o anime e a canção-tema, achei o post bem informativo. De certa forma, eu já era fã do trabalho do Matsumoto antes mesmo de saber quem ele era ou o que ele tinha feito no passado. Algum tempo atrás, o clipe da música "One More Time" do Daft Punk passava bastante na MTV e eu achava interessante aquela mistura de anime com disco music/futurismo similar ao trabalho do Giorgio Moroder nos anos 70. Depois de pesquisar mais a respeito da banda, descobri que eles tinham feito um longa de animação em parceria com o Leiji Matsumoto chamado Interstella 5555, que foi de onde eles tiraram todos os videoclipes do albúm Discovery. Não sei porque, mas eu senti um certo "deja vú" desde a primeira vez que vi o clipe de "One More Time", como se já tivesse visto algum anime do Matsumoto antes, durante a minha infância. Sei que Patrulha Estelar já passou algumas vezes aqui no Brasil, mas você saberia informar se foi exibido no final dos anos 90/começo dos 00, Nagado? O pior é que eu me lembro claramente de ter visto esse anime (ou algum outro parecido, talvez?) uma vez depois do programa do pastor RR Soares, mais ou menos nessa época, mas não sei se isso aconteceu de verdade ou se tem algum arquivo corrompido na minha memória. Até já pesquisei a respeito no Google mas não encontrei nada :/.

De qualquer forma, parabéns pelo post. Ainda está aberta aquela sessão de bate-papo do blog? Se estiver, vou pensar em mais uma de minhas perguntas inúteis para te enviar. Fica esperto :)

Ale Nagado disse...

Fala, Usys!

A Masako Nozawa é uma figura. Lembro que, durante a divulgação do filme Dragon Ball Z - O renascimento de F, ela posou pra fotos junto com as meninas do Momoiro Clover Z (que cantaram o tema do filme) e também foi aos EUA e posou ao lado do dublador americano do Goku, fazendo pose de Kamehameha. E ela já tem mais de 70 anos. Uma carreira invejável e o trabalho dela como Tetsuro também é digno de nota, pois o personagem é muito sofrido. A música, falando de despedida, mas com ênfase na aventura rumo ao desconhecido se encaixa totalmente no espírito do animê. Eu ouvi essa canção pela primeira vez na vida exatamente no final do filme. Eu estava na exibição no MIS em São Paulo e fiquei totalmente arrepiado com o que assisti. Um grande filme com uma música que fecha tudo com chave de ouro.

Ghandara e Monkey Magic são legais também. Tenho um CD do Godiego com os maiores sucessos da banda, que comprei no Japão. Pena que a voz do Yukihide Takekawa perdeu brilho e vigor, mas o trabalho dele como compositor é eterno.

Abraço!

Ale Nagado disse...

E aí, Rogério!

Leiji Matsumoto é o maior autor de space opera que já vi. Não tem similares ou concorrentes, pois Yoshiyuki Tomino tem uma pegada bem diferente. Não saberia indicar outra coisa para quem gosta desse gênero.

Abraço!

Ale Nagado disse...

Fala, Gabriel!

Que eu me lembre, Patrulha Estelar não teve reprises nos anos 90. Talvez você tenha visto "Capitão Harlock e a Nave Arcádia", um longa-metragem que a Rede Manchete transformou em minissérie de cinco partes o estilo de batalhas e naves é igual ao Yamato, sendo outra obra (ainda mais autoral) do Leiji Matsumoto.

E a seção "Bate-papo" está sempre aberta e são postagens com boa audiência. Só que pouca gente já se animou a mandar algum tema, então qualquer contribuição sua é bem-vinda!

Abraços!

Rafhael Victor disse...

Adoro ler esse tipo de matéria mais informativa, não relacionada apenas com a cultura dos animes mas com a cultura japonesa como um todo. Ótimo artigo.

Ale Nagado disse...

Olá, Rafhael! Legal que gostou do conteúdo postado.

Olha, tem vários posts em que eu procuro passar informação além da cultura pop. Tanto que tem os marcadores "cultura japonesa" e "geral", que indicam os posts com mais variedade de informação.

Apareça mais vezes. E obrigado pela visita.
Abraço!

Mauricio disse...

Animes do gênero recentes eu desconheço, mas uma "space opera" bacana também é o "Legend of the Galactic Heroes". São 110 episódios mais uns especiais, com muita política, estratégia e batalhas espaciais com milhares de naves.
Eu particularmente sou fã e consegui ver inteiro, graças a um site antigo que também disponibilizou todas as séries antigas do Yamato.
Mas hoje em dia deve ter fácil por aí.

Ale Nagado disse...

Boa dica, Mauricio. Lembro que esse animê foi bastante comentado na época. Uma hora, darei uma conferida.

Abraço!