quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Terra Formars

No futuro, soldados
especiais vão enfrentar
a maior ameaça
à humanidade:
baratas mutantes
No futuro, o descontrole populacional obriga os governos da Terra criarem um plano ambicioso para tornar o planeta Marte habitável. Além de processos para gerar oxigênio, uma das manobras consiste em espalhar grandes quantidades de uma alga e também de baratas em quantidade suficiente para cobrir a superfície do planeta e iniciar um processo de aquecimento. A operação, chamada de "terraformação" visa preparar a chegada da humanidade após um período de séculos. 

Kill La Kill

Ryuko Matoi e seu
uniforme Senketsu:
Batalhas alucinantes,
violência e muito humor.
Em uma realidade caótica onde as escolas são instituições militarizadas que lutam entre si, uma garota busca vingança. Seu nome é Ryuko Matoi e o pai dela foi assassinado em circunstâncias misteriosas. 

Sua única pista é uma a metade de uma tesoura gigante, que ela usa como se fosse uma espada. Nas escolas, regidas por tiranos sanguinários, existem os que usam uniformes chamados de "goku", que conferem grande força e poder a quem os utiliza, existindo diferentes graduações e níveis de poder indicados por símbolos de estrela. Mas nenhum uniforme é tão formidável quando o "kamui", uniforme sobrenatural usado por Ryuko. 

terça-feira, 18 de agosto de 2015

Limit - Amizade em situação extrema

Mizuki Konno, a protagonista
de Limit, uma história
dramática e repleta de tensão.
Um tema relativamente comum em mangás é o da sobrevivência em situações extremas e desafiadoras. Seja por uma ameaça externa, como em Enigma, ou interna, como em Doubt, não é novidade a ideia de jogar um grupo de adolescentes em um ambiente hostil onde ninguém tem a garantia de sobrevivência. Esse clichê, como qualquer outro, pode ser bem explorado ou não, dependendo do talento do autor. 

Tendo lido o primeiro volume de Limit, a avaliação é positiva. A autora Keiko Suenobu, que também assinou o polêmico mangá Vitamin (que aborda o bullyng), mostra um trabalho para ser lido num fôlego só, com uma narrativa envolvente. 

quinta-feira, 13 de agosto de 2015

Androide Erica e o animê Presence - A realidade chegando perto da ficção

Erica, a mais avançada androide já criada no Japão (esq.)
e uma intrigante personagem de Robot Carnival,
uma obra-prima da animação japonesa, direto dos anos 80.
Realidade e ficção estão começando a se aproximar?
No início de agosto, foi apresentada no Japão a androide Erica, o primeiro robô capaz de falar como um ser humano. Ou pelo menos, a mais bem sucedida tentativa até agora, e é impressionante, levando a imaginar aonde isso vai levar. Menos de um ano atrás, Asuna já causava sensação ao apresentar expressões sutis. Porém, quando falava, a voz ainda soava artificial e seu aspecto ainda era bastante mecânico. Um passo além foi dado com a união de pesquisadores de diferentes entidades, que construíram uma verdadeira obra de arte. 

segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Bate-papo: Quem decide os rumos de uma série?

Kamen Rider Drive (2015):
Fugindo da tradição de
motoqueiros, Drive tem
como tema carros de corrida.
Como ou quem bola as ideias das séries de tokusatsu? Quer dizer, como funciona o "brainstorm", o processo criativo... Tem algum produtor que reúne a equipe de roteiristas e determina: "Neste ano o tema vai ser carros, então criem um Kamen Rider baseado em carro!"? Como nasce a ideia de uma série e qual o processo até ela ficar pronta? 
Juan Roman Riquelme

Olá, Juan. Bem, pela forma como colocou, acredito que o seu foco de interesse seja especificamente Kamen Rider e Super Sentai, mas a minha resposta será bem abrangente. 

Há dois tipos de séries no que diz respeito à sua origem: ou é adaptação de outra mídia (mangá, livro, game) ou é criação original para a TV. Quando é produção simultânea, pode ter certeza que a série de TV foi vendida ou concebida primeiro. Em ambos os casos, os produtores detêm a maior parte do poder de decisão, sendo que muitas vezes esse poder é absoluto, sem consulta a qualquer profissional de criação. 

terça-feira, 4 de agosto de 2015

Bate-papo: Bolando um filme de Ultraman


Como seria um filme ideal para comemorar os
50 anos da maior franquia de super-heróis do Japão?
Saudações.
Não é bem uma pergunta, mas lá vai:

Imagine a seguinte situação: Você vai ser o produtor do próximo filme das séries Ultra, em comemoração aos 50 anos da franquia. Como você faria esse filme? Como seria a sua "escalação" (diretores, roteiristas, atores etc.)? Os fundos são ilimitados e pode chamar quem quiser.

E um desafio: Por imposição dos patrocinadores, um artista que está em ascensão no momento (genérico; não se trata de ninguém em especial) deve ter uma participação proeminente no filme. Mas você já viu que ele é um péssimo ator e ainda por cima canta mal e só conseguiu sua posição atual por ser um "rostinho bonito". Como contornar essa situação?

Usys 222

Fala, Mr. Usys! Ah, que legal, isso é que é bate-papo, do tipo que eu ficaria horas jogando conversa fora... Então é pra imaginar um produtor com poder total e podendo gastar o que quiser? Hum, como eu sou muito pragmático, veremos o que pode sair dessa proposta. O que vem a seguir é um papo de "especialista hardcore nível master", por isso, se alguém ficar boiando, peço desculpas. :-D