quinta-feira, 23 de julho de 2015

Ultraman X - Começa a aventura!

Ultraman X chega com exibição simultânea
em vários países, um marco para as séries
tokusatsu e o Universo Ultra
Ultraman está voltando a ser um assunto quente, ganhando espaço na mídia. Pela primeira vez, um seriado tokusatsu é exibido no Brasil quase que simultaneamente em relação ao Japão, graças ao site de streaming Crunchyroll, que trouxe Ultraman X, o mais novo herói da franquia Ultra. O seriado chegou mostrando qualidade e muito potencial. 

O enredo faz referências a elementos de Ultraman Ginga, (2013), no caso os Spark Dolls, que são monstros e alienígenas transformados em bonecos por um ser poderoso nos confins do universo. Mas a história se passa em uma realidade diferente, sem ligação cronológica com produções anteriores. Episódios futuros devem esclarecer melhor a origem desses Spark Dolls, ligando (ou não) a história a Ultraman Ginga ou ao multiverso Ultra, que é repleto de dimensões paralelas. O que importa aqui é saber que um número não estimado de Spark Dolls vindas do espaço caiu em diferentes pontos do planeta.

Ultraman X traz de volta elementos das séries
anteriores, mas com novas abordagens
A história de X começa 15 anos atrás, quando um fenômeno chamado de “super-lampejos do Sol” irradiou a Terra. A energia liberada sobre a atmosfera acaba afetando Spark Dolls espalhadas pelo globo, fazendo vários bonecos reverterem à forma original. Os primeiros monstros a surgir são antigas ameaças das séries Ultra clássicas, como Bemlar e Pegira, mas nenhum deles é conhecido nesse mundo que nunca havia visto monstros gigantes ou sequer conhece da existência dos Ultras. 

Para enfrentar essas ameaças, as nações da Terra formaram o grupo XiO (leia "Zio"), sigla para "Xenon invasion Outcutters". Agindo em conjunto com os oficiais de combate, a divisão de pesquisas da XiO trabalha empenhada em aproveitar alguns Spark Dolls que encontraram para criar Cyber Monstros tecnológicos. 

Daichi Oozora, um dos oficiais da XiO, perdeu seus pais ainda criança, num desastre causado pelos lampejos solares. Ele possui um Spark Doll do monstro Gomora, inimigo do primeiro Ultraman, que já fora convertido em aliado em produções recentes. A equipe é das mais bem aparelhadas, e um dos destaques é a pequena, invocada e habilidosa Asuna, provável interesse romântico de Daichi.
Daichi Oozora: Seguindo um legado de
hospedeiros humanos que se unem a
guerreiros Ultra
Encurralado pelo monstro lendário Demaga num ataque a uma cidade, Daichi é salvo por Ultraman X, que se funde a ele. Tomado de espanto ao se ver transformado em um gigante de 50m, Daichi se assusta e demora um pouco a completar a simbiose com Ultraman, mas quando o faz, consegue acessar seus poderes.

Além do visual arrojado, com o marcador luminoso de energia em forma de X, esse Ultra usa diferentes armaduras que simulam os poderes de monstros, graças ao projeto Cyber Monstros da XiO. O recurso, acionado a partir de Cyber Cards, é usado a partir do segundo episódio, quando X enfrenta Birdon, inimigo clássico da série Ultraman Tarô (de 1973).

O design da série é muito bacana, incluindo os uniformes e veículos da XiO, a direção é muito boa e o roteiro se preocupa com muitos detalhes que normalmente passam batido, como mostrar Daichi tendo reações humanas quando se transforma pela primeira vez, ficando na mesma altura do monstro. E o monstro Demaga, destaque do primeiro episódio, nunca havia aparecido antes e é classificado pela XiO como sendo um monstro "tipo G". Seria esse G uma referência a Godzilla?

X com a Cyber Eleking Armor


Ultraman X tem capítulo inédito transmitido pelo portal Crunchyroll toda terça, às 7h30 da manhã, somente para assinantes, apenas uma hora depois do final do episódio ter sido exibido no Japão. Quem não é assinante deve esperar uma semana para que o episódio seja liberado. O site tem em seu acervo as séries completas e legendadas em português de Ultraman Leo (1974), Ultraman 80 (1980), Ultraman Max (2005) e Ultraman Mebius (2006). 

A série de X está programada para 22 episódios e, se for seguido o padrão da Tsuburaya, o herói ainda deve ter seu filme para cinema. Como o ano que vem é comemorativo dos 50 anos da franquia, pode-se esperar coisas interessantes sendo planejadas. 

FICHA TÉCNICA

Título: Ultraman X
Estreia mundial: 14/07/2015 (TV Tokyo e Crunchyroll)
Roteiro: Yuji Kobayashi, Takao Nakano, Hirotoshi Kobayashi, Hisako Kurosawa
Trilha sonora: Takao Konishi
Direção: Koichi Sakamoto, Takanori Tsujimoto, Yuichi Abe, Taku Tomita
Direção geral: Kiyotaka Taguchi
Realização: Tsuburaya Pro

A gracinha boa de briga
Asuna (Ayano Sakanoue),
um dos destaques da série
Elenco:
Daichi Oozora: Kensuke Takahashi
Asuna Yamase: Akane Sakanoue
Wataru Kazama: Yoshihiko Hosoda
Hayato Kishima: Ukyou Matsumoto
Sayuri Tachibana: Sarara Tsukifune

Mamoru Mikazuki: Hayato Harada
Rui Takada: Haruka Momokawa
Takeru Yamagishi: TAKERU (Voyager)
Chiaki Matsudo: Chiaki Seshimo (Voyager)
Cap. Shotarô Kamiki: Yu Kamio
Ultraman X (voz): Yuichi Nakamura


- Curta agora o tema de abertura de Ultraman X, uma canção homônima interpretada pelo excelente grupo Voyager, com a participação de Daichi Oozora, aliás, Kensuke Takahashi.



[Extra]
Escrevi outra matéria sobre Ultraman X e o Universo Ultra, mas para o portal UOL, apresentando o herói para um público leigo. Confira: 

"Ultraman X" atualiza monstros de borracha das séries de TV japonesas

3 comentários:

Usys 222 disse...

Também vi o Ultraman X. Muito bom!
Uma coisa que notei é o uso de cenas com profundidade. Dá uma estranha sensação de 3D. A combinação de maquetes com CG é muito bem feita.

Interessante que são duas esferas de energia que vêm para a Terra. A outra é um monstro ou será alguma entidade inteligente? O desaparecimento dos pais do Daichi é igualzinho ao de Go Busters. Pensando bem, lá também tinha algo a ver com ciberespaço.

A história do episódio 2 é bem interessante. Assim como as séries Ultra originais, tem elementos para agradar as crianças e também algo que faz os adultos pensarem. E tem um elemento que faz vibrar qualquer fã das séries Ultra. Não vou contar o que é, mas logo dá para notar.

Ah, sim. Ruirui é uma menina inteligente. Essa entende das coisas!

Bruno Seidel disse...

Assisti ao primeiro episódio e gostei bastante! Cenas de ação e efeitos especiais extremamente caprichados!!

Várias dúvidas ficaram em aberto e deverão ser exploradas no decorrer da série: "Por que tamanho apego do Daichi pelo Gmoroa? O que havia na outra esfera que aparentemente duelava com o X naquela cena? Os pais do Daichi morreram ou só estão desaparecidos? Vai rolar algo entre a Asuna e o Daichi? Existe alguma relação entre as Spark Dolls do X e as do Ginga?"

Ainda não vi o segundo episódio, mas esse comentário do Usys agora me deixou bem curioso e com as expectativas nas alturas! Quero acompanhar a série toda e torço para que seja tão boa quanto Ginga, que eu assisti em janeiro. O número de episódios é relativamente curto, se comparado ao das séries Super Sentai e Kamen Rider. Dá pra acompanhar numa boa. Se bem que 22 episódios acaba sendo pouco pra aprofundar alguns personagens e desenvolver um enredo repleto de reviravoltas e acontecimentos marcantes. Ainda assim, estou otimista, pois séries Ultras jamais me desapontam.

Ah! E parabéns pela matéria no UOL, Nagado! Muito legal ver uma série Ultra ganhando destaque novamente em um grande veículo. Tomara que esse embalo se mantenha até o cinquentenário, no ano que vem. Acompanharei de olhos vidrados!!

Ale Nagado disse...

Fala, Usys!

Eu achei legal a cena das esferas de energia, pois remete ao primeiro Ultraman. O que poderia estar lá de tão poderoso que, ao cair no Sol, desencadeou o fenômeno de irradiação? E o X, é um Ultra de M-78 enviado para uma dimensão onde a Terra desconhece a existência dos Ultras? Meio sem querer, o Universo Ultra ficou meio parecido com o Multiverso da DC Comics, com suas realidades paralelas. Muita coisa ainda precisa ser explicada, mas dá pra perceber que estão tentando aplicar um senso de lógica que é incomum nesse tipo de seriado.

Fala, Bruno! Fala sério, quando cada um de nós começou a acompanhar tokusatsu, jamais imaginou que um dia ia assistir em português algo praticamente simultâneo ao Japão, não é? Mas 22 episódios já é um grande passo em relação às séries do Ginga, que foram bem mais curtas. E pelas contas, o X acaba ainda neste ano. O que será que estão preparando para o 50o ano das séries Ultra? Poderia ser um filme grandioso em duas partes, como estão fazendo com Ataque dos Titãs. Vamos aguardar.

Abraços!!