quinta-feira, 25 de junho de 2015

ZETMAN - A jornada de um herói sombrio


Atenção: Revista desaconselhável para menores de 18 anos.

No Japão moderno, Jin Kanzaki é um menino de rua que vive com seu avô e alguns mendigos em meio à opulência de Tokyo. Aparentando 8 ou 9 anos, ele tem uma estranha marca circular na mão esquerda e é extremamente forte e ágil, praticamente um super-humano. Jin usa suas habilidades para ajudar pessoas em apuros na esperança de ganhar recompensas em dinheiro, no que é repreendido por seu avô. O sábio homem tenta transmitir conhecimento e valores para o menino, que se mostra de uma ingenuidade inversamente proporcional à sua força bruta. 

Enquanto isso, misteriosos assassinatos desafiam a polícia com indícios sobrenaturais. Pessoas são esquartejadas e feitas em pedaços em segundos a qualquer hora do dia, enquanto caminham e isso leva terror à cidade. Rondando os brutais acontecimentos, misteriosos homens investigam o paradeiro dos Players, criaturas perigosas que vivem ocultas na sociedade, tendo fugido dos laboratórios da Corporação Amagi

Esse é o início da sombria história do super-herói Zetman. O primeiro volume da HQ é focado em sua infância, na tragédia que o marca para sempre e no encontro com uma bondosa mulher que se torna sua mãe adotiva. De passado conflituoso, a impulsiva dançarina de boate Akemi acolhe Jin em sua casa, mas é atacada por um ex-namorado criminoso. A sequência violenta de acontecimentos desperta uma fúria incontrolável em Jin, que solta seu lado selvagem e depois sofre um colapso. Levado a um hospital, ele acaba cruzando seu caminho com um investigador que se preocupa com ele e o vê como alguém com potencial para lutar por boas causas, se for bem orientado. 

Em sua jornada para descobrir quem é e qual seu propósito no mundo, Jin se tornará o poderoso herói ZET e conhecerá Kouga Amagi, um aliado que usará o codinome Alphas. A irmã de Kouga, Konoha, conheceu Jin quando ambos eram crianças e ela nutre por ele uma grande admiração. Muito ainda será revelado sobre o poder e as origens de Jin e ele não estará sozinho em sua luta contra a Corporação Amagi e os perigosos Players. 


Zetman: Um herói com um poder e fúria que
podem torná-lo uma grande ameaça
Masakazu Katsura, o autor de Video Girl Ai, DNA2 e muitas outras obras de qualidade vem com uma aventura densa na qual ele mostra estar no auge de suas habilidades como ilustrador e roteirista. A anatomia, expressiva e com cenas de ação impactantes, está impecável, sem que o realismo entre em choque com a estilização típica dos mangás. A combinação impressiona, pois ele traz uma carga de realismo anatômico sem perder de vista um bom grau de estilização e expressividade facial. Os cenários estão magníficos como de costume, em parte graças ao apoio de seu estúdio, o K2R

Zetman carrega muitas influências de quadrinhos de super-heróis americanos e Katsura é um grande fã de Batman, algo que ele já demonstrou diversas vezes em sua carreira. Mestre em caracterizações críveis, ele deixa claro porque é também um dos maiores desenhistas de sua geração, com poucos rivais atualmente. 

A obra mostra um fato pouco conhecido e divulgado sobre o Japão: a existência de favelas e moradores de rua, ainda que em número bem menor do que no Brasil. São pessoas que caíram em desgraça e vivem totalmente marginalizadas pela sociedade. Mais ainda do que nos países do terceiro mundo, carregam um estigma pesado e representam algo que a maioria das pessoas lá prefere ignorar. Começar a série focando um pouco dessa dura realidade foi um gesto de coragem do autor, por ser ele um nome do mainstream dos quadrinhos em seu país.

Zetman surgiu em 1994 no Especial de Outono da revista Jump Comics como uma história fechada de 49 páginas. No ano seguinte, a mesma aventura foi a principal em uma coletânea de histórias fechadas de Katsura intitulada Zetman - Coleção de contos de Masakazu Katsura (de 1995), com 4 histórias no total. Como a coletânea inclui histórias não relacionadas entre si produzidas entre 1989 e 95 e Zetman foi o chamariz do título, isso causou confusão na Wikipedia em inglês, que cita o personagem como tendo estreado em 89. 
Ilustração da versão original de Zetman (1994)
Somente em 2002 e depois de ser reformulado, Zetman virou série regular na Young Jump (Ed. Shueisha), voltada para jovens adultos. A série foi encerrada (por enquanto) em 2014, totalizando 20 volumes. 

Entre 2011 e 2012, ganhou versão literária assinada pelo escritor Hideyuki Furuhashi com ilustrações do próprio Katsura, sendo veiculado em capítulos na revista Jump Miracle. O material foi compilado no volume Alphas ZETMAN Another Story

Em 2012 Zetman também virou uma série de animê produzida pela TMS Entertainment e com 13 episódios. A caprichada produção, que dividiu opiniões, contou com a participação de profissionais de vários estúdios, incluindo os renomados Gainax e Production IG

Com Zetman, Katsura mostrou um alto nível narrativo e visual, em um trabalho maduro e de impacto, muito diferente dos trabalhos pelos quais ficou famoso. 

ZETMAN
Autor: Masakazu Katsura
Editora: JBC
Formato: 12 cm x 18 cm, com cerca de 250 páginas por edição
Total: 20 volumes
Lançamento: Junho de 2015 (Distribuição setorizada)
Preço de capa: R$ 17,50
 - Para maiores de 18 anos.

*****************************

Extra 1: Leia o primeiro capítulo completo, liberado pela editora na plataforma Issuu!
Dica: O material está em leitura de sentido japonês (da direita para a esquerda). Portanto, espere carregar todo o arquivo e vá até a última página (n. 44) para começar a leitura corretamente pela capa. 




Extra 2: Abertura do animê Zetman (2012)
Tema: [dots and lines] por Yo Hitoto and Mummy D

2 comentários:

Mauricio disse...

Zetman é compra certa pra mim, que acompanho via scans há um bom tempo.
Nunca pensei que veria esse manga em banca por aqui, por isso, fiquei muito feliz pelo lançamento.

Ale Nagado disse...

Olá, Mauricio!

O Zetman eu só conhecia através de algumas ilustrações da versão original, que eu tenho em um livro de ilustrações do Katsura (sensacional, devo dizer). O mangá eu achei realmente empolgante.

Vendo o trabalho de Katsura e sabendo de sua afinidade com o Homem-Morcego, acho lamentável que a DC Comics não o tenha chamado ainda para fazer uma aventura do Batman. E acho que o Demolidor da Marvel também ficaria fantástico em uma visão de Katsura.

Abraço!