quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Doubt - Um lobo entre coelhos

Capa de Doubt #1, posicionada na
horizontal para facilitar a visualização
da arte de Yoshiki Tonogai
Rabbit Doubt é o nome de um jogo para celular bastante popular que consiste em descobrir, em um grupo de coelhos, quem é o lobo assassino disfarçado. Após algumas baixas, os sobreviventes devem se reunir e executar o maior suspeito. Se tiverem êxito, os coelhos venceram. Se erraram no julgamento, o lobo matará a todos. 


Um grupo de seis jovens que joga esse game pela internet resolve marcar um encontro para se conhecerem. Apesar de alguns desentendimentos e desconfianças no começo, o grupo se solta e acabam indo para um karaokê se divertir. Os tipos são os mais variados: há o inseguro Yuu, a alegre Mitsuki, a meiga Rei, outrora uma famosa hipnotizadora da TV que está na condição de cadeirante após ter tentado o suicídio, a insinuante Haruka, o rebelde e agressivo Eiji. Depois se junta a eles o misterioso estudante de medicina Hajime.

Sequestrados e levados a um lugar estranho, uma construção aparentemente abandonada e repleta de salas e corredores sinistros, o grupo descobre que foram gravados códigos de barras em seus corpos. Os códigos abrem portas específicas, criando um ambiente tenso onde eles se veem em um jogo mortal. Logo no início, um assassinato choca o grupo, despertando desconfiança e terror entre eles. Os restantes deduzem que foram lançados numa versão real do Rabbit Doubt e precisam descobrir quem está fazendo tudo isso. 


Em pé (esq. p/ dir.): Hajime, Yuu e Haruka
Sentados: Mitsuki, Rei e Eiji
Quem será o lobo entre os coelhos?
Eis a trama de Doubt, mangá lançado recentemente pela Editora JBC. Se por um lado um serial killer eliminando adolescentes parece uma ideia batida para quem é familiarizado com histórias de horror e suspense, a ideia do jogo e a execução da narrativa são primorosas. A história e a arte do autor Yoshiki Tonogai são boas e seu domínio do tempo narrativo levam o leitor a se envolver com a história e se preocupar com seus personagens. 

O trabalho foi publicado originalmente no Japão entre julho de 2007 e fevereiro de 2009 na revista mensal Shonen Gangan (Ed. Enix), com 20 capítulos reunidos em 4 volumes. O almanaque é o mesmo que já estreou em suas páginas os sucessos Full Metal Alchemist, Soul Eater e Kingdom Hearts: Chain of Memories e Kingdom Hearts II

Há uma sequência direta para os acontecimentos da série, no mangá intitulado Judge, que estreou em 2010 e rendeu seis volumes. Uma terceira série, Secret, começou em 2013 e está sendo publicada atualmente na Gangan, assim como as duas anteriores. 

Com seu ritmo de suspense cinematográfico, Doubt é uma excelente opção para quem busca uma leitura intensa em uma série curta e direta. 

- Doubt tem formato 13,5 x 20,5 cm, com 212 páginas. Total de 4 volumes. Distribuição setorizada. Preço: R$ 13,90. 
- Recomendável para maiores de 16 anos.

Veja também:

5 comentários:

Natália Maria disse...

Olá!!

Criei tanta expectativa por Doubt que acabei me decepcionando com a leitura. Talvez o momento da leitura não tenha sido adequado, somado ao fato que o mangá me lembrou O Jogo do Rei, que traz a mesma abordagem só que de uma maneira diferente. Não senti nem a vontade de comentá-la. xD

Ainda pensando se vou continuar comprando o restante.

Até mais

Matheus Mossmann disse...

Fala Nagado.

Eu achei o mangá bacaninha. Quando vi a capa, lembrei de JUDGE - principalmente pelo coelho e tbm por ser um 'jogo'(que envolve 7 participantes e os 7 pecados capitais). É quase um Jogos Mortais versus Se7en. Você já ouviu falar? Teve um filme em live-action, que o protagonista é o gurizão que fez o Kamen Rider Kiva.

Abs
Matheus

Ale Nagado disse...

Oi, Natália!

Eu não tinha expectativa alguma sobre Doubt, nem informações preliminares. Então, entrei de cabeça na história sem nada esperar e gostei da narrativa. Com certeza, irei conferir o restante.

Fala, Matheus!

Pelo que entendi, a continuação Judge ganhou filme, mas o mangá que deu origem a tudo, não? Vou até me informar depois. E olha, o Kiva eu não vi um único episódio. Gosto do visual, então, uma hora darei uma chance. Sou daqueles que viu pouca coisa dos Riders modernos. Os que estão na minha lista são o Kuuga (vi alguns episódios e gostei), o Den-O e o Gaim.

Abraço!

Matheus Mossmann disse...

Rapaz, você me desculpa, eu comi bola e não vi a parte do texto que você citou o Judge! Que mancada rs

Foi o mangá que deu origem sim. Eu só vi uns pedaços do filme, mas achei bem legalzinho.

Abs

Gabriel Dantas disse...

Quero muito ler esse mangá. Tanto pelo fato de ter poucos volumes(Mesmo com essas sequências diretas...), quanto pelo fato de que eu gosto desse tipo de mangá.

O problema é que me lembra um pouco Jogo do rei. Que me decepcionou.

gotasdexp.blogspot.com