sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Boletim 64 - O caso ASKA: O veredito

Aska: O pior já passou? Talvez não...
No último dia 14, saiu a sentença do cantor ASKA após ele ter admitido ser usuário de drogas. 


O veterano astro musical Aska (nome verdadeiro: Shigeaki Miyazaki), que tem 56 anos, foi condenado a 3 anos de prisão, mas com a pena suspensa por 4 anos, tempo em que ele deve se tratar em clínica de reabilitação. 

Se não houver reincidência nesse período, poderá ficar em liberdade. Sua esposa enviou uma carta dizendo que a família irá apoiá-lo no processo de cura, que deve ser bem complicado, pois ele usa estimulantes há muitos anos. E além disso, tem colecionado amantes, conforme os jornais japoneses divulgaram em várias ocasiões. Isso foi minando a confiança da opinião pública no cantor e sua imagem agora é irrecuperável perante os valores japoneses. 

Eu apenas posso imaginar por alto o tamanho do estrago feito na imagem dele, que sempre aparentou na mídia ser uma pessoa centrada e de muita nobreza de caráter. Seu lado humano e mais falível foi escancarado e ele certamente perdeu muitos fãs e dinheiro. E também saiu na mídia japonesa que ele delatou fornecedores de drogas, o que ainda pode trazer consequências perigosas à sua vida. 

Pode-se apenas especular qual o futuro da dupla Chage and Aska, mas é difícil imaginar um retorno. Como o contrato com a gravadora foi encerrado, oficialmente a dupla não existe mais e apenas Chage segue com sua carreira musical. 


On Your Mark (1995)
No auge, Chage and Aska
tiveram até um clipe dirigido
por Hayao Miyazaki,
o mais aclamado

diretor de animês.
Após o escândalo, o vídeo
foi até retirado de uma coletânea
do Studio Ghibli de Miyazaki.
Reflexões sobre o caso

Mesmo com Aska agora em liberdade, não dá pra imaginar ele retomando carreira musical a curto ou médio prazo - isso seria um milagre. Chage continua com agenda lotada e segue como se nada houvesse acontecido. Se ele tentou alertar Aska no passado, deve ter ficado terrivelmente desapontado e irritado com o ocorrido. Mas o que quer que tenha acontecido, ele não comenta mais o caso e segue a vida. Eu particularmente gostaria de ver eles retomando a parceria, não por interesse comercial, mas como adultos que foram amigos por muito tempo, que construíram uma carreira juntos e que souberam dar a volta por cima.

Sou totalmente avesso a drogas - odeio até cigarro - mas vejo um exagero desmesurado do caso no Japão. Veja como são as coisas: os Beatles são amados até hoje no Japão e Paul McCartney sempre foi um defensor da maconha. Vou deixar de apreciar sua música por causa disso? Certamente que não. E os japoneses fazem uma distinção muito grande entre os artistas estrangeiros e os artistas locais, de quem cobram muito mais um comportamento socialmente exemplar. 

E a mídia japonesa é cruel. A cantora Noriko Sakai, no passado, passou por problema semelhante e foi escorraçada da mídia, que lhe virou as costas. Qualquer citação a ela era acompanhada da lembrança de ter sido presa por drogas. Grande parte de seu público também a rechaçou. 

No anúncio da suspensão da pena, foi lembrado que a exposição do caso já teria servido como punição, de tão agressiva que foi a cobertura da mídia e o julgamento da opinião pública. Talvez o pior já tenha passado, o que não significa que as coisas fiquem bem para ele daqui pra frente. 

E para recordar um bom momento de Aska, encerro a postagem com Pride, canção de 1989 escrita por ele e cantada com seu grande parceiro Chage. Um dia, tudo isso terá passado e gostaria que ele fosse lembrado como um dos mais importantes cantores e compositores da música pop japonesa. 




Fonte: Japan Times (em inglês)

Atualização - fev./2015: Em entrevista dada em janeiro passado, Chage comentou que se preocupa muito com Aska e ainda pretende conversar a sós com ele. E, principalmente, disse ficar feliz de cantar as músicas da dupla. 

5 comentários:

Mauricio disse...

Poxa! Não sabia nada dessa história da Noriko Sakai. Que pena! Adoro essa cantora.

Bruno Seidel disse...

Olha, eu também sou totalmente avesso a drogas e nunca sequer experimentei cocaína, maconha e nem cigarro. Mas lógico que isso não tem nada a ver com a minha opinião com relação à forma exagerada como se trata esse tipo de caso, principalmente no Japão. Eu entendo que existe uma explicação racional por trás disso: quando alguém atinge o status de "ídolo" (seja artístico, esportivo ou social), essa pessoa passa também a ser um exemplo em tudo aquilo que faz (seus hábitos, as roupas que veste, seus gostos pessoais). Certamente, muita gente passou a consumir drogas por admirar os Beatles. No caso do Aska, esse escândalo todo envolvendo sua imagem pública serve pra mostrar que até um ídolo do seu gabarito está sujeito a desmoronar diante esse "inferno das drogas". Agora, se formos discutir qual o verdadeiro perigo patológico e social causado pelas substâncias ilícitas, a discussão ganharia um panorama bem mais amplo.

Ale Nagado disse...

Mauricio, o caso da Noriko Sakai foi um dos mais chocantes na mídia japonesa na época. Mas esse caso do Aska, com certeza, bateu todos os recordes. Infelizmente.

Bruno, eu me entristeço com o clima que se criou no Brasil de se endeusar a maconha, como se liberar ela fosse acabar com o crime organizado. O que acontece é que esses defensores da cannabis estão agindo em causa própria, preferindo comprar sua droga de uma fonte legalizada e com controle de qualidade. Enfim...

De volta ao caso do Aska, o melhor que ele pode fazer é ficar quietinho no canto dele, se recuperar bem e torcer pra sair vivo disso tudo. A carreira musical acho que acabou mesmo. Fosse no ocidente, haveria mais tolerância. Já no Japão, a tendência é varrer tudo pra debaixo do tapete.

Abraços!!

marcia disse...

Embora tenha visto na tv regularmente sobre o cantor, infelizmente meu pouco entendimento n me permite compreender o q está ocorrendo. Realmente lamentável o q aconteceu com ele, espero do fundo do meu coração que ele consiga se manter em pé. O Japão é de fato muito rigoroso com a conduta de um cidadão e ele precisará certamente de todo o apoio familiar pra sacudir a poeira. Torçamos juntos pra ele nessa caminhada!
Abraços e obrigada pelo texto, se possível nos mantenha informados, quero mais é q a mídia o deixe quietinho no seu canto. Acredito sempre q o tempo é o melhor remédio pra esses escândalos como tb para sua pronta recuperação..

Ale Nagado disse...

Olá, Márcia.

Também torço pela recuperação dele. As notícias sobre o caso eu postei ou repassei no meu Twitter, especialmente de fontes japonesas em inglês. Mas quando tiver alguma novidade relevante sobre o caso, posso escrever uma nota aqui no blog.

Abraço!