quinta-feira, 20 de março de 2014

Seleção musical: J-pop pra gente grande


A seleção de indicações agora privilegia artistas veteranos, que produzem um pop mais voltado ao público jovem adulto. Possuem fãs que os acompanham há vários anos e preservam grandes qualidades artísticas e autorais, não precisando mais acompanhar as regras do mercado, trilhando seu próprio caminho. Divirta-se!




"Tomorrow never knows" - Mr. Children
Tendo estreado oficialmente em 1989, a banda Mr. Children já vendeu mais de 50 milhões de gravações no Japão. É formada por Kazutoshi Sakurai (vocal, violão e guitarra), Kenichi Tahara (guitarra), Keisuke Nakagawa (baixo) e Hideya Suzuki (bateria). Seu som é um pop rock emocional, quase visceral, sempre cantado com muita emoção por Kazutoshi. A banda tem como produtor e músico de apoio o tecladista Takeshi Kobayashi, ex-integrante da My Little Lover. Takeshi e Kazutoshi têm um projeto paralelo em conjunto, a Bank Band

Aqui, um registro de 2011 de um dos maiores sucessos do Mr. Children, "Tomorrow never knows", que é linda e não tem relação com a canção homônima dos Beatles



"Shiroi kaito" - My Little Lover 
My Little Lover é, atualmente uma banda sem integrantes fixos, que gira em torno da cantora Akko. No início, em 1995, era um trio formado por Akko (vocais), Kenji Fujii (guitarra) e Takeshi Kobayashi (teclados). Takeshi e akko foram casados por um tempo, mas tanto ele quanto Kenji Fujii saíram, deixando a banda como um trabalho solo de Akko. 

Aqui, um dos pontos altos do início da carreira de My Little Lover. Sempre melodias agradáveis, arranjos delicados e uma voz encantadora. Pop maduro, desde o início. 



"I love you, sayonara" - Fumiya Fujii
Eis um autêntico clássico pop japonês dos anos 80. Grande sucesso da banda The Checkers, ganha nova interpretação com seu ex-vocalista Fumiya Fujii, que tem uma carreira solo de grande repercussão. O vídeo é de 2010, quando ele já tinha 47 anos. Ele aparece junto com dois outros ex-Checkers: o saxofonista Naoyuki Fujii (que é seu irmão mais velho) e o baixista Yuji Ohdoi

A canção foi composta por Fumiya (letra) e Yuji (melodia), tornando o reencontro no palco ainda mais especial. Hoje o público deles é formado por gente na faixa dos 30 e 40 anos, mas muitos jovens já descobriram seu trabalho original e reverenciam os Checkers como nomes imortais da música pop japonesa. Essa canção ajuda a entender o porquê. 

4 comentários:

Usys 222 disse...

Uma boa seleção. Desses eu confesso que só conhecia os Checkers e vi um pouco da carreira-solo de Fumiya Fujii. Mr. Children eu só ouvi falar e não me aprofundei muito. Mas são muito boas as músicas. Algo que parece estar em extinção na música japonesa de agora.

Gosto muito desses artistas que compõem suas próprias letras e músicas. Nesse sentido, apesar de não ser J-Pop, sou fã de Shinji Tanimura, que consegue criar canções envolventes e letras que são pura poesia.

Ale Nagado disse...

Fala, Mr. Usys.

A indústria musical japonesa tem obsessão por controle. No início, os Checkers tocavam na maior parte as composições que a gravadora lhes entregava. Aos poucos, foram se impondo como autores, até chegarem em álbuns em que 100% das letras e melodias eram da banda. Fora os arranjos, deles e de dois músicos de apoio. O sucesso caiu um pouco, mas eles se firmaram como autores.

Eles, como os outros nomes indicados, são exceções. Ainda destaco o caso recente da cantora Yui que, cansada da interferência da gravadora, lançou tudo ao alto, desligou-se do mainstream, montou uma banda chamada Flower Flower e se voltou ao circuito alternativo. Perdeu sucesso, dinheiro e relevância, mas preservou sua integridade artística e pessoal.

Do Shinji Tanimura eu não conheço a obra, apenas vi uma apresentação dele com a cantora de Okinawa, Rimi Natsukawa (uma das minhas favoritas), mas sei que é dos veteranos mais respeitados da música japonesa.

E realmente, a indústria musical japonesa tem trilhado o caminho do excesso de marketing e factóides (vide AKBs e similares). Mas ainda bem que existem artistas como Mr. Children, Fumiya, My Little Lover, Chage and Aska, Anzen Chitai e tantos outros que firmaram carreira em trabalhos autorais que valorizam canções ricas em melodia e musicalidade.

Abraço!

JJ Marreiro disse...

Acho bacana conhecer um pouco mais da música japonesa para além do J-pop ao que tudo indica há um grande e fascinante universo sonoro. Valeu as dicas, Nagado.

Ale Nagado disse...

O Japão tem o segundo maior mercado musical do mundo (perde apenas para os EUA) e lá essa indústria ainda é guiada pela venda de CDs. A variedade de estilos lá é muito grande, formando um universo musical bastante interessante.

Abraço!