terça-feira, 19 de novembro de 2013

Memória do mangá no Brasil: Revista Venice, 1999

Créditos da capa
Desenho: Nagado
Cores: Rod Reis
Fundo: Sam Hart
Em setembro de 1999, a hoje extinta revista Venice mag, voltada a esportes radicais, moda, cultura, sexo e comportamento, colocou o assunto mangá como matéria de capa. 

Na época, nenhum mangá original estava sendo publicado no Brasil, havia algumas tentativas aqui e acolá de títulos nacionais e existiam as publicações que falavam de mangá, animê e seriados japoneses. 

A internet ainda não ameaçava as publicações impressas e não havia muitas opções de informação ou títulos para ler. Mas, graças aos desenhos na TV e inúmeras reportagens na mídia, o mangá era um assunto quente e não restrito a nichos de mercado. 


sábado, 16 de novembro de 2013

Boletim 52: Ator Shunji Igarashi, de Ultraman Mebius, se aposenta aos 27 anos

Shunji Igarashi em cena de Ultra Galaxy
Legends, última grande participação
de Ultraman Mebius no Universo Ultra
No início de novembro, o jovem ator Shunji Igarashi anunciou seu afastamento do ramo artístico. Agradeceu o apoio dos fãs e disse que vai se ocupar de outros interesses, mas não explicou muita coisa, bem ao modo discreto da maioria das celebridades nipônicas. Nascido em 7 de agosto de 1986 em Nagano, no Japão, ele iniciou a vida artística como um dos classificados na final da audição do grupo de atores, cantores e dançarinos chamado D-BOYS, em 2004. 


sexta-feira, 8 de novembro de 2013

A blogosfera recomenda - Parte 2 (final)

Continua aqui a pesquisa feita entre blogueiros e redatores de sites sobre cultura pop japonesa, especialmente mangá, animê e tokusatsu. Mais dicas interessantes, fechando com chave de ouro uma postagem que só foi possível com a participação de autores de gostos e concepções muito diferentes. Obrigado novamente a todos os envolvidos. 

(Veja a parte 1 aqui.)

7) Sugestão do blog Naty in Wonderland 
Autora: Natália Maria (Naty)

Mangá: Lucky Star 

- Publicado em 2004 e concluído com 8 volumes, Lucky Star é uma obra que foi feita no formato de um yonkoma (mangá com 4 quadros) criado por Yoshimizu Kagami. O formato não é inédito ao publico, segue nos padrões de leitura de K-on! e Hetalia Axis Power (já publicados por aqui).

A história é bastante simples e divertida, e sua leitura se faz rapidamente, igual as tirinhas dos jornais.

Retratando a vida de quatro adolescentes estudantes de um colégio. As inúmeras referências a outros animes não são poucas, como Suzumiya Haruhi no Yuutsu (da qual uma das personagens é fã), Code Geass e outros.




Série de TV: Chrno Crusade 




- Foi o primeiro anime que tive a oportunidade de assistir no idioma original. A história conta sobre uma ordem, conhecido como Ordem de Magdala, que possui o objetivo de exorcizar demônios. O anime consegue mesclar o visual dos EUA dos anos 1920, com anjos e demônios, deixando espaço para uma parte despreocupante, com direitos a cenas engraçadas e descontraídas, além de um rico elenco. 

Por ser uma série curta, com apenas 24 episódios, conta com belas cenas de animação e uma excelente trilha sonora.


terça-feira, 5 de novembro de 2013

A blogosfera recomenda - Parte 1

Olá. Conforme prometido no post de convocação, eis aqui a lista de indicações de especialistas, redatores e blogueiros que lidam com mangá, animê e afins. É uma lista de recomendações baseada em gostos pessoais, em características que por algum motivo chamaram a atenção dos convidados e que valem uma conferida. A lista representa um pouco da imensa diversidade que existe no universo pop japonês. Lembrando que uma regra colocada era a de que o material deveria ser inédito por vias oficiais no Brasil. 

Uma diversidade de estilos, temáticas e abordagens tão grande e radical que mostra como é impossível rotular mangás e animês de serem "todos iguais". Há obras voltadas para adultos, outras de apelo universal e outras ainda focadas em nichos de mercado. Todas têm sua relevância e por isso foram citadas por gente que sabe do que está falando. Pode ser uma chance de conhecer coisas novas, de explorar novos universos. Para mim, alguns títulos eu sequer tinha ouvido falar e foi uma experiência enriquecedora abrir espaço para tantos gostos e opiniões diferentes, incluindo a recomendação de séries que eu dificilmente abordaria aqui. 

Desde já, meu fraterno agradecimento aos colegas que permitiram a existência desta postagem. Boa leitura e curta os vídeos. 


1) Sugestões Blog do Gusta
Autor: Gusta

Mangá: Hokuto no Ken / Fist of the North Star

- Publicado no Japão nos anos 80, Hokuto no Ken foi um dos mangás mais violentos da época, publicado na revista mais famosa de mangás do mundo: Shonen Jump. Boa parte de suas inspirações (como o pseudônimo do roteirista, Buronson, do ator Charles Bronson) vieram de filmes de ação dos anos 70 e 80, especialmente Mad Max, do qual os autores retiraram elementos para o cenário e até alguns personagens. 

Conta a história de Kenshiro, um homem que vaga por um mundo devastado por uma guerra nuclear ajudando as pessoas do seu jeito: explodindo o que vê pela frente com golpes ao melhor estilo Bruce Lee.



Série de TV: Ergo Proxy 



- Uma das séries mais interessantes que já assisti, Ergo Proxy combina elementos cyber e steampunk, além de diversas citações interessantes a grandes filósofos, matemáticos, cientistas e artistas famosos, para a criação de um universo único. A história é ambientada em um futuro no qual humanos e androides (AutoReivs) convivem em um ambiente extremamente rígido. 

O anime foi lançado em 2006, contando com 23 episódios de alta qualidade, principalmente para os padrões de efeitos especiais da época e com uma trilha sonora impecável, com a participação das bandas MONORAL e Radiohead.


sexta-feira, 1 de novembro de 2013

"O olhar de alguém", animê de Makoto Shinkai

Aya, a protagonista
do curta
Um dos diretores japoneses de animê que mais tem ganho projeção nos últimos anos é Makoto Shinkai. Autor de obras de grande qualidade técnica e artística, como 5 cm per second e Kotonoha no niwa ("O Jardim das Palavras"), o diretor nascido em 9 de março de 1973 já foi chamado de "Novo Miyazaki", definição que ele próprio achou desproporcional. Na verdade, Shinkai está trilhando seu próprio caminho, mas tem em comum com Hayao Miyazaki a sensibilidade ao retratar dramas com um toque de genialidade e domínio absoluto da narrativa cinematográfica. 

Um de seus mais recentes trabalhos é o curta-metragem Dareka no manazashi, ou "O olhar de alguém", de aproximadamente 7 minutos de duração. Trata-se de um pequeno conto de cotidiano (com alguns toques futuristas) sobre uma família que poderia ser a família de qualquer pessoa. Mostra como as atribulações da vida vão afrouxando laços de afeto, bem como revela a força de um sentimento sincero.