sexta-feira, 8 de novembro de 2013

A blogosfera recomenda - Parte 2 (final)

Continua aqui a pesquisa feita entre blogueiros e redatores de sites sobre cultura pop japonesa, especialmente mangá, animê e tokusatsu. Mais dicas interessantes, fechando com chave de ouro uma postagem que só foi possível com a participação de autores de gostos e concepções muito diferentes. Obrigado novamente a todos os envolvidos. 

(Veja a parte 1 aqui.)

7) Sugestão do blog Naty in Wonderland 
Autora: Natália Maria (Naty)

Mangá: Lucky Star 

- Publicado em 2004 e concluído com 8 volumes, Lucky Star é uma obra que foi feita no formato de um yonkoma (mangá com 4 quadros) criado por Yoshimizu Kagami. O formato não é inédito ao publico, segue nos padrões de leitura de K-on! e Hetalia Axis Power (já publicados por aqui).

A história é bastante simples e divertida, e sua leitura se faz rapidamente, igual as tirinhas dos jornais.

Retratando a vida de quatro adolescentes estudantes de um colégio. As inúmeras referências a outros animes não são poucas, como Suzumiya Haruhi no Yuutsu (da qual uma das personagens é fã), Code Geass e outros.




Série de TV: Chrno Crusade 




- Foi o primeiro anime que tive a oportunidade de assistir no idioma original. A história conta sobre uma ordem, conhecido como Ordem de Magdala, que possui o objetivo de exorcizar demônios. O anime consegue mesclar o visual dos EUA dos anos 1920, com anjos e demônios, deixando espaço para uma parte despreocupante, com direitos a cenas engraçadas e descontraídas, além de um rico elenco. 

Por ser uma série curta, com apenas 24 episódios, conta com belas cenas de animação e uma excelente trilha sonora.


8) Sugestão do Anime e Tokus 
Autor: Weslley

Série de TV: Kamen Rider OOO




- Creio que traria a série Kamen Rider OOO (leia "Ooos", de 2011), pois foi esse personagem que me trouxe ao universo nipônico e me fez criar o meu blog. Kamen Rider OOO é Eiji Hino, um cara humilde interpretado por Shu Watanabe. 

A série tem uma trilha sonora muito boa mesmo, a história bem consistente, personagens apaixonantes, momentos de angústia e tudo de bom que uma série deve ter. Quem assiste fica com saudades no fim, além de passar grandes lições para nossas vidas e o valor de uma grande amizade, além de ser um ótimo condutor ao mundo nipônico. 

9) Sugestões do XIL
Autor: Fabio Sakuda 



Mangá: Comickers

- Podia ser até pra livrarias. A revista é muito boa, matérias de qualidade sobre mangá, colunas com autores famosos, só a nata da produção. Mas não deu certo nem no Japão, acho que até parou de sair, depois de mudar de formato duas vezes... Uma pena!

Nas gringas, sai pela Harpers Collins:
http://goo.gl/o2fayb





Série de TV: Mobile Suit Gundam (o primeiro)


10) Sugestões do nbm² ~nobumami~
Autor: Raphael Soma

Mangá: Tenbin wa Hana to Asobu

- Yuuko é admitida na Academia Feminina Lotus, que forma moças para se tornarem verdadeiras damas. Ela se sente atraída por Shuu, a ídolo respeitada por todas as alunas. Só que ela descobre que Shuu é um tipo de "vampiro". E Youko decide ser sua melhor amiga e guardiã de seu segredo. A própria Shuu, mesmo não querendo essa amizade, se questiona não só pelo gosto tão atraente do sangue de Youko, mas quanto aos estranhos sentimentos que tem para com ela...


Uma história do gênero shoujo ai (*) mais tradicional e estilizada, mesmo com o gimmick da natureza de Shuu. Mas nem por isso é um romance menos interessante. Um mangá de Tsukasa Unohana bem curto (2 volumes), mas que convence. Um ótimo ponto de partida pra esse gênero de história.


(*) Vertente de mangá feminino com romance entre garotas.

Série de TV: GARO




- Os Cavaveiros Makai são uma ordem que combate os Horrors, demônios que nascem e se nutrem das trevas da alma humana, Saejima Kouga herda o título de GARO e a armadura dourada que antes pertenciam a seu pai, seguindo a sua luta sem fim. Mas o encontro com certa moça muda tudo, trazendo um facho de luz a seu mundo sombrio...

Esta aclamada obra de Keita Amemiya é um clássico no meio do tokusatsu pela abordagem adulta e criativa, com visuais fantásticos. Gerou sequências em forma de Movies, V-Cinema e novas séries. E tem JAM Project no meio!


11) Sugestões do site Herói

Redator: Matheus Mossman



Mangá: Hokuto no Ken 

- Gloriosa série do roteirista Buronson, no traço animalesco de Tetsuo Hara, foi publicada pela Shueisha entre 1983 e 1988, gerando 27 volumes. Num futuro distópico em que a violência impera após o mundo ter sido devastado por uma guerra nuclear, o jovem Kenshiro, o “salvador do fim do século”, é o legítimo sucessor do Hokuto Shinken. Cabe a ele a missão de detonar as ameaças que pairam sobre os inocentes que sobreviveram. 

Com sua clássica frase “Você já morreu” (Omae Wa Mou Shindeiru), Ken trucida seus inimigos e já dá o recado a eles antes de se esfacelarem. O mangá gerou um anime de 152 episódios, também inédito no Brasil.





Série de TV: Chousenshin Gransazer






- Empreitada da Toho Co. em 2003 que trouxe uma nova “franquia” ao tokusatsu (os Chousenshin, que gerou também as séries Justiriser e Sazer X), com aspectos muito apelativos, como os signos do zodíaco e grupos de heróis determinados por elementos da natureza. 

Para os fãs brasileiros, tem o fato de trazer praticamente todo o elenco de Cybercop. Uma mistura daquele visual modernista de Cybercop, só que desta vez com um elemento crucial para o êxito das séries: mechas, o que possibilita gerar uma boa grana com brinquedos. A série tem efeitos médios, e um aspecto de atemporalidade, tal qual Cybercop.

12) Sugestão do Gyabbo!  
Autor: Denys "Gyabbo!" Almeida



Mangá: Vitamin 
Shoujo de volume único de Keiko Suenobu, publicado em 2001 na revista Bessatsu Friend, conta a história traumática de Sawako Yaramizu, vítima de pesado bullying em sua escola depois que é flagrada fazendo sexo com seu namorado em um espaço público, virando vítima de violências físicas, psicológicas e morais a partir disso. 

Além da temática tão importante de ser discutida no nosso país, Vitamin possui uma narrativa crua, real que consegue nos levar diretamente para a vivência da protagonista. Com um volume seria ideal para ser lançado em livrarias em uma edição de qualidade maior.

Série de TV: Paradise Kiss



- Paradise Kiss, obra da consagrada autora Ai Yazawa, transportada para animação pelo estúdio Mad House com 12 episódios de ótima qualidade de character design únicos, mostra a mudança de vida de Yukari, antes uma colegial que não conseguia ver nada além daquilo que sua mãe mandava, após a mesma se envolver com um grupo de estudantes de uma escola de moda, mudando completamente todos seus paradigmas.

Além de ser uma história divertida e interessante, possui um apelo aos jovens tanto pelas ideias quanto pelo visual, conseguindo desenvolver todos os personagens até seu belo e anti-idealizado fim.

Saiba mais sobre o mangá que original esse anime e sua adaptação para o cinema no Gyabbo!:

13) Sugestões do Omnia Undique
Autor: Rubiopaloosa

Mangá: Yokohama Kaidashi Kikou
("Viagem de compras à Yokohama")

- Obra de autoria de Hitoshi Ahinano publicado de 1994 a 2006 na antologia Afternoon. Ele teve duas adaptações para OVA (Original Video Animation) lançadas 1998 e 2002 respectivamente, ambas contando partes da história original.

Em um mundo atingido por uma catástrofe não explicada, uma androide cuida de um café no meio do nada, onde ela conhece diferentes pessoas ao longo dos anos a espera de seu dono. É um manga sobre o dia-a-dia e sobre a introspecção que os pensamentos de um ser imortal em um mundo que está pouco a pouco morrendo.

Sem dúvida, é meu mangá favorito de todos os tempos. Um olhar sobre a humanidade que aceitou seu fim, mas não de uma maneira ruim, e sim com um sorriso no rosto.

Série de TV: Eureka Seven



- Criada pelo estúdio Bones tendo 51 episódios, Eureka Seven é uma obra de robôs gigantes que faz referencias à cultura pop e música dos anos 80.

Uma série com grande foco no interpessoal, romance e aceitação de diversos tipos. Nessa jornada acompanhamos Renton em seu crescimento de uma criança mimada para um homem que toma suas próprias decisões.

O mecha que supera todos os mechas, melhor história de amor já contada, surfando no ar! Todas são frases que passam na minha cabeça sobre a série, e é claro que não se pode esquecer de dizer que ela tem uma ótima trilha sonora junto.
- Mais sobre Eureka Seven aqui.

********************
E assim eu encerro esta histórica postagem coletiva com indicações pessoais de quem entende muito sobre mangás e séries de TV japonesas inéditas no Brasil. Pode ser uma referência para empresários e editores ou uma boa dica para o pessoal que vai atrás de material por vias não-oficiais. 

Espero ter contribuído para uma abrangente divulgação cultural de produções de épocas, propostas e estilos variados dentro da cultura pop japonesa. Obrigado a todos e até a próxima!

5 comentários:

Carlírio Neto disse...

Saudações


Ver alguém recomendar os mangás de Lucky Star e Yokohama Kdashi Kikkou realmente anima meu ser e acalma minha alma, especialmente pela segunda obra citada, que contempla justamente o chamado "fim da civilização tecnológica" e como a "nova" humanidade teve que se submeter à mesma.

Boas dicas num todo, resultado de sua ação explicitamente bem impregnada, nobre rapaz.


Até mais!

Anônimo disse...

E eu também pensei em falar sobre Hokuto no Ken. Isso demonstra como esse título possui força! Foi indicado duas vezes! Muito boa essa seleção! Despertou meu interesse em diversos títulos.

Usys 222 disse...

Ótimas recomendações, especialmente Lucky Star e Kamen Rider OOO, que são meus favoritos.
Realmente o universo otaku é extremamente vasto e cheio de variedades. Uma pena que nem uma fração deste universo esteja disponível por aqui, se limitando apenas a alguns mangás famosos da Shueisha (que não são ruins, muito pelo contrário).
De qualquer jeito, uma ótima seleção, bem variada. Parabéns a todos que colaboraram.

Natália Maria disse...

Olá!!

Gostei de ver meu texto aí. E gostei das outras indicações. Paradise Kiss para tv foi uma boa.

Interessante essa indicação de revista. Algo para concorrer com a Neo Tokyo que anda bastante desatualizada. E a quase falida Animê>Do. Legal!!

Até mais!!

Ale Nagado disse...

Colegas, a participação de vocês acrescentou muito a este blog e por isso todos têm minha gratidão. Acho interessante reunir assuntos tão diferentes.

Uma vez, um aluno disse que não curtia muito mangá. Eu respondi que ele ainda não havia encontrado um que abordasse algum tipo de história que ele quisesse ler. A diversidade temática existente no mangá não tem paralelos em país algum. A superexposição de materiais mainstream pode fazer muitos crerem que mangá e animê são limitados na estética ou abrangência, o que é um engano. Um post como essa lista de indicações pode desfazer muitos preconceitos em quem não conhece de perto a cultura pop japonesa.

Abraços a todos!