sábado, 19 de outubro de 2013

O Judoca - Um clássico animê de artes marciais

Depois que seu pai foi morto ao enfrentar um misterioso lutador caolho, Sanshiro Kurenai jura vingança e parte pelo mundo atrás do assassino. Sua única pista é um olho de vidro que o criminoso perdeu durante o confronto. Ele nem sequer sabe o que motivou o crime, se era um desafio de um lutador rival, um acerto de contas ou uma vingança. A ele, somente restou a dor e o desejo de fazer justiça com as próprias mãos. Essa é a premissa de O Judoca, um grande clássico da animação japonesa. 
Sanshiro Kurenai

O jovem mestre combina suas habilidades acrobáticas à tradicional arte marcial do judô, criando um estilo único, que é a técnica da academia Kurenai fundada por seu pai. Ao entrar em combate, ele veste uma camisa vermelha de judô e poucas pessoas são capazes de enfrentá-lo em igualdade de condições. 

Em suas viagens pelo mundo, Sanshiro é acompanhado pelo garoto Ken e seu cãozinho Xereta. San ajuda muitas pessoas em dificuldades e acaba enfrentando caolhos suspeitos e também criminosos dos mais variados tipos. Seguindo a pista de um misterioso caolho assassino, acaba indo parar em uma antiga tribo africana e descobre que o tal assassino é um tigre que assustava a aldeia. Lá, San fica estarrecido ao constatar a habilidade dos lutadores locais, que dão saltos acrobáticos sem dobrar os joelhos para dar impulso. Ele fica por um tempo na aldeia para ajudar a caçada ao tigre devorador de pessoas e aprende novas técnicas, em um episódio duplo antológico. 



Em outro episódio marcante, San aprende o golpe "Queda do trono", uma perigosa e complicada técnica acrobática para ser praticada saltando sobre o oponente entre galhos de árvores altas. 

Box com a série completa
(legendada) em 4 DVDs,
pela Cult Classic
Apesar de violenta, a série é bastante inocente em vários aspectos, com San viajando pelo mundo sem que nunca se mencione sobre dinheiro, se ele tinha posses ou algo assim. O herói também usa sempre a mesma roupa e sequer uma mochila ele carrega. O mesmo vale para Ken, uma criança órfã que viaja o mundo e se vê envolvida em situações perigosas sem que nunca uma autoridade ou algum tipo de conselho tutelar investigue sobre ele. Ele segue o herói e, na estrutura das histórias, serve como um tipo de alívio cômico ao lado de Xereta. Hoje em dia, muita coisa seria adaptada, inclusive o fato de San não usar capacete e levar uma criança na garupa da moto, igualmente sem qualquer proteção. É um produto de uma época ingênua e deve ser visto nesse contexto. 

O Judoca está sendo lançado, com todos seus episódios, pelo selo independente Cult Classic (saiba mais aqui). Infelizmente, a dublagem original não foi preservada e o título será lançado em novembro de 2013 apenas com opção de áudio original ou francês e legendas em português e francês, o que indica que o produto não foi trazido direto do Japão. 

De qualquer forma, essa caixa com 4 DVD é uma boa chance de rever - ou conhecer - um animê antológico de uma época de muita experimentação, ousadia e criatividade. 

A abertura:




Curiosidades:

* O herói surgiu num mangá de 1961, com história de Ippei Kuri e Yutaka Arai, com arte de Tatsuo Yoshida. Uma segunda versão veio em 1968, por Ippei Kuri e Tatsuo Yoshida.

* Com narrativa cinematográfica e produção arrojada para a época, a série do Judoka passou sem repercussão nos anos 70, sendo a última vez na TV Gazeta. A série, com muita violência, era claramente voltada a um público mais velho e era exibida à noite na Gazeta, uma inovação na época. Isso foi coerente com a intenção original dos produtores, pois no Japão, a série era exibida semanalmente (toda quarta) às 19h, pela TV Fuji

* Além da semelhança fisionômica do herói com Speed Racer (da mesma produtora), eventualmente aparecia um inspetor de polícia que era idêntico ao que aparecia pedindo a ajuda de Speed. Podia ser, inclusive, o mesmo personagem, mas nunca foi feita uma referência ligando as séries. 

* O nome Sanshiro é uma homenagem a Sanshiro Sugata, personagem judoca de um romance do escritor Tsuneo Tomita. Em 1943, sua adaptação para cinema foi o filme de estreia do lendário diretor Akira Kurosawa. A produção fez sucesso e ganhou continuação em 1945. Ambos os filmes foram feitos na época da Segunda Guerra Mundial e sofreram com repressão e cortes por parte do exército. 

Estudos do personagem, no
traço de Tatsuo Yoshida

e Eiji Tanaka
* O tema de abertura foi cantado pela estreante Mitsuko Horie, então com apenas 12 anos. Ela se consagraria como a grande dama das anisongs, interpretando canções em Candy Candy, Goranger, Patrulha Estelar, Cavaleiros do Zodíaco e muitas outras séries de animê e tokusatsu. Em uma época ingênua, até mesmo o endereço da cantora apareceu na contracapa do disco. Em entrevista, muitos anos depois, ela revelou que sentiu medo quando viu estranhos indo à sua casa pedir um autógrafo. 

* A produção foi da Tatsunoko Pro, a mesma de clássicos como Speed Racer, Ás do Espaço, Guzula, O Gênio Maluco, Pinóquio, Macross, Zillion e tantos outros. A empresa foi fundada em pelos irmãos Tatsuo, Kenji e Toyoharu Yoshida (este último, sob o pseudônimo Ippei Kuri). 

* Sanshiro tinha um hábito bem característico: ele sempre dava um toque rápido de raspão no nariz com o polegar.


Ficha técnica:
Título original: Kurenai Sanshiro
Estréia no Japão: 02/ 04/ 1969 (TV Fuji)
Número de episódios: 26
Criação: Tatsuo Yoshida
Roteiro: Jinzo Toriumi (coordenador e escritor principal)

Story-boards: Ippei Kuri
Trilha sonora: Nobuyoshi Koshibe
Direção geral: Ippei Kuri
Produção: Tatsunoko Production
Emissoras no Brasil: TVs Tupi, Record e Gazeta


Bônus: Kurenai Sanshiro - o tema original, por Mitsuko Horie



- Mitsuko Horie canta o tema de abertura "Kurenai Sanshiro" em 2011. Ela se emociona ao final da canção, pois foi seu trabalho de estreia, em 1969. 

7 comentários:

Anônimo disse...

Ah, esse era da minha época!
Mas faz tanto tempo que eu nem me lembrava que chamavam o personagem de "San". Também tinha me esquecido do nome do cachorro.
É incrível saber que esse desenho foi a estréia da Imperatriz das Anisongs, Mitsuko Horie.
Espero pelo DVD. Pena que não tem a dublagem brasileira original, que provavelmente já se perdeu.

Ale Nagado disse...

Falando no cachorro, existe há muitos anos um brinquedo muito parecido com o cachorrinho Xereta. É um cãozinho com rodas, que ao ser puxado movimenta as patinhas. Será que foi inspirado no cachorro do animê ou o nome brasileiro é que aproveitou a semelhança com o brinquedo? Talvez nunca saibamos.

E é legal ver uma carreira tão longa e produtiva como a da Mitsuko Horie. Poxa, ela já cantava aquilo tudo com 12 anos!

Abraços!

PS: Vários anônimos que não assinam já comentaram aqui. Assim fico sem saber se é o mesmo ou não. Sugiro que cada um que postar anonimamente (lembrando que este blog é moderado) se identifique com um nome ou apelido, como alguns já fizeram aqui. Assim facilita o papo.

Natália Maria disse...

Interessante essa ideia. Um anime da época que essa palavra era desconhecida a muito, senão todos os que a assistiam.

Seria uma boa poder conhecer esse lado tão desconhecido da animação japonesa.

Mitsuko Horie tem uma bela voz.

Infelizmente, não faz parte dos meus futuros planos. Contudo, anotarei a dica.

Até mais

Ale Nagado disse...

Olá, Naty!

O Judoca é uma animação que envelheceu menos em relação a outros contemporâneos. Os ângulos, planos de cena, enquadramentos, toda a ação era muito bem orquestrada. Quando puder, recomendo que assista. Vale a pena checar no YouTube, que tem algumas coisas interessantes.

Abraço!

JJ Marreiro disse...

Que matéria fantástica! E com uma notícia de lançamento de deixar os fãs com água na boca.

Quando guri eu me perguntava como o Judoka do Gibi era tão diferente do Judoka da TV :) Hehehe.

Ale Nagado disse...

Fala, JJ! Sabe que na época eu nem conhecia o Judoka dos quadrinhos brasileiros. Fui saber dele quando eu já era estudante de desenho e o animê do Judoca da Tatsunoko não passava mais.

Estou curioso pra ver esses DVDs. E fala a verdade, essa animação da abertura, com as acrobacias dele, é sensacional!

Abração!

Anônimo disse...

Gosto desse anime, mas é triste saber que ele não tem final.Nunca vi o episódio em que Sanshiro enfrenta o Caolho.
Abraços, Reinaldo.