RECADO AOS VISITANTES:

Olá! O blog ainda está de férias, mas já estou trabalhando em novas postagens. O Sushi POP voltará a ser atualizado no dia 1 de agosto (terça), no período da tarde.

O que vem por aí:
- Ultraman Geed, Novo Lobo Solitário, Katokutai, Pinóquio de Osamu Tezuka, Danger 3, resultado da convocação para trabalhos acadêmicos e mais!

Esteja aqui para conferir. Até breve!

domingo, 27 de outubro de 2013

Pesquisa na blogosfera

Blogueiros são formadores de opinião. Em maior ou menor grau, dependendo de sua base de leitores, todo blogueiro tem sua importância em uma área de atuação. Sem ser pautado pela mídia tradicional, o blogueiro independente escreve o que lhe der na telha. Geralmente antenados, acabam antecipando muita coisa interessante em suas áreas. 


Então, a ideia agora é a seguinte: Quero reunir num post (ou dois) opiniões de vários blogueiros ligados em cultura pop japonesa sobre qual título de mangá gostaria de ver publicado no Brasil e qual série gostaria de ver na TV, valendo animê, tokusatsu ou até j-drama (novela japonesa). 


Note que eu não quero saber o que teria potencial para o mercado brasileiro. Apesar de estar recorrendo a pessoas antenadas, quero indicações pessoais. Títulos que essas pessoas gostam de verdade, que gostariam de ver sendo veiculados oficialmente no Brasil para serem acessíveis a mais pessoas. Coisas novas ou antigas, que podem despertar a atenção do público e, quem sabe, de editores, empresários de TV ou licenciamento. 


quarta-feira, 23 de outubro de 2013

doa - Rock e velocidade

Daiki, Ohta e Akihito - doa
Em 2004, a produtora Tsuburaya quis renovar sua franquia Ultraman, apresentando o que seria um novo marco zero para o herói. Veio o filme ULTRAMAN (lançado em DVD no Brasil como Ultraman The Next) e sua sequência, a série de TV Ultraman Nexus. Com mais violência, complexidade e melhor nível de produção que o convencional, acabou decepcionando do ponto de vista comercial. Isso levou a uma retomada de conceito e, mais tarde, até a cronologia original foi retomada. Mas Nexus é uma série cult, considerada um êxito criativo e é um ponto de referência pra muita gente. Pra embalar toda essa proposta diferenciada, o estúdio convidou uma banda alternativa de rock com um som vigoroso e autoral, o doa
Ultraman Nexus:
aventuras
arrojadas ao
som do doa

Surgido em 2004, o conjunto é composto por dois experientes músicos de estúdio que se uniram a um piloto de corridas com muito talento para o rock. O nome vem da junção das letras dos nomes dos membros, a saber: Daiki Yoshimoto (voz), Shinichiro Ohta (guitarra, violão e voz), e Akihito Tokunaga (baixo e voz). A sigla é oficialmente grafada como "doa", tudo em letras minúsculas. No Japão, é comum nomes artísticos usarem caracteres ocidentais priorizando a estética. Por isso, há artistas que grafam tudo em maiúsculas e outros, tudo em minúsculas, como é o caso do doa. Existe uma banda canadense de punk rock chamada D.O.A. e isso confunde um pouco na hora de buscar vídeos do grupo, pois o público em geral não se atenta muito à grafia correta. 


No doa, não há um baterista oficial, o que não é problema para o trio, cujos instrumentistas estão acostumados ao trabalho freelancer tanto de estúdio quanto de palco, tocando com pessoas diferentes a todo momento. A identidade do doa consiste principalmente na combinação dos três na criação das músicas e em sua harmonia vocal. E juntos, guitarra e baixo (e um eventual violão) têm um peso que muitas bandas mais numerosas não conseguem.


sábado, 19 de outubro de 2013

O Judoca - Um clássico animê de artes marciais

Depois que seu pai foi morto ao enfrentar um misterioso lutador caolho, Sanshiro Kurenai jura vingança e parte pelo mundo atrás do assassino. 

terça-feira, 15 de outubro de 2013

Boletim 51 - Cantor ASKA vive pior momento de sua vida pública

Veterano do pop japonês vive um verdadeiro Inferno astral

Não tem sido um bom ano para o cantor e compositor ASKA, da famosa dupla CHAGE and ASKA. Depois de um hiato de quase 6 anos dedicados às suas carreiras solo, os dois músicos se preparavam para voltar em grande estilo e iniciar as comemorações pelos 35 anos de carreira.  Eles começaram a cantar juntos na faculdade em 1978, lançaram o primeiro single em 1979 e, em 1991, quebraram recordes de venda em seu pais com 3 milhões de cópias vendidas de "Say yes". 
ASKA:
Momento difícil

Em junho, o show de reencontro foi adiado por problemas de saúde. Aska, que está com 55 anos, teve um ataque cerebral isquêmico, algo semelhante a um AVC que não deixa sequelas, mas que pode preceder um ataque perigoso. Ainda em período de recuperação, foi surpreendido pelos noticiários de seu país, que divulgaram que ele estava sendo chantageado por um traficante de drogas que supostamente fornecia a ele cocaína e ameaçava divulgar um vídeo onde ele aparecia se drogando. Ele confirmou que estava sendo chantageado, mas negou ser usuário de drogas. 

Na semana passada, um repórter do jornal Shukan Bunshun que ele havia contactado para, informalmente, dar sua versão da história, divulgou mais informações. Entre as supostas revelações, a forma como ele conseguia drogas e indícios da participação de pessoas da indústria musical japonesa. A divulgação das supostas revelações, feita à revelia do cantor e negada por ele, caiu como uma bomba. 


terça-feira, 8 de outubro de 2013

Dicas da blogosfera - 10

Action figures da série
Puella Magi Madoka Magica
Action Figure de Ryuranger,
o líder do Super Sentai
de 1993, Dairanger
1) Bonecos e figuras de ação (action figures)

O mercado de brinquedos no Japão é vasto e a especialização em nichos cria produtos para fãs e colecionadores mais velhos e exigentes. O resultado são bonecos e figuras articuladas que enchem os olhos de qualquer um. O blog indicado agora é totalmente voltado ao universo das chamadas action figures, apresentando sofisticados produtos trazidos do Japão, mostrando desde a embalagem até as possibilidades, tudo com fotos exclusivas do autor, o misterioso Usys 222, que posta de algum ponto do planeta. 

Para entusiastas de tokusatsu tem, entre muitas raridades, um incrível Metalder e vários itens da coleção Ultra Act, como o popular Ultraman Dyna. 

Não se trata de uma loja, é blog de colecionador mesmo, que compartilha com os leitores seu acervo particular. O texto é muito bom, repleto de informações sobre as séries, as descrições são preciosas e o blog tem umas brincadeiras puro fan service pra descontrair. Serve pra conhecer e ter uma ideia bem clara de como são esses produtos. 
E babar muito, é claro. :-P

Desvende: Casa do Boneco Mecânico

***************************

Cosplayer como Yuna, do
game Final Fantasy X
2) Vivenciando um personagem 

Cosplay é a arte de se transformar em um personagem através de uma fantasia, gestos e postura. É uma febre mundial, parte integrante da cultura pop moderna. Cosplayers são presença obrigatória em eventos de mangá e animê e até de quadrinhos em geral, sempre atraindo muitos olhares. A dica agora é de um Tumblr voltado ao tema, o Cosplay Blog.

O nível das fotos e das produções mostradas é profissional e, em termos de fidelidade à obra original, dá um banho em muitos grandes estúdios que já fizeram adaptações desastrosas ao caracterizar de modo equivocado personagens oriundos de jogos, HQs ou animações. 

As galerias existentes apresentam numerosos personagens ocidentais de HQ e filmes. E, claro, não podiam faltar muitos personagens japoneses de games, mangás e animês conhecidos. 

Finalmente, vale ressaltar que o Cosplay Blog é um site internacional que aceita colaborações de qualquer parte. Bastar enviar as imagens pelo formulário e aguardar avaliação e publicação. 

Desvende: Cosplay Blog


Cosplayer caracterizada como
Rosette, da série de mangá e
animê Chrno Crusade

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Tetsuo Kinjô, o escritor de Ultraseven

Ultraseven: O mais aclamado trabalho
do roteirista Tetsuo Kinjô.
King Joe foi um dos
mais fortes inimigos
de Ultraseven. O
nome do robô
surgiu como
uma brincadeira

com o sobrenome
do roteirista.
Na criativa e efervescente década de 1960, a Tsuburaya Production era um grande núcleo de talentos. Sob o comando do lendário diretor Eiji Tsuburaya, diversos profissionais foram organizados para criar séries que se tornaram ícones da ficção científica e dos efeitos especiais, como Ultra Q (1966), Ultraman (1966~67) e Ultraseven (1967~68). Nelas foram lançadas as bases para o tokusatsu (produção com efeitos especiais) feito para TV, com fórmulas usadas até hoje. 

Além da equipe de produção e atores, grande parte do mérito deve ser creditada, com justiça, aos roteiristas, esses profissionais normalmente afastados dos holofotes e com pouco reconhecimento mesmo entre os fãs. 


Em uma equipe de escritores que se tornariam profissionais renomados, como Shozo Uehara, Mamoru Sasaki e Shinichi Ichikawa, havia um que já era aclamado por seus pares como um talento incontestável: Tetsuo Kinjô (ou Kinjyo). 


Nascido em Okinawa em 5 de julho de 1938, o roteirista Tetsuo Kinjô trabalhou nos primórdios do estúdio, tendo escrito, sozinho ou em parceria com outro autor, roteiros para Ultra Q (12 eps.) e Ultraman (14 eps.), chegando ao seu auge criativo com Ultraseven (14 eps.). Também teve uma pequena participação em Booska, o monstrinho, série feita simultaneamente a Ultraman. 


terça-feira, 1 de outubro de 2013

Kamen Rider e os falsos cartazes - A incrível arte de Yoshihito Sugahara

O Kamen Rider original: tudo a ver
com a atmosfera dos filmes B
No Japão, existe uma luxuosa revista para adultos fãs de tokusatsu, ficção científica e fantasia. É a Uchusen - The Magazine of Sci-Fi Images, da editora Asahi Sonorama. Entre 2003 e 2004, suas edições traziam, no final, uma página colecionável com uma magnífica arte realista do designer e ilustrador Yoshihito Sugahara para deixar fãs do primeiro Kamen Rider empolgados. 

O chamado Sugahara Fake Project simulava a aparência de antigos cartazes de cinema, tentando recriar a atmosfera dos clássicos filmes B para "anunciar" episódios da série de TV, exibida entre 1971 e 73. O resultado era de encher os olhos e fazia um tributo a um seriado que realmente tinha suas similaridades com os filmes B de terror e ficção científica: muita criatividade, ousadia e uma produção bem tosca, mesmo para a época.