sexta-feira, 3 de maio de 2013

Novos talentos da J-Music: Ray Yamada e fox capture plan

Ray Yamada, nova cantora pop
O Japão possui o segundo maior mercado fonográfico do mundo, perdendo apenas para os EUA. É um universo musical vasto, cujo mainstream busca imitar padrões e estilos de sucesso no ocidente. As bandas e artistas jovens de música dançante predominam, com muitas jogadas de marketing e astros de sucesso efêmero. É também um sistema em que os empresários da maioria dos ídolos teen controlam até a vida pessoal de seus artistas com mão de ferro. 

Ainda assim, os últimos anos têm registrado grandes vendas de artistas veteranos, com foco em harmonia, melodia e conteúdo. E novos artistas, mais interessados em boa música do que em enriquecer rapidamente sempre aparecem, felizmente. 

Todo ano, dezenas de novos talentos são lançados ao mercado. Muitos não passam do primeiro trabalho. Alguns sobrevivem por poucos anos. Poucos chegam aos 10 anos de carreira e dá pra contar nos dedos aqueles que se mantêm em atividade por mais de 20 ou 30 anos. O mercado japonês tem espaço para diversos gêneros musicais e vários artistas que, mesmo sem  frequentar a alta roda, conseguem se manter na ativa constantemente por conta de um público de nicho fiel. 

Garimpando na internet, descobri uma cantora e uma banda da nova geração do cenário musical japonês que resolvi divulgar aqui. Não sei se vão vingar, se farão sucesso e continuarão na área pelos anos seguintes. Será uma pena se isso não acontecer. Não parecem o tipo de aposta fácil para o grande público, mas eu espero que eles consigam se estabelecer e viver de sua arte. Não há satisfação maior para um artista do que isso.
Ray Yamada
Mori no waltz ("Valsa da floresta") / Ray Yamada


Eis uma garota que tem voz e carisma aliados a um charme exótico. Ray Yamada canta jazz, pop, blues, gospel e, acredito, o que pintar pela frente. Seu álbum de estreia, Cosmopolitan (do selo MS Entertainment), saiu no dia 27 de março de 2013 e inclui uma cover de "Smooth operator" (de Sade), clássico dos anos 1980.

Site oficial: www.msrecord.co.jp/mse/ray
- Na aba "contents", dá pra ouvir trechos das canções de Cosmopolitan

_____________________________________


fox capture plan e seu jazz sofisticado
Shoudou no ryushi ("Partícula de impulso") / fox capture plan


Formado por Ryo Kishimoto (piano), Hidehiro Kawai (baixo) e Tsukasa Inoue (bateria), o fox capture plan (com letras minúsculas mesmo) faz um jazz instrumental vigoroso, empolgante. Seu álbum de estreia, trinity (do selo Playwright) sai no dia 15 de maio, mas eles já tocaram em um prestigiado evento japonês chamado Tower Jazz Free Live 2012, o que indica que eles já possuem certo prestígio nos bastidores. Até porque não são tão garotos, todos estão na faixa dos 30 anos e mostram ser músicos já bem experientes. Boa sorte para eles!

Site oficial: foxcaptureplan.net

6 comentários:

Rogério disse...

Boa noite Nagado,

Obrigado pelas dicas. Gostei muito de ambas.

Esta moça tem mesmo uma bela voz e uma musicalidade cativante. E como ela é bonita.

O fox capture plan é muito bom. Dar uma voz própria ao Jazz é muito difícil. Parece-me que eles conseguem.

Ale Nagado disse...

Legal que gostou. Acho importante mostrar coisas variadas. Este blog tem um lado alternativo e eu espero que mais pessoas possam descobrir novos sons por aqui.

Sim, a Ray Yamada é realmente muito bonita, mas a julgar pela foto usada na capa do CD (um ângulo não muito favorável ao seu nariz), ela não quer vender a imagem de bonequinha de porcelana. Ainda bem.

E o pessoal do fox capture plan deve ser velho conhecido do circuito alternativo ou como músicos de estúdio. Não são garotos e mostram um estilo muito seguro.

Em outra ocasião, tentarei indicar mais artistas interessantes.

Abraço!

Rogério disse...

Acho muito bacana ela assumir esta "imperfeição".

Achei uns vídeos ótimos dela em uma apresentação ao vivo misturando Jazz e POP:

http://www.youtube.com/watch?v=WlJoTW00mfM

Bruno Seidel disse...

Gostei bastante do fox capture plan! A combinação dos instrumentos com esse estilo jazz combinou perfeitamente. E o clipe também é excelente!

Ótima dica!! ^^

Ale Nagado disse...

Legal que gostou. E olha que interessante: o Twitter da banda está me seguindo, o baixista e o pianista indicaram meu post. Com a ferramenta de tradução (que é imperfeita, mas quebra o galho) eles já estão sabendo que ao menos um blog brasileiro os descobriu e divulgou. E eles não pediram pra tirar, não, ao contrário de muitos japoneses que lutam contra o Youtube pra não serem vistos fora de seu país.

O mercado pra jazz instrumental é super restrito, mas espero que eles consigam uma carreira sólida e duradoura.

Bruno Seidel disse...

Poxa! Mais um bom motivo pra admirar os caras! Imagino que esse tipo de coisa não seja nada comum. Que legal que eles aderira a essa atitude "open source". Andei vasculhando outros vídeos deles pelo Toutube, mas infelizmente achei pouca coisa. Aliás, o nome também não ajuda muito né (não só pelo fato de ser todo em minúsculo)? Até pra pronunciar pe ruim. Mas essa música Shoudou do ryushi é realmente muito legal. Já perdi as contas de quantas vezes vi o clipe. ^^