RECADO AOS VISITANTES:

Olá! O blog está de férias, mas já estou trabalhando em novas postagens. O Sushi POP voltará a ser atualizado no dia 1 de agosto (terça), no período da tarde.

O que vem por aí:
- Ultraman Geed, Novo Lobo Solitário, resultado da convocação para trabalhos acadêmicos e mais!

Esteja aqui para conferir. Até breve!

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Carmen Maki - A Rainha do Rock Japonês

Alguns artistas almejam o sucesso e a fama acima de tudo, enquanto outros vivem para expressar suas ideias e sentimentos sem que o dinheiro seja o fator primordial. Alguns se mantêm dentro de uma linha e assim prosseguem por toda sua carreira. Alguns artistas vão mudando conforme o tempo passa, reflexo de suas mudanças internas ou de uma necessidade de estar sintonizado com seu tempo. 

Não há certo ou errado em arte, desde que o artista o faça com sinceridade e honestidade. Seja pela vontade de sobreviver, seja pela vontade de se comunicar e ser entendido, o que é certo é que é preciso coragem para sair de sua zona de conforto. Ou seja, coragem de ousar mesmo sob o risco de perder público, querendo formar opiniões e gostos e não ser moldado pelo gosto médio do público. 

Não fosse essa inquietude criativa, os Beatles não teriam sido o que foram. Essa mesma chama de inquietude e revolução interna marcou uma das grandes estrelas da música japonesa. 


BIOGRAFIA: 

Carmen Maki
 nasceu em 18 de maio de1951 e estourou no mercado em 1969, logo em sua estreia, com “Toki ni wa haha no nai kono you ni”, ("Às vezes me sinto como uma criança sem mãe"). Era uma canção folk com influência da sentimental música enka. Filha de pai americano e mãe japonesa, nascida como Maki Annette Lovelace, a cantora também chamava a atenção por sua beleza exótica e traços miscigenados, algo incomum na época em que apareceu. 


Com um começo mais voltado ao folk e um pouco de blues, aos poucos, foi caminhando para o rock, passou pela banda Blues Creation e fincou pé na OZ, onde se tornou uma espécie de Janis Joplin oriental. Carmen Maki and OZ difundiram o rock pelo Japão durante a década de 1970. Daí em diante, passeou pelo rock progressivo e heavy metal, onde sua voz poderosa e forte presença de palco deixaram pra trás a imagem de boneca de porcelana, ideal que molda a maioria das cantoras do cenário pop-rock japonês até hoje. Na década de 1980, começou o projeto 5X, mais voltado ao metal.

Na metade da década de 1980, afastou-se do cenário musical repentinamente para cuidar de um problema de saúde (e os japoneses são muito reservados quanto a isso), voltando modestamente quase 10 anos depois. Ainda está em atividade, mas somente seus fãs mais fieis se importam. Fica aqui o registro sobre o trabalho de uma das grandes intérpretes da música japonesa. 


DUAS FASES DISTINTAS 

Primeiro, a melancólica e poética canção folk "Toki ni wa haha no nai kono you ni", que a lançou ao estrelato com apenas 18 anos, ainda assinando como Karumen Maki.


Curiosidade: Esta canção teve uma versão em português chamada "Canção para um ser só", da cantora Bubby, em 1974. A preciosidade, cantada com grande talento, pode ser conferida aqui. 

Agora, toda a força de sua voz com "Watashi wa Kaze" ("Eu sou o vento", de 1975), grande sucesso com a banda OZ. A apresentação é visceral, intensa e mostra uma intérprete totalmente dedicada à sua arte. Comparando os dois vídeos, dá a impressão de que são duas pessoas diferentes. 



Site oficial: www.carmenmaki.com


Nota do autor: Quando era adolescente, descobri o compacto original em vinil de "Toki ni wa...", que minha mãe havia ganho de presente (capa ao lado) anos antes. A melodia grudou na minha memória. 

Quando estive no Japão, em 2008, encontrei uma coletânea de Carmen Maki que cobria sua fase inicial de carreira. Depois é que fui descobrir, ao ganhar um CD ao vivo, que ela era uma roqueira de muita qualidade. 

Quem me conhece sabe que não curto muito nem heavy metal e nem rock progressivo, gosto de um rock mais simples e alegre. Mas admiro muito o trabalho de Carmen Maki e resolvi fazer um registro aqui no Sushi POP. Esta é uma das vantagens deste blog ser eclético e abrangente: me permitir mostrar a muitas pessoas o trabalho de uma artista hoje quase esquecida, mas que foi possivelmente a primeira grande estrela do rock no Japão. E conhecer isso faz parte do entendimento sobre a cultura pop japonesa, que vai muito além de mangá, animê, bandas poser e cosplay.

3 comentários:

Quadrinize disse...

Isso sim é uma diva rsrs

João Aranha disse...

É interessante ver essa mudança radical dela, mas sem deixar a qualidade de lado. E é esse "não perder a qualidade" que falta a muitos dos cantores atuais no Japão.

Mais um belo artigo, agregando conhecimento a nós. Abraços.

Ryuunoshin disse...

Rapaz quando vi o titulo da postagem quase nem acreditei, Carmem Maki?, a conheci no inicio do ano, quando achei seus cds para download, como você disse Nagano-San eu tive a mesma impressão, é a Janis Joplin do Japão, srsrsr, Vocal poderosissímo o dela, pena ser tão difícil de encontrar a sua discografia, para quem gosta de Rock'n'Roll Classic vale muito a pena ouvi-la, já passou até pela minha cabeça de soltar no blog Ryuunodan os poucos cds que tenho dela.
Obrigado pela postagem e pelas informações porque alguns artistas como ela é realmente dificil de se achar alguma coisa.