terça-feira, 6 de setembro de 2011

BOLETIM SUSHI POP - 8

5cm Per Second: Centro de
uma polêmica internacional
ANIMÊ PLAGIADO NA CHINA
Um animê pouco conhecido no ocidente chamado 5cm Per Second (2007) , do diretor, animador e dublador Makoto Shinkai foi visivelmente plagiado na China. Windows to the Soul (2011) é uma animação de caráter educativo que exalta valores do governo chinês. A forte censura chinesa aprovou com louvor o material (já que é apoiado pelo Partido Comunista), que já foi até premiado em seu país.

Autoridades chinesas têm se mostrado preocupadas com a invasão de animê e cultura pop japonesa entre sua juventude. O mangá influenciou pesadamente a produção de quadrinhos de Hong Kong e Ultraman tem sido um sucesso entre os jovens, só para citar dois exemplos marcantes. Windows to the Soul é parte de um esforço apoiado pelo Partido Comunista para competir localmente com as produções japonesas. No caso, incentivando animações que valorizem o Partido e o governo, bem como seus valores morais, políticos e culturais e sem os apelos de violência e erotismo nipônicos. Tudo extremamente controlado e ideologicamente direcionado, num ambiente onde ousar é proibido.

No vídeo abaixo, aparecem comparações entre cenas das duas produções. Para cada uma, primeiro aparece uma cena do original japonês e depois de seu alegado plágio chinês. Na China, as acusações de plágio que começaram a vir de fóruns pela internet ganharam repercussão na mídia e os produtores anunciaram que irão agir com severidade caso as acusações sejam julgadas verdadeiras. Não é preciso muito esforço para constatar o que aconteceu de fato e as repercussões políticas do caso mal começaram.

 


E para quem quiser saber mais sobre o original 5cm Per Second, recomendo uma conferida no verbete da Wikipedia (em inglês).

5 Centimeters Per Second 


Hyper Zetton (à esquerda) e Alien Morcego
ULTRAMAN SAGA: HYPER ZETTON E O NOVO ALIEN MORCEGO
O próximo filme da franquia Ultra irá trazer como grande ameaça cósmica o monstro Hyper Zetton, a versão definitiva de um dos grandes inimigos de Ultraman.

Foi Zetton (ou Z-Ton) o monstro que derrotou o primeiro Ultraman no último episódio da série clássica (1966~67). Um segundo Zetton desafiou o Ultraman Jack no final de O Regresso de Ultraman (1971~72). Aquele sucessor fora enviado pelo Morcego, um alienígena que anunciou na ocasião um plano para eliminar os heróis Ultra. Com a derrota de Morcego e Zetton II, Ultraman Jack parte de volta para a Nebulosa M-78, para ajudar seus irmãos na guerra que se aproximava. Porém, o que aconteceu no Japão foi a estreia de Ultraman Ace, na semana seguinte ao final de O Regresso de Ultraman. Jack participa de alguns episódios, mas nunca mais foi dita uma palavra sobre a tal batalha. Ficou como mais uma das muitas lacunas de roteiro da franquia.

Agora, 40 anos depois, um novo Alien Morcego (ou Bat Seijin) surge comandando o letal Hyper Zetton. Mesmo o poder combinado de Ultraman Zero, Cosmos e Dyna (três Ultras de universos e linhas cronológicas diferentes) parece incapaz de confrontá-lo. O primeiro Ultraman, Ultraseven, Jack, Ace e Leo também irão aparecer nessa aventura que deve amarrar pontas soltas da série de Ultraman Dyna, quase 14 anos após seu final. Ainda não foi anunciado quais (ou mesmo se) todos os atores originais vão participar, seja atuando ou apenas dublando os heróis transformados. O longa Ultraman Saga estreia no Japão em fevereiro de 2012. Aguarde mais informações, comentadas e contextualizadas, aqui no Sushi POP. 



COMERCIAIS DE TV JAPONESES 
Rápidos, diretos e bem produzidos, os comerciais de TV japoneses movimentam uma indústria bilionária. Lançam ou captam modas e tendências na sociedade, são um show dentro da programação das emissoras. Podem ser belíssimos, poéticos ou engraçados, seja um humor escrachado ou até involuntário. Comerciais japoneses são o foco do blog CM´s Japan, de Fernando Kaneko, novo parceiro do Sushi POP. 


Por movimentar grandes orçamentos, é comum que astros de Hollywood ou do futebol internacional façam propagandas no Japão que não fariam em seus países. Mas quem domina mesmo são os astros de novelas e da música pop. Aqui, um comercial de cosméticos estrelado pela cantora Namie Amuro, musa absoluta vinda da província de Okinawa. Confira e divirta-se. 


Blog CM´s Japan







3 comentários:

Michel disse...

Por falar em plágio, o shôjo mangaka Yuki Suetsugu, que havia sido acusado de plagiar outras obras em 2005, parece que já voltou a publicar normalmente. Na época, todo material havia sido recolhido. E inclusive, sua obra mais recente, Chihaya Furu (BE•LOVE/Kodansha) vai virar anime!

A respeito do nome “Ultraman Jack”, uma curiosidade que não sei se já foi comentado em outro lugar. Após o término da série Ultraman Ace, a Tsuburaya pensou em abrir um ano de intervalo, já que ela havia duas outras séries em andamento no início de 1973, Fireman e Jumborg Ace. Mas para não ficar sem uma série Ultra, justo no ano de comemoração do 10º aniversário da Tsuburaya, deu-se início ao projeto “Ultra Jack”, a quinta série Ultraman. Entretanto, o projeto entregue foi nomeado de “Ultraman Star” e depois mudou para “Ultraman Jack”, já com a indicação do ator Saburo Shinoda (Kohtarô Higashi) para o papel do Jack. Só que um dos produtores da TBS, Ken Kumagaya, cismou com o nome (achou meio comprido...rsrsrs), e durante a discussão do título, o diretor Kazuho Mitsuta soltou um “Taro” (vai ver ele estava falando de seu cachorro...). Nascia então, Ultraman Taro!

Patrick Raymundo disse...

Cara, eu tenho tanto medo quando um partido cria um desenho que fale sobre a ideologia do mesmo. A coisa fica pior quando vemos evidências de que o desenho, criado para defender uma política, é um possível plágio de um animê. É realmente tenso!

Alexandre Nagado disse...

Bom registro sobre o nome do Ultraman Jack, Michel, afinal é um dos favoritos do público brasileiro. Pena que ele será só um coadjuvante no filme, que será focado em Zero, Dyna e Cosmos.

Patrick, essa situação toda só faz atrair mais antipatia a um regime conhecido por restringir as liberdades de seus cidadãos. E pelo vídeo mostrado, fica impossível dar o benefício da dúvida nesse caso.

Abraços!