7_Visual_Kei CDJapan

quinta-feira, 28 de julho de 2011

BOLETIM SUSHI POP - 3

AKB48 - O ápice do marketing japonês na indústria pop
AKB48 - FÁBRICA DE SUCESSOS
Um dos nomes de maior sucesso atualmente na Terra do Sol Nascente é o do coral feminino AKB48. Forjado no bairro de Akihabara (a "Meca" dos otaku), trata-se de um grupo criado em 2005 pelo produtor e letrista Yasushi Akimoto. O AKB48 representa o ápice do pensamento marqueteiro na indústria pop japonesa e entrou até para o Guiness Book, como o conjunto musical pop com o maior número de integrantes. Se o público japonês tradicionalmente gosta de modelos-cantoras-atrizes-dançarinas de voz infantil e aguda, por quê não juntar 48 delas em um só grupo?

Divididas em vários subgrupos (Team A, Team B, etc...) que lançam os singles separadamente e com algumas já em carreira solo paralela, as garotas têm uma agenda cuidadosamente calculada. Aparecem em comerciais de TV, dramas (as novelas de lá), seriados, revistas, clipes, shows... Suas integrantes são facilmente substituíveis (e algumas já foram mesmo) e oferecem a dose de sonho que o público médio busca. 
Todas têm o biótipo de ninfeta e estampam luxuosos livros com ensaios sensuais de biquíni e lingerie, incluindo as que são menores de idade (algo comum na mídia japonesa), o que ainda deve dar o que falar no ocidente. Seu DVD intitulado “AKB ga Ippai ~ The Best Music Video” atingiu o topo das paradas da Oricon e recentemente quebrou o recorde de maior venda de DVD para uma artista feminina, com 324 mil cópias vendidas. 


O som delas até que não compromete, pois a máquina de dinheiro que as movimenta contrata bons produtores e compositores, sem contar o próprio criador do grupo, ele mesmo um letrista respeitado que sabe escrever músicas que atingem seu público e até já compôs para a lendária cantora Misora Hibari. A fórmula "coral de modelinhos" está longe de se esgotar. Akimoto, que também produz os similares SKE48 e SDN48, já seleciona candidatas para outro grupo, o Nogizaka 46 e ainda planeja um similar em Taiwan. E o público vai atrás, comprando música pelo visual de quem canta. Bom, postei isso mais para registrar algo atual no mundo da música pop japonesa, que obviamente não se restringe a grupinhos pré-fabricados (ainda bem). Cá entre nós, esse tipo de som pop dançante com vozes infantis não me desce muito bem, nem o pensamento meramente mercantilista e explorador que o criou. Enfim, está feito o registro. 


AKB48 – Site oficial 


SAMURAI X – 15 ANOS
A famosa série de mangá e animê Samurai X (Rurouni Kenshin), do autor Nobuhiro Watsuki, comemora 15 anos em grande estilo. Nova série de TV e uma badalada versão live-action estrelada por Takeru Sato (o Kamen Rider Den-O) como Kenshin e Emi Takei como Kaoru. A produção está sendo conduzida pela filial japonesa da Warner Bros e o lançamento será em 2012. Além disso, versões em Blu-ray dos especiais de vídeo de Kenshin e do longa em animê (já exibido no Cartoon Network) também serão lançadas no Japão. Acompanhei boa parte da série original e, apesar dos alívios cômicos meio forçados, é uma obra épica com grandes momentos e que merece toda essa agitação em torno dela.


Aqui, você confere o trailer do game Rurouni Kenshin Sasen, baseado na saga da Juppongatana, que foi lançado em março para a plataforma PSP.





A QUEM PERTENCE O LICENCIAMENTO DOS ULTRAS CLÁSSICOS?
Existe, há décadas, uma batalha judicial internacional entre a Tsuburaya Pro, que produz os Ultras, e a Chaiyo, empresa tailandesa que clama os direitos de licenciamento internacional das séries clássicas. Tudo começou nos anos 1970, depois de uma parceria entre a Tsuburaya e a Chaiyo que resultou em um longa (horroroso) dos Ultras com a divindade tailandesa Hanuman. Baseada em um contrato já considerado falso, a Chaiyo também clamava ter tido participação nunca creditada (ou registrada) na criação de Ultraman. A briga judicial tem se arrastado por anos e a empresa UMC (do Japão), junto com a Tiga Entertainment de Hong Kong (ligadas à Chaiyo), tem clamado vitória em tribunal internacional e está licenciando as séries clássicas em vários países, inclusive no Brasil, via Masterpiece HD, conforme já noticiado. 


Ultraman vol. 1, pela
Masterpiece HD
A própria Tsuburaya admite estar impedida de licenciar fora do país suas próprias séries (as antigas, que fique bem claro), mas tem alertado que ninguém pode até tudo se esclarecer. A disputa abrange até Jumborg Ace, produção da Tsuburaya de 1972 que não envolve o Universo Ultra. 


A Masterpiece HD veio a público dizer que negociou os direitos das séries com a UMC, que afirma ter contratos reconhecidos internacionalmente e até já lançou nos EUA material oficial.

Nesta semana, um tribunal japonês deu ganho de causa à Tsuburaya, decretando que nem a UMC e nem a Chaiyo podem negociar os Ultras. Não sou advogado e muito menos entendo de direito internacional e suas jurisdições. Também não posso dizer sobre as motivações e as condições em que ocorreram as negociações (até hoje mal explicadas) da parceria entre a Chaiyo e a Tsuburaya. O presidente da Tsuburaya na época, Noboru Tsuburaya, já é falecido e a briga começou depois de sua morte. A Tsuburaya é uma empresa como outra qualquer e está brigando pelos seus direitos. Então, não farei juízo de valores aqui.

Com certeza, nenhuma dessas situações irá afetar os planos da Masterpiece, que também já anunciou Ultraseven, O Regresso de Ultraman e até Spectreman. A série de Spectreman foi produzida no Japão pela P-Pro, que não existe mais e cujo espólio foi adquirido pela Tsuburaya. Porém, em momento algum, Spectreman apareceu entre as séries cujo licenciamento a UMC ou a Chaiyo brigavam. Spectreman não foi exibido no Brasil trazido direto do Japão, mas dos EUA por outro licenciante. Não está claro por qual via essa série foi negociada para DVD, mas no Japão pertence à Tsuburaya e, como disse, nada tem a ver com a disputa envolvendo Tsuburaya, Chaiyo e UMC. 



Independente de tudo isso, os primeiros 3 volumes de Ultraman, com 4 episódios cada, começam a chegar nas lojas em agosto. Como brinde, 5 cards em cada embalagem. O primeiro lote também será disponibilizado em formato box. O preço sugerido para os DVDs avulsos é de R$ 19,90. 

Masterpiece HD - Site oficial

NOVO LIVRO SOBRE CULTURA POP JAPONESA
Recentemente, finalizei uma ilustração para a capa de um novo livro sobre cultura pop japonesa. Criado como trabalho de conclusão de curso de um universitário, o trabalho será focado no universo do cosplay e da j-music no Brasil. Quando puder, divulgarei mais detalhes aqui.



13 comentários:

Hikaruon Dekabase disse...

Pensava que com essa decisão judicial iria afetar> as vendas da MastterpieceHD ja que elas não negociaram coma Tsuburaya, mas sim com empresas ligadas a Chyao e a Tiga(UMC)

Alexandre Nagado disse...

Sinceramente, não sei o que pode acontecer. A Tsuburaya não tem representação no Brasil e, até onde sei, eles nunca demonstraram muito interesse no Brasil. Pelo contrário, até bloqueiam conteúdo de vídeo de seu canal oficial no YouTube para que brasileiros não vejam. É a fama de pirateiros que temos por aqui.

Se a UMC/Chaiyo forem proibidas de negociar os Ultras, podem ter até que pagar indenização à Masterpiece, num eventual pedido de recolhimento de DVDs. Mas isso eu duvido que vá ocorrer. E o direito tem tantas interpretações, decisões de um lugar que não valem em outra jurisdição, apelações e recursos que arrisco dizer que, quando uma decisão FINAL for tomada, os produtos já terão todos sido comercializados. Independente de serem oficiais ou não.

Bruno Seidel disse...

A tal da Chaiyo chegou até mesmo a produzir seus próprios Ultras na Tailândia, né? Isso tudo em caráter oficial, fazendo uso desses direitos que eles tinham adquirido nessa batalha judicial com a Tsuburaya. A empresa japonesa, porém, nunca reconheceu os Ultras tailandeses como sendo oficiais e jamais sequer os citou (diferente do reconhecimento que tiveram com os Ultras Chuck, Beth e Scott, do desenho americano Ultraman USA).

Alexandre Nagado disse...

A Chaiyo chegou a produzir um tal Project Ultraman, filme estrelado por Ekin Cheng e que foi proibido de ser veiculado. A Chaiyo também produziu espetáculos circenses com os Ultras originais e lá incluiu suas criações originais. Como foi tudo na base do processo e tribunal, a Tsuburaya nunca reconheceu mesmo esse material.

O caso com a Hanna Barbera em Ultraman USA foi diferente, bem às claras e com certa badalação. Por isso eles foram até incorporados à cronologia clássica.

Robinson Oliveira disse...

Bem Nagado, a empresa irá realmente lançar um BOX completo em uma única vez com os 39 episódios ou o consumidor terá como alternativa os BOX com 3 a 4 volumes agrupados?
Porque é muito mais interessante para os colecionadores a compra de um BOX-LUXO completo e não DVD por DVD. Acredito eu!!!
Agora fica no "ar". Será que realmente corre o risco do SEVEN não sair após esta decisão da justiça japonesa? Como gostaria que tudo fosse trabalhado respeitando os reais criadores, desde que, também houvesse clareza nos contratos.

Lagarto disse...

A Masterpiece HD realmente deu muito azar. Anuncia o lançamento das séries num dia e na semana seguinte a sua licença já era. Mas sigo confiante de que ela irá lançar e legalmente. Na pior das hipóteses eu acho que a coisa possa atrasar um pouco, o que pra mim não tem problema, afinal, o que são alguns meses para quem já aguardou mais de 20 anos?

Michel disse...

Abre o jogo Nagado, assume que tu é fã de AKB48...rsrsrs! Qual foi a sua reação quando soube que a integrante Aimi Eguchi não existia? Brincadeiras à parte, também não curto esses grupos com inúmeras integrantes. Não consigo me acostumar, você troca seis por meia dúzia, e não muda nada, pois são um misto de vozes, e você acaba não sabendo a real participação de cada uma. Com 48 integrantes, dá pra cada uma falar uma estrofe da música...rsrsrs! Obviamente que nem todas se apresentam junto, já que os palcos não comportam tanta integrante assim. Já cheguei a ver mini-lives do AKB48 e SKE48, e só pra cada uma delas se apresentarem, leva um tempão. Inclusive, o SKE48 vai estar no C3xHOBBY 2011, no dia 27. Será que eu vejo ou não??? Mas o que eu gosto mesmo são alguns “idol unit” formado por dubladoras, como o Sphere, o RO-KYU-BU! etc.

Também havia comentado sobre o filme do Rurouni Kenshin, em meu blog, no mesmo dia em que a notícia foi divulgada, justamente pela participação do Takeru Satô. Muita gente (que detestou Kamen Rider DEN-O) torce o nariz pra esse ator, mas acho que a escolha do Takeru foi a ideal para dar vida ao Kenshin Himura. E a primeira coisa que me veio a cabeça, foi a cena do Kintaros possuindo o corpo do Ryôtarô Nogami (DEN-O), praticamente a imagem do Kenshin. E por ter essa versatilidade em interpretar diversas personalidades, vai ser interessante mostrar a diferença entre os “dois” Kenshin, o retalhador Battousai e o andarilho (Rurouni) dez anos depois. Já entrou pra minha lista de filmes a ver no cinema.

Alexandre Nagado disse...

Ah, AKB48 só vale uma espiada com o som desligado. As vozinhas enchem o saco. Não são músicas ruins de tudo, mas esse tipo de canto não me agrada. Há poucas músicas nessa linha que eu já me interessei. E aposto que nem os fãs hardcore sabem identificar, no jogo de vozes, quem canta o quê. Mas garanto que a marca de calcinha que cada uma usa os fãs hardcore sabem...

E estou curioso pra ver o filme do Kenshin. Tomara que adaptem a primeira fase, da Juppon Gattana. Tinha uns vilões que podem ficar bem legais no cinema.

Abraços!

AndrinhoD disse...

BEM O QUE ACONTECEU COM A SÉRIE E A MASTER PIECE HD LANÇOU UM UNICO BOX COM DVD E 15 CARDS E VERSÃO AVULSO FORA OS MENUS QUE QUANDO COMPREI E SIMPLES SEM MENUS ANIMADO POR ESTÁ ESCRITO NOS DVD VERSÃO DE LUXO NO MENU NÃO PARECE DE LUXO TANTO ASSIM ELA IA LANÇAR MESMO, E JÁ FAZ ANOS E ESTAMOS EM 2015 QUASE 4 ANOS EU ACHO ELA PARECE SAI E VOLTA NÃO SEI SE ISSO E VERDADE.

AndrinhoD disse...

Ninguem responder ou ninguem sabe.

Ale Nagado disse...

O material era não oficial. Acho difícil que seja lançado desse jeito novamente.

AndrinhoD disse...

Bem mais voce viu a versao que prometeram uma edicao de luxo depois de lancar toda a serie com uma camiseta e com todos os brindes do dvd de luxo box e em bluray mais a cabeca por que fizeram isso so ensairam o pessoal e entao era pirata ou nao,nao tem mais nenhuma empresa envolvida em ultraman a serie classica ela prometeu ultraman seven o regresso de ultraman spectraman ja que era praticamente iguais as capas de spectraman.nao sabe algo sobre isso.agradeco se responder e souber nao liga com palavras sem acentos ou tio etc pois meu teclado esta mal configurado.e ate ultra q.

Ale Nagado disse...

Tem que cobrar a empresa que prometeu tudo isso. Eu não tenho mais dados sobre o assunto.