segunda-feira, 27 de junho de 2011

Ultraman x Kamen Rider: O encontro das lendas

As duas maiores franquias de super-heróis de tokusasu do Japão, Ultraman e Kamen Rider, pertencem a companhias rivais. Os Ultras são da Tsuburaya Pro, enquanto os Riders são da poderosa Toei Company (que também detém a terceira grande franquia, a Super Sentai). Com 45 e 40 anos de criação, respectivamente, eles competem na mesma faixa: produções infanto-juvenis de tokusatsu com forte público adulto e saudosista. A Tsuburaya se preocupa mais em preservar as origens e a Toei praticamente usa a marca Kamen Rider somente como gancho de marketing para vários super-heróis diferentes, visto que depois da morte de Shotaro Ishinomori (o criador dos originais, falecido em 1998), lançaram produções com visuais ou conceitos bastante diferentes. Cada qual, a seu modo, busca se destacar num mercado cada vez mais especializado, com a Tsuburaya tendo superioridade técnica e a Toei sendo mais bem-sucedida comercialmente, na maioria das vezes.
Ultraman e Kamen Rider: O encontro dos
maiores super-heróis do Japão.

Em 1993, nenhuma das franquias estava em uma grande fase. A última realização da Tsuburaya com um herói havia sido Ultraman Great (1990), co-produção com a Austrália feita direto para vídeo, fora mini-novelas contando os bastidores de Ultraman e Ultraseven e um longa com Ultra Q anos antes. E estava em fase de produção Ultraman Powered, co-produção com um estúdio americano que, como Great, também não emplacou. Já a Toei havia deixado os Kamen Riders fora da TV desde 1989, quando terminou Kamen Rider Black RX. Em 1992, havia tido pouco sucesso com o projeto para adultos Shin Kamen Rider, um longa para vídeo, fora uma animação de média-metragem com uma versão SD (Super Deformed) com toda a linhagem até RX. Em 93, a Toei lançou Kamen Rider ZO, um especial de 48 minutos para cinema. Apesar da superprodução em efeitos especiais e brilhante direção de Keita Amemiya, parece ter sido algo feito somente para manter a franquia em evidência e promover o Hero Festival, com aventuras para cinema das séries em exibição na época, Janperson e Dairanger

Apesar das jogadas de marketing, ambas as franquias atravessavam momentos de baixa naquela época, o que deve ter contribuído para facilitar a união de forças.

Em 1993, foi lançado o primeiro e até hoje único projeto conjunto reunindo os mais famosos e icônicos super-heróis do país. Ultraman vs Kamen Rider foi uma série de três vídeos (era a época do VHS), sendo que os dois primeiros apresentavam cada um dos heróis. O terceiro e principal reunia momentos marcantes, curiosidades, clipes de todas os heróis existentes, e entrevistas com Koji Moritsugu (Dan Moroboshi/ Ultraseven), Hiroshi Miyauchi (Shiro Kazami/ Kamen Rider V3) e um papo histórico entre o mangaká Shotaro Ishinomori e o produtor Noboru Tsuburaya, filho de Eiji Tsuburaya, o idealizador das primeiras séries Ultra. 

No final, um curta mostrava o primeiro Kamen Rider e o primeiro Ultraman juntos combatendo uma ameaça em comum. A direção e os efeitos são muito bons, fazendo lamentar que aquilo fosse só uma sequência de 10 minutos para encerrar o documentário. 



- As lendas se encontram. Pena que foi muito rápido.

O especial, que repercutiu bastante entre os fãs, permanecia sem lançamento em DVD, pois as empresas aparentemente não se interessavam ou não chegavam a um acordo sobre como seria a versão digital.

Susumu Kurobe e Hiroshi Fujioka: Os atores
veteranos em um encontro histórico.
Em 1996, a estreia de Ultraman Tiga fez a Tsuburaya renascer e voltar ao topo de popularidade. Em 2000 foi a vez da Toei ressuscitar a franquia dos motoqueiros ciborgues com Kamen Rider Kuuga, que estabeleceu os Kamen Riders na TV ininterruptamente até hoje.

Nos cinemas, os Riders têm liderado as bilheterias, deixando os Ultras para trás, apesar da superioridade técnica da Tsuburaya. Entretanto, o grande sucesso na China do longa de 2009, Ultra Galaxy (visto por mais de 14 milhões de pessoas em maio deste ano), voltou a encher os cofres da companhia e novidades devem ser anunciadas em breve. 


A série Ultraman Retsuden (“Biografias”), que estreia em 6 de julho – com várias cenas de arquivo e outras inéditas – é apenas o aperitivo. Em novembro e dezembro, dois novos especiais para DVD/Blu-Ray irão mostrar Ultraman Zero enfrentando Killer The Beatstar, vilão da antiga série Jumborg Ace. Lembrando que esse Jumborg foi a base para o robô Janbot, visto em Ultraman Zero - The Movie, no final de 2010. Os especiais deverão anteceder um novo filme para cinema, ainda a ser anunciado.

A Toei está com a série Kamen Rider OOO quase entrando na fase final e já foi anunciado seu sucessor, o Kamen Rider Fourze, que irá estrear na TV em 4 de setembro. Antes, eles devem se encontrar no especial de cinema de OOO, a ser exibido em 6 de agosto junto com o especial de Gokaiger, a série Super Sentai de 2011.

Com as duas franquias vivendo um bom momento, as empresas chegaram a um acordo para o lançamento em mídia digital. E um extra aguardado pelos fãs foi anunciado: um bate-papo atual entre os atores Susumu Kurobe (Hayata/ Ultraman) e Hiroshi Fujioka (Takeshi Hongo/ Kamen Rider). Espera-se que mais extras (ou um novo especial) sejam anunciados, afinal as duas marcas cresceram consideravelmente e as novas gerações certamente vão querer ver algo mostrando Ultras como Gaia, Cosmos, Möebius e Zero ou Riders como Ryuki, Den-O, Decade e Kabuto.

Ultraman vs Kamen Rider - a edição definitiva, sai no Japão em DVD e Blu-Ray no dia 26 de outubro de 2011.

7 comentários:

Bruno Seidel disse...

Eu não vejo grande rivalidade entre a Tsuburaya Co. e a Toei Company, apesar da histórica concorrência entre ambas. Lembro de já ter visto, inclusive, um episódio de uma série da Toei (agora não lembro qual era) na qual o próprio Susumu Kurobe volta a interpretar o Hayata e transforma-se no Ultraman ao final do episódio (isso me chamou bastante atenção, por sinal!). Também lembro que, naquele calendário de parede anual que a Toei lança de suas séries, sempre tem um destaque considerável dedicado aos Ultras (inclusive um que eu comprei lá no museu da Toei, em Kyoto)... Enfim, até onde eu vejo, essa concorrência é bastante sadia entre ambas empresas, sem picuinhas bobas. Bom para os fãs!

Alexandre Nagado disse...

Opa, eu acho que o calendário a que se refere deve ser da Bandai, a empresa que produz brinquedos das duas franquias. Ou é de alguma revista que fala de tokusatsu. Você não verá Kamen Riders em produtos oficiais de Ultras e nem o contrário.

Agora, Ultraman (incluindo Hayata) apareceu num episódio de Shushutorian, série no estilo Patrine. Basicamente porque um produtor era grande fã de Ultraman e conseguiu a negociação. Mas os personagens são de empresas que, por mais que convivam sem problemas, têm obviamente uma rivalidade por atuarem na mesma área.

Lembrando que falo de empresas rivais, não de inimigos ou de crianças birrentas, o que é bem diferente.

Bruno Seidel disse...

hummm... agora vc me jogou uma pulga na orelha. Qndo chegar em casa vou dar uma olhada nesse calendário pra ver se é da Bandai mesmo. Faria completo sentido, uma vez que ela fabrica brinquedos de ambas as franquias. Mas o calendário foi comprado no Toei Studio Park mesmo (com direito a um autógrafo - pago - do Kamen Rider OOO, huehuehuee). Ahhh sim!! SHUSHUTORIAN!!! Tava tentando lembrar e não vinha o nome à cabeça! Valew!! ^^

Alexandre Nagado disse...

Quando eu soube desse crossover entre Ultraman e Shushutorian, nem quis procurar o episódio... Ah, sim, as 3 garotas ficam gigantes e ajudam o Ultraman a lutar contra o Baltan. O velho lagostão nunca deve ter passado tanta vergonha, ah ah.

Tati Santana disse...

Fico imaginando o mundo Tokusatsu sem as produções dessas duas companhias e vejo que é praticamente impossível.

A grande família Ultra e os heróis "com caras de gafanhoto" montados em motos turbinadas contituem em uma grande referência de tokusatsu na atualidade. Referência essa que creio que persistirá por muitos e muitos anos.

Acredito que é essa rivalidade 'saudável', entre as duas empresas que torna as séries tão atuais para os dias de hoje, isso porque para vender elas precisam adequar-se as novas gerações que surgem a cada década.

Parabéns pelo texto, por retrar tão bem duas companhias "quarentonas".

JJ Marreiro disse...

Caramba! O Hayata tá muito velho! Eu lembrava dele garotão! :)

Os heróis dos tokusatsus sempre me passaram uma idéia de nobreza muito grande...é como se eles tivessem uma herança samurai. Até a relação que a gente vê entre os atores mais jovens das franquias com relação aos mais experientes é de respeito e admiração. Vejo os Ultras e os Kamen Riders tão bem (ou melhor) trabalhados quanto franquias americanas tipo Star TRek.
Seria bacana ver produtos oficiais dos Ultras e similares lançados no ocidente sem as costumeiras deturpações a la Power Rangers:)

Alexandre Nagado disse...

Você precisa ver o longa ULTRA GALAXY LEGENDS. O Hayata com 70 anos e o Dan Moroboshi com 65 usando mantos estilo mestres Jedi e se transformando como nos velhos tempos.

E sim, nas entrevistas que li, há um sentimento de reverência para com os atores veteranos. Em parte, traço da cultura japonesa. Mas eles têm o peso de um Christopher Reeve ou um William Shatner perante os fãs japoneses.

Abraços!
PS: Ah, a Focus Filmes vai lançar vários longas dos Ultras até o ano que vem. Vale a pena ver alguns deles, incluindo o Ultra Galaxy, que é fabuloso.