RECADO AOS VISITANTES:

Olá! O blog está de férias, mas já estou trabalhando em novas postagens. O Sushi POP voltará a ser atualizado no dia 1 de agosto (terça), no período da tarde.

O que vem por aí:
- Ultraman Geed, Novo Lobo Solitário, resultado da convocação para trabalhos acadêmicos e mais!

Esteja aqui para conferir. Até breve!

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

ULTRAMAN - 45 ANOS



Neste ano, a saga da Família Ultra completa 45 anos de criação. No final de 2010, estreou no Japão o filme Ultraman Zero The Movie, que iniciou as comemorações pelo aniversário da mais longa série de super-heróis japoneses de tokusatsu.

Apesar da caprichada produção, o filme ficou apenas em décimo lugar nas bilheterias na primeira semana. Não vou discutir ou analisar isso, pois ainda não vi o filme e devo esperar pacientemente pelo seu lançamento em DVD. Mas chama a atenção que, apesar de Ultraman ser conhecido em todo o Japão e apesar das novas produções terem uma produção caprichada e ação de alto impacto, as novas gerações não têm se empolgado com seus filmes mais recentes. Tem havido muita renovação nos conceitos, formatos e valores de produção e talvez aí esteja o problema. Todas as recentes tentativas de se renovar a franquia resultaram em um retorno às origens, pelo baixo interesse do público quando as mudanças estruturais são muito grandes. 


A fase atual se passa no futuro, tem muitas influências de Star Wars e incorporou o conceito de universos paralelos para reunir diferentes linhagens de personagens, algo tirado diretamente dos quadrinhos da DC Comics. As referências ao passado continuam e o Universo Ultra tem ficado cada vez mais complexo e elaborado (e um tanto confuso às vezes). Em termos de ação e efeitos especiais, a evolução tem sido absurda, o que faz espantar ainda mais o relativamente baixo interesse que os filmes têm tido em seu país, apesar de Ultraman ainda ser um ícone pop forte e consagrado.


Talvez uma parte enorme do público japonês atual queira mesmo ver monstros emborrachados lutando em meio a maquetes de predios, nada que exija um grau maior de elaboração.


Independente disso, já foi anunciado pela Tsuburaya Pro um novo filme da saga, a ser lançado no final deste ano. Vamos ver se eles continuam o processo de renovação da marca ou se, novamente, irão retornar às origens.

Por enquanto, curta o clipe da música “Minna dai suki Ultraman” (“Todo mundo gosta do Ultraman”), do grupo Voyager. É o vídeo promocional oficial das comemorações dos 45 anos das séries Ultra. 


**********



Se você é um iniciante no assunto, indico um texto meu publicado no site Omelete sobre os Ultras. A matéria é de 2005, logo está bem desatualizada, mas serve como um ponto de partida para você se localizar. Depois, procure mais textos sobre o assunto aqui mesmo no blog.



Ultraman – Gigante pop

8 comentários:

Bruno Seidel disse...

Aê Nagado! Feliz 2011, amigo!

Veja só que curioso essa influência americana sobre as produções Ultras recentemente. Chega a haver um contraste entre as produções atuais (onde temos batalhas no espaço, artes marciais nas cenas de ação, uma grande dose de efeitos especiais e CG) com as produções da década de 1960, de onde os Ultras se originaram.

Mas o mais curioso ainda é que as séries de Tokusatsu estão aderindo a um consenso geral de reunir seus personagens em crossovers cada vez mais constantes: vide a série do Decade, esse novo especial dos 40 anos dos Riders que vem aí em 2010 e agora o caso Go-kaiger que vai revigorar os 34 Sentais anteriores (será que vem coisa boa aí?). Bom, a Tsuburaya já tem como costume fazer isso com os Ultras, que volta e meio se encontram em algum especial diferente.

Mas não me foge a hipótese desses encontros de Kamen Riders e Super Sentais serem também uma influência americana, visto que é extremamente comum heróis do universo Marvel e da DC se encontrarem eventualmente.

Halaynows disse...

Assistia ultraman qdo era pequena, pq meu irmão curtia... nossa, vendo esse videozinho deu saudade!

Luiz Gustavo disse...

Opa. Parece realmente que o filme nao obteve o sucesso esperado em relação às bilheterias. Mas isso não quer dizer que o filme é ruim ou sem qualidade.

Temos que esperar, como você mesmo disse, até que saia em DVD para poder ter uma opinião melhor.

Fico na esperança que venham mais e mais filmes da galera Ultra.

Patrick Raymundo disse...

Se não me engano foi a Record que trouxe Ultraman Tiga para o Brasil. Naquele momento, achei que veríamos um revival da série por aqui. Não aconteceu do jeito esperado, mas a tv paga continuou nos trazendo mais Ultras. Sempre admirei esse trabalho. Achava demais a série clássica. Vou esperar também por esse filme novo, para ver as influências ocidentais no enredo.

Robinson Oliveira disse...

Fala velho amigo Nagado! Feliz Ano Novo!!!

Pelo simples detalhe de ainda continuarem a trabalhar na franquia "ULTRAMAN" acredito que de alguma forma tenha dado retorno numa visão global do universo monetário.

Não sou técnico na área amigo mas tanto oriente como ocidente se misturam no sistema do cinema sempre existindo adaptações por um e por outro a um ponto de acabarmos perdendo o início de cada ação.

Assisti os outros Movies e gostei bastante da temática e necessitamos sim de uma evolução, desde que não deixemos para trás nossa essência e torço por estas melhorias na franquia Ultra porém nunca esqueçendo do passado.

Vida longa para os Ultras...

Michel disse...

Legal que as nossas conversas sobre Ultras tenham rendido essa ótima postagem. Acho que eu também vou tentar escrever algo em meu blog. Aliás, ainda não comentei nada sobre o filme do Ultraman Zero. Falta de tempo... Legal o vídeo! E falando nos 45 anos de Ultraman, hoje de manhã, pela TV Asahi, após Heartcatch precure!, foi exibida uma edição especial do programa de orquestra “Daimei no nai ongakukai”, sobre Ultras, tendo como convidados, o ator Taiyô Sugiura (Ultraman Cosmos) e o compositor Tooru Fuyuki, fora as intervenções de Ultraman, Ultraseven, Ultraman Zero e o Baltan Seijin. Pena eu não ter gravado!

Alexandre Nagado disse...

Pessoal, primeiro obrigado pelos comentários e um feliz 2011 pra todos nós.

A relativamente fraca recepção do filme do Zero repercutiu nos nichos de fãs brasileiros. Muitos só sabem desdenhar Ultra, dizendo ser sempre a mesma droga e que tinha que renovar.

Bom, a Tsuburaya tem renovado valores de produção, tem mudado conceitos e tentado outras coisas. Reintroduziram velhos heróis de outras séries, incorporaram o conceito de universos paralelos, trouxeram elementos de Star Wars, colocaram seus heróis pelo Universo, deixando de prendê-los na Terra ocultos em algum grupo anti-monstros. Tudo ficou maior e mais elaborado. Mas não está dando certo e pode ser que dêem outro passo atrás.

Para quem não acompanha e só sabe falar mal sem assistir, nada terá mudado mesmo. Por outro lado, o que mudou na franquia Super Sentai? Mais robôs e heróis. E nos Kamen Riders? Algumas produções se distanciaram tanto dos originais de Ishinomori que o nome Kamen Rider é usado só como artifício de marketing. Assim é fácil "inovar".

Abraços a todos!

Miltão disse...

A Tsuburaya conseguiu dar vida nova à família Ultra. Que o diga Ultraman Mebius e o filme dele com os ultrabrothers.

Se na terra do Tio Sam dizem "Up, Up and away", na terra do Sol nascente se diz "SHWATCH!"

\o