7_Visual_Kei CDJapan

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Mega Batalha na Galáxia Ultra - Resenha do filme

Cartaz original do filme. Um
épico espacial à altura do mito.
Dai Kaiju Battle - Ultra Ginga Densetsu - The Movie, ou "Batalha dos monstros gigantes - A Lenda da Galáxia Ultra - O Filme" foi certamente uma das maiores aventuras cinematográficas da franquia Ultraman. Um título enorme para um filme grandioso, que no geral cumpre sua missão ambiciosa de dar um salto evolutivo no gênero. A produção, com cenários gerados em CG, se não é perfeita, está muito acima de produções similares japonesas e pode agradar muito mais gente do que se fosse apenas uma homenagem tradicional aos cânones do passado. Com muita ação do começo ao fim, foi uma das melhores aventuras dos Ultras feita para tela grande, talvez a melhor até agora, com um grande senso cinematográfico. Não parece, de forma alguma, um episódio de TV esticado, coisa comum de acontecer em longas feitos a partir de um seriado televisivo.


O filme abre com uma impressionante luta entre Ultraman Mebius e Bemlar, monstro do primeiro episódio do primeiro Ultraman. A movimentação e tomadas de cena da rápida batalha são excelentes, fazendo esquecer qualquer coisa já feita num filme de monstros japoneses. O pique das lutas é uma mistura do estilo de ação dos filmes de luta de Hong Kong com animê e o resultado é primoroso.

A Cidade da Luz no Planeta Ultra é retratada com esplendor, como uma grandiosa metrópole de cristal cujos guerreiros mais poderosos se revezam na proteção de setores espaciais contra monstros e alienígenas perigosos.

A cronologia se encaixa no futuro visto nas duas séries de TV (inéditas no Brasil) Ultra Galaxy, onde a humanidade vive a era das explorações espaciais. Ultra Galaxy apresentou a equipe ZAP Spacy a bordo de sua nave Space Pendragon, em missões de exploração e transporte de cargas pelo Universo sob o comando do intrépido Hyuga. O membro principal da equipe é Rei (vivido pelo ator Shota Minami), que possui genes Reyonix do maligno Alien Reiblood, antigo governante do universo, e tem o poder de controlar monstros através de seu artefato Battlenizer. Capaz de invocar e controlar o monstro Gomora (um dos mais fortes enfrentados pelo primeiro Ultraman), Rei também pode assumir a forma de combate Reimon, mas vive atormentado com o perigo de perder o controle e se tornar uma ameaça a seus amigos.
Ultraman Belial

Em M-78, ao ser libertado da prisão orbital por um iludido Alien Zarab, o poderoso Ultraman Belial se volta contra o Planeta Ultra e logo enfrenta um pelotão de soldados liderado por Taro, que é vencido impiedosamente. Fruto da junção de um Ultra renegado com a essência malévola de Reiblood, Belial é praticamente onipotente graças ao Giga Battlenizer, um bastão de combate de poder ilimitado e capaz de controlar 100 monstros.

Com a retirada do núcleo de energia do planeta por Belial, o mundo dos Ultras se transforma em gelo e somente um enfraquecido Taro mantém uma fagulha ainda acesa por um tempo, a última esperança dos gigantes de luz.
Os remanescentes Ultraman, Ultraseven e Mebius precisam encontrar Rei, cujo poder pode ser decisivo para anular o efeito do Giga-Battlenizer. 


Longe dali, em um planetóide, Ultraman Zero, nada menos que o filho de Ultraseven, treina duro com seu tutor, Ultraman Leo. O mais poderoso de sua raça, somente Zero pode enfrentar Belial com igualdade de condições, mas seu temperamento impulsivo quase o levou para o mal no passado e por isso, Leo é extremamente severo no treino.

A história é simples, sem surpresas e tem uma condução bastante óbvia. Em certo momento, Shin Asuka (Ultraman Dyna) aparece do nada, ajuda a equipe ZAP Spacy, se transforma e logo se junta aos outros heróis.
Aqui, vale lembrar que em sua série original, Dyna pertence a uma cronologia diferente em uma outra dimensão. Ao final de sua série, ele se perde em um buraco negro e se reencontra com seu pai. Ele fora dado como morto anos antes ao ser tragado com sua nave por outro buraco negro. Muitos viram isso como uma metáfora para sua morte, mas ele estava apenas "perdido no espaço". A aventura de Ultra Galaxy se passa vários anos no futuro, mas como os Ultras podem viajar dimensões no tempo-espaço, não viram problema em jogar Dyna nessa aventura. Ele chega a mencionar que está "em uma jornada", numa alusão de que está ainda tentando voltar à sua dimensão e sua época.

Os membros da ZAP Spacy e um grupo de Ultras confrontam Belial e seus monstros e a batalha que se segue é grandiosa, apesar de perder em intensidade em relação ao massacre de heróis visto no começo do filme. No calor da batalha, Rei assume sua forma alienígena e perde o controle, tornando tudo ainda mais perigoso para os Ultras, que dependem de Zero para equilibrar a luta desigual.
Da esq. p/ dir.: Rei, Hayata, Dan, Asuka e Mirai,
os heróis principais do filme.
Ultra Galaxy Legends (título internacional da aventura) deve ser lançado em DVD no Brasil no final do ano pela Focus Filmes, que também adquiriu os direitos de The Ultraman (2004), Ultraman Möebius and Ultraman Brothers (2006) e Superior 8 Ultra Brothers (2008). Os dois últimos já foram exibidos no canal pago HBO e o anterior já foi lançado antes em DVD pela Impact Records.

A saga de Zero e os Ultras contra Belial continua em Ultraman Zero The Movie, a ser lançado no Japão em dezembro. Assim como o filme anterior, este será precedido por dois especiais em DVD/Blu-ray a serem lançados pouco antes. Em um deles, Zero enfrentará uma cópia maligna, denominada Darklops Zero. E muito ainda está para ser anunciado, até o lançamento dessas produções. Com um novo estilo, a franquia Ultra se renova e volta a ser referência para produções japonesas de aventura com monstros e super-heróis.

CURIOSIDADES

* A direção é de Koichi Sakamoto, que dirigiu vários episódios de Power Rangers. Dublê veterano, começou a dirigir Power Rangers nos EUA e o longa  marcou sua estréia dirigindo uma produção japonesa.

* A trilha sonora foi assinada por Mike Verta, que não só compôs como também bancou a "orquestra de um homem só", munido de sintetizadores. É difícil acreditar que foi tudo feito em 5 semanas, mas segundo ele declarou ao site Scifijapan.com, esse tipo de prazo é comum no Japão. A ele foi pedido que criasse um som bem hollywoodiano, sem se prender a modelos japoneses e o resultado dá até mais peso e consistência ao filme. Verta é casado com Danica McKellar, atriz que ficou famosa ao interpretar Winnie na série Anos Incríveis (The Wonder Years)

* Além da volta dos atores originais Susumu Kurobe (Hayata/ Ultraman), Koji Moritsugu (Dan Moroboshi/ Ultraseven), Takeshi Tsuruno (Shin Asuka/ Ultraman Dyna) e Shunji Igarashi (Mirai/ Ultraman Möebius), alguns Ultras que aparecem somente transformados tiveram as vozes dos atores veteranos. Ultraman Jack (de O Regresso de Ultraman) teve a voz de Jiro Dan (Hideki Goh), Ultraman Ace foi dublado por Keiji Takamine (Seiji Hokuto), Leo por Ryu Manatsu (Gen Ootori) e Taro teve a voz de Hiroya Ishimaru, seu dublador oficial desde o filme Ultraman Story, de 1984. São participações pequenas, mas importantes e respeitosas para com os fãs de longa data.

* Ultraman King teve a voz de Junichiro Koizumi, ex-Primeiro Ministro do Japão. O político conhecido internacionalmente aceitou o papel a pedido de um de seus filhos, grande fã de Ultraman.

* O filme foi lançado em DVD no Brasil pela Focus Filmes

8 comentários:

Paulo Arthur disse...

achei surpreendente o trailer. Quando vc falou do CG esperava que fosse algo um pouco mais simples, mas está com uma renderização bem crível. Me interessei agora para assistir.

grande abraço!

Alexandre Nagado disse...

No filme, algumas cenas funcionam melhor do que outras, mas no geral o nível dos CGs está legal sim. O design da Cidade da Luz é fantástico, bem como a batalha que acontece nela.

Acho ótimo que esse filme saia no Brasil e espero que possa unir diferentes gerações de curtidores.

Abraço!

Guitar Hero disse...

Acho elgal este tipo de coisa... serve para agradar ops fans antigos e para mostrar aos novos...

Falando neste assunto, nagado vc poderia fazer uma materia (dividida em partes talvez) na qual mostre alguns mangás antigos (anos 90, 80, 70..)interessantes que o pessoal deveria procurar... claro que não focando apenas nos já conhecidos (akira, kamen rider) mas mostrando principalmente aqueles que são desconhecidos pelo pessoal aqui do Brasil... poderia ser dividido por generos tipo; ficção cientifica, mech, fantasia, terror investigação.... sinto falta de algo deste tipos nos blogs nacionais... normalmente só tem informações batidas dos mangás que todos já conhecem...

Alexandre Nagado disse...

Essa dica de pauta é interessante. Na verdade, é o tipo de coisa que o editor do blog Maximum Cosmo tem muito mais conhecimento e competência pra fazer.

Mas eu tenho alguns títulos obscuros que gostaria de comentar e tentarei fazer isso na medida do possível. Alguns são mangás que esbarrei por acaso com uma ou outra edição, mas que valem um registro. Vou ver o que posso fazer.

Abraço!

Guitar Hero disse...

Valeu nagado, cara eu estava com essa idéia faz tempo... sempre sou curioso com relação a arte e quando vi esta postagem sobre o ultraman vi a oportunidade de sugerir isto.

Uma matéria falando sobre mangás interessantes e desconhecidos (aqui no ocidente) seria bastante útil... como disse se desse p/ fazer pelo menos um pequeno guia mostrando generos como ficção cientifica, investigação, metal hero, fantasia... e com umas imagens legais p/ dar ahúa na boca... ou sei lá qualquer informação já seria legal...

Usys 222 disse...

Uma excelente resenha de um grande filme.
Ele também é uma das poucas oportunidades dos fãs brasileiros de verem a história do Planeta Ultra, de como ele se tornou o que é. E com o desenvolvimento da computação gráfica, foi possível representar o Planeta Ultra de uma forma bem mais rica que em Ultraman Taro, que tinha muitas limitações tecnológicas e financeiras.
E trazer atores originais para interpretar seus papéis antigos é uma das coisas boas da Tsuburaya. Apesar de pequena, teve a participação de Hatsunori Hasegawa como a voz do Ultraman 80.

Ale Nagado disse...

Fala, Mr. Usys!

Se não me engano, o Hasegawa não fez a voz do Ultraman 80 nesse filme. Ele dublou 80 em Ultraman Zero The Movie. Deve ser um ator meio difícil pra agendar trabalhos, mas a aparição dele na série do Mebius foi realmente emocionante.

Abraço!

Usys 222 disse...

Epa! Tem razão. Engano meu. Ainda tenho muito o que aprender.
De fato esse episódio foi muito bonito. E elucidou o porquê do 80 abandonar o ensino e se dedicar à UGM. Um belo trato para os fãs.