sexta-feira, 20 de agosto de 2010

DIVULGANDO HQ PARA NÃO-INICIADOS


Clique para ampliar.
O mercado de quadrinhos nos últimos anos tem encolhido e se segmentado cada vez mais por motivos diversos. Os gibis têm deixado de ser um meio de comunicação de massa para atingir somente grupos fechados de fãs hardcore. Isso tem feito mal ao mercado e aos profissionais, mas parece um caminho sem volta.

Sempre penso em fazer o caminho inverso e sempre imagino como dizer a uma pessoa que não lê quadrinhos que isso não tem nada de mais e é só mais uma forma de entretenimento e cultura tão válida quanto as outras.

Nos últimos anos, me afastei da produção de quadrinhos comerciais e me voltei a material institucional, encomendado por empresas ou órgãos do governo. Mas isso é opção de sobrevivência, não opção artística.

Uma vez, pensei numa campanha institucional que usasse minha experiência em quadrinhos didáticos/institucionais para promover a mídia quadrinhos. E que jeito melhor do que fazer isso na forma de uma HQ? Uma HQ pra quem não lê HQ.

Pensei em criar uma tira ou página simples, que fosse mandada por e-mail igual a tantas correntes de piadinhas, frases inspiradoras ou fotos curiosas que circulam pela internet. Sendo algo pequeno, a pessoa acabaria lendo. E, nessa rápida leitura, eu deveria passar alguma informação básica sobre HQ.

Essa tira não é para quem já foi fisgado pelas HQs ou simpatiza com elas. Não pretendo exaltar as qualidades culturais das HQs, não pretendo exaltar a produção nacional, apontar o valor literário ou o qualquer assunto que entra em rodinhas de discussão de profissionais, pesquisadores e fãs. Fiz uma tirinha para o não-leitor, com a pretensão de fazer com que ele tenha vontade de ler quadrinhos. A dar uma olhada em alguma coisa, que lembre de dar uma espiada na banca, na seção de quadrinhos de alguma livraria ou até mesmo buscar por alguma leitura descompromissada na web.

Quem já tem os quadrinhos em sua vida não tem o distanciamento para dizer se isso tem ou não potencial para atingir seu objetivo. Eu mesmo não tenho como dizer isso também. Por isso, convoco a todos os que defendem essa mídia a repassarem isso. Podem repassar o link desta postagem no Twitter (estou lá como @ale_nagado), copiando e colando o código abaixo:


http://tinyurl.com/divulgahq

Ou então, podem salvar a tira em seu computador pra mandar a seus contatos. Ou, ainda, baixar aqui uma versão em PDF em alta resolução para imprimir e afixar onde quiser para que as pessoas leiam.

Se milhares de pessoas lerem essa HQ, talvez centenas passem a ver HQ com outros olhos. Dessas, talvez dezenas comprem alguma HQ pra ver como é e alguns outros acabem gostando e comprando mais vezes. Dentre essas, se apenas UMA disser pra mim que minha tira despertou (ou reacendeu) seu interesse por quadrinhos, ficarei contente.


Agora é com você.

8 comentários:

Paulo Arthur disse...

iniciativa inteligente, afinal qual é o lucro tornar os quadrinhos um produto de consumo de um único grupo? Ninguém ganha com isso. Desmistificar os quadrinhos é uma taréfa difícil, mas acredito que seja possivel tornar uma pessoa "comum" num leitor com o incentivo certo.

Patrick (Matu) disse...

Repassei para uma lista de amigos que eu tenho. A leitura de hq's, e livros em geral, estão realmente segementados. Para se ter uma idéia, Ledo Ivo, imortal da Academia, dissem ao canal Globo News que se uma obra vender cerca de 5 mil exemplares já pode ser considerada best seller. Estou lendo um livro e nas páginas iniciais está escrito assim: "1ª edição- do 1º ao 5º milheiro". Fatalmente não sairá disso. Então, realmente estamos em uma situação de crise do mercado. Lógico, existem escritores que vendem mais (Paulo Coelho, Tolkien e etc..) mas não são maioria. A maioria não consegue vender nem 15 mil exemplares. Imagino que as Hq's estejam indo para o mesmo caminho.

Patrick (Matu) disse...

Desculpem os erros de português do post passado. :) Continuando, estamos passando por um período de mudança, o direito autoral está mudando, os meios estão mudando e sobreviverá quem puder evoluir com o mercado. Espero que as HQ's acompanhem o mercado. Talvez com e-books.

Saulo de Brito (Griffin) disse...

É uma excelente iniciativa!

Acho que precisamos mais disso mesmo. Artistas se prontificando a produzir material que tenha como meta a explanação da importância das HQS.

Cristiane Mayumi disse...

Boa ideia!
Vou divulgar no twitter!

gcarlos disse...

Também to divulgando no twitter e no meu blog (http://gcarlos.wordpress.com/2010/08/21/vamos-ler-quadrinhos-brasil/)!
A dica de dar presentes é muito boa! Teve um ano que só dei hqs de presentes e funciona! ;)
Parabéns pela iniciativa!!
Bjus

Bete Novaes disse...

Olá Alexandre, como vai?
de tempos em tempos venho ver as novidades do seu blog, desde que assisti a sua palestra pela fundação Japão no início do ano.
E achei fantásticas essa sua iniciativa para os não leitores de quadrinhos, que são futuros leitores em potencial, que apenas precisar de um empurrãozinho pra realmente conhecer os quadrinhos.
Vou repassar para meus amigos por e-mail, pelo twitter e pelo facebook.
Parabéns por esta iniciativa!

Alexandre Nagado disse...

Oi, Bete. Que bom que minha palestra a motivou a passar aqui no blog de vez em quando. Obrigado pelo apoio.

Depois mande pra mim o link do seu blog.

Abraços!