RECADO AOS VISITANTES:

Olá! O blog está de férias, mas já estou trabalhando em novas postagens. O Sushi POP voltará a ser atualizado no dia 1 de agosto (terça), no período da tarde.

O que vem por aí:
- Ultraman Geed, Novo Lobo Solitário, resultado da convocação para trabalhos acadêmicos e mais!

Esteja aqui para conferir. Até breve!

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

PATRULHA ESTELAR E ULTRAMAN SE ENFRENTAM NOS CINEMAS JAPONESES

Depois de muito tempo sem postar nada no portal Omelete, resolvi mandar duas notas em sequência. Já fui colaborador atuante, mas ultimamente, a falta de tempo e interesse me afastaram dessa atividade. 

Porém, com dois assuntos - Patrulha Estelar e Ultraman - de que gosto com novidades interessantes, resolvi escrever. Ambas as séries irão estrear novos filmes para cinema no dia 12 de dezembro. Como se fosse pouco, ainda há o novo filme da franquia Kamen Rider. Na verdade, são dois especiais de cinema exibidos juntos, e não um filme só.

No meio dos fãs, são notícias velhas, mas para o público geral ou "normal", poderiam interessar bastante. Escrevi colocando a informação num contexto geral, mais para situar o leitor do Omelete no que está acontecendo com duas das mais importantes sagas da cultura pop japonesa.

Primeiro, foi uma nota publicada no dia 9 sobre o mais recente longa da Patrulha Estelar. Se ainda não viu, leia a nota abaixo antes de prosseguir:


A outra nota, que entrou dia 12, fala sobre a franquia Ultra, que continua uma marca bastante forte e conhecida no Japão. Agora sob a distribuição da poderosa Warner Bros, o estúdio Tsuburaya caprichou num filme digno de cinema.


Agora, no blog, posso usar uma linguagem mais pessoal e tentar me comunicar com um público mais hardcore, mais especializado mesmo. Dentro da cultura pop japonesa, são dois dos meus títulos favoritos e me dou o direito agora de jogar uma conversa fora.

REFLEXÕES SOBRE A NOVA PATRULHA ESTELAR

Claro que, como grande curtidor do Yamato, vou conferir a nova aventura em DVD, assim que sair. Achei uma pena o Leiji Matsumoto ter ficado de fora por causa da briga judicial envolvendo direitos autorais com o produtor Yoshinobu Nishizaki. Felizmente, o design que ele criou para o Yamato foi mantido. Teria sido uma heresia terem mudado. Aliás, já mudaram uma vez, na infame série para vídeo Yamato 2520, lançada na década passada. Foi um fiasco, apesar do visual do conceituado Syd Mead.

Voltando ao novo Yamato, apesar de vídeos de fãs estarem circulando com a música clássica (um dos quais foi pescado no Omelete), haverá uma nova trilha, especialmente uma nova canção-tema. A inglória tarefa de ocupar o lugar de uma das mais emblemáticas músicas de uma série coube ao grupo The Alfee. Veteranos do J-pop, não há dúvida de que eles poderão fazer um grande trabalho. Mas pra mim, será uma pena não ouvir a voz de Isao Sasaki cantando a empolgante música-tema.

Pelo que vi dos créditos, o tema original será tocado em algum momento, pois há a menção ao nome do compositor e maestro Hiroshi Miyagawa como autor da trilha original. Talvez façam semelhante ao que o diretor Brian Singer fez no filme Superman - O Retorno, que apresentou, levemente modificado, o tema original dos anos 70 para não desapontar os fãs. 

A história irá mostrar alguns personagens envelhecidos, mas deve se focar em novos heróis. Agora, estão usando pesadamente a computação gráfica e o resultado deve ficar bom. Só espero que o senso de grandiosidade e drama sejam mantidos. Uma das coisas que não gosto dos animês modernos é a presença constante de adolescentes histéricos. Não há espaço pra isso no universo mais maduro que sempre marcou as aventuras do Yamato. Só nos resta aguardar. 

REFLEXÕES SOBRE O FILME DOS ULTRAS 


É ótimo ver de novo os velhos Hayata e Dan Moroboshi. Mas saber que outros três veteranos foram chamados apenas para dublar os heróis transformados foi bem decepcionante. Talvez o roteiro não tivesse espaço para eles aparecerem. Se isso for perceptível, ou seja, se o roteiro estiver bem amarrado e aproveitado, tudo bem.


O filme anterior, A Grande Batalha - Os 8 Super Irmãos Ultra foi bem interessante e com grandes momentos. Mas o roteiro de Keiichi Hasegawa foi um tanto confuso. Perderam a primeira metade do filme para explicar sobre dimensões paralelas, a fim de localizar numa mesma realidade os alter egos dos Ultras vindos de mundos diferentes em um enredo totalmente novo. Mas quando surge o perigo, eles se "lembram" que são heróis em outra dimensão, se transformam e vão à luta como se isso fosse normal, jogando toda a lógica para o espaço. Aliás, o final é das coisas mais incrivelmente acéfalas que já vi na vida, mesmo levando em conta o tipo de filme que é. 

O longa dos 8 Ultras também foi excessivamente focado em mostrar pontas e participações especiais e dar espaço aos atores que interpretam os heróis e suas companheiras. Foi um filme dos humanos. Dessa vez, parece ser muito mais um filme de ação dos Ultras. E as cenas de ação, nota-se, parecem dignas de cinema.

Conforme citei na matéria do Omelete, há a presença de Junichiro Koizumi no elenco de dubladores, além de alguns atores originais. Mas o peso do cast de vozes vai mais além, pois Ultraman Zero será dublado por Mamoru Miyano, conceituado dublador que já emprestou sua voz para Light Yagami, na versão em animê do aclamado mangá Death Note

Outro ponto interessante do filme será trazer de volta o personagem Asuka e seu alter-ego, Ultraman Dyna. Vagando perdido entre universos e dimensões desde o final de sua série em 1998, Dyna será trazido ao Universo Ultra clássico. Há fãs que consideram que tudo se passa num mesmo universo, mas isso cria incongruências incompatíveis entre as séries. 

Mesmo vagamente, a produtora estabelece que existem universos distintos em suas produções.  A Tsuburaya sempre deu um tratamento meio vago à cronologia de suas séries. Em Ultraman Moebius, tentou-se estabelecer um "universo clássico", que engloba as séries originais até 1980 e depois pula para Moebius, em 2006. 

Ultra Seven teve aventuras em 1994, 98, 99 e 2002. Pelo que foi visto nelas, as aventuras se passaram em um mundo que conheceu apenas Ultra Seven, apesar de Baltan (inimigo do Ultraman) e alguns outros aparecerem em fotos no início do primeiro dos filmes especiais de Seven. 

Muitos outros Ultras foram imaginados como pertencendo a universos paralelos ou alternativos. Porém, alguns deles irão aparecer no novo longa, como Ultraman Neos, Great, Powered e Max, cujas séries foram feitas antes de Ultraman Moebius e completamente ignoradas para efeito de cronologia, apesar de aparecerem no novo filme. Como a história do filme se passa no futuro, pode-se imaginar que os citados Ultras podem ter vivido aventuras depois de Moebius. É uma desculpa meio esfarrapada, mas que acaba fazendo algum sentido. Ou isso, ou eles podem até ser imaginados como sendo versões do "universo normal" de Ultras que tiveram séries próprias em outros universos. Bom, mas independente desse papo todo, o que vai importar mesmo é se o filme será bom. Se terá um roteiro bem amarrado e consistente em si, se a produção será tão boa quanto parece nos trailers e se o filme, no final das contas, for uma obra digna de cinema.

E com distribuição da Warner Bros, tema do filme interpretada pela badalada cantora Misia e um ex-Primeiro Ministro entre seus dubladores, pode-se dizer que os Ultras nunca foram tão mainstream.

********************
É extremamente difícil e frustrante diagramar postagens com varios elementos aqui no Blogger. Espaços aparecem do nada, formatações que se alteram sozinhas... É um saco editar nesta porcaria. Estou pensando em mudar para a Wordpress. 

2 comentários:

Michel disse...

Como eu não sou fã de Yamato, vou ficar apenas com o filme dos Ultras e dos Kamen Riders. Seria muito difícil assistir três filmes no mesmo dia. Ainda não comprei os tickets antecipados, pois estou esperando pela divulgação do Cumprimento de Palco. Caso eu consiga esse ticket, para um dos filmes (ou os dois), daí eu vejo qual assistir primeiro (em cinemas diferentes). Como o filme dos Ultras está sendo distribuído pela Warner Bros, é provável que surja uma versão internacional. O produtor e vice-presidente da Tsuburaya, Junya Okabe, disse o seguinte, à revista Uchusen (Vol.126): “É necessário pensarmos na venda para o exterior, e agora quero mudar essa situação. Gostaria que qualquer pessoa da minha família assistisse e achasse interessante”. E mais, além do Ultraman Dyna, pode ser que o Ultraman Cosmos também apareça, já que o seu intérprete, o ator Taiyô Sugiura, já confirmou a participação como Haruno Musashi.

A respeito do Blogger, as vezes ele tem umas esquisitices. As vezes ao dar Enter, a quebra de linha fica enorme. E não consigo mais postar imagens diretas, pois elas ficam enormes. Tenho que colar a html. Pra não perder o trabalho, sempre digito primeiro no Word e colo o texto no blog.

Alexandre Nagado disse...

Fala, Michel, há quanto tempo!

Essa informação sobre o Ultraman Cosmos é surpreendente. Mas agora já começo a achar que a história vai ficar inflacionada de personagens disputando a atenção, a exemplo do filme dos 8 Ultra Brothers.

A entrada da Warner Bros fez tudo ganhar uma dimensão maior. Como o filme parece mesmo visualmente interessante, acredito que seja distribuído no exterior.

Porém, algo me diz que poderá ser um filme bastante diferente do que será mostrado no Japão. Para ficar palatável ao publico ocidental em geral, é bem provável que troquem o elenco japonês por um elenco ocidental no melhor estilo Power Rangers e que mudem bastante a história, para não exigir que se tenha conhecimento prévio sobre os personagens. Isso não me surpreenderia, mas espero que esse meu palpite esteja errado.

E que inveja, hein. Você poderá escolher o que assistir primeiro - e no cinema!

Abraços!