7_Visual_Kei CDJapan

terça-feira, 2 de junho de 2009

HISTÓRIA E ALERGIA - UM LIVRO ESSENCIAL

A medicina é daqueles assuntos sobre os quais todos deveriam entender um pouco, pois lida com nossa vida e saúde. Mas para os leigos, é um assunto por demais complexo, cujo conhecimento, mesmo básico, parece destinado apenas aos profissionais que se vestem de branco.

Dentro da medicina, o tema alergia é daqueles que tem feito cada vez mais parte da vida das pessoas. Com cidades tão poluídas e com os hábitos alimentares marcados por produtos repletos de corantes e substâncias químicas, é difícil não ter algum caso familiar de algum tipo de alergia ou doença respiratória, de pequena ou grande intensidade.


Para entender melhor o que tem se configurado cada vez mais um assunto da vida moderna, uma grande dica é o livro História e Alergia - Para entender uma doença moderna (Ed. Via Lettera), escrito pelo Dr. Raul Emrich Melo, especialista em alergia-imunologia e pediatria, mestre e doutor pela UNIFESP e palestrante. Com grande habilidade e um grande senso didático, o autor discorre sobre muitos assuntos relacionados ao tema alergia usando linguagem coloquial e agradável, sem tirar a seriadade que o assunto merece.

Asma, rinite alérgica, bronquite, efeitos da poluição, vacinas e suas reações, tudo é explicado de modo bastante esclarecedor. Mesmo o hermético jargão médico é explicado com uma clareza desconcertante, dando aos leitores condições de entender melhor causas, efeitos e tratamentos de diferentes tipos de alergia. Os capítulos são curtos, oferecendo uma excelente porta de entrada para entender diversos aspectos da alergia através dos tempos.

O autor transmite não somente aquela tranquilidade que todo bom médico deve passar, mas também oferece uma leitura agradavel, com um texto muito bem escrito. Ao final, não dá pra saber se é um médico que se revela um grande escritor, ou um escritor que por acaso é um grande médico.

História e Alergia
Autor:
Dr. Raul E. Melo
Editora: Via Lettera

Formato: 14x21 cm, com 112 páginas
Preço: R$ 26,00
Compre no site da editora clicando aqui.

Site do autor: www.raulmelo.com.br

4 comentários:

Roberto Gobatto disse...

Legal Nagado. Texto muico bacana. Abraço,
Gobatto

Anônimo disse...

Excelente dica de leitura. O livro é ótimo!!

KuroiShiroi disse...

Boa dica, também me preocupo com a saúde, tem gente que fala que sou impocundríaco.
Logo que eu li isso que você escreveu de que todos deviam saber um pouco, sobre medicina e as pessoas acharem medicina ser só pra médico eu acho que esse comportamento de negligenciarem a saúde tem um pouco a ver com a visão de saúde ocidental. Saúde pra maioria é não ter doença e o médico é aquele que cura, totalmente diferente do oriente onde saúde tem a ver muito mais com hábitos saudáveis e qualidade de vida (vide acupuntura)
Outro nível...
As vezes eu acho que os ocidentais estavam muito atrás dos orientais quando se cruzaram no meio do milênio passado...
Nunca fui pro japão e não sei bem como as coisas são realmente mas em se tratando de um país de primeiro mundo, a sociedade é bem menos avacalhada que aqui...
Já li no seu blog sobre que você se considera mais brasileiro que japonês (diferente de muito descendentes), queira aproveitar e ousar te sugerir escrever um dia sobre a cultura, a vida, o dia a dia japonês em comparação com o nosso e com a visão que temos deles. Sei que a visão deles de nós é bem distorcida também.
Desculpe se abusei do espaço.

Alexandre Nagado disse...

Olá. Com relação a sua sugestão, não sei se poderia fazer tais comentários. Tive uma estadia curta no Japão (uma semana) e tive tratamento de convidado do Ministério de Assuntos Estrangeiros do Japão. Ou seja, é bem diferente de ter uma convivência rotineira com a população. Mas posso dizer que vi ruas limpas e um povo bem civilizado e organizado. Nas vezes em que saí para fazer compras, também achei as pessoas bastante educadas e atenciosas.

Os que me atenderam e souberam que eu era brasileiro, ficaram contentes e mostraram que, mesmo conhecendo mais estereótipos (futebol, samba, bossa-nova...) gostam do país de um modo geral.

Abraços!