terça-feira, 17 de junho de 2008

FALANDO DE CULTURA POP JAPONESA: J-POP

A chamada cultura pop japonesa é um termo usado para definir um conjunto de mídias voltadas ao entretenimento. Engloba assuntos como o mangá (histórias em quadrinhos), o animê (desenhos animados), o J-Pop (pop-rock), os games, cosplay (fantasias de personagens, com intepretação teatral) e muitos outros assuntos que se interligam. E um dos temas que mais gosto nesse universo é o J-Pop.

A música japonesa entrou na minha vida através das canções de seriados e animações japonesas que assistia desde criança. Adorava os temas de Ultra Seven, Candy Candy, Menino Biônico e Patrulha Estelar, mesmo sem entender uma só palavra na época. Também me lembro que minha mãe tinha um compacto importado do Japão com a música "Toki ni wa haha no nai kono youni", lançado pela cantora Carmen Maki (uma das precursoras da música pop e do rock japonês), lá pelo final dos anos 60. Isso acabou criando certa afinidade com o idioma e com uma sonoridade diferente do que tocava nas rádios.

Em 1990, ganhei um CD importado da banda The Checkers, que eu havia descoberto assistindo clipes que passavam nos saudosos programas Japan Pop Show (apresentado por Nelson Matsuda) e Imagens do Japão (com Rosa Miyake). Foi a minha entrada para o J-Pop, o pop-rock nipônico. Em termos de música japonesa, ainda aprecio música instrumental e algumas coisas de new enka e folk, mas alguns dos meus artistas favoritos de todos os tempos e estilos são de J-Pop. Ainda no Japan Pop Show, descobri a dupla Chage & Aska, meus artistas japoneses favoritos até hoje. Depois, fui descobrir o trabalho solo de Aska e o de Chage com a banda Multi Max (que se tornou outra das minha favoritas). Com o tempo, fui descobrindo muitos outros artistas. Minha preferência é pelo material feito nos anos 80 e 90, como o da banda Anzen Chitai. Tem muita bobagem no J-Pop, muita boys e girls bands, grupinhos e ídolos pré-fabricados, música feita em escala industrial (algumas grudentas e irresistíveis) e muitas armações. Também não curto o J-Rock (uma variante mais pesada do J-Pop), com muitos posers, artistas com cara de mau e pose ensaiada de rebelde. Mas tem também artistas pop de grande consistência, grandes músicos e canções que poderiam fazer sucesso no mundo inteiro, não fosse a barreira do idioma. Com toda sua diversidade, não se pode dizer que J-Pop seja um estilo ou gênero, mas sim uma definição para o segmento de música popular jovem no Japão.

No campo da música jovem japonesa, ainda sou grande curtidor de anime songs, os temas de animês e seriados japoneses, que foram na verdade minha porta de entrada para a música japonesa. Sobre J-pop e anime songs, assinei uma matéria que será publicada na edição deste mês da revista MAG!, editada pelo evento São Paulo Fashion Week.

Artistas favoritos: Chage & Aska, The Checkers, Anzen Chitai, Yuki Katsuragi, My Little Lover, Fumiya Fujii, Multi Max, Hikaru Utada, Namie Amuro, Puffy AmiYumi...

Nenhum comentário: